segunda-feira, 19 de novembro de 2018

III ENCONTRO DE CARROS ANTIGOS SERÁ REALIZADO NO PARQUE EUCLIDES DOURADO


Garanhuns sedia, pelo terceiro ano consecutivo, o Encontro de Carros Antigos. O evento que promete reunir expositores de todo o Brasil, acontece entre os dias 23 e 25 de novembro, no Parque Euclides Dourado, numa realização da Studio C Produções.

Durante a realização, o público poderá conferir de perto veículos históricos e em diversos modelos. “Contaremos com modelos variados, de fabricação entre os anos de 1927 a 1990. Também teremos vários modelos V-8, que certamente chamarão a atenção do público que vai conferir o evento”, registra o empresário e organizador do encontro, Hélder Carvalho.

São aguardados expositores de Alagoas, Paraíba, Rio Grande do Norte e de Pernambuco, com destaque para proprietários radicados em Garanhuns, Serra Talhada, Gravatá, Lajedo, Caruaru e Toritama. “Estamos esperando contar com cerca de 250 veículos expostos”, acrescenta o empresário garanhuense. (Secom/PMG).

domingo, 18 de novembro de 2018

LEI QUE VALIDA RECEITAS MÉDICAS EM TODO PAÍS PASSA A VALER EM FEVEREIRO


A lei passa a valer em fevereiro
Imagem: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Sancionada pelo presidente Michel Temer (MDB), a lei que valida receitas médicas em todo o território brasileiro passa a valer em fevereiro de 2019. Atualmente, as receitas médicas só são válidas dentro do estado em que foram emitidas.

A lei em vigor, que regula o comércio de drogas, medicamentos e insumos farmacêuticos, data de dezembro de 1973. A mudança prevê também que medicamentos controlados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) possam ser comercializados mesmo que o receituário seja assinado por um médico registrado em um Conselho Regional de Medicina (CRM) de outro estado.

A lei foi publicada no dia 9 de novembro, e dá 90 dias para que os estados passem a aceitar os receituários de outros estados. A regra valerá a partir do início de fevereiro. (Congresso em Foco).

CONCURSO PREFEITURA DE CONCEIÇÃO (PB)


A Prefeitura de Conceição, que fica localizada no estado da Paraíba, lançou por meio da empresa Contemax Consultoria, um novo edital n° 01/2018, com a finalidade de preencher 220 vagas para todos os níveis de escolaridade (fundamental, médio e superior). O concurso Prefeitura de Conceição - PB oferta salários que variam entre R$ 800,00 e R$ 4.000,00.

Cargos

Nível fundamental: Agente Administrativo, Agente de Vigilância, Auxiliar de Consultório Dentário, Auxiliar de Serviços Gerais, Condutor de Veículo de Urgência, Cozinheiro/Merendeiro, Eletricista, Encanador, Mecânico, Motorista, Operador de Máquinas Pesadas, Porteiro e Recepcionista.

Nível médio: Digitador, Fiscal de Obras e Posturas, Fiscal de Tributos Municipais, Inspetor de Alunos, Monitor de Creche, Orientador Social, Técnico Administrativo, Técnico em Enfermagem, Técnico em Informática e Técnico em Radiologia.

Nível superior: Assistente Social, Enfermeiro, Farmacêutico, Médico, Médico Plantonista, Nutricionista, Odontólogo, Pedagogo, Professor de Anos Iniciais, Professor de Arte, Professor de Ciências, Professor de Educação Especial, Professor de Educação Física, Professor de Educação Infantil, Professor de Geografia, Professor de História, Professor de Inglês, Professor de Matemática, Professor de Português e Psicopedagogo.

Inscrições e Taxas

As inscrições deverão ser efetuadas a partir de 0h do dia 19 de novembro até às 23h59min do dia 23 de dezembro de 2018, exclusivamente, por meio da internet, no site www.contemaxconsultoria.com.br. A taxa de inscrição custa R$ 40,00 para cargos de nível fundamental, R$ 60,00 para nível médio e R$ 80,00 para os de nível superior. (Concursos no Brasil).

sábado, 17 de novembro de 2018

FPM: SEGUNDO DECÊNDIO DE NOVEMBRO VEM COM ALTA DE 25,88%


O repassa referente ao 2º decêndio do mês de novembro do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) será creditado na próxima terça-feira, 20. Comparado com o mesmo decêndio do ano passado, o valor será 25,88% maior, sem considerar os efeitos da inflação.

