as postagens mais acessadas da semana

sábado, 20 de julho de 2019

FIG INOVA COM QUESTIONÁRIO ONLINE E PREMIAÇÕES, EM PARCERIA INÉDITA COM O APLICATIVO COLAB


O 29° Festival de Inverno de Garanhuns traz uma novidade neste ano para quem estiver circulando pela cidade neste. Durante os próximos 10 dias – em que comemoramos o centenário do nascimento do Mestre Jackson do Pandeiro, em mais 21 polos distribuídos pela cidade –, damos também o pontapé para a organização da próxima edição, em 2020, em que celebraremos os 30 anos do Festival. Em parceria inédita com a startup Colab, o Governo de Pernambuco – por meio da Secretaria de Cultura, da Fundarpe, e com apoio da Secretaria de Turismo – se une à ferramenta colaborativa para realizar uma avaliação do evento.

Com o intuito de fazer o FIG cada vez mais inclusivo, garanhuenses e visitantes poderão contribuir com o festival deste ano, respondendo ao formulário “Pesquisa do perfil do Visitante do Festival de Inverno de Garanhuns”, disponibilizado para quem estiver na cidade e baixar o aplicativo Colab, no AppStore e PlayStore. E como forma de agradecimento à participação, as primeiras 300 pessoas que concluírem a missão do questionário durante o FIG serão bonificadas com produtos de projetos financiados pelo Funcultura, como CDs, DVDs e livros. A retirada dos prêmios deverá ser realizada entre as próximas segunda (22) e sexta-feira (26), das 10h às 12h, no Palace Hotel.

Em outras palavras: até o próximo dia 27 de Julho, mais do que um canal ativo de comunicação, essa será mais uma forma de democratização do acesso à cultura, no Agreste Setentrional.

Para quem tiver baixado o aplicativo, mas, em meio aos 10 dias de shows, concertos, espetáculos, exposições, cursos, seminários e encontros diversos, não encontrar tempo para responder; não tem problema. O questionário ainda estará disponível por uma semana após o término do FIG. Basta ter realizado o download do Colab durante o evento para ter acesso à pesquisa e concorrer a produtos do Funcultura e ingressos ao Cine São Luiz e Teatro Arraial.

Os dados coletados ajudarão o poder público a entender as demandas da população, medir e planejar melhor todas as ações do FIG, assim como resolver problemas apontados pela população de forma mais rápida, transparente, estruturada, responsiva e econômica, tornando o trabalho para a realização dessa festa mais eficiente.

Sobre o Colab – Um aplicativo criado em 2013 para servir aos cidadãos e ao poder público. Com cara de rede social, por meio do qual o usuário pode publicar propostas ou reclamações sobre sua cidade, que serão encaminhadas sem burocracia para gestores municipais e governamentais. O Colab é também um modelo que se baseia no triângulo da gestão pública participativa: gestão eficiente, participação popular e engajamento para a cidadania. Essa metodologia vem sendo desenvolvida pelo Colab desde sua fundação, em 2013, e está em constante aperfeiçoamento. Esse conhecimento foi construído com base no relacionamento com mais de 100 prefeituras desde o lançamento do Colab, com a colaboração de mais de 2 mil gestores públicos e a participação de mais de 250.000 cidadãos que já utilizaram o aplicativo.”

SOM NA RURAL RECEBE PROGRAMAÇÃO MUSICAL ALTERNATIVA ATÉ O PRÓXIMO SÁBADO (27)


Grandes nomes da música pernambucana e nacional passam no polo do ‘Som na Rural’, localizado no Parque Euclides Dourado, e que integra a programação do 29° Festival de Inverno de Garanhuns (FIG). O projeto, idealizado por Roger de Renor e Nilton Pereira, difunde, há mais de 10 anos, diversos tipos de manifestações culturais pelo estado, e recebe uma vasta programação até o dia 27 de julho.

Agitador cultural e um dos idealizadores do projeto, Roger de Renor, destacou toda movimentação artística promovida pela rural. “Estamos vindo de uma viagem pelo interior, onde passamos por vários lugares, Zona da Mata, Agreste e Interior.  A gente acredita, depois de circular tanto tempo, em muita coisa que temos encontrado de inspiração no interior do estado”, completa.

