>>>>>>>>>>>>> MEMÓRIA - RESGATANDO E PRESERVANDO NOSSA HISTÓRIA

terça-feira, 22 de setembro de 2020

RELATÓRIO DO MUNICÍPIO DE GARANHUNS ANO DE 1931 - PREFEITO MÁRIO SARMENTO PEREIRA DE LIRA - PARTE V








Fonte: Acervo Memorial Ulisses Viana de Barros Neto

PRESIDENTES DA CÂMARA DOS DEPUTADOS DURANTE O IMPÉRIO


GABRIEL MENDES DOS SANTOS - Mineiro. Formado em leis pela Universidade de Coimbra. Magistrado. Deputado em várias legislaturas, de 1834 a 1851. Neste, Presidente da Câmara e Senador. Faleceu em 1873.

Fonte: Presidentes da Câmara dos Deputados Durante o Império 1826 a 1889 / Carlos Tavares de Lyra / Centro de Documentação e Informação da Câmara dos Deputados / Brasília - 1978. Acervo: Memorial Ulisses Viana de Barros Neto

UMA GARANHUENSE CHAMADO RONALDO

Em 12 de agosto de 1936 nascia em Garanhuns o quinto filho de Fausto e Maria Irenita, o primeiro rebento vindo ao mundo na cidade que a família adotou como nossa.

Morreu no dia 11, e, no dia 12 de outubro, quando Rogério faria 36 anos, foi enterrado numa campa comum num dos cemitérios do Recife.

Irmão mais velho que fui teu, creio que não posso contar-te a história com necessária isenção, porque os irmãos carnais e amigos espirituais, como um todo monolítico, tendem a pecar pela falta de isenção, advinda do amor e fraternidade maior.

Mas diante de tua morte prematura não posso calar-me, e, aqui neste jornal da terra (O Monitor), invoco-te o nome e peço aos que privaram da tua amizade e companhia para testemunharem.

Que perguntem ao padre Adelmar quem foi o aluno, em certa época o menor, na idade, e, que no fim da fila, acompanhava os desfiles do 12 de outubro? E o Padre dirá que foste durante todos os anos em que no Ginásio estudaste!

Que perguntem aos teus contemporâneos o que  representasse para ele? E eles todos dirão uníssonos a criatura alegre, brincalhona, que teu ser encarnava!

Que perguntem aos teus colegas de Faculdade, onde, em 1959, saíste bacharelado em Direito, laureado como melhor aluno, e, eleito por  unanimidade, orador da turma? E eles, de todos recantos de Pernambuco e/ou espalhados pelo País, saberão fazer justiça!

Que perguntem aos procuradores do IPSEP, onde por concurso público, foste um deles, qual a performance de tua atuação durante décadas?

Que consultem lá no Além o professor Joaquim José de Almeida, catedrático da cadeira da ciência de Introdução ao Direito, de quem foste assistente na velha casa de Tobias?

Cadeira, que mais tarde, também por concurso, vieste a ocupar até que a morte veio buscar-te!

Que perguntaram aos advogados de ofício do Estado, titulados e de renome, qual o teu comportamento como um deles? Ainda bem jovem já substituías, por concurso - como em todos os cargos que em vida ocupaste - a Oswaldo Lima Filho!

Que perguntem a Luís Souto Dourado, quando Secretário de Estado dos Negócios da Justiça, porque te escolheu para seu Consultor Jurídico?

Que perguntem à Jânio Quadros, a Cordeiro de Farias  por que  te indicaram para prefeito de Macapá e Secretário Geral do Território do Amapá?

Que perguntem aos teus companheiros da OAB teu desempenho, em certa época, como conselheiro ordem?

Que perguntem à Congregação da Faculdade por que  foste indicado para vice diretoria, e, com o professor Mário Batista, diretor gerisse os  destinos do sodalício jurídico de ensino?

Com a morte do titular, ficaste vários meses na direção da Faculdade, onde entraste e só saíste por imposição da morte?