O repasse aos Municípios será de quase R$ 758 milhões, já descontada a retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Em valores brutos, incluindo o Fundeb, o montante é de mais de R$ 947 milhões.

No 2º decêndio, a base de cálculo é dos dias 1º a 10 do mês corrente. Esse decêndio geralmente é o menor do mês e representa em torno do 20% do valor esperado para o mês inteiro.

Quando o valor do repasse é deflacionado, levando-se em conta a inflação do período, comparado ao mesmo período do ano anterior, o crescimento é de 20,73%, de acordo com os dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN). No ano, o FPM acumula crescimento de 7,79% em termos nominais. Ressalta-se que esse montante leva em consideração o repasse de 1% de julho, previsto na Emenda Constitucional nº 84/2014.

Ao considerar o comportamento da inflação, observa-se que o FPM acumulado em 2018 aumentou 4,04% em relação ao mesmo período de 2017.

Confira o estudo completo e o valor do 2º decêndio que será creditado para o seu Município com informações por coeficientes e por Estado.

Por Luiz Philipe Leite
Agência CNM de Notícias

CRÔNICA - CHARLES DARWIN E OS TREINADORES DE FUTEBOL

Evolução do Futebol
Imagem/Revista Placar

Por Clovis de Barros Filho*

São Paulo/SP - Aqui na região sudeste até por ser uma região onde o futebol é uma força bem mais significativa que no nordeste, há um debate muito mais amplo  e constante sobre os efeitos e o por quê da constante "dança dos técnicos" do futebol os quais mudam mais de time do que o homem de cuecas.

Há uma clara tendência que mais e mais técnicos sejam dispensados num espaço de tempo cada vez menor. Essa tendência já é mais acentuada na América Latina. No entanto, ao poucos vai se alastrando mundo a fora. Isso na minha opinião é irreversível. Claro que haverá pontos fora da curva como aconteceu recentemente no Manchester United onde o seu treinador Alex Ferguson ficou no cargo por mais de 20 anos. As críticas algumas pertinentes outras não, ainda não focaram na causa real desse fenômeno se concentrando muito mais nas causas aparentes e nos seus efeitos. 

Essa constante mudança de treinadores para mim, é um fenômeno sociológico mundial em todos as camadas da sociedade. O descarte do velho e do feio, a substituição daquilo que não dá lucro imediato, a competitividade exacerbada onde não há lugar para perdedores, tudo isso faz com que aqueles que são a parte  mais fraca do elo vão pouco há pouco sendo substituídos ou em  muitos casos sucumbindo. Quisera eu ter uma bola de cristal para saber onde isso vai dar e qual será o final desse samba do crioulo doido. Porém, uma coisa é certa. Isso pode não acabar bem. 

Há uma conta excessivamente alta que nosso corpo e nossa mente pagará por ser submetido a esse elevado estresse do cotidiano gerado em função dessa competitividade desvairada. Seria mais uma prova ou uma variante da Teoria da Evolução das Espécies de Charles Darwin onde ele explica a seleção natural? Onde só sobreviverão os mais fortes (geneticamente) e os que se adaptarem melhor ao seu meio? Quem sabe? O problema é que nessa teoria não foi levado em conta o "fator econômico". 

O fator econômico é uma importantíssima variante  que influencia de forma crucial e  dramaticamente esses costumes e transformações, e a velocidade como ela interferirá nesse processo. Claro que  Charles Darwin  dedicou os seus estudos direcionados primordialmente para as transformações e evolução das espécies observando o comportamento de animais na natureza. Porém, ela traz no seu bojo muitas conclusões que podem  ajudar a entender muitos  fenômenos que acontecem no nosso mundo atual.

*Clovis de Barros filho nasceu na Serra da Prata (Iatecá). Estudou no Colégio Diocesano de Garanhuns do Admissão ao Científico onde concluiu em 1968. Reside em São Paulo desde 1970. É Licenciado e Bacharel em Química Industrial pela Universidade de Guarulhos e Químico Industrial Superior pelas faculdades Oswaldo Cruz/SP.

sexta-feira, 16 de novembro de 2018

CRMV-PE PROMOVE PALESTRAS GRATUITAS DE CAPACITAÇÃO PROFISSIONAL EM GARANHUNS


Dando continuidade aos seus projetos de interiorização e capacitação profissional gratuita, depois de passar por Salgueiro e Petrolina, o Conselho Regional de Medicina Veterinária de Pernambuco (CRMV-PE) promove, nesta quarta (21) e quinta-feira (22), em Garanhuns, no Sesc do município, palestras gratuitas sobre Responsabilidade Técnica (RT), tema que sempre desperta grande interesse porque são os profissionais desta área que devem referendar ao consumidor a qualidade do produto final ou do serviço prestado, podendo, inclusive, responder civil e penalmente por eventuais danos gerados por negligência, imprudência, imperícia ou omissão. Daí a importância de se manter atualizado e capacitado para os que desejam seguir por essa área. As inscrições devem ser feitas no dia e local do evento.