Nessa sexta (19), várias apresentações marcaram a abertura oficial do polo, que contou com show da cantora Cibele do Cavaco, responsável por animar o público presente com muito samba. Logo em seguida, a ciranda e o maracatu foram representados pelo Mestre Anderson Miguel, natural de Nazaré da Mata, na Zona da Mata Norte de Pernambuco.

O cantor trouxe para Garanhuns, canções do seu álbum “Sonorosa”, que foi lançado em 2018. No show, Anderson teve a participação do cantor e compositor Siba, nas guitarras, e do Mestre Nico, nos trombones. “Tive muita sorte de poder conviver com pessoas tão experientes. Siba me dá muito suporte em relação à música, e a ser poeta. E também meus pais, que fazem parte do maracatu. Ser mestre não é só cantar o maracatu, você tem que ter compromisso e respeito”, afirmou o artista.

Com as intervenções do Dj Evandro Q?, o Som na Rural ainda foi do forró de Edmilson do Pífano, até o pop recifense do cantor e instrumentista Samico, que encerrou as apresentações de ontem. A programação do polo segue neste sábado (20), a partir das 18h, com Coco de Tebei. Às 19h, é a vez da banda Saga HC. A mineira Brisa Flow se apresenta às 20h20min; e às 22h30min, quem sobe ao palco é a banda de punk rock recifense, Devotos.

Secom/PMG
Texto: Aquilles Soares
Fotos: Camila Queiroz

ESTREIA DO PALCO DOMINGUINHOS MARCA SEGUNDO DIA DO FIG, COM TRIBUTO AO HOMENAGEADO JACKSON DO PANDEIRO
























Ficou fácil aguentar a chuva desta noite em Garanhuns. A estreia do Palco Dominguinhos, ontem, marcou o segundo dia do Festival de Inverno de Garanhuns com o tributo ao homenageado do evento, Jackson do Pandeiro. Silvério Pessoa, Geraldo Maia, Lucinha Guerra, Lady Laay, Mari Periférica, Elba Ramalho, Zélia Duncan, Maciel Melo e Luíza Fittipaldi subiram ao palco da Guadalajara para executar os sucessos do músico, fechando a programação. O dia contou ainda com as aberturas dos polos de artesanato, audiovisual e gastronomia, começando a dar o tom multilinguagem que é a marca do festival.

Para Elba Ramalho, participar do tributo fez voltar no tempo. “Eu cruzei com Jackson quando ele tava infartando. Fiquei louca, procurando alguém que não deixassem ele cantar, mas ele só falava que precisava cantar. Essa homenagem de hoje é mais que justa”, lembrou.

Silvério Pessoa também encarou a participação como um presente. “Um sonho que vem sendo realizado. Foi um exercício de decalcar o mesmo que a obra de Jackson. Ele é um artista grandioso e os artistas convidados foram traçados no ritmo de cada um representa”.

Antes do tributo, subiram ao palco a Gold Hits Orquestra, Biu Roque com Alessandra Leão, Siba, Caçapa, A Fuloresta e Renata Rosa com o show Hoje a Noite é a Maior, e Elba Ramalho com show solo.

Assessoria de Comunicação
Secretaria de Cultura de Pernambuco

sexta-feira, 19 de julho de 2019

COMEÇA O FIG COM AUTORIDADES SE CONFRATERNIZANDO


Começou na noite dessa quinta-feira (18) o 29º Festival de Inverno, com a abertura no Centro Cultural Alfredo Leite Cavalcanti. Nela, presenças do governador Paulo Câmara, do prefeito Izaías Régis, do presidente da FUNDARPE Marcelo Canuto, do presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco Eriberto Medeiros, dos secretários de Turismo e Cultura Rodrigo Novaes e Gilberto Freire, respectivamente, dos deputados Sivaldo Albino, Claudiano Martins, entre outros, além de um grande público, que lotou o Teatro Luiz Souto Dourado.

O empresário e figura pública Givaldo Calado de Freitas prestigiou o evento. De acordo ele, o FIG, criado nos idos de 1991, nasceu pequeno, mas já com pinta de grande e veio para alavancar a interiorização do turismo no Estado.

