terça-feira, 11 de dezembro de 2018

PESQUISA REVELA QUE 43% DOS IDOSOS RESPONDEM PELO SUSTENTO DA CASA


Um estudo feito pela Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) constatou que 21% dos idosos aposentados continuam exercendo algum tipo de atividade remunerada. Segundo os autores do estudo, uma das principais razões do fenômeno é o fato de a renda não ser suficiente para pagar as contas – é o que afirmam 47% dos entrevistados.

De acordo com a pesquisa, no Brasil, sete em cada 10 idosos são beneficiados pela aposentadoria atualmente. Além da questão financeira, entre os que têm mais de 60 anos e ainda exercem alguma atividade remunerada, 48% disseram que querem se sentir produtivos nessa fase da vida e 46%, que buscam manter a mente ocupada.

Segundo o estudo, boa parte dos lares conta com a renda de familiares com mais de 60 anos. Nove em cada 10 idosos (91%) contribuem financeiramente com o orçamento, sendo que 43% os principais responsáveis pelo sustento da casa. Ainda assim, 34% dos entrevistados recebem algum tipo de custeio por meio de pensão por morte de cônjuge ou ente familiar. (Agência Brasil).

ACADEMIA DE LETRAS DE GARANHUNS PROMOVE PALESTRA COM LUZILÁ GONÇALVES

Escritora Luzilá Gonçalves e o blogueiro
Anchieta Gueiros
Em mais um momento que marca o seu I Ciclo de Palestras, a Academia de Letras de Garanhuns (ALG) promoverá, no próximo sábado (15/12), a palestra intitulada "O Romance de Simôa: Literatura e História", a ser proferida pela escritora Luzilá Gonçalves, a partir das 19h30,  Sede da Academia, sendo aberta ao público.

A palestra será baseada em seu livro "Simôa e seu Avô Desalmado", onde a autora romanceia a vida da fundadora de Garanhuns.

Luiz Afonso de Oliveira Jardim, presidente da Academia de Letras de Garanhuns, está convidando os acadêmicos, intelectuais, escritores, historiadores e estudantes para prestigiar a palestra.

Luzilá Gonçalves nasceu em Garanhuns, mas com seis anos de idade foi morar no Recife, onde reside até hoje. Escritora consagrada, já publicou mais de 30 livros.

Em 2015, Luzilá foi homenageada pela Fundarpe e Governo do Estado, no Festival de Inverno de julho.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

EMBRAER UM ÓTIMO NEGÓCIO. PARA A BOEING

Embraer 195

Por Clovis de Barros Filho*

São Paulo - O que leva  um cidadão, um grupo econômico, ou o estado, vender uma empresa lucrativa, com potencial ilimitado de crescimento, geradora de empregos de qualidade, criadora de tecnologia de ponta, a qual presta inestimáveis benefícios de caráter social há uma determinada região a qual está localizada e ao seu país de origem? É  fácil explicar se olharmos do ponto de vista estritamente comercial/financeiro. A equação é simples, de primeiro grau, com uma só incógnita,  é o lucro. Quando tornamos essa equação mais complexa incluindo ai mais algumas variáveis, ironicamente fica mais fácil ainda, diferentemente do que acontece numa equação matemática. Pelo menos, quando sabemos que essa empresa é a Embraer. Do ponto de vista comercial/financeiro o negócio da sua venda parece  claramente lucrativo segundo a análise feita por diversos agentes econômicos. Bom negócio para os acionistas já que a EMBRAER possui ações na bolsa de valores e em princípio para o estado pois irá se capitalizar para fazer os investimentos ou quitar seus débitos com a dívida pública. Bom negócio, aliás, ótimo negócio mesmo é para quem compra. 

A Embraer é líder mundial  no mercado de aviões de médio porte próximo de até 200 lugares. Seus produtos são um sucesso devido à sua tecnologia. Seus aviões são vendidos, mesmo no mercado americano onde a concorrência é muito acirrada nesse nicho de  mercado. Quando se expande mais o olhar além dos fatores comerciais e financeiros, o negócio toma um rumo completamente diferente e surpreendente. E diferente do que muita gente imagina, quando se lança mais variáveis como por exemplo os valores estratégicos e geo políticos, as respostas a essa equação  são mais fáceis ainda. 