Que perguntem ao professor Pinto Ferreira, com quem integraste uma lista tríplice, para que o Ministro da Educação escolhesse um para diretor, sendo o 'monstro-sagrado' o escolhido, mas tu também o foste para permanecer na vice diretoria?

Durante um quarto de século - desde a formatura até o dia em que morreste - sempre foste da velha Faculdade!

Tua banca de advocacia, suponho, poderia ter rendido mais pecúnias se a ela tiveste dado maior dedicação de tempo de trabalho. Mas tua meta de vida profissional foi o ensino da tua  cadeira de ciência à introdução do Direito, da qual nunca de afastaste.

Que perguntem aos teus ex-alunos, aos teus colegas professores, dentre eles Marcos Freire e Roberto Magalhães, quem foi uma garanhuense chamado Ronaldo?

*Rinaldo Souto Maior / Jornalista, cronista e historiador / São Paulo, 24 de Novembro de 1984

MUNICÍPIOS PERNAMBUCANOS JÁ COMEÇARAM A RECEBER RECURSOS DA LEI ALDIR BLANC


De acordo com dados do site da Secretaria Nacional de Cultura, ligado ao Ministério do Turismo, 26 municípios pernambucanos entraram na previsão de pagamento ou já receberam recursos da Lei Aldir Blanc.

Ao todo, esses municípios somam o montante de R$ 15.936.716,76, equivalente a 23% do valor total destinado a todos os municípios do Estado, que é de aproximadamente R$ 69 milhões.

Segundo o inciso II da Lei Aldir Blanc, as prefeituras ficarão responsáveis pelo subsídio mensal entre R$ 3 mil e R$ 10 mil para manutenção de espaços artísticos e culturais, microempresas e pequenas empresas culturais, cooperativas, instituições e organizações culturais comunitárias que tiveram as suas atividades interrompidas por força das medidas de isolamento social. Abaixo, segue a lista dos municípios pernambucanos que já receberam recursos e os respectivos valores:

ALAGOINHA - R$ 128.562,31

CARUARU - R$ 2.330.000,00

JATAÚBA - R$ 151.915,67

VERTENTES - R$ 172.360,78

CHÃ GRANDE - R$ 177.881,70

CUPIRA - R$ 201.000,00

OURICURI - R$ 504.559,74

PALMARES - R$ 469.116,41

ITAPISSUMA - R$ 215.160,12

PAUDALHO - R$ 421.612,58

TRIUNFO - R$ 132.090,67

OLINDA - R$ 2.509.000,00

SERRA TALHADA - R$ 619.002,13

BELÉM DE SÃO FRANCISCO - R$ 172.320,00

LAGOA DOS GATOS - R$ 138.005,54

CALUMBI - R$ 59.828,50

FLORES - R$ 183.168,54

JABOATÃO DOS GUARARAPES - R$ 4.278.472,72

JAQUEIRA - R$ 102.548,39

LIMOEIRO - R$ 420.150,99

PEDRA - R$ 183.128,57

ABREU E LIMA - R$ 705.877,48

ÁGUA PRETA - R$ 281.938,64

CANHOTINHO - R$ 204.612,88

GARANHUNS - R$ 960.097,69

ITAÍBA - R$ 213.435,90

Fonte: Cultura PE

segunda-feira, 21 de setembro de 2020

JUREMA - MPPE AJUÍZA AÇÃO CIVIL CONTRA PREFEITO POR IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) ingressou com uma ação civil pública por ato de improbidade administrativa em desfavor do prefeito de Jurema, Agnaldo José Inácio dos Santos, por ele ter promovido com uso da máquina pública, em 4 de julho deste ano, uma carreata com veículos da Guarda Municipal entregues pelo Ministério da Justiça, nas ruas da cidade, que foram de cunho político, em apoio ao pré-candidato a prefeito José Ailton Costa.

Os veículos, inclusive, foram decorados com balões de cor amarela, que é a cor do partido Avante, sigla do pré-candidato José Ailton Costa, conhecido por Galego. O atual prefeito de Jurema ainda fez referência com as mãos ao número 70, que será o do pré-candidato nas urnas.