“Não se sabia que o FIG viesse a ser tão grande em tão pouco tempo. Hoje, quase três décadas depois, impensável arrefecê-lo. Que dirá extingui-lo... Patrimônio Cultural Imaterial de Pernambuco, será também do Brasil. É a torcida”, disse Givaldo.

As palavras do governador, do prefeito e demais oradores foram no sentido de se engrandecer o FIG, e enaltecer sua importância para Pernambuco e, em particular, para Garanhuns. Tanto o governador quanto o prefeito se disseram parceiros e unidos neste que será o 29º FIG, que será o seu maior, e mais ao encontro do desejo de todos os pernambucanos, apesar do momento econômico difícil por que passam o estado e à nação brasileiros.

Depois da abertura houve a apresentação da peça “O Som e a Sílaba”, escrita por Miguel Falabella, especialmente para Alessandra Maestrini e Mirna Rubim, cantoras- atrizes com registro lírico.

A peça retrata a história de Sarah Leighton, uma mulher com diagnóstico de autismo altamente funcional - uma savant, com habilidades específicas em algumas áreas (entre elas, a música), e sua relação com Leonor Delis, sua professora de canto, que por sua vez, atravessa uma crise pessoal e profissional.

Ezandra Ribeiro
Jornalista
Fotos - Risalva Rodrigues

POETA ANTÔNIO CARLOS SECCHIN INGRESSA NA UBE

Antônio Carlos Secchin
No próximo dia 25 de Julho às 19h, por ocasião dos festejos do Dia Nacional do Escritor, na Casa Rosada da Rua Santana, a UBE - União Brasileira de Escritores, vai reunir a congregação da Ordem do Mérito Literário Jorge Albuquerque Coelho para a admissão do poeta Antônio Carlos Secchin. ‬

Antônio Carlos Secchin nasceu no Rio de Janeiro, em 1952. Doutor em letras e professor emérito da Universidade Federal do Rio de Janeiro, desde 2004 ocupa a cadeira 19 da Academia Brasileira de Letras. Poeta e ensaísta, Secchin publicou, entre outras obras, João Cabral: a poesia do menos (1985) e Todos os ventos (poemas reunidos, 2002, ganhador dos Prêmios da ABL, da Biblioteca Nacional e do Pen Clube). Com a obra Desdizer o autor voltou à poesia 15 anos após a publicação de Todos os ventos. 

IVO AMARAL PARTICIPA DA SOLENIDADE DE ABERTURA DO FIG 2019

Governador Paulo Câmara, ex-prefeito Ivo Amaral, Edjenalva e Marcelo Canuto, presidente da
Fundarpe

O ex-prefeito de Garanhuns, Ivo Tinô do Amaral e sua esposa Edjenalva,  participaram, na noite desta quinta-feira (18), da solenidade de abertura do 29º Festival de Inverno de Garanhuns.

O início das festividades contou com a apresentação do espetáculo "O Som e a Sílaba", no Teatro Luiz Souto Dourado. Nesta edição, o grande homenageado é o compositor Jackson do Pandeiro, cujo centenário de nascimento é celebrado este ano. 

Segundo a jornalista e colunista social Kitty Lopes, "Ivo é a memória viva do Festival de Inverno"

Em 1991, com o apoio do então governador Joaquim Francisco, Ivo Amaral criou o Festival de Inverno, e  na edição de 2014, quando completou 80 anos de idade, Ivo Amaral foi o homenageado do FIG, por decisão do governador Eduardo Campos.



ARMAZÉM DE ARTES E NEGÓCIOS MOVIMENTA O FIG 2019 COM PRODUÇÃO LOCAL E VARIADA


O Festival de Inverno de Garanhuns (FIG) é sinônimo de cultura da melhor qualidade, mas também é tempo e lugar para oportunidades para os artesãos pernambucanos. Como acontece há mais de dez anos, mais uma vez, será montado o Armazém de Artes e Negócios do FIG, um espaço com 75 stands que serão ocupados por nomes selecionados através de convocatória pública. São produtores locais individuais e associações, além de Pontos de Cultura. Barro, madeira, tecido, papel, metais: os visitantes podem esperar muita variedade no armazém, que começa a funcionar na sexta-feira (19), a partir das 16h.