A primeira, é que estrategicamente para o país em se tratando de defesa, pela menos restrita à América do Sul é um desastre.O Brasil é o único país da América Latina e um dos poucos do mundo a fabricar aviões do porte que a Embraer fabrica, tanto aviões comerciais quanto aviões militares. A segunda, é que do ponto de vista também estratégico de assegurar ao país  a nível global a sua independência tecnológica na área de tecnologia aeroespacial, é um desastre maior ainda pois há toda uma conexão tecnológica aviões-satélites-veículos lançadores de foguetes. E a terceira e última, é o desastre econômico que trará à região onde se encontram seus principais polos de tecnologia que é o Vale do Paraíba que compreende várias cidades  aqui no interior de São Paulo entre elas São José dos Campos, Caçapava, Taubaté, Guaratinguetá, Jacareí e outras menores. 

A Embraer é responsável pela geração de milhares de empregos diretos e indiretos nessas cidades, além de ser uma espécie de incubadora de tecnologia aeroespacial como por exemplo o Instituto Tecnológico de Aeronáutica o ITA responsável pela formação de quadros técnicos da mais alta expertise. Junto ao ITA há ainda o CTA que é o Centro Tecnológico Aeroespacial responsável pelo desenvolvimento de tecnologias avançadas, aviões de caça, engenharia aeroespacial bem como no desenvolvimento de todos os tipos de materiais aeronáuticos e só para citar um projeto ultra importante, para a aviação militar brasileira, cito  o desenvolvimento do moderníssimo cargueiro tático logístico  KC 390 uma das joias da engenharia de aviação militar do Brasil. 

Bem, não precisa ser nenhum gênio para perceber que a venda de um empresa desse porte e dessa magnitude, se analisarmos para além do fatores comerciais e financeiros, será um desastre para o estado de São Paulo e para o Brasil. O grande questionamento que se faz é por que alguém venderia a Embraer? Essa é uma pergunta não é tão fácil  responder, pois há várias respostas. A primeira e talvez a mais fácil é  pressão das concorrentes mais poderosas como a Boeing que quer obviamente o monopólio do mercado nessa área de aviões de médio porte, onde a Embraer é uma das líderes de mercado. A outra resposta é de caráter geo-político e muito mais grave, onde pressões políticas de outros países tentam isolar o Brasil não permitindo que o país exerça uma liderança militar na América do Sul. E a terceira e mais lamentável, é a nossa velha e maldita conhecida, a  corrupção. Agentes governamentais  veem na venda da Embraer uma oportunidade de ouro para ganharem muito dinheiro de forma nebulosa com a sua venda. Portanto, vender a Embraer significa abdicar de um projeto de desenvolvimento nacional muito além da fabricação de aviões. Vai além, é abdicar de toda uma tecnologia aeroespacial, abdicar da formação de engenheiros, pesquisadores, técnicos nessa área tão sensível, abdicar do desenvolvimento de novos materiais aeronáuticos, na criação de milhares de novos empregos. Impedir definitivamente a participação do país no circo restrito daqueles que dominam a tecnologia no campo aeroespacial. Em suma, uma tragédia. Cabe ao povo ser informado e saber que esse negócio é péssimo para o Brasil. Se o negócio fosse tão ruim para a Boeing por que eles estão tão interessados na sua concretização?

*Clovis de Barros filho nasceu na Serra da Prata (Iatecá). Estudou no Colégio Diocesano de Garanhuns do Admissão ao Científico onde concluiu em 1968. Reside em São Paulo desde 1970. É Licenciado e Bacharel em Química Industrial pela Universidade de Guarulhos e Químico Industrial Superior pelas faculdades Oswaldo Cruz/SP.

GARANHUNS: MINISTÉRIO PÚBLICO ESCUTA MORADORES DO BAIRRO JARDIM PETRÓPOLIS


O Ministério Público de Pernambuco (MPPE), através da 2ª Promotoria de Justiça de Defesa da Cidadania de Garanhuns, realizou na última quinta-feira (6), na Igreja Maria Tereza, bairro de Jardim Petrópolis, uma audiência pública para ouvir reivindicações dos moradores do bairro e prestar contas do trabalho da Promotoria de Justiça.