“Além disso, a carreata causou grandes aglomerações na cidade de Jurema e em Queimadas de Jurema, o que vai de encontro às normas sanitárias de prevenção à pandemia de Covid-19, editadas pelo Ministério da Saúde, Estado de Pernambuco e pelo próprio município de Jurema, além das diversas recomendações do Ministério Público”, frisou a promotora de Justiça Kamila Bezerra Guerra. “As fotografias, vídeos e principalmente o contexto em que o evento da entrega dos veículos ocorreu revelam claramente que não se tratou de uma prestação de contas à população”, complementou a promotora de Justiça.

Kamila Bezerra Guerra ainda relatou na peça entregue à Justiça que, no dia 18 de julho de 2020, houve novamente aglomerações causadas por eventos políticos. E no dia 19 de julho, uma nova carreata, durante a noite, realizada pelos representantes do partido Avante, causando, mais uma vez, aglomerações em Jurema. Eventos que foram exaustivamente divulgados na cidade, com a informação do dia e horário. Policias militares que estavam de serviço, no dia 19 de julho, confirmaram a ocorrência de aglomeração com aproximadamente 300 pessoas, incluindo idosos e crianças, muita gente sem máscara, assim como uma queima de fogos de artifício, com buzinaços e gritos. Eles ainda asseguraram que se tratava de um evento com fins políticos/partidários.

Em 7 de setembro, novamente ocorreram várias aglomerações no centro de Jurema e em Santo Antônio das Queimadas, por parte dos eleitores e apoiadores do partido Avante, Nação Gabiru, como chamados pelo pré-candidato do partido. No dia 13 de setembro, antes da convenção do partido Avante, o pré-candidato José Ailton Costa e o prefeito, Agnaldo José Inácio dos Santos, realizaram um desfile no centro de Jurema, o que gerou mais uma grande aglomeração de pessoas, as quais, incentivadas pelo gestor municipal e pelo pré-candidato apoiado por este, caminharam pelas ruas do município, contrariando de novo as normas sanitárias de combate à pandemia.

“O que se destaca desses episódios é a quebra da legalidade, da moralidade e da impessoalidade. Ao tempo em que edita decreto para limitar atividades sociais, esportivas, educacionais, festivas e econômicas da população, o próprio Administrador Público desrespeita a norma, a troco de ganhos políticos para o pré-candidato apoiado pelo gestor”, alegou a promotora de Justiça Kamila Bezerra Guerra.

Após receber as denúncias sobre os eventos, a Promotora de Justiça local instaurou o procedimento para apurar os fatos. Documentos também foram encaminhados ao promotor eleitoral competente, para analisar o aspecto eleitoral dos fatos, assim como uma reunião entre promotores ocorreu, de maneira virtual, para troca de informações.

CPRH LANÇA PROJETO FAUNA LIVRE

Na Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH), a equipe de Educação Ambiental trabalha um projeto que "é o bicho": é o  Fauna Livre.  Lançado em 2018  com o propósito de promover a informação  sobre a importância dos  animais silvestres para o equilíbrio ambiental, o projeto conseguiu que quase 200 animais silvestres criados ilegalmente,  fossem entregues de forma voluntária. 

 A equipe trabalha o processo de conscientização com palestras, narração de histórias, encenação teatral, exposição fotográfica  e jogos ambientais.

 Assista ao vídeo do Projeto Fauna Livre e divulgue essa ideia sobre os silvestres: animal lindo é animal livre.

 Clique AQUI para acessar o vídeo.

HISTÓRIA DE GARANHUNS

JAZZ BAND CARLOS GOMES - Começou a funcionar em agosto de 1933, tendo como responsável o maestro Pedro Alcides de L. Figueiredo e sempre atuando nos bailes da AGA. Somente em dezembro de 1939 é que se tornou uma sociedade civil, formando a sua diretoria que ficou assim constituída: Presidente - Everaldo de Arruda Marques; Vice - João Manoel Lins Pimentel, Tesoureiro - Luís Mendonça, Vice - Euclides Pernambuco, Orador - José Francisco de Souza, Vice - Antônio Alcantâra Leite, Diretor Musical - Luís Figueiredo, Vice - Joaquim Almeida, Conselho Fiscal - Aloísio Souto Pinto e Jaime Luna.

