sexta-feira, 2 de agosto de 2019

QUEIJARIAS ARTESANIAS DE PERNAMBUCO COMEMORAM A REGULAMENTAÇÃO DO SELO ARTE

Maria Sandra de Melo
Imagem/Hilton Marques

A produção de alimentos de origem animal de forma artesanal ganha um novo impulso com o Selo Arte, instrumento que cria condições para que estes produtos possam circular e ser comercializados livremente por todo o país. O decreto de regulamentação do Selo Arte foi assinado no dia 18 de julho pelo presidente Jair Bolsonaro. Desde o início do processo que tramitava no Congresso Nacional, o Sebrae foi fundamental na consolidação desse avanço.

Em Pernambuco, atualmente são 35 queijarias artesanais certificadas pela Adagro que participaram do projeto “Adequação das Pequenas Queijarias do Agreste Meridional” da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Agrário, em parceria com o Sebrae, ITEP e UFRPE/UAG e outras 50 estão participando deste processo. Uma das formalizadas em 2018 foi a Queijaria Mulungú, de Adriano dos Santos e Maria Sandra da Silva Melo.

A propriedade do casal fica no Sítio Boi Morto, zona rural de Jupi. Nela, existem nove vacas que produzem 120 Kg de leite por dia, o que garante a produção de 100 Kg de queijo tipo coalho por semana. Toda a produção é vendida na cidade de Jupi, no povoado de Olho D´água e em feiras de agricultura familiar da região. Para ter um gado produtivo, Adriano apostou no programa de melhoramento genético do Sebrae, através do SebraeTec.

Os resultados logo foram reconhecidos. O produto do casal ganhou na categoria Queijo Coalho Artesanal do Concurso de Queijos de Pernambuco, realizado no Show de Lácteos da Agrinordeste 2018. Adriano acredita que o Selo Arte vai ajudá-lo a atender consumidores de todo Brasil: “o produtor local vai poder circular livremente pelo país, pois o queijo nordestino é reconhecido pelo seu sabor e vai chegar a todos os lugares e eu pretendo chegar lá também”.

Para o presidente do Sindicato dos Produtores de Leite de Pernambuco (Sinproleite-PE), Saulo Malta, o Selo Arte será um grande impulsionador dos negócios das queijarias artesanais: “o selo vai permitir que os produtores possam agregar valor aos seus queijos, vai garantir a geração de renda para as famílias e fazer com que a qualidade do que produto feito aqui possa ser reconhecido em todo o território nacional”.

Já a diretora técnica do Sebrae-PE, Roberta Correia, alerta para a concorrência que deve ser maior com a chegada de queijos de outros estados: “o Selo Arte vai abrir novos mercados e o nosso queijeiro artesanal terá de aprender a conviver com essa realidade. Para isso, vai precisar se qualificar ainda mais e o Sebrae estará sempre pronto para atender as necessidades dos produtores com consultorias e sendo a ponte entre eles e outras fontes de conhecimento”.

MORTE DE LUIZ GONZAGA COMPLETA 30 ANOS

Luiz Gonzaga "O Rei do Baião"
Imagem/Rádio Batuta

Se o "caba" é negro, pobre e nordestino, condená-lo ao anonimato é mais regra do que exceção. A não ser que esse mesmo "caba, negro, pobre, nordestino e arteiro" saia mundo afora vestido de cangaceiro, carregando uma sanfona para poetizar o Nordeste e exaltar o Sertão. Um contrassenso para quem sonhava em “(...) dormir ao som do chocalho e acordar com a passarada”, porque, apesar de viajante, Luiz Gonzaga se envaidecia em viver sua terra e encantar sua gente.“Ele foi um político na música”, brada a cantora e compositora Cristina Amaral. “Falar de Luiz Gonzaga é falar de uma nação, de um povo, da sua cultura”, reforça o poeta e cantador pernambucano Maciel Melo. 

Há exatamente três décadas, o maior símbolo da música pernambucana e nordestina fez sua passagem. Na contramão do luto, esta sexta-feira de celebração. Porque à perda do Rei do Baião - e do xote, e do xaxado, e do arrasta-pé e dos tempos do 'dois pra lá, dois pra cá' - ficaram referências do filho de "Seu Januário" e de "Mãe Santana", nascido numa sexta-feira de dezembro de 1912 em Exu, Sertão do Araripe. 