Assim, a programação na quarta-feira (21) começa às 19h, com abertura realizada pelo Dr. Marcelo Teixeira, médico veterinário presidente do CRMV-PE. A programação continua com a palestra "Problemas Ortopédicos na Clínica de Pequenos Animais", ministrada pelo médico veterinário Durval Baraúna Júnior, conselheiro do CRMV-PE e professor da Univasf. O também conselheiro, Dr. Amaro Fábio, atua na mediação do debate.

Em seguida, às 20h, é a vez de Amaro Fábio falar sobre a "Displasia Coxofemoral em Cães", com moderação do Dr. Durval Baraúna. 

Na quinta-feira (22), às 9h da manhã, o evento recomeça com uma palestra sobre “Responsabilidade Técnica, Informes Gerais e Legislação”, ministrada pelo presidente Marcelo Teixeira com moderação de Durval Baraúna Júnior.

Logo após, às 10h45, é a vez da Dra. Samantha Lopes de Barros falar sobre "Responsabilidade Técnica na Indústria e Varejo de Alimentos de Origem Animal (supermercados, açougues e outros), com o presidente Marcelo Teixeira na mediação.

À tarde, começando às 14h, é a vez do público conferir palestras sobre responsabilidade técnica em eventos equestres, como haras, jóqueis-clubes e outras entidades hípicas, e também debater sobre exposições, feiras, leilões e outros eventos pecuários, com Dr. Marcelo Brasil Machado e o Dr. Jorge Lucena, conselheiros do CRMV-PE.

Encerrando a programação, uma conversa sobre “Responsabilidade Civil e Seguros Profissionais”, até as 18h.

Serviço – Palestras sobre RT

Onde: Sesc Garanhuns (Rua Manoel Clemente, 136, Centro – Garanhuns)

Quando: 21 e 22 de novembro

Horário: 1º dia: das 19h às 20h / 2º dia: das 9h às 18h

Entrada gratuita

Inscrição no local do evento

Dúvidas podem ser tiradas com o CRMV/PE através do telefone (81) 3797.2517 ou pelo email: fiscalizacao@crmvpe.org.br

GARANHUNS CIDADE JARDIM

Praça Mons. Adelmar da Mota Valença - Garanhuns/PE
Imagem/Anchieta Gueiros
Por Pedro Jorge Valença*

Garanhuns/PE - Existe uma recomendação que as Cidades tenham 10% de sua área coberta por arborização. No Nordeste, João Pessoa é o exemplo com diversas áreas florestais. Em Recife temos os Hortos de Dois Irmãos e do Curado, onde a Mata Atlântica é preservada. Alguns Bairros como Aflitos e Espinheiro são cobertos por imensos Oitizeiros que estão se tornando um grande problema, quando a Celpe para preservar a rede elétrica faz uma poda desordenada, dirigindo as árvores para o centro da rua. Com as chuvas os acidentes com queda de árvores estão ocorrendo.

Em Garanhuns, todos os Prefeitos se dedicaram para transformar a cidade num jardim. As Praças Dom Moura e da Bandeira (Mons. Adelmar da Mota Valença) são exemplos de preservação, onde imponentes Paus Ferro, Barrigudas, Cedros, Mulungus, Nogueiras, Paus D'arcos, Tamboris, Liros, Muricis e o único pé de Sabonete de Macaco, existente na área, que foram plantadas pelo prefeito  Celso Galvão e Luiz Guerra. As ruas que eram arborizadas com Fícus Benjamins, que depois atacados por um besouro apelidado de "Larcedinha", foram substituídos por Acácias, na gestão de Aloísio Pinto. Outro que preservou a arborização foi Amílcar Valença, que teve a sorte de contar com a colaboração de José Neto, importando  Sumaúmas, Paineiras e Palmeiras Imperiais que hoje estão colorindo a Cidade com suas imponências. Alguns habitantes têm em seus jardins Pinheiros, Ciprestes e Araucárias, Figueiras e Macieiras. Fatos curiosos devem ser registrados, quando da chegada do Caqui no Brasil, Garanhuns foi escolhida juntamente com Belém do Pará e São Paulo, o outro foi o ocorrido com uma Sumaúma plantada nas junções da Av. Rui Barbosa com 15 de Novembro, bem na frente da antiga oficina de Júlio Paliado e José Cowboy. Esse tipo de árvore amazonense, se caracteriza por ter um grande tronco central que não se bifurcar, num desfile de um Circo, um Elefante "traquino", ao passar pela árvore, de uma só botada levou toda a folhagem superior. Com o tronco bem solidificado na recuperação, brotaram duas galhas e hoje a imensa Sumaúma é a única que tem uma forquilha frondosa. Capricho da natureza.

