sábado, 27 de julho de 2019

IVO AMARAL, EDUARDO CAMPOS E O FESTIVAL DE INVERNO DE GARANHUNS

Governador Eduardo Campos em visita ao ex-prefeito Ivo Amaral em 2013

GARANHUNS - Ivo Tinô do Amaral foi vereador, vice-prefeito e prefeito de Garanhuns duas vezes. Também exerceu o mandato de deputado estadual em duas oportunidades. Embora tenha encerrado seu último mandato como gestor há mais de 25 anos, realizou algumas ações que dificilmente serão esquecidas pelos moradores da cidade, do Agreste e de Pernambuco.

Uma de suas obras mais conhecidas é o relógio de flores, na Praça Tavares Correia, ainda hoje o principal cartão postal de Garanhuns. Outra iniciativa que entrou para a história de Garanhuns foi a criação do Festival de Inverno, hoje o maior evento cultural do Brasil.

Por diversas vezes tentaram homenagear o ex-prefeito, por conta da iniciativa de criar o Festival de Inverno. Os requerimentos, propostas, ideias, sempre esbarraram em algum impedimento. As vezes a política atrapalhando a que se fizesse justiça ao homem público.

Coube ao governador Eduardo Campos (PSB), em 2013, passar por cima das questões ideológicas e políticas, e anunciar que em 2014, quando  completaria 80 anos de idade, o ex-prefeito seria o homenageado da 24º edição do FIG.

O governador fez o anúncio publicamente, no mês de julho (2013), durante a inauguração da UPAE da cidade. Justificou que ia se fazer justiça e que o ex-governante merece a honraria. Disse mais: "Esta é uma decisão de governo".  O então  vereador Sivaldo Albino vinha a seis anos propondo a homenagem ao peemedebista.

Ivo Amaral ficou emocionado com o gesto simpático do governador do Estado. E fez questão de dividir a homenagem com todos que colaboraram com o surgimento e a consolidação do Festival de Inverno de Garanhuns. Com Informações do Jornal Correio Sete Colinas.

ALCIONE REINA NA NOITE DO SAMBA DO FIG 2019


Se for possível definir um dia para representar como é democrática a programação musical do Festival de Inverno de Garanhuns, esta sexta-feira (26) seria uma boa opção. Enquanto no Palco Dominguinhos Alcione reinou na já tradicional noite do samba, no Palco Pop o público lotou o espaço para ver o show do rapper MV Bill, mostrando que quem decide aproveitar o FIG dificilmente ficará sem programação por causa de gosto musical. 

A noite dedicada ao samba começou com Belo Xis e suas convidadas, Gracinha do Samba e Luiza Pérola. O show de tributo a Beth Carvalho levantou o público. “Estou muito satisfeito por estar aqui mais um ano. É minha sétima participação no festival de inverno e espero voltar muitas outras vezes”, disse o sambista, que abriu alas para Karynna Spinelli, Carla Rio e Gerlane Lops, antes de Alcione.

O Palco Pop teve uma grande noite com MV Bill, que atraiu público de 5 mil pessoas, aproximadamente para acompanhar o som de protesto do rapper. O assédio dos fãs após o show demonstrou o prestígio do músico. Antes dele, se apresentaram a Banda Uscafuçu, Abacaxepa e Mulamba.

Mas nada agitou tanto o público quanto os jovens do Batekoo, plataforma de entretenimento, cultura e informação com foco na juventude urbana, negra e LGBT+. O passinho era a coreografia principal de quem quis acompanhar o ritmo das DJs e dançarinos. Antes deles, a paraense Tuyo abriu a noite no polo do Euclides Dourado.

sexta-feira, 26 de julho de 2019

PLATAFORMA FIG APOSTA EM NOVAS PARCERIAS COM O MERCADO DA MÚSICA LATINO-AMERICANA


Um espaço de circulação da produção cultural pernambucana em conexão com outros territórios e novos mercados de negócios. É com essa proposta que a 3ª edição da Plataforma FIG se integra à programação do 29º Festival de Inverno de Garanhuns, entre os dias 24 e 27 de julho, para reunir os diversos profissionais do segmento de música do Estado e do Brasil, numa série de mesas redondas, debates e palestras que busca atrair novas parcerias que impulsionem a cadeia produtiva local. As atividades são gratuitas (basta comparecer e participar) e acontecem no Auditório do Garanhuns Palace Hotel, a partir das 14h.

Neste ano, a Plataforma FIG tem como foco a construção de pontes entre o Brasil e seus países vizinhos, fortalecendo o reconhecimento do Brasil como um país latino-americano e a exportação da cena pernambucana para esses países. Para isso, foram convidados representantes de vários festivais brasileiros, como Música Mundo (BH), RecBeat (PE), Queremos (RJ), Coma (BSB), Maloca (CE), Mada (RN), Conexão Latina (SP), Festival MUCHO (SP) e Festival Radioca (BA), e produtores internacionais, como Paula Rivera, presidenta do Instituto Nacional de Música da Argentina, e Hernan Halak (ARG), vice-presidente da MMF Latam e diretor da produtora cultural Mundo Giras e do Festival MUCHO. O evento conta com curadoria e produção de Priscila Melo (SP).

“A Plataforma FIG já se consolidou como um lugar de diálogo, de troca de conhecimento, experiências e informações, fomentando uma análise do mercado atual e novos possíveis formatos. Então, quando investimos na internacionalização das nossas parcerias, queremos sinalizar aos produtores daqui do Brasil e de fora que é possível apostar em nossos artistas e, com isso, abrir novos mercados”, conta Andreza Portela, coordenadora de Música da Secult-PE/Fundarpe.

