sexta-feira, 4 de janeiro de 2019

SESC GARANHUNS REALIZA FESTIVAL DE SORVETE NESTE SÁBADO (05)

O ano começou com altas temperaturas, comuns no verão do Nordeste brasileiro. Para aliviar o calor e promover diversão para as crianças, o Sesc Garanhuns realiza neste sábado (05/01) o Festival de Sorvete. No dia, crianças com idade entre 5 e 12 anos de idade, terão direito a sorvetes e a participar de brincadeiras. A atividade será no parque aquático do Sesc, das 9h às 13h. O ingresso custa R$ 10.

Para participar, é preciso fazer a inscrição no Ponto de Atendimento da Unidade até o dia do Festival. “Vamos abrir as atividades de recreação e lazer do Sesc em 2019 com muita alegria. As crianças poderão se divertir muito e se deliciar com essa sobremesa que faz sucesso em todo o mundo”, afirma Marcos Gonçalves Duarte, instrutor de atividades de recreação do Sesc Garanhuns.

CAPOEIRAS / QUEIJO COALHO É VENDIDO POR SEIS REAIS NA FEIRA



Por Junior almeida

No mês de janeiro muita gente tira férias, inclusive os compradores de queijo, os chamados queijeiros. Com a folga destes comerciantes, muitos não vieram para feira de Capoeiras no dia de hoje (4) e, o resultado foi que a oferta foi maior do que a procura, resultando na queda do preço do produto.

Sem ter a quem vender seus queijos, os agricultores "queimaram" preços, vendendo o quilo de queijo coalho abaixo de 10 reais, chegando até ao preço de 6 reais. O que pra quem compra é bom, para os comerciantes locais (supermercados, armazéns de farelo, etc), que fazem seu movimento de acordo com o preço do queijo, e principalmente para quem fabrica o produto, é amargar prejuízos. Fonte: Blog do Roberto Almeida

GARANHUNS / MATRÍCULAS DA REDE MUNICIPAL DE ENSINO TÊM INICIO NA PRÓXIMA SEGUNDA (07)

A Secretaria Municipal de Educação (Seduc) dará início ao processo de matrículas para estudantes que já integram a Rede Municipal de Ensino de Garanhuns e para aqueles que serão transferidos entre escolas a partir da próxima segunda-feira (07) e segue até a sexta-feira (11). As matrículas para alunos novatos deverão ser feitas no período de 14 a 18 de janeiro.

Para efetuar o procedimento é necessário que os pais ou responsáveis compareçam à Unidade de Ensino portando o documento de transferência da escola de origem do aluno (sem emendas e/ou rasuras); cópias simples da certidão de nascimento ou casamento, comprovante de residência com CEP, carteira de vacinação e cartão do SUS; comprovante de tipo sanguíneo e fator RH; requerimento de matrícula assinado pelo responsável do estudante para efeito de compromisso, acompanhamento e participação no processo de aprendizagem; perfil socioeconômico da família; e uma foto 3x4 recente.

Segundo a Seduc, só serão asseguradas as vagas para os estudantes que efetuarem as matrículas no prazo estabelecido, e de acordo com a quantidade de vagas ofertadas em cada unidade escolar. Fonte: Secom/PMG

A TROMBA D'ÁGUA



Por Clovis de Barros Filho*

São Paulo - Era  o mês de janeiro de 79. Época de chuvas fortes  no sudeste. Na região que fica as montanhas de Itatiaia/RJ chove mais ainda. A razão para isso é certamente  a densa floresta de mata atlântica que cobre a região. Estava de férias. Resolvi levar meu irmão mais novo comigo para conhecer o lugar. Fomos acampar nas montanhas. A viagem no meu Fiat bege 147 levou umas  3 horas partindo de São Paulo. Na subida íngreme passamos por cidades muito bonitas como Penedo e Mauá. Chegamos ao acampamento do CCB por volta das duas horas da tarde. O tempo estava muito chuvoso e frio àquela hora e  naquelas alturas. Escolhemos um bonito local para armar a nossa barraca debaixo de alguns eucaliptos e pinheiros. Nos dirigimos em seguida ao local onde era servido o almoço. Lá comemos uma excelente refeição à base de trutas com nozes. Como o tempo estava muito fechado, não deu para explorarmos o lugar. Voltamos à nossa barraca e tratamos de fazer as arrumações que ainda faltavam. Choveu durante toda noite. Na manhã seguinte acordamos com o cantar dos pássaros. Havia também muitas espécies de plantas exóticas  como orquídeas,  bromélias e samambaias. Nem precisa falar na riqueza da fauna. Muitos exemplares de viados,  pacas e quatis eram vistos nas redondezas. Um verdadeiro paraíso. Isso sem contar com a maravilhosa beleza da topografia da região com um sem número de cachoeiras de todos os tamanhos. Em suma, estávamos num verdeiro paraíso. 


Após o café resolvemos explorar o local. A cada metro que andávamos mais e mais a natureza nos brindava com seus tesouros. O cheiro das flores era acentuado, destacando-se o perfume doce do manacá da serra. Os pássaros e os beija-flores davam um verdadeiro show de cores e cantos cada qual mais deslumbrantes. Muitos nem sequer havíamos ouvido antes e nem sabíamos qual sua espécie. Como o dia amanheceu ensolarado, conseguimos ver lá embaixo  no vale as cidades de Resende, Cruzeiro e outras menores. Uma linda visão. Nos afastando mais um pouco do acampamento descobrimos um espécie de vale muito estreito, quase uma garganta, entrecortado por gigantescas pedras, muitas cheias de musgos serpenteadas por corredeiras de águas cristalinas que vinham do alto das montanhas acima de onde estávamos. As pedras formavam um sem número de pequenas piscinas naturais, de águas límpidas e transparentes, mais que convidativas para um banho refrescante àquela altura do dia quente. Meu irmão não aceitou o convite para explorar as piscinas e corredeiras. Preferiu voltar à barraca e me esperar para o almoço. Fiquei sozinho atraído pela beleza do lugar. Desci mais alguns metros até alcançar as primeiras pedras. E não demorou muito para mergulhar numa piscina natural cujo formato parecia ser de uma grande bacia. A sensação era inigualável. Aquela água fresca e límpida caiu como uma bênção no meu corpo suado. E lá fui eu, corredeira abaixo pulando de pedra em pedra e sempre intercalando com um mergulho, quando via uma piscina que me parecia mais aprazível. Àquela altura não havia vivalma no local. Só eu, as pedras, as águas da corredeira e a densa vegetação que cobria as margens do  estreitíssimo vale ao lado. O barulho das águas descendo, a vegetação das margens e as pedras, impediam qualquer pessoa de ouvir um pedido de socorro no caso de uma emergência. E eu, no afã de conhecer as belezas do lugar quebrei a regra número 1. Nunca explorar sozinho um lugar como aquele. E o que nunca tinha imaginado acabou acontecendo. Repentinamente comecei  ouvir uma barulho ensurdecedor que vinha da parte mais alta da montanha, acompanhado quase que simultaneamente por um aumento do volume de água nas pedras. Não deu tempo para mais nada. A água veio com força e começou a cobrir tudo ao meu redor com uma velocidade e força avassaladora, levando tudo que tinha à sua frente. Pedras, troncos de árvores pareciam bonecos ao sabor da força das águas descendo corredeira abaixo. Tentei me segurar numa pedra mais estreita que me possibilitou uma certa proteção. Mais foi em vão. A força dás águas literalmente me soltou da pedra como se estivesse agarrado a uma casca de bananas, simplesmente fui tragado pela correnteza. Naquele momento nem sequer conseguia gritar mesmo porque seria em vão, não havia ninguém por perto e se houvesse, não conseguiriam me ouvir. Continuei sendo carregado pelas águas batendo com o corpo nas pedras e torcendo muito para não bater com a cabeça. Quando já havia perdido as esperanças de sair com vida daquela situação, um redemoinho milagroso me lançou para uma das margens da corredeira bem próximo de uma grande raiz de árvore das margens. Me agarrei nela com toda a força que ainda me restava. Finalmente pude me livrar da correnteza. Como chegou, repentinamente aquela tromba d'água não demorou a desaparecer. Estendido no chão, quase sem forças para sair do lugar descansei alguns minutos até deixar do local. 