Um dos nomes mais celebrados será o Patrimônio Vivo e mamulengueiro Mestre Zé Lopez, que estará pela primeira vez no FIG. “Vou levar muita coisa porque já tinha feito uma boa quantidade pra vender durante a Fenearte e fiz também algumas coisas especificamente para o Festival, como o boneco Simão”, conta o artista, citando um dos seus bonecos mais conhecidos.

A preparação para o FIG começou em abril, quando os artesãos receberam capacitação para que pudessem extrair o máximo de resultados durante o festival. Os produtores trabalham ou moram na região do Agreste meridional, onde está localizada a cidade de Garanhuns.

O Armazém é resultado de convênio com Sebrae e Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco (AD Diper). Funcionará em uma área de aproximadamente mil metros quadrados no Parque Euclides Dourado e contou com investimentos de R$ 192 mil, com expectativa de movimentação 15% superior ao de 2018, quando houve registro de cerca de R$ 350 mil em negócios. A média de visitação no ano passado foi de 1500 pessoas por dia. Quem passar pelo Parque Euclides Dourado, não pode deixar de conferir a produção dos artesãos.

Serviço

Armazém das Artes e Negócios do Festival de Inverno de Garanhuns
Parque Euclides Dourado, Heliópolis
Abertura: Sexta, 19 de julho, 16h

CATEDRAL DE SANTO ANTÔNIO RECEBE PROGRAMAÇÃO ERUDITA DURANTE O FIG 2019


Música instrumental, erudita e popular se revezam, durante o 29° Festival de Inverno de Garanhuns (FIG), no polo localizado na Catedral de Santo Antônio. A programação é uma parceria entre o projeto Virtuosi na Serra e o Conservatório Pernambucano de Música (CPM) – que participa há 12 anos do evento. Nesta edição, grandes músicos do país se apresentam com shows diversificados, que seguem até o dia 27 de julho.

Nessa quinta (18), a abertura oficial ficou por conta do espetáculo “Tributo a Luiz Vieira – 90 anos, com Altemar Dutra Jr., Claudette Soares, Eliana Pittman e Márcio Gomes”. O cantor e compositor, nascido em Caruaru, foi revisitado nas diversas interpretações dos artistas, que encantaram o público presente no polo.


O cantor Altemar Dutra Jr, que já gravou a canção “Os Olhinhos do Menino”, de Luiz Vieira, relembrou as experiências com o compositor, e exaltou a participação dos espectadores durante sua apresentação. “É uma alegria voltar à Garanhuns, com essa homenagem super merecida. E me emociono muito. Estou muito feliz em ver um público quente, o que eu já sabia, para mim não é novidade”, destacou o artista.

O momento também foi especial para Rodrigo e Ana Fonseca, que vieram do município de Condado, na Zona da Mata Norte, e prestigiaram o tributo. “Esta é nossa primeira vez aqui, e eu estou achando perfeito. Desde a seleção do repertório até os músicos que se apresentaram, tudo da melhor qualidade”, afirmou Rodrigo.

Secom/PMG
Texto: Aquilles Soares 
Fotos: Nichole de Andrade

FIG 2019 - GOVERNO DE PERNAMBUCO DÁ INÍCIO À 29 EDIÇÃO DO FESTIVAL DE GARANHUNS


“Estamos dando inicio ao 29º Festival de Inverno de Garanhuns. Um festival feito com a ajuda de muitos artistas, mas, principalmente, pela presença de vocês, o povo de Pernambuco. Essa é uma das maiores festas da cultura que acontece no país”. Com essas palavras, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, deu início nesta quinta-feira (18) à programação do 29ª Festival de Inverno de Garanhuns. A fala aconteceu durante a solenidade realizada no Teatro Luiz Souto Dourado antes da apresentação do espetáculo “O som e a sílaba”, escrito e dirigido por Miguel Falabela. A abertura contou com a presença de várias autoridades, dentre elas Gilberto Freyre Neto, secretário de Cultura; Marcelo Canuto, presidente da Fundarpe; e o prefeito de Garanhuns, Izaías Régis.