A programação da Plataforma FIG começou nesta quinta-feira (25) e, além da mesa “Derrubando Fronteiras”, a apresentação do Portal Diretório dos Artistas e um diálogo com o produtor argentino Hernan Halak, contou com a participação do secretário estadual de Cultura, Gilberto Freyre Neto, e do presidente da Fundarpe, Marcelo Canuto. O evento segue até o próximo sábado (27) e é gratuito. Confira abaixo todas as ações do evento:

Sexta-feira (26)

14h – Mesa 2 – Lei de incentivo, Editais e Captação de recursos
Desde que o novo governo anunciou mudanças da nova lei o financiamento da cultura no Brasil está nos centro dos debates. Vamos entender melhor o que mudou, o que permanece, novas possibilidades de captação e quais são os mecanismos de incentivo à cultura disponíveis no país.

Convidadas

Inti Queiroz (SP) – produtora cultural, linguista, filóloga e pesquisadora de políticas culturais.
Helena Brandi (BSB) – Jornalista e coordenadora de projetos culturais.
Mediadora: Tarciana Portella (PE)

16h às 19h – Diálogo com Luciana Adão - Coordenadora de Patrocínios Culturais Incentivados do Oi Futuro.

Como elaborar e executar um projeto cultural, qual o mecanismo e metodologia. Os principais aspectos a serem considerados na montagem de projetos, visão de edital e visão de patrocinadores.

Sábado (27)

14h – Mesa 3 – Plataforma digital, comunicação e jornalismo Multimídia

Jornalismo Multimídia é o jornalismo praticado na internet. Mas, na prática, é muito mais que isso. Com a internet a relação entre público e publicado muda. O leitor passa a ser peça determinante no conteúdo. Como o jornalismo pode se reinventar para se integrar às redes sociais e as métricas da internet sem perder qualidade? Como usar as ferramentas online para produzir conteúdo original multimídia? Vamos analisar a diferença brutal entre curtidas e engajamento.

Convidadas

Gabriela Rassy (SP) – Hypeness e Catraca Livre
Renata Simões (SP) – TV Cultura/ Hysteria/ Modos de Mina
Nina Gazirre (MG) – Select, isto é – estuda tecnologia e análise de informação
Mediador: Rodrigo Coutinho (PE)

16h – Mesa 4 – Curadoria e Direção artística
Qual o critério utilizado para a construção de programação de um festival?
Que questões éticas e artísticas são levadas em consideração?

Convidados

Pedro Seiler (RJ) – Queremos
Marcio Caetano (CE) – Maloca Dragão
Priscila Melo (SP-PE) – Eletrônica Viva Produções (Conexões Maloca, Festival de Direitos Humanos, Plataforma FIG, Festival Elas por Elas)
Representante SESC
Mediador: André Brasileiro (PE)

Festivais convidados: Música Mundo (BH) / RecBeat (PE)/ Queremos (RJ)/ Coma (BSB)/ Maloca (CE)/ Mada (RN)/ Conexão Latina (SP)/ Festival MUCHO (SP)/ Festival Radioca (BA)

Serviço

Plataforma FIG
24 a 27 de julho, a partir das 14h
Garanhuns Palace Hotel (Av. Rui Barbosa, 626, Heliópolis)

FPM - NOVA ESTIMATIVA É DE R$ 109 BILHÕES PARA 2019

O governo federal, por meio do Ministério da Economia, divulgou nesta semana o Relatório de Avaliação Fiscal e Cumprimento de Meta, referente à avaliação do 3° bimestre de 2019. Com os dados, a Confederação Nacional de Municípios (CNM) avaliou o impacto no repasse anual para o Fundo de Participação dos Municípios (FPM). A estimativa para o montante total deste ano é de R$ 109 bilhões.

Se esse valor se confirmar, o fundo fechará 2019 com crescimento nominal, ou seja, sem considerar a inflação, de 7,2% em comparação a 2018, que somou R$ 101,7 bilhões. Neste ano, o FPM representará 24,5% do valor arrecadado de Imposto de Renda (IR) e Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI). Porém, o terceiro relatório estima receita desses dois impostos de R$ 447,2 bilhões – valor 0,4% menor do que o previsto no segundo relatório de avaliação. Na avaliação da CNM, a cada nova estimativa do governo federal, são reduzidas as possibilidades de aumento de arrecadação.

Agência CNM de Notícias

quinta-feira, 25 de julho de 2019

CAPITAL DO INVERNO NORDESTINO


Givaldo Calado de Freitas*

Cidade linda pra não dizer bela. Bela pra não dizer majestosa. Majestosa pra não dizer encantadora. É Garanhuns. Daí “Cidade Encanto”. Daí seus indizíveis cognomes - “Suíça Brasileira”, “Onde o Nordeste Garoa”, “Cidade Jardim”, “Cidade Poesia”...  Ah! Tantos! E chegando mais, através de Lei Federal - “Capital do Inverno Nordestino”, eis que seu projeto, sob o número 4.115/2019, na Câmara dos Deputados, tramita, através da iniciativa do nosso Deputado Federal Fernando Rodolfo. Que nos faz recordar dos versos de Jorge de Lima.

“Zefa, chegou o inverno
chuva e mais chuva, Zefa!
Vai nascer tudo, Zefa!
Vai haver verde
verde de bom
verde nos galhos
verde na terra
verde em ti, Zefa,
que eu quero bem”

Eu gostaria de conferir a cara daquela madame paulistana de quem falei nas minhas linhas, sob o título “AINDA FRIO E CHUVA EM GARANHUNS”, de 25.10.2017, e com quem conversei no Shopping Cidade de São Paulo.