Ao chegar ao acampamento meu irmão já estava muito preocupado. com minha demora. Quando viu meu estado ficou mais ainda. Estava com a bermuda e a camiseta totalmente rasgados e exibia no corpo todo, muitas marcas e arranhões pelas batidas do meu corpo de encontro às pedras. Já no restaurante do acampamento, o monitor do lugar ouvindo a minha história,  falou que eu tivera muita sorte de estar vivo. Muitas pessoas que  agiram sem ler os avisos que estavam na sede alertando para os perigo, tinham desaparecido e muitos deles nunca mais tinham sido encontradas.

As fotos que ilustram essa crônica registram os momentos que antecederam essa louca aventura que quase me custou a vida.

*Clovis de Barros filho nasceu na Serra da Prata (Iatecá). Estudou no Colégio Diocesano de Garanhuns do Admissão ao Científico onde concluiu em 1968. Reside em São Paulo desde 1970. É Licenciado e Bacharel em Química Industrial pela Universidade de Guarulhos e Químico Industrial Superior pelas faculdades Osvaldo Cruz/SP.

GARANHUNS / CORRIDA 2 MILHAS DE SÃO SEBASTIÃO

No próximo dia 20 de janeiro acontece as 2 Milhas de São Sebastião, aqui em Garanhuns. Em sua segunda edição, a Corrida homenageia o Padroeiro da Boa Vista e tem um percurso de 3,2 quilômetros.  A concentração da Corrida acontece a partir das 7h30 em frente à Igreja de São Sebastião e a largada está marcada para às 8 horas. As inscrições estão abertas e podem ser realizadas até o dia 14 de janeiro, em horário comercial, na Secretaria da Paróquia, localizada ao lado da Igreja Matriz de São Sebastião. Os interessados devem contribuir com R$ 25 e um quilo de alimento não perecível, o que dará direito a um kit contendo uma camisa (para os duzentos primeiros corredores inscritos), número de peito e uma cartela de bingo. Os três primeiros colocados no geral, nas categorias masculino e feminino, receberão troféus, já os demais corredores inscritos que completarem o percurso serão premiados com uma medalha de participação. Blog do Ismaradona

CAPOEIRAS / MISSA DE 2º ANO DE FALECIMENTO DO MONS. GERALDO BATISTA

Mons. Geraldo Batista
Convite

A Paróquia de São José, em Capoeiras – PE, na Diocese de Garanhuns, na plena certeza da Ressurreição e da Vida Eterna, convida seus paroquianos e pessoas de boa vontade, para a Missa, em sufrágio de seu primeiro Pároco, o Mons. Geraldo Batista de Lima, de saudosa memória, no segundo ano do seu falecimento, a ser celebrada de comum acordo com suas irmãs, no dia 13 de janeiro de 2019, às 09h e 19h, respectivamente, na Igreja Matriz de São José, em Capoeiras – Pernambuco.

Desde já agradecemos antecipadamente, pela presença de todos!

Que a alma do Mons. Geraldo, e de todos os fiéis defuntos pela misericórdia de Deus,

Descanse em paz!

Fraternamente,

Mons. José Augusto

2º Pároco de Capoeiras – PE

quinta-feira, 3 de janeiro de 2019

MPPE AJUÍZA AÇÃO CONTRA A MISSIONÁRIA MICHELLE COLLINS POR DISCRIMINAÇÃO RELIGIOSA

Recife - O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) ajuizou ação civil pública em desfavor da missionária Michelle Collins em razão de publicações discriminatórias contra religiões afro-brasileiras postadas nas redes sociais Twitter e Facebook nos dias 3 e 4 de fevereiro de 2018.

Por meio da ação, o MPPE requer à Justiça que condene a missionária a pagar R$ 100 mil de indenização por danos morais coletivos, a serem revertidos ao Fundo Estadual de Assistência Social (FEAS), e a reparar a violação ao direito humano à liberdade religiosa mediante a publicação, na sua página pública do Facebook, de um texto elucidativo sobre Iemanjá. O MPPE pleiteia que o texto deverá ser fixado no topo da linha de tempo da página da Missionária por 30 dias.

O promotor de Justiça de Defesa dos Direitos Humanos da Capital Westei Conde argumentou que Michelle Collins extrapolou os limites do direito à liberdade de expressão quando publicou, nas suas contas oficiais, afirmações contra o orixá Iemanjá.

“Segundo a publicação Intolerância Religiosa no Brasil: relatório e balanço, de 2016, as religiões afro-brasileiras são as que mais sofrem com práticas discriminatórias, com 71% do total de casos. Portanto, a postagem realizada pela ré acerca de Iemanjá e seus seguidores contribui para a apologia ao ódio religioso, favorecendo a discriminação e até mesmo prática de crimes e outras formas de violência contra as religiosidades afro-brasileiras, seus praticantes e adeptos”, alertou Westei Conde.

Além disso, o promotor de Justiça ressaltou ainda que as consequências lesivas das publicações da missionária ultrapassam o plano meramente individual, atingindo toda coletividade, principalmente praticantes das religiões de matriz afro-brasileira.

Entenda o caso - após as comemorações do dia de Iemanjá, em 2 de fevereiro de 2018, a missionária Michelle Collins postou, nas suas redes sociais, mensagens ofensivas o orixá. A Promotoria de Justiça de Direitos Humanos instaurou inquérito civil para apurar o fato, tendo ouvido a missionária no dia 2 de março de 2018. Na ocasião, ela alegou ter feito a publicação “no exercício de sua fé” e que não teve intenção de ofender as religiões de matriz africana. Fonte: MPPE

CONCURSO / UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE (UFS)

A Universidade Federal de Sergipe (UFS) publicou o edital de nº 15/2018 referente ao seu concurso público que irá preencher 15 vagas para Professor da Carreira do Magistério Superior. As oportunidades são destinadas aos seguintes Câmpus:

Campus de São Cristóvão - Cidade Universitária Prof. José Aloísio de Campos; Campus de Lagarto - Campus Universitário Prof. Antônio Garcia Filho; Campus de Laranjeiras; Campus de Itabaiana - Campus Universitário Prof. Alberto Carvalho; Campus da Saúde / HU - Campus Universitário Prof. João Cardoso Nascimento Júnior.

