>>>>>>>>>>>>> MEMÓRIA - RESGATANDO E PRESERVANDO NOSSA HISTÓRIA

terça-feira, 7 de abril de 2020

PORQUE SIVALDO ALBINO DEVE SE CANDIDATAR A PREFEITO DE GARANHUNS

Na foto Sivaldo com Ivo Amaral, avalista de
sua pré-candidatura e melhor prefeito da
história de Garanhuns
Por Roberto Almeida*

Sivaldo Albino é deputado estadual, líder do PSB na Assembleia Legislativa e tem prestígio junto ao governador Paulo Câmara, um político criticado mais pelos primeiros anos do início de mandato do que pela sua gestão de 2017 em diante, quando  terminou de pagar as contas deixadas pelo seu antecessor e as coisas começaram a entrar nos eixos.

No Legislativo Estadual, o garanhuense tem feito um bom trabalho, conseguindo ações e obras para o município que possivelmente não viriam para cá caso não tivéssemos representação na Assembleia.

Por conta da importância do mandato de Sivaldo, até adversários seus defendem que ele deve continuar como deputado. Creem que a cidade perderia sem sua voz na Casa Joaquim Nabuco.

Naturalmente teríamos prejuízos caso o parlamentar disputasse a eleição e vencendo o pleito tivesse que renunciar ao mandato.

Os ganhos com uma vitória sua no pleito de 2020, contudo, poderiam ser maiores.

Sivaldo correspondendo à expectativa, fazendo um governo melhor do que o atual, o município só teria a ganhar.

E se ele tem prestígio junto ao governo como deputado que assumiu na condição de suplente, mais ainda teria como prefeito escolhido pela vontade soberana do povo de Garanhuns.

Com um prefeito afinado com o governador, a cidade teria tudo para se transformar num canteiro de obras, caso o jovem gestor se empenhasse nesse sentido.

A verdade é que uma possível candidatura de Sivaldo Albino à sucessão municipal há muito deixou de ser um sonho ou projeto pessoal para virar desejo de amplos setores da sociedade garanhuense.

Caso o socialista, hoje, resolvesse não se candidatar, estaria fazendo parecido com Silvino, em 2012, quando deixou o seu pessoal "chupando dedo" e renunciou à candidatura para apoiar Izaías Régis, garantindo a sua vitória.

Muitos que seriam capazes de dar a vida pelo ex-prefeito foram tomar conhecimento da desistência pelo rádio, uma vez que a decisão do então candidato foi tomada entre quatro paredes, numa conversa com o senador Armando Monteiro.

Como ficariam os 78 pré-candidatos a vereador do PSB, PSD e PDT, caso Sivaldo renunciasse a sua candidatura?

O que faria Luizinho Roldão, que abriu mão de sua pré-candidatura à prefeitura para apoiar Sivaldo? E Betânia da Ação Social e Tonho de Belo, os dois com mandatos, como fariam para escapar diante do gesto medroso do deputado?

Claudomira Andrade, Johny Albino, Damásio Cardoso, Carlos Tevano, Hélio Faustino, Roberval da Cohab II, Eraldo Caxiado, Joaci Laurindo, Tiago do Gás, Cláudio Taveira, Matheus Martins, Roberto Pereira, Nilton Ayres, Chico Alencar e tantos outros que caminho seguiriam sem uma candidatura forte para enfrentar a máquina da prefeitura?

Sivaldo tem seus defeitos, como todo mundo, seus adversários gostam de chamar ele de orgulhoso, mas as qualidades dele também saltam aos olhos.

Ele é ousado, inteligente, bem intencionado e tem amor por Garanhuns, terra onde nasceu e sempre morou.

Dentre os seus defeitos, dá para perceber desde que foi vereador, não está o de trair companheiros e se acovardar diante dos desafios, seja da vida ou da política.

Caso o calendário eleitoral seja mantido, Garanhuns vai ter uma disputa política difícil com duas propostas diferentes. Uma de continuidade, para o mesmo pessoal continuar com as benesses e outro de mudança, de modo que possamos ver gente nova dando as cartas nas secretarias e no Palácio Celso Galvão.

O atual prefeito de Garanhuns, Izaías Régis, já deu sua contribuição ao município. Silvino também. Foi vereador, foi vice-prefeito de Zé Inácio e governou Garanhuns por oito anos. Por que, aos 71 anos, não bota o pijama, não vai viver seu novo amor?

Por que essa obsessão pelo poder?

E para completar ainda há uma disputa, no campo governista, pelo cargo de vice. Izaías quer indicar Haroldo, que pelo visto aceita tudo - o importante é manter o emprego - e Silvino gostaria de outro companheiro de chapa.

Sivaldo Albino, 

Já tivemos nossas diferenças, mas com maturidade soubemos superar os problemas criados por terceiros e hoje somos amigos novamente.

Garanhuns precisa de você. Se tiver eleição, entre na disputa com fé, para ganhar e faça um governo porreta, inovador, que esta cidade precisa de alguém jovem que trate ela bem, que não se julgue seu dono e pense na população como um todo, desde os abastados de Heliópolis, a classe média da Brasília e Aloísio Pinto,  até os mais necessitados que vivem no Indiano, nas Cohabs,  na Brahma, Mundaú, Várzea ou Manoel Chéu. 