"Ele carregava na indumentária toda a geografia de uma nação. Quando a gente olhava ele no palco, o que se via era um vaqueiro, um cangaceiro, um violeiro, um trabalhador", complementa Maciel. "Deixou todo um legado que a gente continua, com uma história que começou com ele", enaltece Cristina. 

Com composições que permeavam a aridez do Sertão do Nordeste, o velho "Lua" contou a história da "Asa Branca" (1947) ao lado de Humberto Teixeira (1915-1979), seu parceiro também em "Assum Preto" e "Quem Nem Jiló", entre outras do cancioneiro da dupla. Já ao lado de Zé Dantas (1921-1962), a mesma Asa Branca voltou e celebrou os "rios correndo, as cachoeira zoando, a terra moiada e o mato verde", que riqueza!

"Gonzaga conseguiu se perpetuar na memória do povo pela verdade que carregava em sua música, pela capacidade de traduzir o comportamento do homem nordestino", acrescenta Marcelo Melo, do Quinteto Violado, ao falar sobre a perenidade da obra de Seu Luiz, que, fisicamente, está registrada em letras de protestos e alegrias em pelo menos algumas centenas de discos gravados e outras tantas de canções ressoadas mundo afora. 

O fato é que, com Seu Luiz, o Fole Roncou, se dançou Forró de Cabo a Rabo, o mandacaru fulorô na seca, Samarica Parteira teve sua história contada e o alfabeto da música popular brasileira teve que aprender um outro ABC, o do nosso Sertão. 

Por Germana Macambira
Portal Folha PE

CONCURSO DIPLOMATA 2019 COM 20 VAGAS PARA TERCEIRO-SECRETÁRIO


Por meio do edital nº 1/2019, o Ministério da Relações Exteriores (MRE) estabeleceu as normas para o concurso de admissão à carreira de Diplomata de 2019, com 20 vagas na classe inicial de Terceiro-Secretário. O concurso Diplomata está sob os cuidados do Instituto Rio Branco, desta vez com o auxílio do Instituto Americano de Desenvolvimento - IADES.

A remuneração inicial no Brasil para os selecionados e efetivados será de R$ 19.199,06 (valor bruto). A esses servidores competirão atividades de natureza diplomática e consular, em seus aspectos específicos de representação, negociação, informação e proteção de interesses brasileiros no campo internacional.

Do total de vagas, 15 são de ampla concorrência, quatro para candidatos negros e uma para candidatos com deficiência.

Requisitos básicos

Para disputar uma das vagas, é necessário: ser brasileiro nato; estar no gozo dos direitos políticos; estar em dia com as obrigações militares (se candidatos do sexo masculino); e estar em dia com as obrigações eleitorais.

Além disso, o interessado deve: possuir diploma de conclusão de curso de graduação de nível superior em qualquer área; ter idade mínima de 18 anos; e apresentar aptidão física e mental para o exercício das atribuições do cargo, algo que será verificado por exames.

Inscrição

Os candidatos podem se inscrever exclusivamente por meio de formulário próprio localizado no site do IADES (http://www.iades.com.br), dentro do período compreendido entre as 8h de 17 de julho e 23h59min de 12 de agosto de 2019.

Para concluir o processo, é necessário pagar o valor de R$ 208,00.

Fonte: Concursos no Brasil

VAGAS DE ESTÁGIO NA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DE PERNAMBUCO


A Defensoria Pública do Estado de Pernambuco (DPPE) torna público o edital de abertura das inscrições para a seleção pública 2019 que irá preencher 100 vagas para estagiários do curso de Direito. São 96 vagas de ampla concorrência e 6 destinadas a candidatos portadores de necessidades especiais. As oportunidades serão distribuídas entre diversos municípios do estado do Pernambuco.

Poderão participar desta seleção, os alunos regularmente matriculados no respectivo curso, a partir do 3º período e que tenham, no mínimo, mais um ano de curso antes de sua formatura.

O período inicial de estágio é de um ano, podendo haver prorrogação por mais um ano.

O valor da bolsa é de R$ 680,00, mais R$ 100,00 referente ao auxílio transporte. A jornada de estágio é de 30 horas semanais.

