segunda-feira, 9 de julho de 2018

2º FESTIVAL DE INVERNO DE GARANHUNS (1992)

Palco do 2º Festival de Inverno de Garanhuns
O sucesso do II Festival de Inverno de Garanhuns surgiu como o grande comentário em todos os segmentos sociais. Uma prova da sua importância no contexto turístico do Estado, e proporcionando ao nosso Município a possibilidade de consolidar um evento anual de dimensão nacional, pois a cobertura da imprensa tem elevado o Festival e os seus promotores.

A promoção da grande festa da cultura e das artes, mostrou que a Prefeitura Municipal de Garanhuns acertou em cheio quando da realização do 1º Festival colocando a nossa cidade entre as mais famosas do País em termos de tais realizações. Os órgãos estaduais que deram o seu apoio como a Secretaria de Educação e a Fundarpe serviram de esteio, todavia, a participação do povo durante a programação do evento representou o ponto característico de um acatamento sem precedentes, e tal fato fez com  que no futuro o Festival seja transformado no maior ponto de atração da cidade das flores.

A comunidade garanhuense demonstrou a sua força e garra, recebendo milhares de visitantes, que tomaram a nossa rede hoteleira, restaurantes, bares e pontos tradicionais, e servindo ao mesmo tempo para aumentar a renda dos comerciantes.

FESTIVAL DE INVERNO: FATOR DINAMIZADOR DA ECONOMIA DE GARANHUNS

Estão conscientes os poderes públicos e o povo, devendo haver ainda a necessária participação da indústria e do comércio, que são os beneficiários do evento, além da rede hoteleira.  O prefeito Ivo Amaral, fez nascer o evento e consequentemente fomentou no meio da comunidade, a conscientização em  defesa de uma das mais importantes realizações da terra de Simôa Gomes nos últimos tempos. Comprovado que o Festival de Inverno pertence aos que amam Garanhuns e desejam o seu bem estar, independente de cor política ou partidária, pois acima de tudo devemos defender as conquistas da nossa comunidade.

EVENTOS MUSICAIS DO II FESTIVAL DE INVERNO

17 - Sexta-feira - Bubuska Valença, Luciana Deschamps e Dominguinhos

18 - Sábado - Apresentação Local, Marcílio Lisboa e Luiz Melodia

19  - Domingo - Apresentação Local, Naná Vasconcelos e Geraldo Azevedo

20 - Segunda-feira - Apresentação Local, Cláudio Almeida e Quinteto Violado

21 - Terça-feira - Apresentação Local, Maestro Duda, Reginaldo Rossi e J. Michilis

22 - Quarta-feira - Apresentação Local, André Melo e Adilson Ramos

23 - Quinta-feira - Apresentação Local, Mônica Feijó e Belchior

24 -  Sexta-feira - Tales Cavalcanti, Ivan Morais,  Sônia Sinibú e Cássia Ellen

25 - Sábado - Apresentação Local, André Rio, Leila Pinheiro

EVENTOS DE TEATRO, DANÇA E CIRCO

17 - Sexta-feira - Circenses (Circo)

18 - Sábado - Circenses (Circo), Brasil de Cabo a Rabo (Teatro) e Festança (Teatro)

19 - Domingo - Pluft, o Fantasminha (Teatro) e Mauser (Teatro)

20 - Segunda-feira - Ilustração e Luzeiro (Dança)

21 - Terça-feira - Auto da Compadecida (Teatro)

22 - Quarta-feira - Está lá fora um Inspetor (Teatro)

23 - Quinta-feira - Lua Cambará (Dança)

24 - Sexta-feira - Em nome do desejo (Teatro)

25 - Sábado - O Rei Artur (Teatro), O Sonho das Larvas (Teatro) e Procissão dos Farrapos (Dança).

A partir das coordenações gerais da Prefeitura de Garanhuns, Secretaria de Educação de Pernambuco e Fundarpe, até o pessoal de serviços gerais, cerca de 100 pessoas foram responsáveis pela execução do 2º Festival de Inverno de Garanhuns, realizado entre os dias 17 e 26 de julho.

O TEATRO FOI PEQUENO PARA OS ESPETÁCULOS

O Teatro Luiz Souto Dourado, foi pequeno para absorver o público que ocorreu aos 10 espetáculos de Teatro e Dança do II Festival de Inverno de Garanhuns. Todas as noites, um público semelhante ao que  estava dentro do teatro do Centro Cultural Alfredo Leite Cavalcanti, ficava do lado de fora, reivindicando, em algumas ocasiões, a repetição dos espetáculos, o que era impossível em virtude da programação elaborada  anteriormente e que previa shows na Praça Guadalajara, com horário determinado para apresentação de cantores e bandas.

100 MIL PESSOAS VIRAM OS SHOWS DA GUADALAJARA

Foram 37 artistas, entre cantores, bandas e orquestra que se apresentaram nos shows da Praça Guadalajara, todas às noites. Verdadeiras multidões, advindas da própria cidade, cidades vizinhas e de toda parte do Brasil, concentravam-se nas feiras de bebidas e comidas regionais.

A ideia de mudança do local do palco (antes junto ao Centro Cultural) para a praça Guadalajara, foi aplaudida pela comunidade, visto que houve melhor e mais confortável acomodações aos espectadores, além da área absorver uma qualidade maior de pessoas.

Se os renomados artistas nacionais e regionais, fizeram um espetáculo perfeito, os artistas locais, não fizeram por menos, muitos deles com discos editados e tantos outros, prontos para entrarem no mercado sem deixar nada a desejar.

Na média, cerca de 100 mil pessoas, em público flutuante, viram, cantaram e aplaudiram os artistas.

FÓRUM DE CULTURA REALÇA O FESTIVAL

O Fórum Nacional de Secretários de Cultura, promoveu, paralelamente ao Festival de Inverno, reunião extraordinária, no Centro de Convenções do Hotel Tavares Correia, entre os dias 23 e 25.

O objetivo, foi a elaboração de uma Carta, denominada de Carta de Garanhuns que norteará o ministro de cultura Sérgio Paulo Raunet a traçar diretrizes coesas para todos os estados brasileiros; e ainda fornecer todo o material necessário para a confecção da 1ª Revista do Fórum a ser lançado no mês que vem.

Nomes expressivos participaram dos debates, a exemplo de Joãozinho Trinta, Fernando Gabeira, Luis Millnesi, Eduardo Escorel, Demerval Neto, Carlos Fernando, José Francisco e Jomar Muniz de Brito.

Representantes de 9 estados brasileiros, participaram do Fórum, aberto pelo prefeito Ivo Amaral: Pernambuco, Paraíba, Rondônia, Pará, Ceará, Paraná, Bahia, Rio Grande do Sul e Minas Gerais.

O encontro teve o propósito de ser realizado no período do festival, como mostra do trabalho cultural que está sendo feito em Pernambuco, aos demais estados brasileiros. (Do Jornal O Monitor).
Postar um comentário