Escolha um bom vice e com esse exército de pré-candidatos à Câmara que está do seu lado seja o novo Amílcar, o novo Bartolomeu, seja a transformação que Garanhuns está a precisar.

Já votei em Izaías pelo menos três vezes. Para deputado e para prefeito. Já votei em Silvino. Agora quero mudança, quero um novo tempo. Como cidadão e também como jornalista tenho direito a me posicionar. Este ano fico com a oposição.

Sivaldo, esta é sua hora, é a sua vez. Como dizia Luiz Gonzaga, o pernambucano do século XX, num recado para seu filho Gonzaguinha: "Não esqueça do povão".

É ele, o povo, que garante as grandes vitórias. Vá em frente deputado! Se você deixar a Assembleia dois anos depois a gente elege outro filho da terra.

*Roberto Almeida é jornalista e escritor.  

PREFEITURA DE TIMBAÚBA - PE RETIFICA PROCESSO SELETIVO

A Prefeitura de Timbaúba retificou o edital de seu processo seletivo e reabriu as inscrições para as vagas da Secretaria Municipal de Educação.

Inicialmente, o processo seletivo foi aberto com 617 vagas imediatas a serem distribuídas entre as Secretarias Municipais de Administração, Agricultura, Assistência Social, Cultura e Planejamento / Serviços Urbanos, Educação, Finanças, Governo, Meio ambiente, Obras e Saúde.

O novo prazo de inscrição vale apenas para as funções de Professor (todos), Pedagogo e Psicólogo e vai até a data provável de 04 de maio de 2020.

Além disso, o edital retificou o salário dessas funções.

As oportunidades são para profissionais de diversos níveis de escolaridade.

Cargos de nível fundamental: Auxiliar de Cozinha, Auxiliar de Cuidador, Auxiliar de lavanderia, Auxiliar de Serviços Gerais, Caldeireiro, Copeiro, Coveiro, Cozinheiro, Eletricista, Mecânico, Merendeira, Motorista Categoria AB, Motorista Categoria B, Motorista Categoria C, Motorista Categoria D, Motorista Categoria E, Operador de Máquinas Pesadas, Pedreiro, Pintor, Tratorista e Vigia.

Cargos de nível médio/técnico: Apoio Operacional, Atendente, Auxiliar Administrativo, Auxiliar de Apoio pedagógico para estudantes com deficiência, Auxiliar de Creche, Auxiliar de Escrita, Auxiliar de Farmácia, Auxiliar de Saúde Bucal, Condutor do SAMU, Cuidador, Cuidador em Saúde Resid. Terapêutica, Digitador, Entrevistador, Facilitador Social, Fiscal de Feira, Fiscal de Obras, Flebotomista, Instrutor de Dança, Maqueiro, Operador de Sistemas, Orientador de Trânsito, Recepcionista, Professor – Polivalente, Técnico em Citopatologia, Técnico em Enfermagem, Técnico em Imobilização, Técnico em Laboratório, Técnico em Marketing e Terapeuta Holístico.

Cargos de nível superior: Advogado, Assistente Social, Biomédico, Enfermeiro, Farmacêutico, Fisioterapeuta Ambul. Reabilitação, Fonoaudiólogo Ambul. Audiometria, Médico Cardiologista, Médico Citopatologista, Médico Clínico Geral, Médico Dermatologista, Médico do Trabalho, Médico Ginecologista, Médico Infectologista, Médico Obstetra alto risco, Médico Ortopedista, Médico Pediatra, Médico Psiquiatra, Médico USG Geral e obstetrícia, Médico USG Ginecologia e Mama, Médico Veterinário, Nutricionista, Nutricionista em Segurança Alimentar, Orientador Social, Pedagogo, Prof I I- Matemática, Prof II – Ciências, Prof II - Ed. Física, Prof II – Geografia, Prof II – História, Prof II – Inglês, Prof II – Português, Profissional de Educação Física, Psicólogo e Terapeuta Ocupacional.

Os vencimentos para os contratados variam de R$ 998,00 a R$ 5.885,00.

Como se inscrever

As inscrições serão realizadas exclusivamente via Internet, no site da banca organizadora. O novo prazo de inscrição, conforme retificação, segue até a data provável de 04 de maio de 2020.

Nível fundamental: R$ 32,00, nível médio/técnico: R$ 40,00 e nível superior: R$ 60,00.

Maria Jaqueline P. de Carvalho:

"Garanhuns, Cem Anos de Amor no Coração do Povo." (4/02/1979).

DR. IVALDO DOURADO RODRIGUES

Dr. Ivaldo Dourado
No dia 20 de maio de 2011, esta nossa Garanhuns sofreu um vazio, uma supressão, uma lacuna e uma ausência sumamente e lamentavelmente dolorosa de um dos seus mais dignos e honrados filhos, com a partida do Dr. Ivaldo Rodrigues Dourado, que ascendeu a outras plagas mais elevadas ou às iluminadas esferas dos Deuses.