RUA CAPITÃO FRANCISCO SOUTO FURTADO - GARANHUNS, PE

HISTÓRIA DE GARANHUNS

Vavá Jacinto quando defendia a equipe da AGA

VALDEMAR JACINTO DA SILVA (VAVÁ JACINTO) - Nada mais justo, na minha maneira de ver as coisas do que  iniciarmos os nossos trabalhos de coletar dados para a abertura do Banco de Dados da Memória Esportiva de Garanhuns, quando se tenta resgatar um pouco da história esportiva da nossa terra, homenageando-se o Sr. Valdemar Jacinto  da Silva, nosso inesquecível amigo  Vavá Jacinto.

Desde já, quero deixar bem  claro que desde a transferência do nosso amigo  para a espiritualidade que o universo esportivo desta sofrida cidade está de luto. Não porque tenha morrido um dos seus maiores defensores, protetores ou promotores pois sabemos que só morrem aqueles que são esquecidos justamente por não terem deixados entre nós tantas realizações e tantos exemplos como nos deixou este amigo certo das horas incertas, não só para o esporte garanhuense em  todas as suas modalidades como para aqueles que tiveram a sorte e o privilégio de desfrutarem da sua amizade. 

O mundo esportivo da nossa terra está de luto porque com a transferência para a pátria espiritual do nosso amigo Vavá e de outros desportistas do nosso torrão natal que podem ser tidos como da mesma estirpe de Vavá, o esporte deixou de ser tido em nosso meio como prioridade e parece que quando se afirma que esporte é vida a afirmativa pode ser válida para  qualquer parte do nosso País, menos para Garanhuns.

Garanhuns está ausente e impossibilitada de subir ao pódio como fazia antigamente em Copas do Interior, diversas competições esportivas de vulto do nosso estado e até do campeonato pernambucano de futebol. Logo Garanhuns que sempre foi tida como um verdadeiro celeiro de craques. Tudo isso porque Vavá e outros amigos, símbolos do esporte em nossa região, foram convocados pelo técnico maior para enaltecerem com seus valores as grandes equipes do mundo que nos espera.

Falar de história do nosso futebol, falar de excelentes atletas, falar de homens que escreveram com o seu brio pessoal, sua boa vontade e seu amor ao esporte as histórias das suas equipes, dos seus clubes e das suas cidade é falar de Vavá.

Como atleta defendeu tantas equipes e tantos clubes de todas as categorias da nossa cidade que citá-los é completamente impossível.

Como diretor dos nossos principais clubes e associações colaborou ativamente para o desenvolvimento de cada um deles. E finalmente como protetor do nosso esporte através das suas diversas modalidades e dos nossos inúmeros clubes, associação, equipes e até times de pelada está entre aqueles que são considerados inesquecíveis.

MULTIDÃO DEU O ÚLTIMO ADEUS A VAVÁ JACINTO - Uma multidão calculada em mais de quatro mil pessoas, acompanhou na tarde de um sábado o corpo do industrial e desportista Valdemar Jacinto da Silva (Vavá Jacinto), que faleceu no dia 1º de julho de 1983 no Recife.

Aos 37 anos anos de idade, Vavá Jacinto tinha relevantes serviços prestados à comunidade de Garanhuns e do Agreste. Vavá Jacinto - filho do também industrial Júlio Jacinto. O corpo após ser trasladado do Recife, para Garanhuns, foi velado no salão de reuniões da Associação Garanhuense de Atletismo (AGA), posto que o mesmo era membro da Junta Administrativa. Da madrugada do sábado até a hora que foi transportado para o cemitério de São Miguel, o corpo de Vavá foi visitado por mais de oito mil pessoas, que em prantos lamentaram o falecimento do jovem industrial.