A remuneração dos cargos varia de R$ 2.236,31 a R$ 9.600,92, de acordo com a titulação do profissional e regime de trabalho.

As inscrições serão realizadas entre os dias 24 de dezembro de 2018 e 22 de janeiro de 2019, apenas via internet, através do endereço eletrônico www.progep.ufs.br (menu Concursos e Seleções, Docentes, Concursos abertos em 2018, "Página do Edital"). O valor da taxa de inscrição varia de R$ 70,00 a R$ 150,00. Fonte: Concursos no Brasil.

FUNDEB / DIVULGADA ESTIMATIVA PARA 2019

No dia 31 de dezembro de 2018, foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) a Portaria Interministerial 7/2018, com a estimativa da receita do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e Valorização dos profissionais da Educação (Fundeb) para o exercício de 2019. A previsão é de uma receita total do Fundeb neste ano de R$ 156,3 bilhões.

Desse valor, R$ 143,4 bilhões correspondem ao total das contribuições de Estados, Distrito Federal e Municípios, e R$ 14,3 bilhões à complementação da União ao Fundo. São beneficiados com esses recursos federais os mesmos nove Estados dos últimos anos: Alagoas, Amazonas, Bahia, Ceará, Maranhão, Pará, Paraíba, Pernambuco e Piauí.

Essa previsão representa um aumento de R$ 7,1 bilhões ou 4,8% para 2019 em relação à estimativa de receita para 2018. Os valores para 2018 foram reestimados pela Portaria Interministerial 6/2018, publicada em 27 de dezembro, que avaliou a receita total do Fundo para 2018 em R$ 149,2 bilhões, sendo R$ 136,9 bilhões das contribuições de Estados, Distrito Federal e Municípios, e R$ 13,6 bilhões da complementação da União.

O valor mínimo nacional por aluno/ano dos anos iniciais do ensino fundamental urbano foi estimado para 2019 em R$ 3.238,52, correspondendo a um aumento de 6,2% em relação ao estimado para 2018, que foi de R$ 3.048,73.

Sobre a complementação da União

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) explica que, segundo a legislação do Fundeb, no mínimo 45% da complementação deve ser repassada até julho e 85% até 31 de dezembro de cada ano. Isso justifica a diferença de valores no cronograma entre os dois semestres do ano. Os 15% restantes para integralizar a complementação do Fundeb são repassados em janeiro do ano seguinte.

Confira abaixo os valores para 2019:


Agência CNM de Notícias

quarta-feira, 2 de janeiro de 2019

NOVA DIRETORIA DA OAB PERNAMBUCO É EMPOSSADA


Iniciando um novo ciclo na OAB Pernambuco, a nova diretoria que ficará à frente da Seccional no próximo triênio 2019-2021, tomou posse ontem. Comandada pelo presidente Bruno Baptista e pela vice-presidente Ingrid Zanella, a diretoria conta ainda com a secretária-geral Ana Luiza Mousinho, o secretário-geral adjunto Ivo Amaral, o diretor-tesoureiro Frederico Preuss Duarte, o presidente da Caixa de Assistência dos Advogados de Pernambuco (CAAPE), Fernando Ribeiro Lins, e o dretor-geral da Escola Superior da Advocacia  de Pernambuco (ESA-PE), Mário Guimarães.

Eleitos com o compromisso de aproximar ainda mais a advocacia do seu órgão de classe, os novos integrantes da gestão trabalharão com base nos cinco eixos da carta-proposta apresentada durante a campanha: prerrogativas profissionais, advocacia do interior, jovem advogado, mulher advogada e gestão, aperfeiçoamento e assistência.

Além da diretoria, também farão parte da gestão da OAB Pernambuco os novos conselheiros federais Ronnie Preuss Duarte, ex-presidente da Seccional, Leonardo Accioly, ex-vice presidente, Carlos Neves, Ademar Rigueira, Siliva Nogueira e Graciele Pinheiro Lima. Fonte: Blog do Magno Martins

CALÇADO 55 ANOS DE EMANCIPAÇÃO POLÍTICA

Vista parcial de Calçado
Imagem/Elio Rocha

Calçado, no Agreste Meridional, surgiu nas terras da fazenda de propriedade do Sr. Bernardino Alves do Nascimento, por volta de 1825. Existiam apenas quatro casas no lugar, à época. Com a construção de uma capela e a realização de uma feira semanal, o lugarejo cresceu paulatinamente, tornou-se vila, virou cidade, desmembrada do município de Canhotinho, em dezembro de 1963,  sendo instalado o novo município  em 1º de janeiro de 1964. Os registros da Documentação Territorial do Brasil, do IBGE, narram esta história singela para explicar a origem do topônimo: "O nome Calçado originou-se de um boi preto, cujas patas eram totalmente brancas, chamado por isso, o Boi Calçado. O boi vivia solto e costumava pastar e descansar à sombra da árvore denominada barriguda. Essa árvore existia onde hoje é o centro da cidade. Daí resultou a expressão: Para onde vais? Vou para Calçado". Fonte: Livro Pernambucânia de Homero Fonseca.

O MENINO E AS BORBOLETAS

Por Clovis de Barros Filho*

São Paulo - Eu não tinha mais que seis anos. Vivia  uma vidinha pacata de criança caipira cujos brinquedos eram muito simples e rudimentares na época. O carrinho de madeira todo colorido, a tabica seca puxada por duas borrachas simulando o cabresto de um cavalo fogoso, ou à vezes a roda de borracha de automóvel empurrada por uma forquilha. Aquilo era tudo que tinha, mais que me faziam extremamente feliz. Quando não estava brincando com esses brinquedos, ia ao sítio dos meus avós e lá me sentia no paraíso. Vivia no mato literalmente. No mato que digo é força de expressão. Vivia entre mangueiras, cajueiros, laranjeiras e toda sorte de fruteiras que abundavam no sítio dos meus avós. Chegava mesmo a ter meus particulares pés de cajú, de manga. Meus avós não permitiam que outros netos ousassem se apoderar daqueles que tinha escolhido. Mais havia fruteiras  suficientes para todos. Passava a maior parte do tempo em cima dessas árvores. Quando não estava brincando e imitando o Tarzan, estava me deliciando com as frutas. À casa, só retornava quase a noitinha, todo lambuzado  com o resto das frustas que tinha comido durante o dia. Esse era meu cotidiano naquele lugar, entre a vila e a casa dos meus pais e o sítio dos meus avós. 