No evento, a secretária municipal de educação se comprometeu em levar ao prefeito da cidade o pleito de construção de escola e creche na comunidade; o procurador municipal afirmou que as reclamações sobre a saúde serão levadas imediatamente à secretaria de saúde; o major André Fernandes, da 9º Batalhão de Polícia Militar (BPM), prometeu intensificar as rondas no bairro; e a representante da Gerência Regional de Educação solicitou à comunidade um levantamento da quantidade de pessoas que necessitam da Educação para Jovens e Adultos (EJA).

Por fim, uma comissão foi formada para acompanhar o desdobramento das demandas apresentadas, e ficou acordado que a próxima audiência pública promovida pela Promotoria de Justiça ocorrerá na comunidade de Massaranduba, dia 19 de fevereiro, no templo da igreja evangélica. (MPPE).

GRE-AM SEDIA ENCONTRO DA SECRETARIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL


A Secretaria Executiva de Educação Profissional (SEEP) reuniu, na GRE do Agreste Meridional, durante os últimos dias 05 e 06 de dezembro, os gerentes regionais de Educação e coordenadores gerais de Educação Integral e Profissional de todo o Estado para realizar um balanço da trajetória das ações realizadas na pasta junto às Gerências Regionais e planejar as atividades para o quadriênio 2019-2022. 

A retrospectiva sobre as ações desenvolvidas desde a criação das Coordenações Gerais de Educação Integral e Profissional, em julho de 2016, foi feita pelos próprios coordenadores nas GREs. Eles apresentaram as atividades de forma cronológica, realizando avaliações a partir dos desafios e contribuições positivas. Foi momento também para pensar nas ações prioritárias para continuação do trabalho. 

Ficou por conta das gerências gerais e superintendência pedagógica da SEEP a discussão sobre a política pública de Educação Integral e Profissional em Pernambuco, trazendo um olhar sobre os avanços educacionais nos últimos 10 anos. O evento também proporcionou espaço para pensar coletivamente acerca dos rumos desta política. Os gerentes de GRE e coordenadores gerais sistematizaram, por meio de grupos de trabalho, as perspectivas para os próximos quatro anos. (GRE-AM).

domingo, 9 de dezembro de 2018

FPM: PRIMEIRO DECÊNDIO DE DEZEMBRO VEM COM ALTA DE 22,05%


O repassa referente ao 1º decêndio do mês dezembro do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) será creditado na próxima segunda-feira, 10 de dezembro. Comparado com o mesmo decêndio do ano passado, o valor será 22,05% maior, de acordo com dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN).

O repasse aos Municípios será de mais de R$ 3,4 bilhões, já descontada a retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Em valores brutos, incluindo o Fundeb, o montante é de quase R$ 4,3 bilhões.

O primeiro decêndio sofre influência da arrecadação do mês anterior, uma vez que a base de cálculo para o repasse é dos dias 20 a 30. Esse 1º decêndio, geralmente, é o maior do mês e representa quase a metade do valor esperado para o mês inteiro.

Veja a nota aqui

Agência CNM de Notícias


MUNICÍPIOS DO AGRESTE MERIDIONAL E SEUS COEFICIENTES  FPM - VALORES DO PRIMEIRO DECÊNDIO DE DEZEMBRO/2018

Coeficiente (0,6): Brejão/PE - Palmeirina/PE - Terezinha/PE: R$ 247.379,38

Coeficiente (0,8): Angelim/PE - Paranatama/PE - Jucati/PE - Lagoa do Ouro/PE - Calçado/PE: R$ 329.839,17

Coeficiente  (1,0): Jupi/PE - Jurema/PE - Saloá/PE: 412.298,97

Coeficiente (1,2): Cachoeirinha/PE - Capoeiras/PE - Correntes/PE - Iati/PE - Pedra/PE - São João/PE - Venturosa/PE: R$ 494.758,76

Coeficiente (1,4): Caetés/PE - Canhotinho/PE: R$ 577.218,55

Coeficiente (1,8): Águas Belas/PE - Lajedo/PE: R$ 742.138,14 

Coeficiente (2,0): Bom Conselho/PE: R$ 824.597,93

Coeficiente (2,2): Buíque/PE - São Bento do Una/PE: R$ 907.057,72

Coeficiente (3,6): Garanhuns/PE: R$ 1.484.276,28

SENADOR RUI PALMEIRA/AL: PREFEITURA REALIZA CONCURSO PÚBLICO


A Prefeitura de Senador Rui Palmeira - AL, publicou o edital nº 01/2018 referente ao seu concurso público que irá preencher 57 vagas para profissionais de todos os níveis de escolaridade. O concurso Prefeitura de Senador Rui Palmeira - AL será realizado pelo Instituto de Administração e Tecnologia - ADM&TEC.