Vejo-a, ainda hoje, indignada a dizer: “Que absurdo! Inverno no Nordeste? Logo onde? Na terra daquele ‘pau de arara’. Daquele ‘analfabeto’. Não! É preciso acabar com essa história de Congresso. Afinal, pra que? Inclusive, é urgente que nossa pátria se livre daqueles ‘miseráveis que passam fome’.” No que pese o nosso "mestre"; ter afirmado, dias atrás, que no Nordeste ninguém passa fome.

Ah! Como somos diferentes, nós, nordestinos, do que pensam os paulistanos pela boca da madame com quem conversei naquela tarde em São Paulo. Conversei? Na verdade, ouvi monólogo. Arrogante. Raivoso. Recheado de preconceito e ódio. Enfim, de palavras de cunho separatista.

Ah! Certamente ela, a paulistana, não me ouviu dizer em minhas linhas que, em Garanhuns, em todas as estações - primavera, verão, outono e inverno, temos, sim, clima ameno.


Sou, positivamente, um garoto propaganda da minha cidade. Não lhe cobro nada por esse mister. Pelo contrário. Eu agradeço a sua gente por me permitir defendê-la por onde passo.

* Givaldo Calado de Freitas é Acadêmico, Empresário e Figura Pública.

"BIRITA PROCURA-SE" NO FESTIVAL DE INVERNO DE GARANHUNS


Ariadne,  palhaça, é uma pessoa com deficiência e faz parte da Cia A Casa das Lagartixas,  do Teatro Clube de São José dos Campos, interior de São Paulo.

Artista vai se apresentar no Festival de Inverno nesta sexta-feira (26) às 18h,  no Teatro Luiz Souto Dourado.

Ariadne está  no espetáculo "Birita Procura-se", com direção de Esio Magalhães.

“Através da minha personagem,  Birita,  trago para a cena questões que permeiam minha vida enquanto pessoa com deficiência”, adiantou Ariadne.

AS TEMPORALIDADES DO ESCRITOR

Escritor Renato Siqueira e Antônio Campos, presidente da Fundação Joaquim Nabuco - FUNDAJ

Por Antônio Campos*

No dia 25 de julho, celebramos o Dia do Escritor e concordando com José Saramago, “minha opinião, ser escritor não é apenas escrever livros, é muito mais uma atitude perante a vida, uma exigência e uma intervenção.” Ao escritor é dada a palavra de intervir no mundo, transformar sonhos em realidade e denunciar as tristezas e alegrias da vida.  

Foi no ano de 1960 que o então presidente da União Brasileira de Escritores, João Peregrino Júnior, e seu vice-presidente, Jorge Amado que se plantou o ideal de festejar o Dia do Escritor, surgindo após a realização do I Festival do Escritor Brasileiro, da UBE. O grande sucesso do evento foi primordial para que, por intermédio de um decreto governamental, a data fosse instituída com a finalidade de celebrar a importância do profissional das letras, profissão que, infelizmente, nem sempre tem sua relevância reconhecida.

Com o amadurecer dos anos, a UBE vem ampliando seu entender que assim como os sonhos, a arte de escrever não tem limites. O profissional das letras não é exclusivamente o poeta e seus devaneios, o romancista e seus cenários, mais todo aquele que numa folha de papel ou digital constrói conhecimento e planta o imaginário.

O escritor de hoje já não é mas um monge copista, em seu secular mosteiro, que sob o canto gregoriano guarda segredos e replica silenciosamente conhecimentos e tradição em suas bibliotecas, hoje o escritor é um divulgador da palavra, e em nossos quinhentos anos de história podemos afirmar que a nossa literatura é de grande relevância e oferece uma diversidade de autores e gêneros.

Para marcar não apenas um dia, mas para reverenciar todos os escritores, o presidente da UBE em Pernambuco, Renato Siqueira, renova a missão da Casa do Escritor e promove dia 25 de julho palestra do critico literário e ensaísta Antônio Carlos Secchin – da Academia Brasileira de Letras, que em seu discurso de posse, na ABL, em 2004 afirmou: “Não interpreto os limites como região de plácido descompromisso entre o lá e o cá, mas como um tenso território em cujas bordas vivenciamos o risco e o fascínio do duplo. Dissolvida a confortável ilusão da unidade, aprendemos a confrontar-nos com o território do que desconhecemos. Percorrer o intervalo não é abrigar-se entre dois espaços, é expor-se a ambos. É aceitar o assédio e o aceno de tudo aquilo que, em nós ou fora de nós, se recusa à apropriação apaziguadora da identidade”.

O maior compromisso do escritor é com a verdade e com a liberdade, como nos ensinou Albert Camus.

*Antônio Campos é presidente da Fundação Joaquim Nabuco e membro da Academia Pernambucana de Letras

FIG 2019 - NOITE DE MÚSICA PERNAMBUCANA NO PALCO DOMINGUINHOS COM OTTO E LENINE


Por mais que o Festival de Inverno de Garanhuns se esforce para trazer atrações nacionais de peso para se apresentar ao público local e turistas, é quando a música pernambucana sobe ao palco que a mágica acontece. Foi assim na segunda-feira, na noite do brega, e se repetiu nesta quarta-feira (24), com uma programação composta 100% de atrações pernambucanas. Otto e Lenine, já consagrados, fecharam a noite que começou com Hercinho e Amaro Freitas, fazendo a festa do público, que cantou junto do começo ao fim das apresentações. Clássicos e sucessos mais recentes, além de versões de hits de outros artistas compuseram os repertórios e conduziram a plateia para mais um dia inesquecível do FIG 2019.

