dia dos pais

terça-feira, 25 de julho de 2017

FIG 2017: Artista Plástico Sávio Araújo expõe obra inspirada em Garanhuns

“O Beijo” foi criada por Sávio Araújo, artista garanhuense de 61 anos de idade.
Foto de  Nichole de Andrade. 
“Estou voltando às origens e comemorando meus 45 anos de carreira”, é assim que o artista Sávio Araújo comenta o retorno à sua cidade natal. Aos 71 anos, o garanhuense foi convidado pelo Governo Municipal de Garanhuns a criar uma peça exclusivamente para a cidade, para expor a partir da 27ª edição do Festival de Inverno de Garanhuns. O artista plástico elaborou a obra “O Beijo”, que aborda a questão da diversidade de gênero e pode ser vista em plena avenida Santo Antônio, no centro da cidade. 

A peça tem cerca de cinco metros e meio de altura e ilustra a cena de um adolescente e um beija-flor, rodeados de flores em forma de instrumentos. Segundo Sávio, os elementos foram escolhidos cuidadosamente, para que houvesse uma identificação com a cidade. A ave que faz parte da estrutura, por exemplo, é inspirada na espécie Loddigesia mirabilis, típica em cidades formadas por colinas, como Garanhuns. Já as flores remontam ao título de “Cidade das Flores” que o município ganha.

A estrutura é toda feita de ferro, piscicultura e borracha Etil Vinil Acetato (E.V.A.). A ideia é que a criação comece a ser exposta nesta quinta-feira (20), no primeiro dia do FIG, e se torne um símbolo da cidade, continuando mesmo após o término do festival.

O artista – Nascido em Garanhuns, no bairro do Magano, Sávio Araújo saiu da cidade aos 14 anos para morar em Recife. Mas como seu pai era comerciante na cidade do Agreste, ele sempre voltava para visitar. Além de trabalhar com vendas, Seu Valter Araújo também cuidava da decoração da cidade durante os carnavais e natais durante a década de 70 e terminou sua vida pintando retratos de pessoas pelo Brasil.

Sávio conta que transformou o hobby de seu pai em sua profissão. Hoje, ele é caricaturista, ilustrador, artista plástico, escultor e cenógrafo. “Fiz de tudo um pouco, até epitáfio”, conta o artista que, durante sete anos, foi o criador conceitual, artístico, estrutural e logístico do Galo Maestro da Ponte, do carnaval de Recife. Esse ano, ele irá comemorar 45 anos de carreira e dá de presente à sua cidade, uma obra de arte.

Daniela Batista e Cloves Teodorico.

Nenhum comentário:

Postar um comentário