Inscrições

As inscrições serão realizadas apenas via internet, através do endereço eletrônico www.sustente.org.br, durante o período de inscrição, que vai de 01 de agosto a 03 de setembro de 2019 O valor da taxa de inscrição é de R$ 45,00. Fonte: Concursos no Brasil.

quinta-feira, 1 de agosto de 2019

DIOCESE DE GARANHUNS EM LUTO PELO FALECIMENTO DO PE. GABRIEL HOFSTEDE


A Diocese de Garanhuns recebe hoje com grande pesar a notícia do falecimento do Pe Gabriel Hofstede, CSsR, vigário paroquial da paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Garanhuns.

Pe. Gabriel Hofstede, nasceu no dia 09 de abril de 1933, na Holanda. Foi ordenado sacerdote no dia 02 de fevereiro de 1959. Chegou ao Brasil ainda jovem seminarista, em 1955, para estudar  teologia em Juiz de Fora - MG, e ser ordenado sacerdote. Depois retornou à Europa para estudar teologia moral em Roma, de 1962 a 1965, período do Concílio Vaticano II. Retornou ao Brasil em 1965 e trabalhou em Campina Grande e Monteiro, na Paraíba. Em Afogados da Ingazeira, Recife e Garanhuns. Por vários anos exerceu a função de superior vice-provincial. Percorreu um longo itinerário de vida, servindo a Deus na pessoa dos irmãos mais pobres, anunciando, como Missionário Redentorista, A Copiosa Redenção. Amigo de todos sempre com um sorriso acolhedor, Deu testemunho da Alegria e do evangelho. 

A palavra de Jesus nos conforta e consola: \"Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crer em mim ainda que tenha morrido, viverá\" (Jo 11,25-26)

A Diocese de Garanhuns une-se a Congregação dos Padres Redentoristas na súplica ao Redentor, pela intercessão da Boa Mãe do Perpétuo Socorro, que receberá este seu servo fiel na Comunhão dos Santos.

Dom Paulo Jackson Nóbrega de Souza
Bispo de Garanhuns

Mons. Alexandre de Melo Castanha Neto
Chanceler da Cúria

GOVERNO DE PERNAMBUCO ANUNCIA OS VENCEDORES DO 4º PRÊMIO AYRTON DE ALMEIDA CARVALHO

Ações de preservação do Museu do Cangaço levaram 2º lugar, na categoria Acervo Documental e Memória

O Governo do Estado de Pernambuco, por meio da Secult-PE/Fundarpe, anuncia, nesta quinta-feira (1º), os vencedores da 4ª edição Prêmio Ayrton de Almeida Carvalho de Preservação do Patrimônio Cultural de Pernambuco. Neste ano, foram contemplados os primeiros e segundos lugares de cada uma das três categorias, além de três menções honrosas. A iniciativa tem o objetivo de destacar projetos nas áreas de Acervo Documental e Memória, Formação e Promoção e Difusão.

O reconhecimento aos projetos vencedores inclui premiação em dinheiro de R$ 20 mil (primeiros lugares) e R$ 10 mil (segundos lugares).  Nessa edição, foram inscritos 34 projetos, dos quais 21 da Região Metropolitana, 3 do Agreste e 9 do Sertão. “O Prêmio Ayrton de Carvalho é uma ação de valorização do Governo de Pernambuco a entidades e profissionais da sociedades civil que trabalham na salvaguarda e na preservação das nossas memórias. Não há futuro próspero, quando não preservamos o nosso passado”, afirma o secretário estadual de Cultura, Gilberto Freyre Neto.

A solenidade de entrega dos prêmios acontecerá no Teatro de Santa Isabel, no dia 16 de agosto (sexta-feira), a partir das 9h. No mesmo evento, também serão diplomados os seis novos Patrimônios Vivos de Pernambuco, eleitos no último dia 10 de julho.

Confira abaixo os vencedores e menções honrosas do 4º Prêmio Ayrton de Almeida Carvalho de Preservação do Patrimônio Cultural de Pernambuco:

CATEGORIA ACERVO DOCUMENTAL E MEMÓRIA

1º lugar: Real Hospital Português
Descrição: Reforma de edifício no Bairro de Santo Antônio para abrigar a Escola Técnica de Saúde do Real Hospital português, conservando todos os detalhes da sua fachada e modernizando o seu interior, criando salas de aula, laboratórios, auditórios e biblioteca.