Veterano de Festival de Inverno e trazendo seu show de 20 anos do álbum Samba Pra Burro, Otto elogiou no palco a organização do evento e falou sobre o evento nos bastidores também. “O FIG é minha cara e imprescindível pra mim. Sou agrestino, de Belo Jardim, então tenho uma vivência muito grande de Garanhuns e região, conheço de muito tempo esta cidade. Trago sempre a vontade de mostrar meu trabalho e desta vez vou poder tocar Samba Pra Burro aqui, no interior. Sou uma peça nesse motor do FIG e a gente vem pra fazer este festival acontecer”, declarou o cantor.

No Palco Pop, a noite também foi majoritariamente pernambucana, com Tatupeba, Diomedes Chinaski e The Baggios. A exceção foi Rapadura, que veio do Ceará para completar a lista de atrações da segunda noite do polo mais descolado do FIG.

quarta-feira, 24 de julho de 2019

FIG 2019 - AUTORES DA CEPE NA PRAÇA DA PALAVRA


A programação da Cepe Editora na Praça da Palavra promete agitar a semana no 29º Festival de Inverno de Garanhuns. Nesse espaço dedicado à literatura, jornalistas e autores da Cepe circulam promovendo discussões e estimulando a leitura. Jornalismo Cultural Pernambucano é tema de encontro que reunirá jornalistas, críticos, escritores e leitores deste gênero na quinta-feira, dia 25, às 16h, com participação da editora da revista Continente Online, Olívia Mindêlo, da repórter especial da revista Continente Luciana Veras, e do jornalista e escritor Thiago Corrêa, do site Vacatussa.

No mesmo dia, às 18h, será o lançamento do livro Povo Xambá resiste – 80 anos da repressão aos terreiros em Pernambuco, da jornalista e pesquisadora Marileide Alves. O título resgata a memória da criminalização e repressão policial às religiões de matriz africana, especialmente durante o Estado Novo (1937 – 1945), um dos períodos mais autoritários vividos no Brasil.

A programação da sexta-feira começa de manhã, às 10h, com o grupo Tapete Voador fazendo contação de história para a criançada sobre o livro Pedrinho e a chuteira da sorte, de Marcelo Cavalcante, lançamento da Cepe Editora.

A tarde esquenta com sarau do performático poeta Miró da Muribeca, considerada uma das vozes mais inventivas da poesia independente do Brasil. O encontro será às 15h. E à noite, às 18h, a programação da Cepe na Praça da Palavra é encerrada com o lançamento de Recife, do fotógrafo Fred Jordão, um trabalho documental com o registro fotográfico de 30 anos de transformação da cidade.

GIVALDO E RODOLFO NA LUTA PELA DUPLICAÇÃO DA BR-423

O empresário, acadêmico e figura pública Givaldo Calado de Freitas, junto com o deputado federal Fernando Rodolfo e os vereadores Daniel da Silva, Luzia Cordeiro, Audálio Machado e Zaqueu Naum estiveram na sede Departamento Nacional de Transportes e Infraestrutura (DNIT), a fim de tratar, junto à presidência daquele órgão, da duplicação da BR 423.

Para a reportagem Givaldo disse “que essa luta não pode ter trégua. Que deve ser tratada por todos como uma verdadeira obsessão por ser vital à economia de Garanhuns”.

E acrescentou: “Aliás, ainda no meu discurso na Câmara dos Deputados pedi a todos os deputados para juntarem esforços junto à Fernando Rodolfo no sentido de cobrarem do executivo federal a consecução da tão sonhada obra”.

Em audiência, com o Diretor Geral do DNIT o General Antônio Leite dos Santos Filho, foi dito aos presentes que a empresa que vencer a licitação para fazer o projeto executará também a obra, o que tornará o processo mais rápido. De acordo com o DNIT, a última estimativa dos custos da duplicação dos 80 quilômetros do trecho entre São Caetano e Garanhuns é da ordem de R$ 600 milhões, com previsão de conclusão em dois anos e meio.

O diretor do DNIT informou, no mês passado, ao Deputado Fernando Rodolfo de que estão garantidos, este ano, R$ 10 milhões para elaboração do projeto de duplicação.

Ezandra Ribeiro
Jornalista
Assessora de Comunicação

VIRTUOSI NA SERRA - MÚSICA ERUDITA SEGUE COM PROGRAMAÇÃO NO FIG 2019


O público já pode conferir os concertos gratuitos do projeto Virtuosi na Serra, na Igreja de Santo Antônio. A programação está aberta e será conferida até o dia 26 de julho, com duas apresentações diárias, às 16h e às 21h. A abertura oficial aconteceu na tarde da terça-feira (23) com show do violonista eslovaco Adam Marec, que tocou como solista. Já na segunda apresentação a Orquestra Jovem de Pernambuco deu o tom a noite chuvosa, em Garanhuns, sob a regência do Maestro Rafael García.

Nesta quarta (24), às 16h, será a vez do programa “A Nova Geração” apresentado por jovens instrumentistas nordestinos com participação de Raul Victor Martins, Daniel Espinoza e Fernando Trugueiro. Às 21h, o pianista russo Ilya Ramlav apresenta obras de Mozart, Liszt & Rachmaninov.