Tivemos nós outros e Ivaldo estreitos laços de amizade, não obstante nenhum de nós dois jamais nos haver visitado residencialmente. Era um caso "sui generis": os nossos encontros aconteciam na cidade, quase sempre na Avenida Santo Antônio. O fato curioso decorria de possuirmos traços fisionômicos parecidos ou semelhantes. Várias vezes fomos indagado se éramos o Dr. Ivaldo Dourado, sempre por pessoas desconhecidas, o que muito nos honrava; e hoje nos entristece e emociona.

Não sabemos se ocorria o mesmo com Ivaldo; acreditamos que sim, pois todas as vezes que nos encontrávamos, ele sempre afável e com amplos sorrisos, além de um aperto de mão, nos abraçava e no saudava com essas inesquecíveis expressões: "COMO VAI, OTIMRO". Era como se nós estivéssemos sendo cumprimentado e abraçado por um querido irmão.

Não para entender e explicitar, mas os nossos raros encontros eram sempre coroados de efusão e prazer.

No nosso entendimento Ivaldo era um cidadão com todas as letras maiúsculas, um padrão de dignidade e moralidade, um pavilhão de honradez e um oceano de modéstia, simpatia, simplicidade e afetividade. 

Não existe qualquer pessoa aqui residente que não tenha os mesmos pontos de vista acima externados.

Ivaldo Dourado Rodrigues - filho de José Rodrigues da Silva (Batatinha) e Maria do Carmo Dourado Rodrigues, nasceu em Garanhuns em 28 de outubro de 1924. Estudou no Colégio Osvaldo Cruz. Cursou Medicina na Faculdade Federal de Pernambuco no período de 1944 a 1949. Foi para o Rio de Janeiro onde fez Pós-Graduação no Hospital dos Servidores do Estado. Voltou para Recife, onde durante nove anos trabalhou no Pronto Socorro, no Hospital Centenário, no Hospital Agamenon Magalhães, no Hospital Maria Lucinda. Retornou a Garanhuns onde trabalhou no antigo INAMPS e no Hospital Dom Moura. Fundou a Casa de Saúde Santa Teresinha onde trabalhou dezenas de anos servindo à população de Garanhuns e redondeza.  Fez parte do Rotary de Garanhuns e da maçonaria Mensageiros do Bem, chegando ao grau 33. Pertencia à Sobrames (Sociedade Brasileira de  Médios Escritores) no Recife. Faleceu em Recife em 20 de maio de 2011.


Otimro Odeveza
Garanhuns, 10 de Junho de 2011

CASOS E FATOS DO PASSADO

A DONZELA - Na condição de comissário de polícia de Garanhuns, no exercício do cargo, depois de registrada queixa na delegacia por parte do pai de uma jovem residente na zona rural, que fora desvirginada por um adversário político da ala liderada pelo Dr. Souto Filho, José Rocha levou-a para sua residência.

O objetivo era evitar que os correligionários do sedutor não influenciasse no sentido de que o genitor retirasse a queixa. Esse propósito transformou-se no momento em que ele pôs os olhos na jovem e dela recebeu um sorriso. A esposa, desconfiou e ficou atenta. Alta hora da noite, julgando que a mulher estava dormindo, José levantou-se e saiu na ponta dos pés pelo corredor em direção ao quarto onde se encontrava a donzela. No momento em que ia empurrar a porta a esposa pigarreou. Sem perder a calma, voltou-se para ela e disse: "Silêncio... Tem ladrão nos pombos".

PADRE CÍCERO:

"Muito pode a calúnia feita e movida com audácia".

segunda-feira, 6 de abril de 2020

BANCO DE ALIMENTOS DO SESC ARRECADA DOAÇÕES PARA REDUZIR IMPACTOS DA PANDEMIA DO CORONAVÍRUS


Neste momento de pandemia do novo coronavírus e de chuvas no interior do estado, o Sistema Fecomércio/Sesc/Senac-PE inicia, nesta segunda-feira (6/4), uma campanha para arrecadar recursos, cestas básicas, alimentos não-perecíveis, itens de higiene pessoal e material de limpeza para atender 150 mil pessoas em situação de risco social assistidas por 400 instituições em Pernambuco.

A população em geral e os empresários podem depositar qualquer valor na conta corrente do Banco de Alimentos do Sesc, que é a da Caixa Econômica Federal, agência: 0923, conta corrente: 00003775-6 e CNPJ: 03.482.931/0021-05. A razão social e o nome fantasia são: Serviço Social do Comércio/Sesc - Banco de Alimentos Sesc Pernambuco. Pelo Whatsapp (81) 99166.2035) ou pela central fixa (81) 3216.1680, as empresas também podem agendar a entrega de cestas básicas e produtos que serão coletados pelas equipes de uma das centrais do Banco de Alimentos no Recife, Caruaru, Garanhuns, Arcoverde ou Petrolina.

O Banco de Alimentos, vinculado ao Programa Mesa Brasil do Sesc nacional, existe desde 2002 e atua como um elo entre o doador e beneficiado. Só em 2019, doou 1,5 mil toneladas de alimentos, materiais de higiene e limpeza e brinquedos, saindo de quem tem sobras ou deseja se engajar na luta e seguindo para quem pouco ou nada possui. A equipe do Sesc, que está seguindo as regras sanitárias para receber as doações, pode coletar no local indicado pelas empresas e distribuir nas instituições.