A remuneração chega a R$ 954,00 para os cargos de nível fundamental, a R$ 1.000,00 para os cargos de nível médio e técnico e a R$ 3.000,00 para os cargos de nível superior.

A carga horária semanal será de 20 horas para Professor de Educação Física, de 25 horas para Professor de Séries Iniciais e de 40 horas para os demais cargos.

Inscrições

As inscrições serão realizadas até o dia 07 de janeiro de 2019, apenas via internet, através da página da Prefeitura de Senador Rui Palmeira ou da organizadora ADM&TEC. (Concursos no Brasil).

A LUTA DE IVO AMARAL PELA UFRPE EM GARANHUNS

Ivo Tinô do Amaral
A luta pela UFRPE em Garanhuns vem de longe, do início da década de 70. Um dos primeiros a defender a transferência da Universidade do Recife para Garanhuns foi do então bispo da Diocese, Dom Milton Correia em 1971, que dava início a luta pela educação superior na Suíça Pernambucana.  Posteriormente, como prefeito e como deputado, Ivo Amaral faria todo esforço possível para conseguir transferir a Universidade Federal Rural de Pernambuco do Recife para Garanhuns.

Ivo Amaral foi  um dos  mais ardorosos a pedir os cursos de Agronomia, Veterinária e Zootecnia funcionando em nossa cidade.

Na Assembleia Legislativa, ele fez vários pronunciamentos, articulou o projeto junto aos parlamentares federais e teve apoio de seus companheiros de partido, caso de Osvaldo Coelho e Aderbal Jurema, legenda de sustentação aos governos estaduais e federal da época. Cristina Tavares, mesmo na Oposição, também se engajou nessa luta.

Num pronunciamento realizado da tribuna do Legislativo Estadual, em 11 de junho de 1985, Ivo Amaral voltava à  defender a transferência da Universidade Rural para Garanhuns e indicando inclusive um local para o seu funcionamento. Por  sua localização em terreno fértil e pela abundância d'água da melhor qualidade, escolheria a Fazenda Santa Rosa, no distrito de Iratama, a poucos quilômetros do centro da cidade. 

Ivo Amaral, na sua passagem pelo Legislativo em duas oportunidades, chegou até a editar um livreto reforçando seu ideal. "A Imperativa Transferência da Universidade Federal Rural de Pernambuco", este o título da obra. Com introdução de Aderbal Jurema, o volume destaca a indicação de nº 1136, de 19 de junho de 1984, quando o parlamentar pede à Ministra da Educação, Esther Figueiredo Ferraz, ao reitor da UFRPE, professor Valdecy Pinto, que a instituição seja transferida da capital para o município de Garanhuns.
Livreto que mostra a luta pela
UFRPE em 1984
Na justificativa de sua proposta, Ivo Amaral lembra que o Governo Federal tem um programa de interiorização do ensino, ressaltando, mais na frente, que Garanhuns como produtor agropecuário e localização privilegiada, oferece todas as condições de abrigar os cursos da Universidade em funcionamento no bairro de Dois Irmãos, no Recife. "É de se ressaltar que todas as unidades de ensino congênere, estão localizadas, com um melhor proveito, no interior dos estados da Federação", salientou Ivo Amaral na época.

No mesmo livreto em que Ivo Amaral comprova sua luta no Legislativo Estadual, estão incluídos pronunciamentos de Osvaldo Coelho e Aderbal Jurema, representantes de Pernambuco na Câmara Federal, solidários com a luta dos garanhuense.

Muita gente lutou infelizmente não conseguimos, mas fomos nós que plantamos a semente", lembra o ex-deputado.

"Hoje temos a UFRPE graças a uma decisão do ex-presidente Lula, que deu esse presente para Garanhuns. Na época encontramos resistência porque propomos uma transferência do Recife para cá, o que não era aceito pelos professores e técnicos da UFRPE que derrotaram o desejo da população local e a instituição de ensino superior continuou na capital. Com essa ideia de se criar uma unidade local sem prejuízo da outra, o sonho se realizou", finalizou Ivo Amaral.