*Dila / Cronista esportivo e historiador / Garanhuns, 9 de Março de 1996 e Jornal O Monitor de 9 de Julho de 1983

A ELEIÇÃO MAIS GOSTOSA DO BRASIL

Puro marketing eleitoral. Em 1945, o brigadeiro Eduardo Gomes, da União Democrática Nacional, disputava a sucessão presidencial de Getúlio Vargas com o marechal Eurico Gaspar Dutra, do Partido Social Democrata. Aliado do presidente, Dutra tinha a popularidade dele a seu favor. Gomes contava com o trunfo do eleitorado feminino. Alto e charmoso, nunca se casou.  Seu lema de campanha era 'vote no brigadeiro, que é  bonito e é solteiro'. As mulheres que o apoiavam resolveram conquistar os  eleitores pelo estômago. 'Elas misturaram leite condensado com chocolate em pó e faziam o 'docinho do brigadeiro', vendido para arrecadar fundos para a campanha'. A guloseima fez sucesso, mas não adiantou. Dutra deu um banho em Gomes - 55% dos votos contra 35% - e assumiu a Presidência em 1946.

HÁ 38 ANOS

CASAL KOURY REUNIU CLÃ E AMIGOS Ao raiar as primeiras luzes do alvissareiro e esperançoso ano de 1982, um acontecimento dos mais salutares ocorreu em Recife, juntando um punhado de garanhuenses, que se abraçaram e conversaram no dia dois  de janeiro e se alongaram pela madrugada do domingo. As conversas eram variadíssimas e os  assuntos via de regra vinculavam-se às vidas da maioria dos presentes, vivida aqui em Garanhuns. O acontecimento não poderia ensejar oportunidade do que o casamento da filha dos amigos Jaime e Celina Koury, ambos filhos de tradicionais famílias da terra. Jaime Koury saindo cedo de Garanhuns sempre aqui esteve ligado pelos irmãos, especialmente Jorge Koury, Celina, filha de Sebastião Moura uma espécie de 'patrimônio' de Garanhuns, que sendo de Canhotinho traz em sua vida o amor enraizado na terra de Simôa Gomes, pois aqui construiu família numerosa, aqui foi comerciante por mais de meio século e aqui fez uma imensa legião de amigos.

O casamento da jovem Ana Eulália, foi belíssimo em todos os aspectos, dentro dos padrões socioeconômicos da família da noiva e do noivo. Não houve modéstia nem espalhafato; não houve exagero mas nada faltou. O pai da noiva esteve impecável com calças de listas giz, blazer preto e gravata prateada, colete cinza. A prima e amiga Celina desfilava, com misto de sorrisos e choro, em um turquesa de gaze, com assinatura da eximia costureira Lourdes Vasconcelos (Caruaru), que também fez o vestido da noiva. Belíssima por sinal; pesado com farto tecido, crepe roma e renda francesa, caindo muito bem em Ana Eulália. A cerimônia foi oficiada pelo padre Frei Severino, começando tudo à hora prevista, na Igreja (Neoclássica) Manguinhos, vizinha ao Palácio Episcopal de mesma linhagem arquitetônica. Por sinal, registre-se a excelência localização da Igreja, que ao lado do palácio, oferece nos jardins espaço ideal para a recepção, inclusive a  escadaria lateral servindo de 'arquibancada', utilizada descontraidamente pelos comensais, sem contudo quebrar-se a elegância da reunião.

