quinta-feira, 11 de outubro de 2018

CARLOS WILSON E O GINÁSIO DIOCESANO DE GARANHUNS

Prefeito Ivo Amaral e o Governador Carlos Wilson
Desfile dos 75 anos do Colégio Diocesano - 1990
Por Pedro Jorge S. Valença

Garanhuns foi centro do ensino na parte Meridional de Pernambuco, com forte influência na Mata Sul e encostos do Estado de Alagoas. O número de personalidades que estudaram na nossa terra é incontável.

Pelo Gigante da Praça Mons. Adelmar, como é chamado o Diocesano, passaram Ministros como José Wamberto e Rubens Vaz da Costa, no Senado, Assembleia, Prefeituras e Câmaras de Vereadores, inúmeros são os ex-alunos, uns vivos e outros nos deixaram, que elevaram o nome do "Templo de Saber e de Fé".

Já como Colégio Diocesano de Garanhuns, foi o refúgio de garotos filhos de pessoas famosas, que depois se destacaram como homens públicos. De uma só vez chegaram ao internato: Joaquim e Paulinho Guerra, filhos do Governador Paulo Guerra, que depois foram respectivamente Deputado Federal e Estadual, Severino Otávio (Branquinho) Conselheiro do Tribunal de Contas e Carlos Wilson, filho do Senador Wilson Campos.

O regime do Padre Adelmar Valença, não separava os alunos pelo prestígio de seus familiares. Dormitório coletivo, e às 5 horas da manhã, tinha o banho frio, mesmo no inverno quando a temperatura de Garanhuns chegava até 12 graus centígrados.

O Senador Wilson Campos, procurou Padre Adelmar para presentear o Colégio com 12 chuveiros elétricos, o que amenizava o frio de Carlos, que nessas altura já fora promovido a "servente do refeitório" e junto com Joaquim Guerra ajudava a distribuir as refeições dos colegas internos.

Educadamente o Padre, agradeceu a oferta se desculpando que gastaria mais energia. Mas o motivo era formar homens que não se rendessem a uma "chuveirada" e para evitar que uns mais espertos escapassem do banho matinal, os "Censores" (alunos que ajudavam na disciplina) fiscalizavam para evitar os pescoços sujos. 

Outra negativa foi feita ao Governador Paulo Guerra que pediu a liberação de seus filhos para passarem o período de Carnaval na sua Fazenda em Bom Conselho. O Padre liberou Paulinho e negou a saída de Joaquim que estava de castigo, pois tinha fugido para namorar no Cinema.

Carlos foi um dos maiores amigos do Padre Adelmar e quando Governador procurou para saber o que poderia fazer pelo Colégio Diocesano. A resposta do Padre foi a seguinte: "Você já fez tudo pelo Colégio que se orgulha de tê-lo como ex-aluno  exemplar. Deus abençoe os seus passo".

Quando do falecimento do Padre Adelmar, Carlos Wilson se destacou, ficando a frente de todas as homenagens. Depois deu a assistência a nossa família e promovendo o nome do Padre por todos os cantos..

Tenho certeza que hoje lá no céu Carlos Wilson e Joaquim Guerra se reencontraram e estão procurando o Padre Adelmar para agradecer a tudo que foi feito por eles. (Jornal Correio Sete Colinas - 08/2010).

GOVERNADOR DESFILOU COMO EX-ALUNO (1990)

As festas aniversárias do Colégio Diocesano de Garanhuns, foram marcadas por fatos interessantes e de grande importância para o referido educandário e a própria comunidade garanhuense.

Homenageado em Sessão Solene, presidida pelo Mons. Adelmar da Mota Valença, sendo representado pelo jornalista Humberto de Morais, o governador Carlos Wilson  não compareceu por motivos superiores, a fim de receber o seu diploma, por sinal também conferido ao prefeito Ivo Amaral, ex-aluno colaborador do Diocesano.

No domingo, quando do desfile de alunos e ex-alunos, o governador Carlos Wilson, participou garbosamente conduzindo a bandeira de Pernambuco, sendo aplaudido pelos garanhuenses, pois, mesmo sendo o governante do Estado, não esqueceu suas origens, e ao lado  dos demais companheiros ex-alunos prestou sua homenagem ao "Ginásio Amigo, Querido Lar".

Depois do desfile visitou ao lado do prefeito Ivo Amaral, as salas de exposições, relembrando sua passagem pelo Colégio, palestrou demoradamente com o Mons. Adelmar Valença, e em seguida retornou ao Palácio do Campo das Princesas. Carlos Wilson Rocha de Queirós Campos faleceu em  11 de abril de 2009.
Postar um comentário