Paulo Câmara também reforçou o envolvimento e dedicação do Governo de Pernambuco, em parceria com a Prefeitura de Garanhuns, para a realização do FIG 2019. “Nós planejamos e programamos essa edição do Festival de Inverno de Garanhuns para que tenhamos um belíssimo festival. Uma festa que abrace todas as expressões culturais do nosso estado. Como governador de Pernambuco, me sinto honrado em estar mais uma vez no FIG. Que tenhamos um festival da paz, da alegria e da cultura”.


A solenidade também teve a participação de Dona Geralda Miranda, sobrinha de Jackson do Pandeiro, um dos homenageados do Festival de Inverno de Garanhuns deste ano. “Sou muito grata pela homenagem por essa homenagem que o FIG faz ao meu tio, um homem que lutou para que a música brasileira fosse valorizada”, disse Dona Geralda.

O secretário de Cultura de Pernambuco, Gilberto Freyre Neto, fez questão de enumerar a enorme operação para a realização do Festival. “São mais de 500 funcionários de varias secretarias, em parceria com a Prefeitura de Garanhuns, empenhadas em transformar Garanhuns no centro cultural de todo estado. Um festival que traz na economia uma injeção muito forte. É a partir dele que se estabelece a economia desse território”.

Já Marcelo Canuto, presidente da Fundarpe, ressaltou que o FIG “não é só o maior festival de cultura por conta dos mais de 20 polos e milhares de artistas envolvidos. Mas também porque valoriza a cultura pernambucana e brasileira. O FIG tem um vetor da cultura porque aqui circularam milhares de artistas. Tem também um viés econômico e hoteleiro, o que faz dele um importante aglutinador de iniciativas turísticas e culturais”.

Izaías Régis, prefeito de Garanhuns, aproveitou para agradecer, em novo do povo de Garanhuns, ao Governo de Pernambuco por mais uma edição do Festival de Inverno na sua cidade. “Quero agradecer a Paulo Câmara pela escolha de Gilberto e Marcelo Canuto para gerir a cultura do nosso estado. O senhor está de parabéns por esse grande evento que teremos em Garanhuns”.

Devido à grande procura pelos ingressos do espetáculo "O Som e a Sílaba", às 19h, o Governo de Pernambuco promoveu uma sessão extra da peça, às 21h30, no Teatro Luís Souto Dourado. As duas sessões, com tradução em libras, contaram com mais de 600 pessoas presentes.

“O som e a sílaba”, escrito e dirigido por Miguel Falabella especialmente para Alessandra Maestrini e Mirna Rubim, retrata a história de Sarah Leighton, uma mulher com diagnóstico de autismo com habilidades musicais e sua relação com Leonor Delis, sua professora de canto. “Muito obrigada pela presença de todas. A gente soube que tinha muita gente esperando é isso fez toda a diferença pra gente. Estamos muito felizes em honrados de estar aqui. Queríamos agradecer ao Governo de Pernambuco pelo convite”, agradeceu Alessandra Maestrini após uma das sessões.

O primeiro dia do FIG teve também na Catedral um Tributo a Luiz Vieira no Polo Catedral, um pernambucano de Caruaru que nos anos 50 e 60 fez sucesso em todo país. O tributo teve a participação de nomes como Altemar Dutra Jr., Claudette Soares e Eliana Pittman, entre outros.

FESTIVAL DE INVERNO DE GARANHUNS 'HISTÓRIA E VERDADE'

Ivo Tinô do Amaral homenageado no 24º FIG (2014)

Por Marcílio Reinaux*

Somente a garra e determinação do prefeito Ivo Amaral, quando do exercício da função de chefe do Executivo Municipal, foi possível a realização do II Festival de Inverno de Garanhuns (1992).

Por causa de manobras insólitas e injustas de "forasteiros", quase não se realiza o Festival. Prevaleceu a verdade e o bom-senso da justiça e ainda hoje é realizado o evento. Esses "forasteiros" tinham pretensão de serem "donos", titulares dos direitos autorais de um evento de domínio público. Daqui a pouco aparecem pessoas reclamando para si a criação da Festa das Marocas (Belo Jardim), da Vitória Régia (Recife) entre outras.