Quinta-feira, dia 25, às 16h, o violinista Gilson Filho, pernambucano, sobe ao palco da catedral ao lado do pianista Luis Felipe Oliveira para tocar obras de Schumann, Beethoven, Bazzini e Waxman. Em seguida, à noite, o pianista Luis Felipe Oliveira mostra obras de Beethoven, Brahms e Chopin. 

Na sexta (26), o encerramento será às 16h com o grupo IAMAKÁ que trará músicas medievais e renascentistas para a platéia cativa deste palco. O Virtuosi na Serra integra o Festival de Inverno há 15 anos com programação exclusivamente erudita.

Secom/PMG

TRÊS PALCOS ESTREIAM NO FESTIVAL DE INVERNO DE GARANHUNS

Cantora Roberta Miranda no Palco Dominguinhos

A multiculturalidade é a marca registrada do Festival de Inverno de Garanhuns, mas não dá para negar a importância da programação musical nesses dez dias de festa. Reforçando essa ideia, nesta terça 23 de julho, o FIG ganhou mais três espaços para shows, aumentando a variedade de estilos disponíveis para o público. O Palco Pop estreou com Jards Macalé fechando a noite. O Palco Instrumental, no Parque Ruber Van Der Linder, teve o primeiro da liderado por Maestro Duda e o Palco Forró garantiu animação até a madrugada. No Palco Dominguinhos, a emoção tomou conta da apresentação de Anastácia, companheira do forrozeiro que dá nome ao polo, que fez show no aniversário de seis anos de sua morte.

Uma das maiores compositoras do País, Anastácia falou sobre a parceria que teve com Dominguinhos e contou que se sentiu emocionada por estar no Palco Dominguinhos em uma data tão especial. “É uma pessoa que, apesar de ter saído de nosso plano há seis anos, continua vivo na memória de todos que admiravam ele, conheceram o trabalho dele e que com vão guardar a música dele para sempre”, disse.

O Palco Dominguinhos contou ainda com show de Nando Azevedo e Maciel Melo. Roberta Miranda encerrou a noite com um show cheio de sucessos.

Jards Macalé encerrou a noite do Palco Pop, dentro de uma programação que incluiu a Banda Primeiro Andar, Cássio Oli e Cacá Machado. Ele lembrou que possui fortes ligações com Pernambuco e o Nordeste. “Meu pai pernambucano, minha mãe paraense. Não apenas isso, eu ouvia Luiz Gonzaga, Jackson do Pandeiro na Rádio Nacional e acabei virando amigo dele. Então é uma honra estar aqui no festival este ano”, revelou, citando o homenageado do FIG 2019.

No Parque Ruber Van Der Linder, o clima era mais intimista com a estreia do Palco Instrumental. O público compareceu e deu voz a sucessos como New York, New York.

FIGUINHO

Outra estreia ontem foi o Espaço Mamulengo, no Parque Euclides Dourado. Compondo o Figuinho, iniciativa para atender ao público infantil do FIG, teve atividades no final da tarde. No mesmo parque e também voltado para crianças, o Polo do Circo trouxe o espetáculo O Sonho do Palhaço Preguinho, da pernambucana Montagem Circo.

LITERATURA

Na Praça da Palavra, os vencedores do Prêmio Hermilo Borba Filho de várias edições, João Paulo Parisio, Amâncio Siqueira, Helder Herik, Phillip Wollney e Enoo Miranda, participaram de rodas de conversa sobre literatura independente e recitais. 

terça-feira, 23 de julho de 2019

AMUPE AGRADECE AO RECONHECIMENTO DA FUNDAJ E CORREIOS, EM ASSINATURA DE SELO COMEMORATIVO


Na manhã do último domingo (21), a Fundação Joaquim Nabuco e o Museu do Homem do Nordeste, celebraram juntos, 70 e 40 anos, respectivamente, das instituições. Em meio as comemorações, houve o lançamento de selos comemorativos de Joaquim Nabuco e Gilberto Freyre, com o intuito de eternizar pessoas e instituições que contribuíram de maneira significativa para a história do país, em especial para o Nordeste.

Para que esses selos sejam publicados e popularizados, os Correios escolhem algumas instituições que contribuem no desenvolvimento local para assinar a marca postal. A Amupe foi uma das dez escolhidas. Na pessoa de seu presidente José Patriota, a associação se sente honrada em ser lembrada como uma instituição que contribui ativamente no processo de melhoria de vida do cidadão pernambucano.

MATHEUS NACHTERGAELE ESGOTA SESSÕES NO TEATRO LUIZ SOUTO DOURADO


Nem mesmo a sessão extra para o espetáculo Processo de Conscerto do Desejo, com Matheus Nachtergaele, foi suficiente para atender a todas as pessoas interessadas. Os ingressos esgotaram para os dois horários, mostrando o potencial de público para teatro que há em Garanhuns. No Palco Dominguinhos, a noite do brega fez sucesso mesmo com a chuva que insistiu em cair durante todo o dia. E no Som Na Rural, a potência do trio feminino de rap Arrete abriu alas para a programação que terminou com a Matalanamão, um clássico do pornô-punk, como o próprio grupo se define.

Voltando ao teatro após alguns anos, Matheus Nachtergaele contou que foi com muita satisfação que pode trazer para o FIG seu monólogo em homenagem a sua mãe. “É uma alegria vir apresentar a peça aqui, porque eu tenho uma vivência muito intensa em Pernambuco, como artista e como pessoa. Como trabalhei muito aqui, fiz muitos amigos. Além de trabalhar, venho passar férias também em Pernambuco. Eu fui jogado pra dentro do coração de Pernambuco e Pernambuco foi jogado para dentro do meu coração primeiro pela chamada de Guel Arraes para ser João Grilo de Ariano Suassuna, depois pela intensa parceria com Claudio Assis. E este festival é um festival que a gente ama”, declarou João Grilo.