A música ficou por conta do exímio artista que é o amigo Paulo Moura, com órgão, violino, flauta e excepcionais cantores (uma moça e um rapaz). Dos convidados uma verdadeiro festival de saudosismo de conterrâneos. Um destaque especial para os pais de Antônio Carlos Parayba, o jovem engenheiro que se casou, que  à todos, juntamente com os pais de  Eulália, recebiam os cumprimentos  dos inúmeros convidados em plataforma especial colocada ao ar livre. Dos muitos convidados anotamos nomes de muitos amigos de Garanhuns, alguns do nosso tempo de menino, outros de gerações anteriores, como é o caso do decano Antônio Rodrigues, pai do amigo advogado Stelio Rodrigues. Falando em Stelio um destaque para  a esposa Helena, desfilando impecável em um tule  preto com renda. Mas o destaque do casamento mesmo ficou para o grande número de pessoas dentre as quais anotamos o advogado Dr. Ordolito e esposa, Dr. Everardo Gueiros (Dayse), Polim Gomes (Dinah), Dr. Orlando Parayim, Sr. Isnar Bezerra (Célia), vindos de Salgueiro, Marcelo (Marluce) Moura Lins, Jorge Koury e esposa. Gerusa Acioman, Advogado João Moura (Agriomar), Sr. Walter Matos (esposa), Dr. Marcelino Filho (Ivanilde), ele diretor do departamento financeiro do Tribunal Regional do Trabalho, Dr. Walter Albuquerque e esposa, Sra. Cilene Branco Albuquerque, ele Delegado Regional de Palmares, Erasmo Peixoto e Radamés dando cobertura completa com a televisão, Sebastião Moura Filho (Mourinha e esposa) e Sebastião Moura Lins o decano avô da noiva, muito festejado e cumprimentado por centenas de  parentes e amigos dos noivos. O serviço de buffer, foi impecável sob a batuta de Azevedo.

O mais importante de tudo foi sem dúvida, a oportunidade que tivemos todos que fomos convidados para aquelas bodas, rever amigos e  parentes, conversar longamente e matar as saudades de Garanhuns, nas palestras, risos e confraternização, que varou a madrugada, quebrando o silêncio que as vestutas paredes da Igreja dos Manguinhos e do Palácio Episcopal, são testemunhas.

*Marcílio Lins Reinaux
Escritor, poeta, advogado, cronista e pintor
Recife, 30 de Janeiro de 1982

TCE JULGA ILEGAIS CONTRATAÇÕES TEMPORÁRIAS EM SÃO JOSÉ DA COROA GRANDE

Foram julgadas ilegais pela Primeira Câmara do TCE, na sessão da última terça-feira (15), 293 contratações temporárias realizadas no exercício financeiro de 2019 pelo prefeito do município de São José da Coroa Grande, Jaziel Gonsalves Lages. O relator do processo (n° 1926292-9) foi o conselheiro substituto Luiz Arcoverde Filho.

A admissão de pessoal foi destinada ao preenchimento de vagas para Agentes Comunitários de Saúde e de Agentes de Combate às Endemias. No entanto, o relatório de auditoria apontou irregularidades como a não comprovação da necessidade excepcional para as contratações temporárias e a ausência de processo seletivo público, em afronta aos princípios constitucionais da isonomia, impessoalidade, moralidade administrativa e publicidade.

Em seu voto, o relator ainda destacou que de acordo com o art. 16 da Lei Federal nº 11.350/2006, salientando não existir nos autos comprovação de surtos endêmicos, “é vedada a contratação temporária ou terceirizada de Agentes Comunitários de Saúde e de Agentes de Combate às Endemias”.

O conselheiro ainda ressalta que a suposta necessidade e emergência das contratações foram causadas pela própria omissão dos gestores em realizar um concurso público, visto que o último, para os cargos em questão, foi realizado em 2009.

Além de negar os registros dos respectivos cargos, o relator aplicou uma multa ao prefeito do município no valor de R$ 10.217,40. O gestor ainda pode recorrer da decisão do Tribunal.

Além do relator, participaram da sessão os conselheiros Carlos Neves, Ranilson Ramos e Valdecir Pascoal e os conselheiros substitutos, Marcos Nóbrega e Ruy Ricardo Harten. A procuradora Maria Nilda representou o Ministério Público de Contas na sessão. Fonte: Gerência de Jornalismo (GEJO), 18/09/2020.