Serviço – Doação para o Banco de Alimentos

Contato: 81 99166.2035 (Whatsapp) e 81 3216.1680

Conta para doação:

Caixa Econômica Federal

Agência: 0923 | Conta corrente: 00003775-6

CNPJ: 03.482.931/0021-05

Razão social e o nome fantasia são: Serviço Social do Comércio/Sesc - Banco de Alimentos Sesc Pernambuco

Banco de Alimentos do Recife

Endereço: Rua Raphael de Oliveira Alves, 438, Ceasa

Banco de Alimentos de Caruaru

Endereço: Rua Rui Limeiral Rosal, s/nº, Petrópolis

Banco de Alimentos de Garanhuns

Endereço: Rua: Agamenon Magalhães, 417, Centro

Banco de Alimentos de Arcoverde

Endereço: Avenida José Bonifácio, 1301, São Cristóvão

Banco de Alimentos de Petrolina

Endereço: Rua Dr. Pacífico da Luz, 618, Centro

TIGRESA DE ZOOLÓGICO EM NOVA YORK TESTA POSITIVO PARA O CORONAVÍRUS

Tigresa Nádia testou positivo para a covid-19
Imagem/Facebook/Bronnx Zoo

Do Portal Folha de Pernambuco

Uma tigresa do zoológico do Bronx, em Nova York, testou positivo para Covid-19, informou a instituição neste domingo (5). Acredita-se que o animal tenha contraído o vírus de um tratador assintomático.

A tigresa-malaia Nádia, de quatro anos, e sua irmã, Azul, assim como dois tigres-siberianos e três leões africanos começaram a apresentar tosse seca. Espera-se que se recuperem totalmente, informou, em um comunicado, a Sociedade de Conservação da Vida Selvagem, que administra os zoológicos da cidade.

"Nós testamos o felino por precaução e vamos nos assegurar de que qualquer conhecimento que obtivermos sobre a Covid-19 vá ajudar no entendimento contínuo mundial sobre este novo coronavírus", acrescentou o comunicado enviado à AFP.

"Embora tenham tido redução de apetite, os felinos no zoológico do Bronx estão bem, sob cuidados veterinários, e estão alegres, alertas, e interagem com seus tratadores", continuou o texto.

"Desconhece-se como esta doença vai se desenvolver em grandes felinos, uma vez que espécies diferentes podem reagir de forma diferente a novas infecções, mas continuaremos a monitorá-los de perto", concluiu.

Os quatro zoológicos e o aquário de Nova York - onde a Covid-19 matou mais de quatro mil pessoas - estão fechados desde 16 de março.

domingo, 5 de abril de 2020

PAULO CÂMARA COMANDA REUNIÃO COM SECRETARIADO SOBRE COVID-19

Encontro, que reuniu parte da equipe presencialmente e parte por meio de videoconferência, discutiu as próximas ações de enfrentamento ao coronavírus

O governador Paulo Câmara comandou, na manhã deste domingo (05.04), uma reunião com parte da sua equipe de secretários no Palácio do Campo das Princesas e com os demais integrantes do primeiro escalão participando por videoconferência. O objetivo foi analisar o impacto da pandemia do novo coronavírus no Estado, pontuando as ações de enfrentamento implementadas e discutindo o planejamento para os próximos dias. Hoje, Pernambuco contabilizou mais 25 casos confirmados e sete mortes. Ao todo, já são 201 casos confirmados e 21 mortes registradas.

“Estamos estruturando nossa rede hospitalar com mil novos leitos, contratando mais de quatro mil profissionais de saúde e adotando medidas restritivas, além de iniciativas para reduzir o impacto econômico. Tudo isso para salvar o maior número de vidas possível”, frisou Paulo Câmara.

O governador destacou a importância do trabalho coletivo e reforçou o apelo para que a população cumpra o isolamento social. “Nossas medidas estão sendo realizadas de forma integrada, com a participação de todos os agentes públicos que podem colaborar com o enfrentamento à Covid-19. Mas precisamos também da colaboração fundamental da população. Fiquem em casa”, conclamou.

MPPE COLOCA NO AR A CAMPANHA INSTITUCIONAL #FIQUEEMCASA


Com o objetivo de conscientizar a sociedade pernambucana, bem como incentivar os cidadãos a seguirem as normas preconizadas pelo Decreto Lei expedido pelo Estado de Pernambuco e autoridades sanitárias, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) colocou no ar a campanha #fiqueemcasa.

Ela é composta por um Spot que será veiculado nas rádios locais e também um VT para veiculação nas emissoras de TV pernambucanas. As duas mídias elaboradas serão, ainda, distribuídas pelas redes sociais: Twitter (@mppe_noticias), Instagram (@mppeoficial) e no Facebook (www.facebook.com/MPPEoficial).

“Estamos atuando em diversas frentes para que todos possam atender as medidas que foram tomadas na esfera federal e também estadual. É certo que a vida é o bem maior a ser protegido pela ordem jurídica, devendo ser essa a prioridade neste momento em que estamos enfrentando a pandemia do novo coronavírus”, disse o procurador-geral de Justiça, Francisco Dirceu Barros.

DONALD TRUMP, O “DOIDO”?