Ivo Tinô do Amaral foi vereador, vice-prefeito e prefeito por dois mandatos (1977/1982), (1989/1992) de Garanhuns e deputado estadual em duas legislaturas (1983/1986) e (1987/1990). Implantou o Relógio das Flores e criou o Festival de Inverno.

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

A MORTE DO CANGACEIRO CABO PRETO EM BREJÃO

Capitão Francisco Souto de Carvalho Furtado
"Chico Furtado"
Imagem/A História de Família Gueiros

Antes do aparecimento de Lampião no cenário nordestino, o capitão Francisco Souto de Carvalho Furtado "Chico Furtado", enfrentara com muito sucesso o banditismo em Brejão de Santa Cruz, distrito de Garanhuns, tendo eliminado o maior dos bandidos daquela época, o famigerado "Cabo Preto".

Em 1892,  o capitão Chico Furtado, subdelegado de polícia de Garanhuns, foi incumbido de eliminar o banditismo em Brejão pelo governador de Pernambuco, Barbosa Lima.

Chico Furtado já tinha questões a resolver com o cangaceiro Cabo Preto, protagonista de diversos atos ilícitos e violentos na região. Chico Furtado ordenou para os seus soldados que trouxessem o bandido inteiro ou esquartejado. A força policial conseguiu emboscar o cangaceiro Cabo Preto e conforme as ordens do subdelegado Chico Furtado, o cangaceiro foi entregue cortado em pedaços, dentro de dois sacos de aniagem.

Manoel Antônio de Lima, conhecido por Cabo Preto, segundo relatos de moradores daquela região teria nascido no Sítio Gameleira, em Brejão de Santa Cruz, na época 1º Distrito de Garanhuns. Entre os atos ilícitos do cangaceiro encontramos o assassinato da senhora Úrsula Maria da Conceição. (Com informações dos pesquisadores Ulisses Viana de Barros Neto e Cláudio Gonçalves de Lima).

TCE FARÁ AUDITORIA NA CÂMARA DE GOIANA PARA APURAR SUPOSTA COMPRA DE VOTOS

Conselheiro Dirceu Rodolfo
Após denúncia protocolada na Ouvidoria do Tribunal de Contas, o conselheiro Dirceu Rodolfo determinou a abertura de uma auditoria especial para fiscalizar “graves irregularidades” ocorridas na eleição para renovação dos membros da mesa diretora da Câmara Municipal de Goiana no dia 19 do mês passado.

De acordo com a denúncia, duas chapas concorreriam à eleição - uma encabeçada pelo presidente Carlos Viegas Júnior e outra pelo vereador Henrique Fenelon de Barros Neto. Viegas conseguiu aprovar uma lei para garantir a reeleição, até então vedada pelo Regimento Interno.

Após a aprovação da lei, em 25/06/2018, Viegas publicou um edital convocando eleições para a escolha da nova mesa, mas ao perceber que não seria reeleito expediu uma resolução alterando a data.

“A partir daí, começaram as negociações numa tentativa enlouquecida de ser reeleito, o que ocorreu com o apoio de 9 dos 15 votos possíveis”, afirma a denúncia, frisando que para garantir a reeleição o presidente teria feito todo tipo de manobras, “legais e ilegais”.

Uma dessas manobras teria sido o pagamento de diárias no valor de até R$ 6 mil aos vereadores ligados ao presidente para que eles fossem a um congresso, em Natal, onde teriam ficado “confinados”, num hotel até a data da eleição, a fim de que não houvesse risco de mudar o voto.

AS PROVAS - A denúncia está amparada em vários documentos, entre eles um áudio em que os vereadores ligados a Viegas comemoram o pagamento das diárias e tentam convencer outros colegas a aderir ao presidente e a publicação dos valores das diárias no Portal da Transparência.

“Em nome da moralidade pública, faz-se necessária a interferência dos poderes investigativos, em especial do Tribunal de Contas, para apurar os fatos que tanto têm incomodado a população goianense”, conclui a denúncia.

DESPACHO – Após o documento chegar ao seu gabinete, o conselheiro Dirceu Rodolfo, que é o relator das contas de Goiana do presente exercício, despachou: “Levando em apreço os graves fatos trazidos à baila na denúncia, inclusive com provas de relevância, determino a abertura de auditoria especial, com abrangência sobre as duas últimas gestões”. (TRE-PE).