No segundo período de Amílcar, foi a vez da Algaroba, que vinda do Peru, se adaptou muito bem no semiárido nordestino e todas as ruas da Cidade e dos Distritos foram contempladas. No Governo de Ivo Amaral, a arborização também foi uma das metas, tendo "promovido"  José Neto de colaborador a Secretário de Agricultura e as coberturas vegetais foram incentivadas, como a recuperação do Parque Pau Pombo. Não satisfeito com os "jardins vegetais" Ivo inovou trazendo um mecânico, assim surgiu o Relógio das Flores, hoje ponto de presença obrigatória dos visitantes. Zé Inácio não esqueceu a periferia, arborizando e recuperando as danificadas. Bartolomeu se preocupou com o Parque Euclides Dourado e seu entorno, Silvino, não saiu da rota e reformulou toda a Avenida Rui Barbosa. O certo é que ninguém esqueceu a cobertura vegetal e todos se preocuparam em plantar e preservar o Pau Brasil, que já existia nas nossas matas como um "primo irmão" que é chamado de Piripitanga. Outra árvore que foi importada da São Paulo foi a Pata de Vaca, quando da chegada foi "descoberto" que era o mesmo Mororó que abundava no nosso Agreste. A preservação preocupou a todos Prefeitos.

Não ocorrendo com as reservas que circundavam a Cidade.

A mata de Brejão foi praticamente erradicada, o Sítio da Várzea virou sementeira, sem respeitar a reserva de Craibeiras, os Tabuleiros (Capoeiras) não existem mais, restando apenas alguns pés de Catolé, no Horto do Colégio 15 de Novembro, ficaram só árvores salteadas, nas chegadas da Cidade só capineiras. Resta apenas uma área com 45 hectares, escondida na Fazenda Caldeirões, em uma Caatinga estão preservados todos os vegetais do semiárido do Agreste Seco. Em Maraial ainda existem grandes áreas onde a Mata Atlântica está intocável, graças à ação do IBAMA.

O Município de Garanhuns está encravado entre as principais zonas climáticas que formam a parte Meridional de Pernambuco: O Tabuleiro, a Caatinga, o prolongamento da Mata Atlântica e o Agreste Arenoso.  (Jornal Correio Sete Colinas - 07/2006).

*Pedro Jorge Silvestre Valença é escritor, pecuarista e economista.

SEM MÉDICOS CUBANOS, PERNAMBUCO DEIXARÁ CERCA DE 1,4 MILHÃO DE PESSOAS DESASSISTIDAS

Programa Mais Médicos em Alagoinha/PE
Imagem/Flick
A retirada dos médicos cubanos de Pernambuco deixará cerca de 1,4 milhão de pessoas desassistidas. São 414 atuando no Estado. Em regiões como o Sertão do Araripe, eles são os únicos presentes nas unidades de atenção básica. 

Segundo o presidente da Associação Municipalista de Pernambuco, José Patriota, a situação que se imagina com a saída é “caótica”. “Essas pessoas estão onde nenhum outro profissional qualificado quer estar.  A atenção diferenciada dos cubanos é ponto pacífico entre os especialistas. 

O professor da UFPE Aristides Oliveira tutorou supervisores de nove cidades agrestinas. “O impacto no Agreste sem dúvida será tremendo se os cubanos forem embora. (Portal FolhaPE).