Confesso que chamava o presidente americano de “doido”. Tinha aversão a ele. E esta me fazia aumentar a lembrança de seu antecessor a quem ele chamava de “comunista”. De "homem de esquerda”. Até de chegar ao ponto pôr em dúvida a sua origem - “quero ver sua certidão de nascimento.”

De Hillary Clinton, com quem disputou a Casa Branca, disse de tudo. "É incompetente. É despreparada", e de sua saúde duvidou. Pra não dizer, até, da sua falta de “amor próprio” pelo episódio, que envolveu seu marido, Bill Clinton, com uma estagiária na Casa Branca.

O jogo, naquela disputa, Donald X Hillary, fora duro, perverso e selvagem, alcançando, ele, no entanto, a vitória pelo Colégio Eleitoral, embora tendo perdido pelo voto popular - processo eleitoral diferente do nosso.

No começo do mandato, sua alcunha de “doido” se aguçava, sobretudo pelas frentes que abria, sem sentido - Coreia do Norte, Nicarágua... Enfim, frentes, em todo o mundo, a ponto de se pensar numa possível Terceira Grande Guerra Mundial.

De uns tempos pra cá, fui mudando minhas impressões sobre o presidente americano. Os seus best-sellers “Grande Outra Vez” e “A Arte da Negociação”, lançados no Brasil pela Citadel, muito me ajudaram a pensar diferente sobre esse personagem polêmico e de perfil arrogante.

A pandemia que se instalou no mundo, e, em particular, nos Estados Unidos, mereceu, sem hesitação, de seu presidente, uma tomada de posição, sem precedente na história, lembrando o presidente Roosevelt, quando da Segunda Grande Guerra Mundial, sobretudo depois do ataque covarde e traiçoeiro, do Japão a esse país.

Donald Trump não tem medido esforços no combate à pandemia, e os trilhões de dólares para combater esse “bichinho” invisível, coronavírus, já foram, por ele, autorizados, e com a adoção das cautelas, ditadas e subscritas pela OMS.

O Japão demorou por decidir a combater o “bichinho”. Pagou caro, com vidas, e ainda paga, por seu erro, como pagou na Segunda Grande Guerra Mundial.

As Ilhas Filipinas, na Ásia, exageraram, autorizando que a polícia atire, para matar, em qualquer cidadão ou cidadã que esteja em suas ruas.

Que Deus salve as nações, espalhadas por nosso planeta.

GIVALDO
Calado de Freitas

DONA SÍLVIA AGRADECE HOMENAGENS AO CENTENÁRIO DE CELSO GALVÃO

Dona Silvia Miranda Galvão
Exmo. sr. Prefeito de Garanhuns, Ivo Amaral e demais autoridades. Caros amigos aqui presentes, Kerma, Alexandre e Graça.

Continuando as comemorações do Centenário de Nascimento de Celso Galvão, não posso deixar de expressar os meus agradecimentos a você, Kerma, pela carinhosa lembrança de realizar o desejo de Celso, colocando em seu estabelecimento uma placa identificando o local de seu nascimento. Foi um gesto de amizade à Família Galvão, por meu intermédio, se confessa profundamente grata.

Aproveitando esta oportunidade, desejo prestar uma pequena mas sincera homenagem aos pais de Celso: Coronel Napoleão Marques Galvão e Liliosa Silvina de Oliveira Galvão. Ele, natural de Quipapá, nasceu a 7 de maio de 1843 e faleceu em Caruaru a 16 de setembro de 1917. Foi o primeiro sub-prefeito de Garanhuns, tendo exercido o cargo de prefeito interinamente. Foi comerciante, Juiz de Paz e Coronel da Guarda Nacional nomeado pelo Presidente da República.

Dona Liliosa nasceu em Altinho a 10 de maio de 1846 e faleceu em Caruaru a 5 de maio de 1936. Formou-se na Capital e exerceu o Magistério em diversas cidades do interior. Esteve em Quipapá por 3 vezes, casando-se naquela cidade onde nascera alguns dos seus filhos. Nomeada no tempo do Império por meio de concurso público, teve a sua primeira cátedra em Quipapá, aliás a primeira professora pública estadual daquele município. No Grupo Escolar Esmeraldino Bandeira, há uma sala com o seu nome e o seu retrato, homenagem prestada a Dona Liliosa pelo Centro de Professorado Primário daquela cidade em 2 de maio de 1957. Juntamente com Augusto Galvão, seu filho mais velho e Celso, tive oportunidade de assistir a solenidade e o prazer de colaborar para maior beleza da festa executando alguns solos de piano. Foram momentos de grande  emoção e alegria para eles e para mim.

Dr. Augusto Galvão, irmão mais velho de
Celso Galvão
Outros filhos de Dona Liliosa nasceram aqui em Garanhuns, entre eles Celso, e aqui morou 16 anos, exercendo sempre o Magistério. Foi a primeira professora de meninas desta cidade. No exercício da profissão nunca deixou de usar do carinho e interesse, incutindo nas crianças o amor aos estudos. Jamais discriminou nenhuma delas, pobres e ricas, todas eram alvo de seus cuidados tratando a todos com a mesma igualdade e amor.

Dona Elisa Coelho, que foi sua aluna, se referia à Professora com muito carinho e saudades. Tornou-se também ela uma grande Professora e ensinou várias gerações, seguindo o exemplo de sua antiga mestra.