Nesse período aconteceu uma história engraçada. Minha mãe precisou ir à Garanhuns. Meu pai ficou cuidando da mercearia ou budega como era também chamada. Como não tínhamos empregada, meu pai decidiu naquele dia ir almoçar no sítio com meus avós. Resolveu então mandar um pedaço de carne seca para minha avó assar, para ele comer no almoço. Era ainda cedo da manhã acho que umas dez horas, quando  ele  pediu para eu ir levar a carne do almoço. Acho que o mês era abril. Um mês de muita chuva, onde o verde já se fazia presente e o mato perfumado vicejava em todos os lugares. De posse do pacote com a carne seca me dirigi ao sítio. Aquela manhã estava muito ensolarada. Do chão de terra batida ainda emanava o cheiro característico de chuva da noite anterior. No final da rua, já começando a zona rural, ficava a Casa do Padre. Essa casa ficava sempre fechada e só era usada quando o padre vinha no seu velho Ford 29 celebrar alguma missa na vila. Ao lado da Casa do Padre havia um pequeno bosque de arbustos cheios de flores, que atraiam uma verdadeira nuvem de borboletas multicoloridas, cada uma mais linda que a outra. Não resisti aquele espetáculo da natureza. De pronto, coloquei o pacote com a carne seca em cima da calçada da varanda da Casa do Padre e  me pus a observar e a correr atrás daquelas que me pareciam as mais coloridas e exóticas. Tive sorte em capturar algumas, mais a maioria conseguia fugir. Havia tantas borboletas e a diversidade era tanta, que eu não percebi o tempo passar de tão extasiado que ficara. Só vim mesmo dar conta da hora e já meio dia, quando uma voz me tirou daquele sonho. Era a voz do meu pai. Fiquei petrificado sem saber o que fazer. Ele inicialmente achou que eu  tivesse entregue a carne no sítio. Certamente estava faminto. Perguntou na sequência: você entregou a carne para mamãe? Eu gaguejando e já prevendo o que aconteceria em seguida, falei: não papai a carne está na calçada da Casa do Padre. Nem precisa contar a reação dele. Ficou furioso. Tirou uma pequena tabica (vara) verde e com ela saiu correndo atrás de mim até a casa dos meus avós. Levei algumas lapadas na pernas finas até chegar lá. Fui salvo pela minha avó que evitou que levasse uma pisa maior. Mais valeu a pena. Jamais esqueci aquele espetáculo das borboletas coloridas.

*Clovis de Barros filho nasceu na Serra da Prata (Iatecá). Estudou no Colégio Diocesano de Garanhuns do Admissão ao Científico onde concluiu em 1968. Reside em São Paulo desde 1970. É Licenciado e Bacharel em Química Industrial pela Universidade de Guarulhos e Químico Industrial Superior pelas faculdades Osvaldo Cruz/SP.

ESCRITOR DO AGRESTE PODE SER O NOVO PRESIDENTE DA UBE NACIONAL

Escritor Renato Siqueira
Renato Siqueira é  contador, escritor, jornalista e tesoureiro da União Brasileira de Escritores - UBE.  Jovem de muita experiência na área de administração, foi o primeiro presidente do Núcleo da UBE-Garanhuns, com um mandato de 02 anos, se destacou pela sua atuação a frente da entidade literária, tanto em Pernambuco, quanto nos Estados vizinhos.

Comprovada a sua experiência em eventos literários e com uma grande facilidade em ampliar articulações, em busca sempre do crescimento e da valorização dos escritores seu nome logo ganhou destaque e confiabilidade entre os membros da UBE.

Renato Siqueira é candidato à presidência da UBE e apresenta uma chapa composta por grandes líderes da literatura de todo Brasil, intitulada "UNIÃO PELAS LETRAS SE RENOVA", já conta com o apoio de grandes escritores brasileiros para o pleito de 17 de janeiro próximo.

Podemos destacar o apoio de escritores do nosso Estado, além, dos  membros escritores da UBE dos Estados da Paraíba, Alagoas, Paraná, Maranhão e Santa Catarina.

Renato Siqueira avança com sua campanha em busca de mais apoios visando a ampliação da UBE em todo o território nacional.

CONCURSO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO DA PARAÍBA

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia da Paraíba (IFPB) anunciou no último dia do ano de 2018 que realizará em 2019 novas seleções para admissão de novos servidores públicos estatutários. O concurso IFPB 2019 é regido pelos editais nº 147, 148 e 149/2018 e são destinados ao preenchimento de cargos da carreira de Técnico-Administrativo em Educação e de Docentes. 

Vagas

Estão sendo disponibilizadas 90 vagas para o cargo de Professor EBTT (Ensino Básico, Técnico e Tecnológico, edital nº 148/2018) e 38 para os cargos técnico-administrativos (editais 147/2018 e 149/2018).

Na área técnico-administrativa, os cargos disponíveis são: Médico, Pedagogo, Nutricionista, Jornalista, Contador, Bibliotecário, Assistente Social, Administrador, Técnico de Laboratório, Assistente em Administração, Técnico em Tecnologia da Informação, Técnico em Artes Gráficas, Técnico em Contabilidade, Técnico em Eletroeletrônica, Técnico em Eletrotécnica, Técnico em Anatomia e Necropsia,  Assistente de Alunos e Tradutor e Intérprete de Linguagem de Sinais (este último cargo possui edital próprio, nº 149/2018).

O vencimento inicial da carreira de professor é de R$ 4.463,93, mas varia de acordo com a titulação apresentada pelo candidato no momento de sua nomeação. Para os técnico-administrativos, os vencimentos vão de R$ 1.945,07 a R$ 4.180,66.

Inscrições

As inscrições para as vagas da carreira técnico-administrativa serão feitas em períodos distintos de 15 de janeiro a 11 de fevereiro de 2019, por meio do link: http://www.ifpb.edu.br/concursopublico/tecnico-administrativo/vigentes.

Para servidores docentes, as inscrições vão de 22 de janeiro a 18 de fevereiro de 2019 por meio do link: http://www.ifpb.edu.br/concursopublico/professor/vigentes.

Fonte: Concursos no Brasil

terça-feira, 1 de janeiro de 2019

A QUESTÃO EVANGÉLICA


Por Clovis de Barros Filho*

São Paulo - O Brasil de um país majoritariamente católico passou a ser um país onde as igrejas evangélicas começam a colocar em cheque essa hegemonia. As igrejas pentecostais tradicionais sempre existiram, mais nunca foram de fato uma ameaça ao catolicismo. Hoje, com a expansão de tudo quanto é tipo de igreja evangélica, sobretudo nas periferias das grandes cidades, a balança começa a ficar mais equilibrada. Qual a razão que levou a essa mudança brusca do povo, ao procurar refúgio espiritual nesses novos "templos" do Senhor? Há vários motivos. Os principais na minha opinião foram a ausência da Igreja Católica. E o segundo, a ausência do estado como provedor de politicas públicas nos lugares mais carentes. Quanto a Igreja Católica o erro foi se ausentar fisicamente das periferias e favelas. Simplesmente a Igreja Católica  sumiu, ficaram restritas aos endereços de sempre às grandes avenidas da vida. Enquanto isso, as evangélicas ocuparam o espaço. Hoje há mais igrejas evangélicas por metro quadrado aqui em São Paulo do que pizzarias. E isso faz a diferença. Basta um pastor bem falante, um hino bem elaborado, promessas de riqueza fácil e curas milagrosas e  o rebanho estará assegurado e pacificado. 