Na música, foi dia de extremos nos palcos do FIG, reforçando o caráter múltiplo e democrático do festival. No Palco Dominguinhos, o brega fez a festa do público que resistiu à chuva e ao frio para prestigiar um line-up todo pernambucano. Cafuringa e Banda abriu a programação para Kitara, Amigas do Brega e Priscila Senna, a Musa. Hits não faltaram, nem fãs cantando junto. No Som na Rural, entre Arrete e Matalanamão houve Laranjão Em Ritmo e Poesia e a DJ Claudia Summer nos intervalos. E na Catedral de Santo Antônio, Sheyla Costa fechou a noite com Na Pele de Elis, acompanhada da Orquestra Matéria-Prima.

MAPA CULTURAL

Na Praça da Palavra, Valentine Herold, coordenadora do Mapa de Cultura de Pernambuco apresentou ao público a plataforma digital colaborativa que reúne informações sobre agentes, espaços, eventos e projetos culturais e está disponível para contribuição de agentes culturais públicos e da iniciativa privada desde outubro de 2017. A iniciativa também é alvo de ação itinerante de divulgação nos polos do FIG  

Secretaria de Cultura de Pernambuco
Fundarpe  

segunda-feira, 22 de julho de 2019

OPERAÇÃO ERRADICA 230 MIL PÉS DE MACONHA NO SERTÃO


Cerca de 230 mil pés de maconha foram erradicados após operação realizada de 11 a 20 de julho em Cabrobó e municípios vizinhos, no Sertão de Pernambuco. Nomeada de “Lábaro- Erradicação”, a ação destruiu plantações que poderiam produzir até 19 toneladas da droga.

Além dos pés de maconha, foram destruídos equipamentos utilizados no cultivo das mudas de maconha. Nenhum responsável  foi encontrado nos locais de plantio. As ocorrências serão investigadas pela Polícia Civil de Pernambuco.

As ações foram realizadas pelo Núcleo de Operações Especiais e Grupo de Patrulhamento Tático da Polícia Rodoviária Federal (PRF) em conjunto com o Comando de Operações e Recursos Especiais da Polícia Civil de Pernambuco (Core-PCPE). Com Informações do Portal FolhaPE.

GIVALDO RECEBE ARTISTA NO PALACE


O empresário e figura pública Givaldo Calado de Freitas recebeu no Garanhuns Palace Hotel o ator Matheus Nachtergaele, nesse domingo (21). De acordo com o empresário, o artista é uma grande referência para o Brasil e, quiçá, para o mundo.

“Ele é um grande artista. Com toda certeza, Matheus engrandece a
dramaturgia brasileira. Tudo o que ele faz é com maestria. Um verdadeiro orgulho para o Brasil”, argumentou Givaldo.

Nachtergaele ingressou na carreira artística aos 20 anos no teatro. Ganhou notoriedade em 1992 com a companhia Teatro da Vertigem, sob a direção de Antônio Araújo.

Devido a seu sucesso, seguiu para a Rede Globo, onde estreou na minissérie “Hilda Furacão”, como “Cintura Fina”. O sucesso na minissérie o levou à atuação como protagonista na também minissérie que se tornou filme “O Auto da Compadecida”, baseado na obra de Ariano Suassuna, no papel de João Grilo. Atuação essa que lhe rendeu o Grande Prêmio do Cinema Nacional como Melhor Ator.

“Veja você a grandeza do nosso FIG: 500 atrações com mais de 3.000 figurantes. Por isso considerado o ‘Maior Festival Multicultural da América Latina.’ Por isso reconhecido como o ‘Maior Produto Multicultural de Pernambuco’, gerador de empregos e renda para todos”, finaliza Givaldo.

Ezandra Ribeiro
Jornalista
Assessoria de Imprensa
Foto: Josy Lima

FIG 2019 AMPLIA ACESSIBILIDADE COMUNICACIONAL NOS SEUS PALCOS E POLOS

No teatro e no cinema, há várias sessões com audiodescrição

O Festival de Inverno de Garanhuns (FIG) ampliou, neste ano, as ações de acessibilidade comunicacional para polos e palcos selecionados. A ideia é garantir a participação de pessoas com deficiência. Para isso, haverá intérpretes da Linguagem Brasileira de Sinais (libras) nos palcos Dominguinhos e de Cultura Popular e os polos de teatro, cinema e circo. Já no teatro e no circo, espetáculos com audiodescrição estarão disponíveis para o público.

O investimento para adaptar o conteúdo das atrações para pessoas com deficiência foi de R$ 65 mil. A estrutura inclui duas cabines de audiodescrição e dezenas de fones de ouvido. No total, 26 profissionais estão envolvidos na tarefa de democratizar ainda mais o FIG 2019.

“Secult/Fundarpe vem no esforço de tornar as atrações cada vez mais acessíveis, para tentar contemplar todos os públicos. Para isso, vem investindo a cada ano em acessibilidade comunicacional e ampliando essa oferta nos palcos e polos”, afirmou Diego Santos, gerente de Políticas Culturais da Secult-PE/Fundarpe.

No ano passado, algumas atrações já contaram com intérpretes de libras, mas a quantidade cresceu em 2019. A novidade deste ano é a audiodescrição. No Teatro Luiz Souto Dourado e no polo de circo, os espectadores terão à disposição uma cabine em cada um dos espaços.