Como mãe, Dona Liliosa foi extraordinária. Com o marido, soube criar os  filhos nos padrões de alta dignidade de  amor aos estudos, no cumprimento dos seus princípios de honestidade, honrando e elevando sempre o nome da família Galvão.

Seus filhos Augusto e Homero formaram-se em Direito na Faculdade de Recife e foram residir em Maceió. Dona Liliosa teve a aventura de ver todos os filhos dedicarem-se às letras e à cultura atingindo com dignidade os mais altos cargos intelectuais, políticos e sociais.

Celso formou-se em Odontologia na Faculdade de Medicina do Rio de Janeiro e, quando era prefeito de Caruaru  formou-se em Maceió na primeira turma de Direito. Em 1915, já exercendo a Odontologia no Rio de Janeiro, foi a Caruaru visitar a família. Tendo encontrado o pai já bem idoso e doente resolveu ficar dando assistência a ele e à sua mãe. Em Caruaru também residia sua irmã Camila, a qual tendo ficado viúva muito jovem e com 4 filhos menores contou totalmente com a ajuda de Celso. Ao falecer essa sua irmã, Celso assumiu a tutela dos 4 sobrinhos educando-os nos mesmos padrões de honradez e dignidade que recebera. Estes, por sua vez, continuam a honrar o que herdaram. Jair presente a esta solenidade, formou-se em Direito pela Universidade Federal de Alagoas, foi advogado da Polícia Militar daquele Estado. Juiz do Tribunal Eleitoral e é professor da Universidade Federal. Casou-se com Sílvia Marroquim de tradicional família pernambucana. Seus 4 filhos homens continuam a trajetória de honradez da família Galvão. Augusto, Advogado, Consultor Jurídico do Estado de Alagoas, também professor de Direito na Universidade Federal, e, atualmente, Secretário da Administração da Prefeitura de Maceió; Tem um filhinho de 5 anos, o Geraldinho, e é casado  com Silvia Sampaio - Psicóloga e André também formado em Direito, alto funcionário do Tribunal de Contas do Estado de Alagoas e comerciante; Antônio Flávio, formado em Química Industrial em Aracaju, é alto funcionário da Petrobrás trabalhando nas plataformas marítimas, é casado com Gorete, assistente social e  tem 2 filhos, Jair G. Freire Neto e  Daniel, Engenheiro Químico, também formado em Aracaju, é funcionário da Salgema em Maceió; e finalmente Isolda, formada em Psicologia, atualmente terminando o Mestrado em Fonoaudiologia nos Estados Unidos.

Além de Jair, Celso tinha ainda duas  sobrinhas, Solange e Genilda. Solange residiu 23 anos nos Estados Unidos, dedicando-se à arte musical; Genilda, a conhecida tia Gê,  Professora em Caruaru e residente aqui em Garanhuns onde ensina Ginástica e Natação.

Juarez, mais um sobrinho, que faleceu no Rio de Janeiro.

A semente plantada pelo casal Napoleão e Liliosa deixou portanto uma  geração que soube cultivar a herança que herdou de seus pais, avós e bisavós, honrando e elevando sempre o padrão da Família Galvão.

Há 43 anos entrei para  a Família Galvão e é com orgulho e alegria que me sinto ligada profundamente aos  membros, onde me considero a um só tempo: mãe, sogra, tia, avó e bisavó.

A todos os amigos presentes, o meu muito obrigado pela atenção.

Silvia Miranda Galvão
Garanhuns, Abril de 1989

IVETE FEITOSA - COLÉGIO SANTA SOFIA DO MEU TEMPO

Ivete Feitosa
GARANHUNS - Relembrar os anos que passei no Santa Sofia é para mim um mister de prazer, alegria e orgulho, pois foi nesta  casa que iniciei minha vida escolar. Tempos inesquecíveis, de lembranças mil, e trago no peito, até hoje, o amor plantado aqui.

Quase não tenho recordações dos primeiros anos, quando por  lá cheguei, pois iniciei no jardim da infância (muito criança ainda), fiz o pré-escolar para poder cursar o primário (atual 1º Grau Menor). Minhas  recordações começam a partir da 1ª série primária, onde, já então amadurecida, o próprio desenvolvimento biológico facilitou a fixação em minha memória de tais lembranças. E, por ser uma criança bastante movimentada (para as irmãs, barulhenta), logo comecei a me destacar e tornei-me conhecida das freiras e coordenadoras.

A superiora daquela época era Madre Maria Pia; e minha mestra de classe a Madre Camila, que logo foi por nós apelidada de "Doce de Coco", por ser tão delicada e só nos tratar por "queridinhas". Aquele amor que nos era dedicado pela nossa mestra da então 3ª série, repercute até hoje em mim; é com a mesma dedicação e o mesmo amor que eu  procuro retribui-lo às crianças, e, em especial aos meus alunos.