A Igreja Católica não. Se fechou em si mesma, esqueceu dos pobres e quando muito, delegou aquilo que os padres deveriam fazer a jovens  sem a devida preparação e credibilidade a missão que prioritariamente seria deles. O caso do Padre Marcelo é emblemático. Padre Marcelo deixou de ser um padre verdadeiro para se tornar mais, um garoto de propaganda global.  Junte-se a esse vácuo deixado pela Igreja Católica, o abandono do estado indutor de políticas sociais. O povo pobre da periferia passou a ser vítima de milícias, de criminosos de toda espécie o que gerou pânico, medo e desesperança em dias melhores. E foi ai que mais uma vez os espertalhões dessas igrejas de fundo de quintal (não as igrejas evangélicas tradicionais sérias) se aproveitaram. 

Primeiro, trataram de encontrar um culpado pelo descalabro e pelo caos e depois, claro, prometeram o salvador da pátria. Apontar o diabo causador da violência e da falta de políticas públicas foi uma missão facílima. Focaram o Partido dos Trabalhadores que vinha de um desgaste político muito forte com o caso da Lava Jato. Foi como dá milho pra bode. O povão induzido pelas redes sociais e pela tv ampliou a perseguição ao PT com o mote da CORRUPÇÃO e as fake news servindo de cortinas de fumaça. Os pastores nas periferias trataram de passar a ideia de que tudo de ruim e os males que o afligiam, era culpa dos petistas e em particular do seu líder maior o presidente Lula. Enquanto isso, mais uma vez a Igreja Católica silenciava e em muitos casos assisti padres fazerem verdadeiros comícios nas missas contra o PT. 

Eu mesmo estive várias vezes nas periferias e lá pude constatar o ódio que ironicamente aqueles que mais se beneficiaram dos programas do PT sentiam pelo partido e agora tratavam de endeusar o futuro salvador da pátria que não demorou a aparecer. Primeiro tentaram um tal de Luciano Huck um vendedor de ilusões da Globo uma espécie de Uri Geler, um ilusionista muito famoso na década de 80. Quando perceberam que seu telhado era muito envidraçado e nem tudo que tocava virava ouro, desistiram (por enquanto). Tentaram mais uma vez elevar às alturas o Juiz Sérgio Moro até perceberem que a sua meteórica popularidade começava a se desmanchar por conta de um sem números de pisadas na bola  de âmbito jurídico. além da sua descarada militância política partidária. Até que, do nada, sem mais que senão quando, como falava o velho Ronald Golias descobriram o deputado Jair Bolsonaro. Bolsonaro, teleguiado pela propaganda evangélica e seus pastores,  e  literalmente ungido como "enviado pelo senhor" e por experts em propaganda política made in USA, veio, viu e venceu as eleições. O que vai acontecer?   Uma coisa é certa: mentira tem perna curta. Quando a verdade vir finalmente à tona, não se sabe bem o que essa multidão de manipulados poderá fazer.

*Clovis de Barros filho nasceu na Serra da Prata (Iatecá). Estudou no Colégio Diocesano de Garanhuns do Admissão ao Científico onde concluiu em 1968. Reside em São Paulo desde 1970. É Licenciado e Bacharel em Química Industrial pela Universidade de Guarulhos e Químico Industrial Superior pelas faculdades Osvaldo Cruz/SP.

DISCURSO DE POSSE DO GOVERNADOR PAULO CÂMARA



"Senhor Presidente,
Senhoras Deputadas,
Senhores Deputados,
Minhas Senhoras e Meus Senhores.

Retorno a esta Casa, honrado pelos votos de milhões de pernambucanas e pernambucanos do Litoral, da Mata, do Agreste e do Sertão, depois de uma campanha eleitoral marcada pelo debate sobre o presente e o futuro do nosso Estado. E retorno com a satisfação de dizer que a aprovacão do nosso projeto político, que tem feito Pernambuco avançar nos últimos 12 anos, foi manifestada democraticamente pela maioria da população, em todas as doze regiões do nosso Estado, mais uma vez. Essa manifestação nos obriga a persistir nos avanços sociais que, com a unidade do povo, temos implantado em Pernambuco.

Há exatos quatro anos, estive no antigo plenário desta casa, onde me comprometi a trabalhar muito por Pernambuco, num grande  desafio de substituir o inesquecível ex-governador Eduardo Campos, hoje representado aqui por Renata e filhos, a quem rendo minhas homenagens. Eduardo Campos me faz lembrar a figura do nosso líder politico Miguel Arraes, um dos criadores da Frente Popular de Pernambuco, que até hoje aglutina lideranças políticas na defesa e na luta pela melhoria das condições de vida da população pernambucana.

Agradeço assim ao Senhor Presidente, que aqui nos acolhe, a vice-Governadora Luciana Santos e a mim, com respeito e consideração. Ressalto ainda que faço esse agradecimento de forma indistinta a todos os membros da Assembleia Legislativa, Poder tão necessário ao bom desempenho da administração e do vigor da democracia. Muito obrigado!

Os desafios do futuro serão enfrentados por caminhos abertos pelo diálogo, pela transparência, e fiscalizados pelo povo. Avançaremos juntos com os poderes legal e legitimamente constituídos: o Legislativo, o Judiciário, o Ministério Público e o Tribunal de Contas, e com toda a sociedade.

Agradeço também a todos que, de diversas formas, muito contribuíram para que aqui chegássemos: a vice governadora Luciana Santos; aos senadores Jarbas Vasconcelos e Humberto Costa; aos nossos candidatos a deputado federal e a deputado estadual; aos partidos que integram a Frente Popular; aos militantes; aos assessores técnicos; aos prefeitos e vereadores de todos os partidos aliados; aos líderes políticos, religiosos, comunitários, aos artistas de todos os segmentos; mulheres, homens,  crianças, que nas ruas nos receberam de forma tão generosa.

Faço aqui também um agradecimento especial ao ex-vice-governador e agora deputado federal eleito Raul Henry, a quem muito devo por sua amizade, seu companheirismo, lealdade e capacidade de trabalho.

Por fim, mas não por último, agradeço à minha família, Ana Luíza, minhas filhas, Clara e Helena, meus pais, Lilian e José Waldo, meus irmãos e cunhados, meus amigos que, nas horas mais desafiadoras, me deram a força necessária para superar os obstáculos.

Senhor Presidente,
Senhoras Deputadas,
Senhores Deputados,
Minhas Senhoras e Meus Senhores.

Tenho orgulho em afirmar que Pernambuco não parou de avançar, de servir de referência na gestão pública, apesar da crise tremenda que o nosso País enfrentou e ainda enfrenta. Da qual todos aqui têm a consciência dos seus efeitos devastadores, especialmente na questão do emprego.

Em que pese esse cenário, o governo de Pernambuco conquistou a posição de melhor educação pública do Ensino Médio do Brasil, com a menor taxa de abandono escolar, a maior taxa de aprovação, e com a maior rede de escolas de tempo integral do País; reduzimos a mortalidade infantil ao menor nível das series históricas, a frente dos estados do Norte e do Nordeste, com uma média melhor que a brasileira.