GIVALDO PARTICIPA DE EVENTO DA CLÍNICA CONCEITO


Na noite da última quinta-feira (18), o empresário e figura pública Givaldo Calado de Freitas participou do “Festival de Sorrisos”, promovido pela Clínica Conceito e Excelência em Odontologia, localizada na Galeria Rui Barbosa Mall.


Segundo Givaldo, é com grande prazer que participa de iniciativas dessa natureza, pela beleza e sucesso que encerram. “É Garanhuns na vanguarda. Parabéns para todas que fazem a Clínica - as dentistas Ana Bertília, Blancard Torres Filho, Renata Dália Torres e Vaneska Galindo”, comentou Givaldo.


Dentre os serviços oferecidos, estão a cirurgia buco-maxilo-facial, endodontia, estética e reabilitação oral, harmonização orofacial, entre outros.

Ezandra Ribeiro
Jornalista 
Fotos - Risalva Rodrigues

MARCO MACIEL COMPLETOU 79 ANOS DE IDADE


Neste domingo o Brasil relembrou a trajetória de um extraordinário homem público, cada vez mais raro nos dias de hoje pela passagem do seu aniversário, quando completou 79 anos de idade. Acometido por uma doença degenerativa do cérebro, o Alzheimer, Marco Maciel saiu da cena política tão logo encerrou seu terceiro mandato como senador de Pernambuco, mas é fundamental reconhecer a sua história e o seu legado para Pernambuco e para o Brasil.

Eleito deputado estadual em 1966, Marco Maciel chegou à Câmara dos Deputados em 1970, sendo reeleito em 1974 e neste segundo mandato ascendeu à presidência daquela Casa. Em 1978 foi indicado pelo presidente Geisel como governador de Pernambuco, sucedendo Moura Cavalcanti. Já em 1982, ao fim do seu mandato como governador, elegeu-se senador derrotando Cid Sampaio.

No primeiro mandato como senador, Maciel ocupou os cargos de ministro da Educação, entre 1985 e 1986 e da Casa Civil entre 1986 e 1987. Nas eleições de 1990 tentou o segundo mandato de senador, e foi reeleito derrotando por uma pequena margem José Queiroz. Mas foi em 1994, no meio do seu segundo mandato, que alcançou o seu principal cargo na vida pública, sendo eleito vice-presidente da República na chapa encabeçada por Fernando Henrique Cardoso, quatro anos depois seria reeleito, ficando oito anos no cargo e tornando-se uma referência de homem público para todo o Brasil.

Foi em 2002 que Marco Maciel conquistou um recorde em Pernambuco, sendo o primeiro homem público eleito para três mandatos como senador da República. Naquela ocasião foi o mais votado com 1,8 milhão de votos, conquistando 44 anos de mandatos ininterruptos, sendo deputado estadual, federal, governador, senador e vice-presidente da República. Prestes a completar oito décadas de existência, com quase 60 anos de vida pública, Maciel é a principal referência de buscar o diálogo e o entendimento, fazendo da política um instrumento de transformação e representação da vontade popular, pois nunca surgiu nada que desabonasse sua conduta de honestidade e respeito com o Brasil. Com Informações do Blog do Edmar Lyra.

CHARGE DE IVO TINÔ DO AMARAL


GARANHUNS - Essa charge de 1992, demonstra toda luta do então prefeito de Garanhuns, Ivo Tinô do Amaral, pelo engradecimento do Festival de Inverno. Mostra sua paixão por Garanhuns, cidade que ele adotou como sua terra natal aos 12 anos de idade, e nela construiu sua trajetória como servidor público. 

Ivo Amaral, atento às questões do seu tempo, vislumbrava uma grande potencialidade na utilização do espaço público como fomentador da cultura.

GARANHUNS SEDIA SEGUNDA ETAPA DO CIRCUITO PERNAMBUCANO DE QUEIJOS ARTESANAIS

No próximo sábado (27), o município de Garanhuns sedia a segunda etapa do Circuito Pernambucano de Queijos Artesanais. O evento acontece a partir das 09h, no Parque Euclides Dourado, e é uma realização da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), em parceria com a Prefeitura de Garanhuns, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Rural e Meio Ambiente (SDRMA); a Agência de Defesa e Fiscalização Agropecuária de Pernambuco (Adagro), a Associação de Certificação do Queijo Coalho de Pernambuco (CQP), o Instituto de Tecnologia de Pernambuco (Itep), e Sindicato dos Produtores de Leite de Pernambuco (Sinproleite-PE).

Os interessados devem entregar suas fichas de inscrição e os queijos para serem expostos na quinta (25), ou sexta-feira (26), no Centro Tecnológico (Instituto de Laticínios do Agreste), na avenida Bom Pastor, S/N°, no bairro Boa Vista, das 08h às 11h, e das 14h às 16h.

Serviço: 2ª Etapa do Circuito Pernambucano de Queijos Artesanais
Local: Parque Euclides Dourado – Estande do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresa (Sebrae)
Data: 27 de julho de 2019 (sábado)
Horário: 09h

Secom/PMG

FESTIVAL DE INVERNO DE GARANHUNS TEVE NOITE DE MULHERES BRILHANDO NA MÚSICA


As mulheres protagonizaram a programação musical da terceira noite do Festival de Inverno de Garanhuns, ontem. No palco Dominguinhos, a noite aberta pela banda Neander atraiu um público que viu Karina Buhr, Letrux e Céu brilharem em apresentações cheias de personalidade. Na mesma noite, a Catedral de Santo Antônio ficou lotada para ver a apresentação de Leila Pinheiro, enquanto no Som na Rural a DJ Claudinha Summer agitava os intervalos das apresentações entre Raphael Costa, Triinca e Bruno Lins.