Minhas primeiras amizades, cultivadas até hoje, foram Ana Maria Lima e Fernanda Branco, que não poderia esquecê-las pois fizeram  parte de um momento muito importante em minha vida; além de outras  que agora me fogem à memória. Ao chegarmos ao Admissão (era um que existia entre o curso primário e o ginasial), novas colegas vieram se  juntar a nós, entre elas: Maria Emília Miranda, Ana Maria Lima, Marilene Quirino, Edilene Santana Capitó, Helena Teixeira, Gessy Maia, Emery, Yolanda, Tereza Ramos, Creusa Barros, Angela Branco, Eliane Martorelli, Léa Pereira, Selma Marques, Elma Noronha Galvão, Zélia Herculano, Dione, Luíza Mota, Sílvia Calado, Mariel, Maria José Pereira, Maria Luíza Galindo, Maria das Graças Menezes Lyra, Lídia Tinô (era a miss da turma), Marise Bernadete Quirino, Niedja, Gilvanete, Solange Goes e Gilda Notaro.

As nossas mestras eram inúmeras, mas tem algumas que, por terem sido, talvez, mais significativas na minha vida eu não as esquecerei: Madre Beatriz, Madre Priscila, Madre Perpétua, Madre Rosália, Madre Eulália (o terror da matemática), Madre Joana, Madre Joaquina, Madre  Denise (nossa professora de música e canto) e Madre Maria José.

A disciplina era muito rígida: a campainha tocava às 7:10h, o portão  era fechado e, a partir daí, não entrava mais ninguém, mesmo acompanhado pelos pais. Havia uma sala grande, chamada "Sala de Estudo",  onde ficávamos em fila, por tamanho e por turma, tomávamos nossos lugares e não havia empurra-empurra. Entrava então a mestra geral e passava a observar o fardamento de todas as alunas, uma por uma, que devia ser  completo e engomado. Existia um fardamento da diária e um de gala (traje para atos solenes) para ocasiões especiais como aniversário do colégio, visitas de autoridades, visita da madre Provincial e comemorações cívicas como o desfile do dia 7 de setembro. Diariamente devíamos vestir blusa de popeline branca, saia pregueada de cassimiro azul-marinho, laço de gurgurão de seda também azul, sapatos pretos e meia  branca. E,  nas ocasiões especiais, uma saia também de pregas em cassimiro inglês especial (tinha um pouco de brilho de seda) na cor azul-marinho, blusa de lingerie branca, laço de gurgurão no mesmo tom de cor da  saia, sapatos de verniz preto, meias brancas, boina branca e luvas brancas. O comprimento da saia era rigorosamente medido e devia ser 4 dedos abaixo do joelho, Quando a mestra geral entrava na sala, todas as alunas  deviam se curvar em sinal de respeito e em seguida cantávamos o Hino  Nacional e depois o do colégio. Íamos para as salas, em silêncio, em fila, com as mãos para trás, e nos corredores, as irmãs conhecidas como "Mr Soeur", fiscalizavam a disciplina e impunham a ordem. Às 7:30h pontualmente, as aulas eram iniciadas e quase não tínhamos aulas vagas, pois neste sentido, a rigorosidade, assiduidade e pontualidade nas aulas  era um exigência das irmãs, coisa que aprovo. É, em se tratando de ordem e  disciplina, o comportamento das aulas permanecia com o mesmo rigor durante os desfiles onde só era permitido olhar para a companheira da frente a fim de não errar o passo. Mas, o nosso sacrifício era recompensado pois o colégio era muito elogiado durante os desfiles e a nossa Banda Marcial se destacava entre as demais.

A hora da saída também era fiscalizada e as externas não podiam conversar com nenhum aluno de outros colégios pois, certamente,  receberia o "Boletim Amarelo" e ia ao "parlatório" receber o castigo.  Esse boletim era entregue em situações de advertência e muitas vezes, o  castigo era passar o domingo fardada no colégio.

Com as internas tínhamos pouco contato e, geralmente, elas, ficavam separadas das externas. 

Havia um grupo chamado AJOC (Grupo de oração para alunas  mais religiosas), do qual eu não fazia parte porque as freiras não permitiam por se tratar de um grupo onde predominava a disciplina, a ordem, e o comportamento de suas integrantes devia ser angelical (quase "santas"). Infelizmente não tive acesso a tal grupo mas a minha formação cristã foi preservada, a minha fé em Deus e o meu amor ao próximo tem sido uma das razões da minha existência.

Tendo também, grande lembrança de Irmã Helena pois, era encarregada do sítio, muitas  vezes nos surpreendeu a saborear as frutas tão bem cultivadas, e com seus gritos e reclamações, éramos impedidas de continuar o nosso passeio, ficando apenas a admirar de longe aquele "paraíso" terrestre.

Fazíamos parte ainda, do "coral da Madre Denise" que, vale salientar, era harmonioso e deslumbrava à todos e, por isso, estávamos sempre a nos apresentar em ocasiões sociais e recebíamos inúmeros convites para nos apresentar em outras cidades.

Em 1952 interrompi meus estudos no Santa Sofia fui para o Colégio XV de Novembro onde sinto também orgulho de ser ex-aluna e ex-professora. Regressei ao Santa Sofia em 1954 e minha turma, já técnica em contabilidade, estava acrescida de mais algumas alunas, entre elas a  então noviça Maria Etiene, diretora do Colégio. Teresinha Alves, Clotildes Raposo e Auxiliadora Romeiro.