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

CRÔNICA - SÃO TEMPOS DE TARDE LONGA

Década de 70 - Avenida Santo Antônio - Garanhuns/PE
Imagem/Massillon Falcão

Por João Marques*

Garanhuns/PE - A minha tarde chegou, com tudo que se oculta no desaparecimento do cenário da existência. E as sombras, cá, se multiplicam. Ausências de gente e de coisas, costumeiras antes e renovadas na manhã. Faz tempo, 50 anos envelhecem a Avenida da manhã dos meus olhos iluminados pelo sol jovem, dos dias, dos meses, que muito pouco contavam anos. E eu  passava da manhã à noite do intervalo da claridade, sem  quase nenhuma permanência na tarde. Manhã, noite de mais sonhos, manhã, como sempre no alvorecer da vida.

Como lembro do meio-dia. O repicar do sino da catedral e do badalo do relógio vivo da Prefeitura. O trânsito ficava mais intenso, dos pedestres pelas calçadas da Avenida. Poucos carros. Normalistas saindo das escolas e encantando os meus olhos de avenida larga. Uma festa, no meio-dia. Da tarde, o crepúsculo passando rápido, como numa despedida de aceno. Então, o entardecer para mim parecia muito com o alvorecer, das luzes de tons avermelhados. Era a manhã, pensava, que se ia do outro lado da cidade.

Tanto foi o meio-dia a pique, como o sol ascendente da manhã, que depois a tarde chega em queda. Infinda tarde das despedidas.

E assisto, recluso, a tudo que vem pouco a pouco desaparecendo. A Avenida muda. Onde antes era a presença, compartilhante e boa, é, agora, o vazio, depressivo e pobre. As imagens, os sons, os hábitos. A tarde, com a intensidade da passagem, leva os amigos. Humberto Alves de Morais, o jornalista de Garanhuns, cumprimentando pessoas pelas calçadas. Parando, conversando, anotando informações nos papeizinhos que carregava no bolso da camisa. O poeta Maurilo Matos, cumprimentos largos, e, em cada parada, uma palavra amiga. Tanta gente... figuras populares se foram. A grande feira tomando quase toda Avenida, grande. Os pregões: Olha, o puxa-puxa; pirulito, mel de abelha; o doceiro, tabuleiro na cabeça, campainha na mão chocalhando o tempo todo;  rolete de cana, algodão doce, cavaco, capilé pra beber em pé, gelada também... O serviço de alto-falante, A Antena, tocando: "Baratinha, vem cá... Não vou lá não! Tô vendo Detefon na tua mão".

É de fazer chorar, a minha tarde, muito mais minha do que de quem não a conheceu ou se foi, com o sol que desaparece realmente atrás dos caminhos que têm fim. E eu vivo dessa forma. Da tarde que morre a cada lembrança, caindo igual à queda da folha seca  no reboliço dos últimos estertores do ar. (Jornal O Século).

*João Marques dos Santos é escritor, poeta, diretor/redator do Jornal O Século, autor do Hino de Garanhuns e ex-presidente da Academia de Letras de Garanhuns.

SAÍDA DE CUBANOS DO MAIS MÉDICOS DEIXA 24 MI DE BRASILEIROS SEM ATENDIMENTO


A saída dos profissionais cubanos do programa Mais Médicos em reação às declarações feitas pelo presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), que estabeleceu uma série de condições para a atuação dos médicos cubanos no país, deverá deixar cerca de 24 milhões de brasileiros sem nenhum tipo de assistência à saúde. A situação deverá criar uma pressão sobre o Ministério da Saúde tanto por parte dos que ficarão desassistidos como por parte das prefeituras de todo o país.

"A decisão, que preocupa representantes das prefeituras de todo o país, deixará um buraco de 8.332 vagas em aberto, que se somam a outras 1.600 que já estavam ociosas, segundo o Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems). As regiões que deverão ser mais afetadas são justamente as mais vulneráveis: Norte, Nordeste e periferias das grandes cidades. Ainda não se sabe exatamente quando os médicos cubanos deixarão o país, mas os profissionais só deverão ficar, no máximo, até o fim do Governo de Michel Temer, em dezembro", destaca matéria do jornal El País.

O El País destaca, ainda, que o "o Programa Mais Médicos, implementado durante o governo da ex-presidenta Dilma Rousseff (PT) em 2013, foi um dos alvos de polarização política durante as últimas eleições. Foi implementado há cinco anos para que os profissionais cubanos ocupassem as vagas não cobertas pelos médicos brasileiros, geralmente em zonas mais isoladas e pobres. "Nesses cinco anos de trabalho, cerca de 20 mil colaboradores cubanos atenderam a 113.359.000 pacientes em mais de 3.600 municípios". (Potal 247 Brasil).