Fizemos o maior investimento em recursos hídricos de todos os tempos, seja nas áreas urbanas, seja na rural. Levamos água a milhares de pernambucanos, muitos retiraram a lata d’água das suas cabeças.

Recuperamos equipamentos históricos do nosso patrimônio, melhoramos nossa infraestrutura, qualificamos nossa população, introduzimos elementos importantes para os avanços do desenvolvimento econômico, que ajudaram inclusive na expansão da atividade turística em Pernambuco.

Também não fugimos desse que é, talvez, o maior desafio do Brasil: o combate ao crime e à violência. Em Pernambuco, temos o Programa Pacto Pela Vida que teve sua efetividade restabelecida. No último mês de dezembro, senhoras e senhores, completamos 13 meses consecutivos de redução no número de homicídios. Em 2018, registramos uma queda próxima a 24% nos Crimes Violentos Letais Intencionais, os CVLIS, comparando com o mesmo período de 2017.

Trata-se, Senhor Presidente, do maior avanço da história do Pacto Pela Vida, superando a redução obtida em 2010, comparada com 2009, que foi de quase 14%.

Enfatizo no entanto, que não há o que comemorar. Enquanto uma única vida for perdida, o Governo não estará cumprindo com suas responsabilidades constitucionais. Mas o Pacto Pela Vida está no caminho certo, a sensação de segurança foi restabelecida, são 15 meses de redução de roubos e assaltos em todo o Estado, e espero que esse tema não saia mais da pauta nacional. A solução para esse desafio está no trabalho conjunto entre todos os entes da Federação.

Senhoras Deputadas e Senhores Deputados,
Senhoras e Senhores aqui presentes.

Pernambuco foi reconhecido, ainda, como o único Estado eficiente na gestão pública, fora das regiões Sul e Sudeste, de acordo com ranking nacional criado pelo jornal Folha de S.Paulo e o Instituto DataFolha. Nesse rol são destacados os estados que mais entregam Educação, Saúde, Infraestrutura e Segurança à população, com menor volume de recursos financeiros. Em resumo: Pernambuco faz mais com menos.

Outro ponto que vale destacar, fundamental na gestão pública, é a transparência. E o Governo de Pernambuco conquistou o reconhecimento nessa área por parte do Ministério da Transparência e da Controladoria Geral da União (CGU). Nosso Governo obteve a nota 9,4, a mais alta entre todos os Estados, incluindo o Distrito Federal, todas as capitais e todos os municípios com  mais de 50 mil habitantes.

Gostaria também de repetir algo fundamental, que não pode e nem deve ser esquecido: nosso modelo de gestão não é um fim em si mesmo. É um instrumento necessário para melhorar a vida das pessoas, especialmente as que mais precisam do poder público. Essa é a nossa missão maior: construir uma sociedade mais justa, com igualdade de condições, para que todos e todas tenham a oportunidade de transformar os seus sonhos em realidade.

Por isso, estamos formando um governo orientado pelo compromisso maior das forças progressistas do nosso Estado. Por consequência, vamos trabalhar com o olhar permanente aos que mais precisam, aos mais necessitados dos serviços públicos.  Tais serviços devem estar em constante aperfeiçoamento e sintonizados com os anseios da população.

Senhor Presidente,

É evidente que as questões administrativas são importantes. No entanto, elas têm tempo próprio de concepção, desenvolvimento e maturação. Porém dependem do contexto econômico, social e político para que atinjam suas metas – contexto este não só estadual, mas, no momento, notadamente nacional.

As próximas administrações estaduais tomam posse após uma das campanhas mais radicalizadas da história do Brasil. Milhões de ameaças foram contabilizadas nas redes sociais, apenas no segundo turno. Quase uma centena de pessoas sofreram agressões físicas. Tudo em meio a uma crise de raízes profundas, que parece deixar o País sem rumo.

É urgente desmontar os palanques, desarmar os espíritos, buscar o mínimo de convergências que nos permitam preservar as conquistas democráticas e avançar. O processo eleitoral que nos elegeu para o Poder Executivo e elegeu os parlamentares para o Poder Legislativo  é o mesmo que elegeu o presidente da República.

De caráter historicamente irredento,  Pernambuco jamais admitiu submissão a qualquer poder, mesmo os mais altos da República. A submissão, em qualquer tempo, de qualquer natureza, por qualquer motivo, é incompatível com o espírito libertário dos pernambucanos. Apoiaremos decisões que beneficiem Pernambuco e o Nordeste, a exemplo das obras complementares da Transposição das águas do Rio São Francisco e da conclusão da Ferrovia Transnordestina. Mas seremos contra, fundados em sólidos argumentos, a iniciativas que comprometam o futuro do estado e da região, como a privatização da Chesf.

Há quatro anos, externei preocupações que quero aqui reafirmá-las: não bastam formulações de equipes econômicas, por mais  iluminadas que sejam. A realização dos grandes objetivos de uma nação ultrapassa a vontade de um grupo de pessoas ou de um conjunto de partidos. Será sempre resultado da reflexão e da mobilização dos brasileiros, onde quer que possam fazer ouvir suas vozes.

Mais uma vez, o país precisa da Política com pê maiúsculo. É a urgência do diálogo. Precisamos mais do que nunca saber ouvir e saber falar, com franqueza, lealdade, sem prejulgamentos, sem discriminação e sem qualquer tipo de intolerância.

O amor ao Brasil não é monopólio de nenhum brasileiro, seja civil ou militar. A forma de expressar este sentimento depende de cada um. Morrer em um campo de batalha é uma forma de amar o Brasil. Ocupar as ruas em defesa da democracia também é.

Precisamos de paz, porém não a paz do silêncio imposto pela força. Queremos a paz viva, do debate, do contraditório, da liberdade de opinião. A paz da democracia. Precisamos de paz para trabalhar, vencer a miséria, a violência e o desemprego, para ajudar milhões de jovens a encontrar um futuro melhor e mais proveitoso.

Para tanto, temos que juntar os cacos espalhados à nossa frente, efeito da polarização desmedida.  Nós, os pernambucanos e os brasileiros, já provamos ter tal capacidade. Foi assim na oposição à ditadura; na promulgação da Constituição de 1988, há 30 anos; na mobilização pelas eleições diretas; na vitória contra a inflação; no combate à miséria.

Conquistas de todos, que hoje a todos beneficiam. É nosso dever político, cívico e moral nos mobilizarmos para que essas conquistas, entre outras, não sejam revogadas ou mitigadas por nenhuma onda de conservadorismo ou de autoritarismo.

Cabemos todos no Brasil multirracial, multicultural e multieconômico, que há gerações estamos construindo, desde o ano de 1500.

Desconhecer essa realidade é desconhecer o nosso passado, o nosso presente e comprometer o nosso futuro.

Repito: precisamos de paz, de democracia, de trabalho.  Estendo as minhas mãos. Tenho a convicção de que outras mãos, de pernambucanos e de brasileiros de boa vontade e de boa fé, as acolherão, pelo bem de Pernambuco e pelo bem do Brasil.

