>>>>>>>>>>>>> MEMÓRIA - RESGATANDO E PRESERVANDO NOSSA HISTÓRIA

quarta-feira, 23 de janeiro de 2019

GARANHUNS - JOÃO LAU DA SILVA

João Lau da Silva
Imagem/ Robson Ferreira
Mister Cooper. É assim que  é chamado por parte da população de Garanhuns, João Lau da Silva, conhecido por João Lau, e que sempre era encontrado correndo nas vias públicas e BRs da redondeza. Outra característica marcante era o seu amontoado cabelo que na época da matéria (07/1998) não era cortado, nem lavado há mais de 11 anos. "Não tomo banho, nem corto o cabelo porque gosto de  viver à toa, não ligo para a vida, mas nem por isso quero morrer. Só me molho quando a chuva me pega desprevenido", revelou risonho.

Ele contou que se desvariou por  causa da  perda de uma herança. Estudou em duas escolas particulares,  sabia ler, escrever e arte (era pintor, carpinteiro e pedreiro). Trabalhou na prefeitura de Garanhuns e teve mulher e filho. "Hoje nem sei e nem tenho nada. Vivo de esmolas. Faz 20 anos que não faço nada, para não ir preso", gargalha Lau, que mora sozinho em um casebre de taipa, sem  ter sequer uma cama, situado na antiga Rua da Matança, bairro do Magano.

AMOR - Segundo uma prima sua, que mora perto da residência, a história da vida de João é triste. Seu pai o "Mestre Lau", era construtor e tinha mais de 200 casas de aluguel. "João era muito bonito e estava noivo. Já perto do casamento foi visitar a noiva, e flagrou-a beijando outro rapaz, na boca. Ele ficou arrasado, desfez o compromisso e não quis mais nada com ela. A moça não aceitou sua decisão, alegando ser  mentira e o ameaçou", lembra sua prima.

Logo após, o pai morreu e ele começou a beber, jogar e sair com mulheres. Ainda casou e teve um filho. Porém, batia na mulher e ela não aguentou e foi embora para o Rio de Janeiro. Isso há 25 anos. Depois de tudo, acabou doente e agredia muito a mãe, sendo preso algumas vezes. Quando sua genitora morreu em 1987, João deixou de  cortar o cabelo e tomar banho. Há 8 anos, arrumei o último casebre que restou, com alguns móveis, mas ele jogou tudo fora e impede qualquer pessoa de entrar na sua casa", relata a prima.

Atualmente João Lau está com 77 anos, anda de cabelos cortados e de camiseta branca pelas ruas de Garanhuns.

Fonte: Jornal Meridional Notícias - Julho de 1998

Nenhum comentário:

Postar um comentário