Na realidade, o legítimo dono do Festival é o povo desta terra. A verdadeira história do evento vem da época do Centenário de Garanhuns (1979), na primeira gestão de Ivo Amaral à frente do Governo Municipal. Há algum tempo tínhamos escrito nos  jornais a sugestão da realização de um Festival de Inverno em Garanhuns, nos moldes dos Festivais de Gramado (RS), São João Del Rei (Minas Gerais), Campos do Jordão (São Paulo) , entre outros, onde já havíamos participado não  só como turista, mais como conferencista e professor de cursos, convidado. Admirando o sucesso destes.

Claro que ninguém teve a preocupação de registrar em Cartório a ideia, muito menos projetos ou programas e outros documentos. Para quê? Afinal, aquilo que fizemos foi para Garanhuns, a terra à qual tanto amamos. E o fizemos sempre muito mais, posto que nossas iniciativas, ao longo de tantos anos, têm sido despretensiosas, desinteressadas em remuneração e ou pagamentos por amor, por desejo de ver a cidade crescer, progredir, alinhar-se entre aquelas de grande desenvolvimento sócio-cultural do Estado.

Mas a justiça venceu, mostrando que o direito comum do povo de Garanhuns prevaleceu sobre interesses de certas pessoas "forasteiros" que queriam se tornar "donos" do Festival. A despeito dessas ações podemos tirar preciosas lições: O crédito de confiança que depositamos nas pessoas, devemos dar na medida do dia-a-dia onde estas se mostram honestas e capazes. Aprendemos também que a "prata-da-casa", por vezes relegadas para dar oportunidade a "aventureiros" não deve ser esquecida, ao contrário disto, ela deve ser incentivada e valorizada.

Aí está o Festival de Inverno de Garanhuns consolidado, uma realidade insofismável de tantos que desejaram ver o seu sucesso. Ninguém poderá mais tirar de Garanhuns seu Festival. As gerações futuras por ele responderão. Ele está para Garanhuns como o São João está para Caruaru e Campina Grande. É irreversível. É de todos.

Queiram ou não, deixa ao ex-prefeito Ivo Amaral, além de outras, esta marca indelével de uma salutar promoção; uma marca profunda de sua administração. Ficamos felizes em fazer parte dessa porção de gente de Garanhuns, que amando a terra de Simôa Gomes, a ela se dá por inteiro. O Festival de Inverno de Garanhuns, é pois, uma semente que há de render e prosperar em grandes frutos para Garanhuns do futuro. Quem viver verá. Esta é a história. Esta é a verdade. 

*O professor Marcílio Lins Reinaux é cerimonialista, mestre de cerimônias, fundador e Presidente da Academia Brasileira de Cerimonial e protocolo – ABCP. Professor de história da Arte (aposentado) da Universidade Federal de Pernambuco. Historiador, pesquisador e escritor, tendo 32 livros publicados, dos quais seis são prêmios literários de diversas instituições culturais de Pernambuco e cinco tratam dos assuntos de cerimonial. É relações públicas, fundador do Conselho Federal de Relações Públicas, advogado e jornalista.

quinta-feira, 18 de julho de 2019

PRAÇA DA PALAVRA RECEBE CONTAÇÕES DE HISTÓRIAS GRATUITAS NESTE FINAL DE SEMANA

“Ayô – histórias de Griô”
Imagem/Tiago Henrique

O Festival Internacional de Literatura Infantil de Garanhuns, um projeto da Ferreira Costa que tem como objetivo valorizar a cultura e incentivar a leitura, vai começar suas atividades neste final de semana. No sábado (20) e domingo (21), o Filig vai levar gratuitamente para a Praça da Palavra, na Praça Souto Filho, histórias que destacam a origem e a cultura africana para crianças e adultos dentro da programação do Festival de Inverno de Garanhuns.

A atividade marca o início da quinta edição do Filig, que traz o tema “Africanidades - um mundo de histórias e memórias”. O evento é realizado em outubro em Garanhuns com palestras, contações e apresentações culturais. “Como nos anos anteriores, começamos a falar sobre o festival meses antes, como forma de ampliar o acesso ao conteúdo e aos autores”, conta Pietra Costa, representante da Ferreira Costa.