RELATÓRIO DO MUNICÍPIO DE GARANHUNS ANO DE 1931 - PREFEITO MÁRIO SARMENTO PEREIRA DE LIRA - PARTE IV

Acervo: Memorial Ulisses Viana de Barros Neto

MÚSICA SOBRE COMPRA DE VOTOS PERMANECE ATUAL DEZ ANOS DEPOIS

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=luYf_GnDulg&feature=emb_logo

https://www.youtube.com/channel/UC1kilS1DdyYOEGItHPRukBw

TSE - TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL

BIENAL DO LIVRO DE SÃO PAULO TERÁ A PRIMEIRA EDIÇÃO VIRTUAL

A Bienal do Livro de São Paulo terá este ano a primeira edição virtual. Em junho, a Câmara Brasileira do Livro (CBL) havia anunciado o cancelamento da 26ª edição do evento em 2020, previsto para outubro, por conta da pandemia do novo coronavírus. A previsão é que a feira física seja realizada em 2022. A versão virtual será este ano de 7 a 13 de dezembro em uma plataforma digital.

Com o tema Conectando Pessoas e Livros, a proposta é reunir leitores, escritores, parceiros, editores, distribuidores e livrarias em uma semana de discussões e negócios.

A plataforma vai oferecer palestras online e a possibilidade de comprar livros, além de interação entre os diversos atores do mercado editorial.

Segundo o presidente da CBL, Vitor Tavares, a expectativa é reunir 150 expositores e atrair mais de um milhão de visitantes para a plataforma. 

“Pela primeira vez, pessoas de todos os lugares do Brasil e do mundo poderão participar dessa grande festa, conhecendo as novidades, fazendo bons negócios e aproveitando as palestras que jamais estariam disponíveis de outra forma”, disse Tavares.

Serão promovidas, ainda, rodadas de negócios entre companhias brasileiras e empresas estrangeiras para discutir a situação atual do setor editorial no Brasil e no mundo.

Esses eventos serão exclusivos para as empresas apoiadas pelo Brazilian Publishers – projeto que apoia a internacionalização do conteúdo editorial brasileiro feito em parceria da CBL com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

domingo, 20 de setembro de 2020

RELATÓRIO DO MUNICÍPIO DE GARANHUNS ANO DE 1931 - PREFEITO MÁRIO SARMENTO PEREIRA DE LIRA - PARTE III








Acervo: Memorial Ulisses Viana de Barros Neto

RUA VALDEMAR GARIBALDI (TOTA) - GARANHUNS, PE

HISTÓRIA DE GARANHUNS

Sanatório de Garanhuns (Hotel Petrópolis), prédio está abandonado.
Praça Carlos Lyra (Praça da Bandeira), atual Praça Monsenhor Adelmar da Mota
Valença
MUITA POUCA GENTE MORREU - Encontro nas páginas do 'Diário de Garanhuns', nos anos de 1930, anúncio muito interessante do Sanatório de Garanhuns, fundado e de propriedade dos médicos Pedro Carneiro Leão Sobrinho e Luís Pereira Guerra.

O médico Pedro Carneiro Leão, era cirurgião por excelência e apresentava em seu 'curriculum' a condição de ex-assistente do professor Aluísio de Castro, uma das grandes sumidades médicas daquele tempo, no Rio de Janeiro. O Dr. Luís Guerra, fizera passeio à Europa e o aproveitou para um curso na Alemanha, anunciando também a sua condição de ex-assistente do professor Liepmann, de Berlim.

O Sanatório Garanhuns, ocupava espaçoso prédio adaptado para o serviço hospitalar nas proximidades do nosso Colégio Diocesano, na Praça Carlos Lyra.

O que chama a atenção no seu anúncio de duas colunas no velho 'Diário', não são os currículos médicos, já por demais conhecidos em Garanhuns, mas, interessante estatística, em que muitos poucos morreram no Sanatório de Garanhuns. Está ali escrito em todas as letras o seguinte: 'Em perto de 400 doentes operados, constam apenas 6 óbitos'.