Muito obrigado”.

CONCURSO UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA (UFPB)

A Universidade Federal da Paraíba (UFPB) divulgou o edital nº 122/2018 de concurso público para cargos técnico-administrativos. O edital Concurso UFPB foi publicado no Diário Oficial da União, edição de segunda-feira, 31 de dezembro de 2018 e dispõe de 111 vagas. 

As vagas destinam-se aos seguintes cargos: Administrador de Edifícios, Assistente em Tecnologia da Informação, Assistente em Administração, Técnico (Agropecuária, Alimentos e Laticínios, Contabilidade, Economia Doméstica, Eletrotécnica, Equipamentos Médico-Odontológico, Farmácia, Necrópsia e Anatomia, Mecânica, Música, Prótese Dentária, Tecnologia da Informação), Técnico em Laboratório (Biologia, Análises Clínicas, Biossegurança, Tecnologia de Alimentos, Topografia/Geoprocessamento, Química.

Administrador, Analista de Tecnologia da Informação, Arquivista, Assistente Social, Auditor, Bibliotecário Documentalista, Biólogo, Contador, Economista, Engenheiro de Segurança do Trabalho, Farmacêutico, Médico (Psiquiatria, Oftalmologia, Veterinário), Músico (Flauta Transversal e Trompa), Pedagogo, Produtor Cultural, Psicólogo, Técnico Desportivo, Técnico em Assuntos Educacionais, Tecnólogo Formação - Área Secretariado Executivo e Tecnólogo Formação - Área Gestão Pública.

O vencimento é de acordo com a classe, ficando, portanto, nos seguintes valores:

Classe C – R$ 1.945,06
Classe D – R$ 2.446,96
Classe E – R$ 4.180,66.

Inscrições Concurso UFPB

O período para a realização das inscrições será a partir das 09h00min do dia 21 de janeiro de 2019 até às 23h59min do dia 25 de fevereiro de 2019, observado horário oficial de Brasília/DF, através do endereço eletrônico www.institutoaocp.org.br

A taxa de inscrição será nos seguintes valores:

Classe C – R$ 45,00
Classe D – 60,00
Classe E – 85,00.

Concursos no Brasil

HÁ 30 ANOS IVO AMARAL ASSUMIA O SEGUNDO MANDATO COMO PREFEITO DE GARANHUNS

01/01/1989 - Prefeito Ivo Amaral, D. Edjenalva e D. Francisca Amaral Tinô são recepcionados
 pelos garanhuenses na chegada ao Palácio Celso Galvão
Em 1º de janeiro de 1989, Ivo Amaral assumia pela segunda vez o cargo de prefeito de Garanhuns, tendo como vice o Dr. Esdras Cabral de Lima.

Foi na segunda administração à frente da Prefeitura de Garanhuns, que Ivo Amaral teve a oportunidade de criar o Festival de Inverno em 1991, além de concluir obras que constavam do programa de governo da sua primeira administração 1977/1982.

01/01/1989 -  Ivo Amaral assina o Livro de Posse
Entre os vários projetos que foram criados e desenvolvidos destacamos: Construção de 20 novas Unidades Escolares, ampliação de 5 outras, aumentando a capacidade da oferta escolar em mais de 40 salas de aula, além de recuperar 51 escolas; pavimentação de 200 ruas, com construção de galerias de águas pluviais, perfazendo um total de 100 km de vias pavimentadas e 60 km de galerias implantadas; Revitalização do parque Ruber van der Linden  (Pau Pombo); Recuperação do Centro Cultural Alfredo Leite Cavalcanti; Conclusão das obras de construção e instalação do Matadouro Industrial; Renovação da frota de veículos, com a aquisição de 2 caminhões basculantes, 2 caminhões com carrocerias compactadoras e mais 1 caminhão de carroceria; Construção e recuperação de praças e jardins: Espaço Cultural Luís Jardim, Praça Almira da Mota Valença, Tavares Correia, Souto Filho, Avenida Rui Barbosa, Pedro II, São Sebastião, Santo Antônio, Santa Terezinha e Jaime Pinheiro; Construção do Posto de Saúde, Dr. Othoniel Furtado Gueiros, no bairro Aloísio Pinto; Realização do I e II Festival de Inverno e a realização da primeira Garanheta em 1990.

D. Edjenalva Amaral, Prefeito Ivo Tinô e D. Francisca Amaral Tinô

Na sua primeira administração Ivo Amaral teve a oportunidade de comemorar o Centenário de Emancipação Política e Administrativa de Garanhuns. Foi através do Projeto de Lei do Deputado Provincial Silvino Guilherme de Barros (Barão de Nazaré), que foi sancionada a Lei nº 1309 em 4 de fevereiro de 1879 que emancipou Garanhuns. Neste período administrativo Ivo Amaral  implantou o Relógio de Flores, o único existente no Norte/Nordeste do Brasil, o maior cartão postal da nossa cidade, localizado na Praça Dr. Tavares Correia, bairro de Heliópolis.  Garanhuns tornou-se a primeira cidade do interior do Estado a ter suas ruas e avenidas asfaltadas e a iluminação com lâmpadas a vapor de sódio.


Prefeito dá posse aos novos secretários

DISCURSO DA SOLENIDADE DE POSSE DE IVO AMARAL NA PREFEITURA DE GARANHUNS (01/01/1989)

Minhas Senhoras e Meus Senhores:

Quis a generosidade do povo de Garanhuns e a sua indômita vontade cívica, demonstradas nas urnas de 15 de novembro de 1988, que eu voltasse a ser Prefeito de todos os garanhuenses.

Portanto, aqui estou, mais disposto e consciente do dever a cumprir e ciente dos graves e inadiáveis problemas que tenho a enfrentar.

Garanhuns com cem mil habitantes e localizada em ponto privilegiado, quer pela sua altitude, quer pelas suas águas, suas escolas, seus pontos turísticos, suas belezas naturais, por sua infra-estrutura, especialmente a hoteleira, quer pela sua condição de ser um dos principais entroncamento rodoviários do Nordeste - encontros das BRs - 423 e 424 enfim, por tudo isso e por toda sua potencialidade ainda não explorada - deve voltar, e, deve urgentemente reconquistar a sua real posição no cenário político-social de Pernambuco e do Brasil.

Aqui estou, recebendo o honrado encargo, para que na qualidade de Prefeito, possa gerir nos próximos quatro anos, a vida político-administrativa de Garanhuns.

É uma honrosa responsabilidade, e um trabalho que assumo, e espero fazê-lo com todo amor, todo entusiasmo e com todas as minhas forças. Não descansarei enquanto não ver, novamente, nossa "Suíça Pernambucana" alegre e sorridente, cantada e decantada pelos seus filhos, por aqueles que aqui aportam para trabalhar, pelos nossos visitantes e turistas.