Neste final de semana, o Coletivo Tear vai apresentar o espetáculo “Luanda Ruanda – histórias africanas”, no sábado, e”Ayô – histórias de Griô”, no domingo. Ambas estão marcadas para iniciar às 11h, têm classificação etária livre e média de uma hora de duração.

Com seis anos em circulação, “Luanda Ruanda” é resultado de pesquisa de aproximadamente 100 histórias, mitos, lendas e costumes do povo africano. Também se pautando na fonte da ancestralidade, a intervenção “Ayô – histórias de Griô”, traz histórias reais e fictícias, poesias, fábulas e cantigas que despertam no público a conexão com suas origens e passeiam pelos sentimentos humanos.

Filig – O Festival Internacional de Literatura Infantil de Garanhuns é resultado da proposta da Ferreira Costa, idealizador do evento junto com a Proa Marketing Cultural e Projetos, de formar leitores. Por isso, crianças e adolescentes são o público-alvo das atividades em outubro. No entanto, pensando no ecossistema, o Filig também traz ações formativas que envolvem pais e mães, professores, bibliotecários e demais profissionais envolvidos no universo literário e educacional. Durante o festival, Garanhuns vivencia dias com intensa programação gratuita para moradores e visitantes de outros municípios que podem participar de espetáculos musicais e cênicos, exposições, conversas com autores locais e mundiais, entre outras atividades. O Filig conta com o apoio da Fundarpe, Governo de Pernambuco, Sesc Garanhuns, Prefeitura de Garanhuns e Universidade Federal Rural de Pernambuco – UAG e a realização da Secretaria Especial da Cultura e Ministério da Cidadania.

"O SOM E A SÍLABA" ABRE A PROGRAMAÇÃO DO 29º FESTIVAL DE INVERNO DE GARANHUNS

O som e a Sílaba será encenado nesta quinta-feira (18), às 19h, no Teatro Luiz Souto Dourado

Uma peça de teatro, um musical que tem sido aclamado por onde passa, abre a programação cultural do Festival de Inverno de Garanhuns 2019, nesta quinta (18), no Teatro Luiz Souto Dourado, às 19h. “O Som e a Sílaba” foi escrito e concebido por Miguel Falabella, especialmente para Alessandra Maestrini e Mirna Rubim, cantoras-atrizes com registro lírico. A peça retrata a história de Sarah Leighton, uma mulher com diagnóstico de autismo com habilidades musicais e sua relação com Leonor Delis, sua professora de canto. O enredo envolvente e a qualidade técnica do espetáculo serve como um esquenta para uma programação de igual relevância artística – e diversidade territorial – que marcará os dez dias do festival. Confira aqui a programação completa do 29º Festival de Inverno de Garanhuns.

A noite de abertura do FIG contará ainda com um Tributo a Luiz Vieira, um pernambucano de Caruaru que, nos anos 50 e 60, fez sucesso em todo país. Ano passado, ao completar 90 anos, foi celebrado com um show que virou DVD e trouxe a participação de grandes nomes da música nacional, como o cantor Daniel, Sérgio Reis e Zeca Baleiro. O FIG não poderia deixar de ressaltar a obra e a importância de Luiz Vieira para o cancioneiro brasileiro, e também promove um tributo, desta vez com Altemar Dutra Jr,. Claudette Soares, Eliana Pittman, entre outros.

FPM - COFRES MUNICIPAIS RECEBEM SEGUNDO DECÊNDIO NA PRÓXIMA SEXTA, 19

Os Municípios brasileiros recebem na próxima sexta-feira, 19 de julho, o segundo decêndio do Fundo de Participação dos Municípios (FPM). Será creditado nas contas municipais o montante total de R$ 798.960.237,90, já descontado a retenção do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb). Em valores brutos, incluindo o Fundeb, o montante é de R$ 998.700.297,38.

Dados da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) mostram que o 2º decêndio de julho de 2019, comparado com mesmo decêndio do ano anterior, apresentou crescimento de 9,14% em termos nominais, ou seja, que não consideram os efeitos da inflação. Já o acumulado do mês, em relação ao mesmo período do ano anterior, teve crescimento de 14,42%.