2º lugar: Fundação Cultural Cabras de Lampião
Descrição: Museu do Cangaço/CEPEC – Centro de Estudos e Pesquisas do Cangaço, em Serra Talhada, da Fundação Cultural Cabras de Lampião. Trabalho de preservação da memória e guarda de acervo, valorização e divulgação das culturas sertanejas, do cangaço e Lampião. Espaço de identidade e memória da população nordestina que contribui para a construção de uma educação que incentive as relações do homem com sua história.

Menção honrosa: Reorganização do Acervo Documental da Arquidiocese de Olinda e Recife
Descrição: Seleção, higienização, conservação curadora, preservação, tombamento, inventariação e catalogação, além de criação de um laboratório e uma sala de exposição que atendam à demanda e à necessidade da instituição e dos pesquisadores. O projeto equipe multidisciplinar formada por colaboradores externos e internos da Arquidiocese.

CATEGORIA FORMAÇÃO

1º lugar: Clube Carnavalesco Mixto Seu Malaquias
Descrição: O projeto de formação “O Gigante do Alto” vem sendo desenvolvido há 16 anos, na comunidade do Alto dos Coqueiros, bairro de Beberibe, onde fica a sede do Clube de Boneco Seu Malaquias. O propósito é preservar e transmitir os diversos saberes e fazeres fundamentais para o processo contínuo de fortalecimento do frevo, hoje Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade. A entidade idealiza e realiza oficinas que envolvam transmissão e difusão de saberes do campo das artes e do patrimônio cultural – especialmente do universo do frevo -, desenvolvidas por uma equipe interdisciplinar, valorizando o trabalho de educadores e agentes locais.

2º lugar: Cinema no Interior / Antônio M. G. Carvalho Produções Artísticas
Descrição: Ação desenvolvida há 14 anos no interior brasileiro, com foco especial no Estado de Pernambuco. O projeto combina pesquisa, formação, produção e difusão no campo do audiovisual, tendo como princípio o respeito à construção de narrativas, olhares, imagens sobre a cultura e a história das comunidades interioranas que desencadeiam em produções artísticas. O projeto proporciona a formação de quadros artísticos nos mais remotos locais do sertão pernambucano.

Menção honrosa: Educação Para Museus / Associação dos Filhos e Amigos de Vicência (AFAV)
Descrição: Ações de arte-educação integrando cursos, seminário e aulas espetáculos para 440 beneficiários diretos, com curso de especialização em museus, curso de educação patrimonial, 30 aulas espetáculos envolvendo patrimônio material e imaterial e um seminário. As atividades aconteceram no Ponto de Cultura e Museu Poço Comprido.

CATEGORIA PROMOÇÃO E DIFUSÃO

1º lugar: Wagner Porto Cruz / Canal Babau: Salvaguarda do Mamulengo Pernambucano, Patrimônio do Brasil
Descrição: O projeto Salvaguarda do Mamulengo Pernambucano, Patrimônio do Brasil consiste na circulação do Educativo Móvel (um velho carro adaptado para realizar espetáculos, projeções audiovisuais, exposições de bonecos autômatos, oficinas não formais de brinquedos e música) com uma equipe de realizadores/arte educadores que concretizam o mapeamento com registro de 20 mamulengos pernambucanos, disponibilizando os resultados em plataforma virtual e diversas mídias.

2º lugar: Centro Cultural Coco de Umbigada / Contos de Ifá
Descrição: Laboratórios para promoção da identidade negra a partir de games roteirizados com a mitologia afro-brasileira. São métodos com base em tecnologia aberta a partir de experiências em jogos digitais. Construção de web-games, buscando conectar a juventude negra na cadeia produtiva da tecnologia e promover experiências de criação de jogos digitais nas escolas públicas, em pontos de cultura, centros culturais, terreiros, quilombos e aldeias.