Logo mais, estarei dando posse aos meus auxiliares mais diretos, auxiliares escolhidos entre pessoas da nossa terra, profundos conhecedores de nossos problemas, pessoas já provadas e aprovadas pela opinião pública quando do exercício de funções públicas e em outras atividades privadas. A equipe está pronta. Amanhã reiniciaremos a batalha pela conquista do tempo perdido. Os instrumentos de trabalho e os equipamentos que vamos dispor,  para os primeiros embates, são parcos mas, faremos como as heroínas de Tejucupapo, lutaremos com as armas que tivermos às mãos. Esta é razão pela qual vamos necessitar da compreensão de nossa população.

Teremos que ter, não só a compreensão, mas a ajuda, pois só assim poderemos recuperar, mais rapidamente, Garanhuns.

Um governo se define pelas suas metas e pelos seus objetivos, e dentro  das metas e dos objetivos, destacam-se as prioridades. Hoje, em Garanhuns, tudo é prioridade, porém, a limpeza urbana, não só pelo visual, mas porque já está se tornando um problema de saúde pública, é prioridade absoluta. Não podemos deixar de reconhecer o estado lamentável em que também, se encontra nosso sistema viário - todas as suas principais vias estão em estado deplorável. Cito apenas esses dois aspectos, para que tenhamos uma visão do atual estado das coisas.

Dentro dos objetivos e metas, quero destacar a necessidade de se ter um trabalho voltado para a industrialização de nosso município, pensando não só nas grandes, médias indústrias, mas principalmente, para as pequenas e microempresas - as chamadas fábricas de fundo de quintal - onde a família trabalha, e unida tira o seu sustento, produzindo a grandeza de nossa comunidade.

Em se falando de indústria, não se pode deixar de mencionar a indústria sem chaminé - o turismo - que, quando bem orientado, e com uma infra-estrutura bem montada, produz riquezas, mão-de-obra em abundância; pode modificar a fisionomia de uma cidade e de uma região. Vamos investir. Vamos cuidar. Vamos trabalhar para que o turismo seja uma realidade palpável em nossa cidade. Estou criando uma Secretaria de Turismo, para que nossas ideias se transformem em realidade.

Já dizia o grande Rui Barbosa: "A Mão que embala o berço, governa as nações" Falava da educação doméstica que é responsabilidade da família. Quanto à responsabilidade dos governos, e a educação formal, clássica e pedagógica dada nas escolas, quanto à nossa responsabilidade local, procurarei por todos os  meios criar uma nova estrutura educacional no nosso município, para que a escola atinja os seus objetivos. Queremos que a escola tenha uma participação destacada na preparação dos nossos jovens. Todas as coisas no campo da saúde, do trabalho, o relacionamento entre as pessoas, as oportunidades e os horizontes  das pessoas seriam muito mais amplos se a escola fosse mais presente em suas vidas - maior aprendizado das letras - melhor profissionalização, enfim, tudo depende da escola. Darei e farei tudo, para que o meu governo seja marcado como um  governo que trabalhou, para que as nossas escolas fossem cada dia melhores.

A saúde vive dias de grandes transformações. Processa-se no momento atual, a estadualização e a municipalização das ações de saúde. Aos senhores prometo que, Garanhuns não ficará a reboque do processo, que ora está em curso.

Atuaremos e participaremos, para que em todas as atividades, possamos estar presentes com os nossos técnicos e nosso pessoal, para defendermos os nossos direitos. Quanto às atuais atividades nas áreas de saúde, não só as conservaremos, mas procuraremos dentro da capacidade do município, fazer a sua ampliação progressiva.

Não posso deixar de falar aos meus amigos da Zona Rural, aqui presentes em grande número. Na campanha eleitoral, prometi uma nova política para a Zona Rural, com a implantação de novas estradas, construção de novos açudes e barreiros, mais eletrificação, telefonia, escolas, tratores agrícolas e seus implementos, sementes selecionadas, enfim, uma nova e dinâmica política na Secretaria de Agricultura Municipal, voltada para o campo. Já estamos tomando as providências.

Portanto quero, para finalizar, falar aos funcionários públicos municipais. Muitos já me conhecem, já trabalharam comigo por mais de cinco anos. Prometo que vamos trabalhar para que dentro do menor espaço de tempo possível, seja regularizado o pagamento dos salários.

Desejo aproveitar a oportunidade para dizer que espero contar com todos, a  partir de amanhã, cada um em seu posto, procurando realizar suas tarefas ou as novas tarefas que serão estabelecidas, porque o tempo urge.

Temos uma grande etapa de serviços a realizar. De nossa parte, a regularização de certas e determinadas situações, principalmente os pagamentos, mas esperamos que todos cumpram com o seu dever.

Meu governo será um governo transparente. Será um governo participativo, todos estão sendo convocados a dele participar.

Teremos, nos primeiros meses, que  enfrentar uma verdadeira economia de guerra e tenho certeza que assim sendo, todos nós aprenderemos sempre  a fazer economia e zelar pelos bens públicos.

Desejando a todos que vão compor o meu governo, e para tal já foram convocados e para os que vão ser ainda convocados, aos senhores Vereadores, ao meu vice-prefeito, Dr. Esdras Cabral de Lima e a todo povo de garanhuns, muita paz e muito amor por nossa terra.

Digo finalizando: " Vamos à luta".

Tenho Dito.

Garanhuns, 1º de janeiro de 1989.
Ivo Tinô do Amaral
Prefeito 

domingo, 30 de dezembro de 2018

INSTITUTO FEDERAL SERTÃO / PE REALIZA PROCESSO SELETIVO

O Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano publicou o edital nº 26/2018 referente ao seu processo seletivo simplificado que tem por objetivo o preenchimento de 13 vagas para Professor Substituto a serem distribuídas entre os Câmpus Ouricuri, Petrolina, Salgueiro, Serra Talhada e Floresta.

As vagas são destinadas às seguintes áreas: Administração, Agricultura, Arquitetura, Biologia, Engenharia Civil, Filosofia, Física, História, Língua Portuguesa, Química e Tecnologia em Alimentos.

A remuneração varia de R$ 3.126,31 a R$ 4.272,99, de acordo com a titulação do profissional, para uma jornada de 40 horas semanais.

As inscrições serão realizadas entre os dias 02 e 13 de janeiro de 2019, apenas via internet, através do site do IF Sertão - PE. O valor da taxa de inscrição é de R$ 60,00. Concursos no Brasil

CORRENTES - REVELANDO OS BRASIS "A RAPADURA É NOSSA"


Instituto Marlin Azul
Roteiro, direção e produção
Professora Maria Filomena Camelo de Vasconcelos (Filó)
Correntes – PE

A Rapadura é Nossa - O Projeto Cultural com a história "A Rapadura é Nossa" relata as vivências dos moradores do Engenho Gravatá, que tem a produção da rapadura como único sustento da família e ressalta o trabalho árduo do proprietário no resgate do cultivo da cana de açúcar dando continuidade a cultura e a história dos engenhos no Município das Correntes no Agreste Meridional de Pernambuco.

A rapadura é brasileira, nordestina e do povo, disso ninguém dúvida. Mas para a surpresa dos moradores do Engenho Gravatá, uma empresa alemã se interessou pelo produto e o patenteou. O vídeo mostra a mobilização pelo reconhecimento da rapadura e pela sua valorização como produto de sustento da comunidade.