domingo, 15 de julho de 2018

OS VALENÇA

Amílcar da Mota Valença
Por Pedro Jorge S. Valença 

As capitanias do Nordeste foram agitadas com os movimentos em favor da independência, e em Pombal da Paraíba habitavam muitos portugueses que  perseguidos se retiraram para Pernambuco, onde a situação era calma. José Rodrigues da Cunha chega ao Vale do Rio Una e para homenagear sua terra natal, substitui o cognome de Cunha para Valença, surgindo assim nossa Família que se  espalhou por todos os cantos, são galegos dos olhos azuis, vermelhões da venta grande, branquelos, morenos e mulatos, todos Valença. Há cidades com o nome de Valença, no Piauí, no Ceará, na Bahia e Rio de Janeiro onde  tem o Município de Marquês de Valença, que ficou famoso pela frase: "Os Filósofos não deviam reina como os Reis de filosofar" (1738). Tenho  o maior orgulho de ser Valença "da gema" e ter absorvido todos os defeitos e virtudes da família. 

Um dos vícios que herdei, foi de criar Vaca de Leite, coisa que é feita por quase a totalidade dos que moram em São Bento do Una, Sanharó, Pesqueira e Garanhuns, dote que passei para meus Filhos.

De 1930 até 1950, o Recife era abastecido por vacarias que se localizavam nas margens dos Rios Capibaribe, Beberibe e Tejipió. Muitos associaram a Pecuária Leiteira à política, a exemplo dos Prefeitos: Getúlio, Lívio, Décio, Laércio, Zé Mota, Leucio, Paulo Afonso (São Bento do Una); Amílcar (Garanhuns), Euclides Mora (Surubim), José Borba Valença e Ernani (Cortês), Arquimedes (Buíque), Paulo Afonso (Salgueiro), Paulo Valença (Olinda). Henrique Mota (Vereador do Recife) e Ivo Valença (comunista autêntico durante o Estado Novo). Lívio era médico e foi eleito deputado estadual por várias vezes e muito apreciado pela população do Vale do Una, ao ponto de uma paciente dizer que ficou curada, ao tomar uma Chá feito com o retrato dele. No Colégio Diocesano de Garanhuns, Padre Agobar, Monsenhor Adelmar e suas Irmãs, disciplinaram e educaram uma infinidade de alunos que até hoje cultuam com respeito a estes Valença. Quando o Valença não cria vaca, vai ser poeta, compositor ou cantor. E  os exemplos são muitos: Os Irmãos Valença (João e Raul), que moravam num Sítio no Bairro da Madalena seus descendentes casavam entre si, e o maior passatempo era fazer músicas de Carnaval, tendo composto a famosa marcha "Seu Cabelo não Nega" que foi famosa e ainda hoje é tocada em todo o Brasil. 

Bubusca Valença cantor famoso que durante o carnaval, desfila no Capibaribe com um barco cheio de alegorias. Alceu herdou de seu avô que fazia poesias e só respeita Luiz Gonzaga, como Compositor e Cantor de Forró. (Do Jornal Correio Sete Colinas).
Postar um comentário