Realmente, uma proporção positiva das melhores, além do mais, as diárias começavam em 10$000 (dez mil réis).

*Alfredo Vieira / Garanhuns do Meu Tempo / Jornalista, advogado e historiador / Ano 1981. Acervo: Memorial Ulisses Viana de Barros Neto

CAUTELAR SUSPENDE CONTRATOS PRORROGADOS EM SÃO JOSÉ DO EGITO

A Segunda Câmara do TCE referendou por unanimidade, na manhã desta quinta-feira (17), Medida Cautelar expedida pelo conselheiro Marcos Loreto que determinou à Prefeitura de São José do Egito a suspensão dos pagamentos do contrato decorrente do Pregão Presencial nº 007/2017.

Realizado há cerca de três anos, o processo licitatório em questão teve como objeto a locação de trator de esteira para execução de serviços de limpeza, manutenção, construção de pequenas barragens de terra e construção de estradas vicinais por período de 12 meses. A empresa vencedora foi a A. DA. S. Pereira Eireli, que assinou um contrato com a gestão municipal em maio de 2017 no preço total de R$ 138 mil.

A medida de urgência, no entanto, foi provocada por relatório de auditoria do TCE após uma análise do contrato e suas reiteradas prorrogações pela Prefeitura de São José do Egito sem qualquer justificativa legal, além de várias outras irregularidades, a exemplo do preço contratado e do repactuado. Esse tipo de ato é proibido pela Lei de Licitações e Contratos (Lei 8.666/1993).

Mesmo depois de questionada pelo TCE, a gestão municipal não apresentou justificativa para as questões levantadas pelo relatório, o que seria de extrema relevância para o processo, pois o município possui equipamentos semelhantes que podem fazer o mesmo trabalho do objeto do contrato.

De acordo com o voto do relator, devido às outras “irregularidades verificadas pela equipe técnica, inclusive com imputação de débitos, que necessitam de processo específico para análise”, ele também determinou a formalização de um processo de Auditoria Especial.

SESSÃO - Participaram da sessão o presidente da Segunda Câmara e relator do processo, conselheiro Marcos Loreto, a conselheira Teresa Duere, os conselheiros substitutos Marcos Flávio Tenório, Ricardo Rios e Ruy Ricardo Harten e o representante do ministério Público de Contas, procurador Gilmar Lima. Fonte: Gerência de Jornalismo (GEJO), 18/09/2020.

sábado, 19 de setembro de 2020

HISTÓRIA DE GARANHUNS

MANOEL VIEIRA DOS ANJOS - Em 1922, ainda estudante do Colégio 15 de Novembro, resolveu com João Miranda e José Lins Caldas, dar publicidade a um jornal 'O Garoto', destinado à gurizada com a finalidade de despertar as vocações jornalísticas. Em 1925, com Amadeu Aguiar, ei-lo a cuidar de outro semanário - O Jornal. Mas, somente com 'O Clarim' que se manteve de 1925/1929, é que se projetou no mundo da imprensa matuta, no cargo de Diretor e, Caetano Alves na gerência. Era impresso no Norte Evangélico. Colaboraram: Manoel Lucas, Artur Maia e outros. Com surgimento do Diário de Garanhuns, entra no páreo com Tiago Veloso, na qualidade de proprietário e Diretor, conjuntamente com o citado, permanecendo de maio/junho de 1930. Era filho de José Vieira dos Anjos, agente da Great Western e Maria Pastora dos Anjos e irmã de Aristéia Vieira dos Anjos. De então, Manoel desiludido do jornalismo e tendo que cuidar da vida, enveredou para o ensino e, durante 35 anos batalhou na área difícil de lidar com alunos, no Colégio Diocesano. Era o mestre da língua de 'tio sam'.

No mundo social, 'Dos Anjos', era um pouco arredio, mas, defronte ao Glória, todo santo dia, estava a conversar com o inseparável amigo Flanklin Thompson além de Pernambuco, Josemir, Jaime, Arlindo penante, Quincas e outros. casado com Maria Dalva Pedrosa.