Menção honrosa: XIII Kipupa Malunguinho / Alexandre Alberto L’Omi L’Odó Santos de Oliveira
Descrição: Festa popular, celebração coletiva dos povos tradicionais de terreiro, realizada pelo Quilombo Cultural Malunguinho há 13 anos, nas antigas matas do Catucá, hoje Pitanga II, Abreu e Luma/PE. A intenção é valorizar o patrimônio imaterial da Jurema sagrada, religião de matriz indígena do Nordeste do Brasil, que tem em Pernambuco um dos seus maiores redutos.

Secretaria de Cultura de Pernambuco
Fundarpe

ANTÔNIO CARLOS SECCHIN É O NOVO COMENDADOR DA ORDEM DO MÉRITO LITERÁRIO JORGE DE ALBUQUERQUE COELHO


Na 5ª feira, dia 25 de julho de 2019, em festa no âmbito das comemorações do Dia Nacional do Escritor, na Casa Rosada da Rua Santana, no bairro de Casa Forte, no Recife, a UBE reuniu a congregação da Ordem do Mérito Literário Jorge de Albuquerque Coelho para a admissão do poeta Antônio Carlos Secchin. 


Na ocasião, à guisa de saudação ao novo comendador, o escritor Alexandre Santos, secretário-geral da Ordem do Mérito Literário Jorge de Albuquerque Coelho, proferiu  discurso. Clique aqui e leia o discurso de agradecimento do comendador Antonio Carlos Secchin.

PREFEITURA DE GRAVATÁ REALIZA PROCESSO SELETIVO

A Prefeitura de Gravatá - PE, através da sua Secretaria Municipal de Saúde, faz saber da realização de seu processo seletivo regido pelo edital FMS nº 001/2019 que tem por objetivo a contratação de 53 profissionais temporários, todos da área da saúde.

Vagas

As vagas são destinadas às funções de Analista Clínico, Auxiliar de Saúde Bucal, Cirurgião Dentista, Enfermeiro, Fonoaudiólogo, Médico Anestesista, Médico Cardiologista, Médico Cirurgião Geral, Médico Clínico Geral, Médico Endoscopista, Médico ESF, Médico Intervencionista, Médico Neurologista, Médico Neurologista Pediátrico, Médico Oftalmologista, Médico Pediatra, Médico Psiquiatra, Médico Psiquiatra Infantil e Médico Urologista.

A remuneração para estes profissionais varia de R$ 998,00 a R$ 12.000,00.

Inscrições

As inscrições poderão ser realizadas até o dia 13 de agosto de 2019, de forma presencial ou através do envio da documentação exigida em edital via Sedex (com aviso de recebimento) para o Fundo Municipal de Saúde de Gravatá, Rua Coronel Gustavo Borba, nº 490, bairro Santa Luzia, Gravatá - PE. As inscrições presenciais ocorrem neste mesmo endereço.  Não haverá cobrança de taxa de inscrição. Fonte: Concursos no Brasil.

quarta-feira, 31 de julho de 2019

MORRE EM GARANHUNS, AOS 48 ANOS, O BLOGUEIRO JACKSON FITIPALDI


Morreu na tarde desta quarta-feira (31), na Casa de Saúde Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Garanhuns,  o radialista  Jackson Fitipaldi. Segundo informações ele teria sofrido um infarto. Jackson tinha 48 anos, era radialista e blogueiro e já atuou como diretor de imprensa na Câmara Municipal de Garanhuns. Atualmente era o diretor da Web Rádio Antena. 

De acordo com as primeiras informações, o blogueiro passou mal e foi levado para o Hospital Perpétuo Socorro.   Lá ele teria sido atendido e medicado, mas quando passava por exames sofreu um infarto fulminante. 

O velório será na Osacre, na Rua São Vicente, bairro São José, em Garanhuns.

ALEPE REINICIA TRABALHOS LEGISLATIVOS COM ESTREIA DA TV EM TEMPO REAL

Deputado Eriberto Medeiros
A Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) retorna suas atividades nesta quinta-feira (1º) tendo como novidade a volta da TV Alepe, exibida no canal 28.2, com ampla e diversificada programação. O telespectador acompanhará de imediato o que está sendo discutido e aprovado pelos deputados, dando mais transparência às ações da Casa.

A transmissão ao vivo da sessão plenária desta quinta começará às 10h. Um pouco antes, as 9h30, a TV registrará a movimentação da Casa, entrevistando os deputados sobre a expectativa para o segundo semestre.