Tínhamos professores inesquecíveis e brilhantes como Dr. Mário Matos, PManoel Lustosa, Erasmo Vilela, Violeta Brito Lira, Madre Julieta Maria, Madre Bernadete, Dona Maria José e José Francisco Dias. Eram todos excelentes e temos boas recordações pois havia entre nós um relacionamento de carinho e amizade, preservado com dignidade e respeito.

Em 1959 fui prestar exames para o vestibular da Fafire e concluí o curso superior de Sociologia, mas a experiência e os ensinamentos que guardei me acompanharam na vida estudantil e continuam preservados até hoje. A sementinha que um dia foi plantada, cresceu, floresceu e, graças aos ensinamentos cristãos, estão dando bons frutos. 

Em 1963, lecionei no magistério noturno, fui presidente  das ex-alunas por duas vezes. Como tão bem expressa o hino do colégio - "Santa Sofia suave  harmonia que eleva o coração".

Ivete Feitosa de Freitas
Garanhuns, 5 de Setembro de 1992 

Nelson Paes de Macedo:

"Garanhuns, Entre Sete Colinas, Cem Anos de Glórias." (4/02/1979).

sábado, 4 de abril de 2020

VIAGEM FOTOGRÁFICA AO PASSADO DE GARANHUNS - DÉCADA DE 1960


Em pé, o Coronel Gabriel Duarte Ribeiro, 1º Comandante do 71 BI Motorizado. Sentados: Um oficial do exército, professor Uzzae Canuto, pastor Francisco Gueiros, c
ontador Manoel Teles Furtado, o ex-prefeito Amílcar da Mota Valença.

HISTÓRIA DE GARANHUNS:

Ano de 1855 - O juiz de Direito Dr. José Bandeira de Melo sequestra a quadra das terras doadas por Simôa Gomes à Confraria das Almas e incorpora toda a quadra ao patrimônio nacional.

ULISSES PEIXOTO PINTO:

PAULO DE BARROS LIRA - Nasceu em Garanhuns onde fomos colegas nas lutas em prol do brigadeiro Eduardo Gomes, ao lado de Viriato Rodrigues, Fanuel, David Gueiros e de tantos outros da época. Filho de Mário Sarmento Pereira Lira, que foi tabelião público nesta cidade, revolucionário de 1930 quando comandou a "coluna louca" composta de componentes do "Tiro de Guerra 45", voluntários, inclusive de filhos de "gente rica" desta terra, tomando Maceió em outubro do referido ano. Tempos depois, assumiu a Prefeitura local, onde fez grande administração do dizer de Dona Arlinda da Mota Valença. Foi ainda deputado estadual pela UDN e ocupou vários cargos públicos, inclusive na Prefeitura da capital pernambucana, tempos de Pelópidas Silveira. Paulo Lira era médico sanitarista e faleceu em Brasília em 1992.

HISTÓRIA DE GARANHUNS:


Alfredo Leite Cavalcanti, que aparece na foto, foi o pioneiro na implantação do transporte coletivo de Garanhuns, através de ônibus (conhecido como sopas) que faziam o trajeto Centro de Garanhuns/Heliópolis. Alfredo Leite, é hoje o nome do Centro Cultural de Garanhuns. Também na foto, de costas, o Jornalista Humberto Alves de Moraes.

AGA 90 ANOS - EXPOSIÇÃO "COLEÇÃO DE OURO" DE VALTER VIEIRA DE ARAÚJO

Garanhuns, PE - Associação Garanhuense de Atletismo (AGA) - Março de 1981 - Valter Vieira de Araújo - Exposição "Coleção de Ouro - 10 Anos de Arte".
Imagem/Jornal O Monitor
Acervo/Memorial Ulisses V. de Barros Neto

SANTO PAPA


Estava, aqui, a pensar na minha alcova. Tenho brincado muito com amigos, quando digo que "se tivesse sido padre, quem sabe o mundo não teria, hoje, um Papa brasileiro?"

Claro que quando o dizia - nunca mais o disse - eu sorria, brincava... Afinal, quem sou? Nunca li a Bíblia por inteiro, nem o Código Direito Canônico pela metade, nem mesmo as Encíclicas Papais... Senão uma ou outra. Línguas? Três, quatro, cinco... Ora! Ora! Mal a “Última Flor do Lácio Inculta e Bela”. Portanto, nem padre teria sido. Imaginem... Mas, a eles, admirando e respeitando.

Brincadeira à margem. Bem à margem, sobretudo pelos sobressaltos da pandemia, que tem como algoz esse tal do coronavírus, fico a pensar nos Santos Padres. Ele, de hoje, Francisco. Eles, de ontem, Pio VI, Pio VII, Pio IX, Pio X, Pio XI... cada um, ao seu tempo, a enfrentar o mal contra o bem, desde Napoleão a Mussolini e Hitler, aquele expulsando a Igreja de Roma. Estes, com as Primeira e Segunda Guerras Mundiais.

Lá atrás, a luta fora do homem contra o homem. Hoje, a luta é do homem contra um “bichinho” invisível e inclemente, chamado coronavírus.

Mas, o Santo Padre Francisco está aí, com a Santa Igreja pra ajudar a salvar a humanidade. E vai salvar! Porque Deus assim o quer. Porque Deus quer que depois dessa agonia porque passamos, os homens de todo o planeta se tornem bem melhores de coração.

GIVALDO
Calado de Freitas