O total repassado aos Municípios no período de janeiro até o 2º decêndio de julho de 2019, apresenta crescimento de 7,51% em termos nominais (sem considerar os efeitos da inflação) em relação ao mesmo período de 2018.

Confira quanto seu Município vai receber.

Com Informações da Agência CNM de Notícias

GOVERNADOR PARTICIPA DA ABERTURA DO 29º FIG

Governador Paulo Câmara e o deputado Sivaldo Albino

O governador Paulo Câmara acompanha, nesta quinta-feira (18), a abertura da 29ª edição do Festival de Inverno de Garanhuns. Considerado o maior festival cultural do País, o evento acontece de 18 a 27 de julho, com mais de 20 polos distribuídos pela cidade.

Com investimentos da ordem de R$ 8,5 milhões, o Governo do Estado não tem medido esforços financeiros, de pessoal, equipamentos e ações para garantir o sucesso do FIG. Além da Secretaria de Cultura e Fundarpe, mais de uma dezena de secretarias e órgãos estaduais estão envolvidos, como as Secretarias de Defesa Social, Saúde, Turismo, entre outras.

FESTIVAL DE INVERNO DE GARANHUNS

Ivo Tinô do Amaral homenageado no 24º FIG e o ex-governador Eduardo Campos (2014)
Imagem/Blog do Roberto Almeida

Por Marcílio Reinaux*

De repente, não mais que de repente no dizer do poeta, passaram-se vinte e nove anos desde a realização do primeiro Festival de Inverno de Garanhuns. Ao longo deste tempo Garanhuns experimentou com o FIG - a movimentação de grandes ações de pessoas trabalhando, produzindo, criando, resultando em milhões de reais de investimentos alocados, para se alcançar o sucesso do evento de forma sempre crescente a cada ano. Um sucesso.

A história do FIG tem mostrado que os resultados foram e são sobejamente vantajosos para todos os envolvidos direta ou indiretamente, para o bem como do povo que é quem mais diverte por vários dias, com momentos de salutar alegria e entretenimentos salutares que se renovam a cada ano.

Quanto trabalho deu o primeiro Festival. Lembramo-nos bem. Até porque alto e bom som podemos registrar e relembrar aqui, que ao longo destes vinte e nove anos, apareceram "muitos pais desta criança". Gente de todo lado, cantando em viés ser "isso" ser "aquilo" do FIG. Até um grupo de obreiros, dizendo-se donos, entrou na justiça com uma Ação Popular, pretendendo apropriar-se de um legítimo patrimônio do povo, sem resultados. A ideia do Festival fomos nós que a trouxemos para Garanhuns. Nos fins da década de 1980, havíamos participado como Professor da Oficina de Arte do Festival de São Cristóvão (SE).

Apresentamos a ideia e as sugestões ao então Prefeito Ivo Amaral que não só acolheu, como criou imediatamente uma Comissão Organizadora e nos convocou para a presidir. Faziam parte da comissão o professor Jaime Pinheiro o publicitário Fábio Clemente, o Secretário de Turismo do Município, Marcílio Maia. O Prefeito Ivo Amaral envolveu-se com muito trabalho abrindo os primeiros caminhos, criando os espaços e apoio institucionais. Falou com autoridades, em especial com o então Governador do Estado Joaquim Francisco e conversou com então Presidente da Fundarpe, Rubem Valença.

Enfim, Ivo Amaral o Deputado e Prefeito de Garanhuns por dois mandatos, foi na realidade o grande mentor e grande benfeitor do Festival. A ele todos nós, a sociedade e o povo de Garanhuns tudo devem. Seu nome está gravado nos anais do Festival. Fica impossível separar o nome de Ivo Tinô do Amaral do Festival de Inverno de Garanhuns. Esta é a parte da história do Festival de Garanhuns, que não pode ficar esquecido. Assim registra-se ao Prefeito Ivo Amaral a gratidão do povo de Garanhuns e de Pernambuco.

*Marcílio Lins Reinaux é jornalista - Membro da Academia de Letras de Garanhuns