Além das sessões plenárias, do trabalho das comissões, das Frentes Parlamentares e das sessões solenes, que serão transmitidas ao vivo, a TV Alepe terá uma ampla programação local. Em setembro está prevista a inclusão do “Jornal Alepe”, às 20 horas, e do “Opinião Parlamentar” às 22h50. Gradativamente novos quadros serão acrescentados à grade até alcançar 12 horas de programação local.

De acordo com o presidente da Assembleia, Eriberto Medeiros, o segundo semestre será de muito trabalho e o ritmo deve aumentar significativamente a partir dos projetos e ações que estão sendo preparadas pela Casa para aproximar a Alepe da população. “Com a TV Alepe teremos um novo formato de comunicação que permitirá os pernambucanos conhecer as leis que aprovamos”, disse o presidente.

Ainda segundo Eriberto, a Alepe firmará parceria com instituições como a Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe) e a União de Vereadores (UVP) para promover qualificação de funcionários das prefeituras e Câmaras Municipais sobre gestão e elaboração de projetos.

Dentre os projetos para o segundo semestre está o “Alepe nos Municípios”, cuja meta é percorrer as 184 cidades pernambucanas para ouvir as pessoas e esclarecer as atividades parlamentares. Os encontros serão transmitidos pela TV Alepe. Com Informações do Blog do Edmar Lyra.

GARANHUNS - MPPE REQUER NA JUSTIÇA BLOQUEIO DE BENS DE GESTORES PÚBLICOS E EMPRESAS POR SOBREPREÇO NA CONTRATAÇÃO DE SHOWS DO FIG 2015


O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) ajuizou duas ações civis públicas (ACPs Nº 0002180-14.2019.8.17.2640 e 2182-81.2019.8.17.2640) com pedido liminar de bloqueio de bens em desfavor do prefeito de Garanhuns, Izaías Régis, das ex-secretárias municipais de Turismo, Gerlane Melo, de Cultura, Cirlene da Silva, e de quatro empresas e seus representantes legais acusados de ter cometido lesão ao erário mediante sobrepreço na contratação dos shows da cantora Ana Carolina e da banda Capital Inicial para o Festival de Inverno de Garanhuns de 2015. O bloqueio dos bens visa congelar recursos com o objetivo de assegurar o ressarcimento dos prejuízos aos cofres públicos, que teriam sido de R$ 117.045,08 no show de Ana Carolina e de R$ 67.013,07 no show de Capital Inicial (valores atualizados).

Além da devolução dos gastos em excesso com a contratação dos shows, a Promotoria de Justiça de Defesa do Patrimônio Público de Garanhuns também requereu que cada um dos réus seja condenado ao pagamento de multa de até duas vezes o valor do dano.

Por fim, o promotor de Justiça Domingos Sávio Pereira Agra requereu que a Justiça condene os réus pela prática de atos de improbidade por dano ao erário e violação dos princípios da administração pública. A Lei de Improbidade Administrativa prevê, como punições, o ressarcimento do dano financeiro; a perda da função pública (no caso dos agentes públicos); suspensão dos direitos políticos por um período de cinco a oito anos; e proibição de contratar com o poder público.

Ana Carolina — as informações recebidas pelo MPPE dão conta de que o município de Garanhuns contratou, por meio de dispensa de licitação, a apresentação da cantora por R$ 227 mil. Esse valor incluiria o cachê da artista, deslocamento de equipamentos em caminhão, passagens aéreas, hospedagem e transporte da equipe.

Alguns detalhes chamaram a atenção do MPPE, como a nota fiscal do transporte dos equipamentos, que não possuía detalhes sobre a quantidade e peso do material transportado; e o aluguel de um ônibus, duas vans e um carro SUV para transportar uma equipe de 15 pessoas, quando seria necessário um único veículo.

Além disso, os agentes públicos, ao apresentarem o processo de inexigibilidade de licitação para contratar a artista, se basearam nos valores de shows contratados por entes privados, com características diversas da apresentação do FIG, em contrariedade ao parecer da própria Procuradoria Municipal de Garanhuns, que alertou para as exigências do Tribunal de Contas do Estado para a contratação direta de artistas.