 “Essa praça, o nome do palco, que agora se chama Dominguinhos, é tudo mundo especial quando venho tocar aqui. Esse é um espaço que junta todo mundo. Às vezes as pessoas vem aqui para comer ou beber, apenas, às vezes nem conhece o som, mas acaba vendo o show. E aí tem gente de fora, tem artista local, é muito legal. E também tem todo tipo de música, desde as que protestam até as que falam do peixinho no fundo do mar”, disse Karina Buhr.

A Casa Galeria Galpão inaugurou e agora é o endereço das artes visuais, fotografia, design e e moda no FIG 2019. O espaço terá exposições, performances, rodas de conversa e intervenções artísticas. Neste ano, a programação no espaço segue até o dia 27, com 15 projetos que ficarão em cartaz para apreciação dos visitantes.

O domingo também foi dia de lançamento do Prêmio Palhaço Cascudo de Incentivo às Artes Circenses – 2019, criado para objetivo de reconhecer, valorizar e incentivar as práticas artísticas de criação e fruição, de transmissão de saberes e fazeres, de sustentabilidade e demais conhecimentos, bem como iniciativas de preservação da memória dos artistas e das expressões circenses em todas as suas formas e modos próprios, na linguagem do circo.

As inscrições estarão abertas de 1º de agosto a 31 de outubro para circenses pernambucano natos ou residentes (desde que comprovem circulação de atividade profissional no Estado, há, pelo menos, três anos), bem como circenses naturais de outras unidades da federação, desde que comprovem atividade permanente em Pernambuco, também pelo mesmo período de tempo. Serão distribuídos até trinta e quatro prêmios, com valor total de R$ 150 mil reais.

domingo, 21 de julho de 2019

PRESIDENTE DA UBE PARTICIPA DA SOLENIDADE DOS 70 ANOS DA FUNDAJ

Renato Siqueira e Antônio Campos, presidente da Fundação Joaquim Nabuco - Fundaj

O escritor Renato Siqueira, presidente da UBE - União Brasileira de Escritores, participou neste domingo (21), da cerimônia de 70 anos da Fundação Joaquim Nabuco - FUNDAJ e pelos 40 anos do Museu do Homem do Nordeste.

A programação começou às 10h com a entrega de selos comemorativos no Engenho Massangana, no Cabo de Santo Agostinho, onde o abolicionista Joaquim Nabuco viveu até os 8 anos. Ao todo, foram dez homenageados no lançamento dos selos Joaquim Nabuco e Gilberto Freyre, entre os agraciados o presidente de UBE.

Em 90 dias de gestão já apresentamos avanços significativos, fruto do trabalho que vem sendo desenvolvido, sempre buscando a importância do escritor e a constante preocupação em buscar espaços nos meios literários, salientou Renato Siqueira.

NOVA TABELA DE FRETE NÃO AGRADA CAMINHONEIROS

As novas regras para o cálculo do frete mínimo de transporte de cargas que entraram em vigor neste sábado (20) não agradam os caminhoneiros. As alterações, publicadas publicadas pela Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) na quinta-feira (18), determinam que o cálculo do frete mínimo passará a considerar 11 categorias na metodologia para os diferentes cálculos dos pisos mínimos e amplia os itens levados em consideração para o cálculo.

A nova maneira de calcular o valor do piso a ser pago para os transportadores de carga foi baseado em estudo feito pela Esalq Log, grupo de pesquisa e extensão em Logística Agroindustrial da Escola Superior de Agricultura da USP, mas os caminhoneiros reclamam dos parâmetros adotados.

“Nós apontamos nas audiências públicas que a velocidade média que eles estavam colocando no cálculo estava muito alta, eles colocaram 75km por hora, quando que um caminhão carregado anda a 75km por hora? A média numa estrada boa é de 50 Km por hora, e a carga horária de 155 ou 160 horas é normal, e não 220 como foi colocado”, explica Wallace Landim, que preside a Cooperativa dos Transportadores Autônomos do Brasil.

Os caminhoneiros reclamam que a nova tabela reduziu o piso a um valor abaixo do custo de trabalho e sem margem para a remuneração do trabalhador.

Segundo a norma, o cálculo do piso mínimo de frete levará em consideração o tipo de carga; também serão aplicados dois coeficientes de custo: um envolvendo o custo de deslocamento (CCD) e, outro, de carga e descarga (CC) que levará em consideração o número de eixos carregados. A resolução determina ainda que será levada em consideração a distância percorrida pelo caminhoneiro

“O estudo tem de ser revisto, o ministro [de infraestrutura, Tarcísio de Freitas] tem que rever com sua equipe técnica junto com a ANTT, tem chamar a Esalq e pedir uma explicação, porque do jeito que está não tem condições, não adianta a gente querer falar de paralisação, porque o projeto sistema, o estudo, está fazendo a categoria parar, porque ninguém vai ter condições de trabalhar”, comenta Wallace Landim.

Em nota, a Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos, outra entidade que representa os caminhoneiros, também afirmou que “já recebeu reclamações das bases afirmando que os valores estão muito aquém da realidade do mercado”.  Segundo Landim, o ministro Tarcísio de Freitas também se disse surpreso com a norma adotada pela ANTT durante conversa na sexta-feira. Com Informações do Portal Congresso em Foco.