“O Centro de Apoio Técnico Contábil das Promotorias de Garanhuns analisou os documentos apresentados pelas empresas e identificou um sobrepreço de mais de 75% em comparação à média que a artista vinha recebendo por apresentações na época. Para se ter uma ideia da desproporção, o valor aproximou-se do total do cachê e dos custos de produção pagos por um show da artista em Paris, que custou R$ 240.292,78”, apontou o promotor de Justiça.

Capital Inicial — a contratação da banda, por sua vez, custou R$ 230 mil, valor que foi apontado pelo Centro de Apoio Técnico Contábil como 32% superior à média de mercado para a referida banda no ano de 2015.

Na análise da documentação remetida pelas empresas, destacam-se o aluguel, pelo valor de R$ 28.505,00, de um ônibus que veio de São Paulo, apesar de os integrantes da banda terem feito o deslocamento até Recife de avião. Outra soma vultosa, R$ 17.236,80, foi gasta com hospedagem sem comprovação dos custos na nota fiscal apresentada.

Assim como no caso da contratação de Ana Carolina, a equipe da banda Capital Inicial alugou três vans para os deslocamentos dos 20 integrantes da equipe, embora esse serviço pudesse ter sido suprido pelo ônibus.

Da mesma forma, os agentes públicos, ao apresentarem o processo de inexigibilidade de licitação para contratar a artista, também se basearam nos valores dos shows mais caros da banda, em contrariedade ao parecer da própria Procuradoria Municipal de Garanhuns, que alertou para as exigências do Tribunal de Contas do Estado para a contratação direta de artistas.

“Não há nos autos evidências de enriquecimento ilícito de servidor público, mas há provas de danos ao erário em benefício das empresas contratadas por falta do devido zelo com o patrimônio público”, resumiu Domingos Sávio Pereira Agra.

PADRE AIRTON FREIRE RECEBE MEDALHA DO MÉRITO DO TJPE

Padre Airton Freire
O Padre Airton Freire receberá uma homenagem do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) pelo trabalho realizado à frente da Fundação Terra, que este ano completa 35 anos de atuação. O religioso receberá a Medalha do Mérito Judiciário Desembargador Joaquim Nunes Machado, no dia 13 de agosto, às 17h, no Teatro Santa Isabel. Esse é um reconhecimento que visa agraciar o trabalho de personalidades que contribuem de forma efetiva com a justiça e a melhoria da sociedade, inclusive é a mais alta condecoração da justiça de Pernambuco.

Padre Airton Freire nasceu em 29 de dezembro de 1955, no município de São José do Egito, no Sertão de Pernambuco. Possui formação em filosofia, teologia e psicologia e ordenou-se padre diocesano em 13 de fevereiro de 1982. Ao falar de si, costuma dizer que é um homem vestido com roupa de saco amarrada com uma corda, pois é assim que transita em qualquer lugar.

Dois anos após ter sido ordenado padre, foi designado pela Diocese de Pernambuco para exercer seu sacerdócio na antiga Rua do Lixo, em Arcoverde, no Sertão de Pernambuco, a 250 quilômetros do Recife. Padre Airton é autor de cerca de 100 livros e inúmeros discos de músicas e de mensagens espirituais gravadas em áudio. Sua obra destaca-se pela simplicidade e expressão de um profundo conhecimento da alma humana, dos anseios dos homens e das aflições experimentadas no mundo contemporâneo.

Em 1984, o Padre Airton criou a Fundação Terra, uma organização que surgiu numa área chamada popularmente de Rua do Lixo. Onde antes estava localizado o lixão do município, hoje há escola, creche, biblioteca, instituição de longa permanência para idosos e várias ações sociais. Em 2016, foi aberto no Recife o Centro de Apoio aos Moradores de Rua (C Amor), que funciona no Pátio da Santa Cruz, bairro da Boa Vista.

No Ceará, a instituição atua em Maracanaú, no bairro Alto Alegre II, nas áreas da educação e do serviço social. Além de atender crianças, adolescentes e jovens em vários projetos, a unidade mantém a Creche Pleno Viver, atendendo a 125 bebês e crianças por dia. No estado, em breve, a organização construirá uma unidade na região do Cariri, em Juazeiro do Norte.

VEÍCULOS COM FINAL DE PLACA 6,7 8 TEM ATÉ ESTA QUARTA-FEIRA (31) PARA CIRCULAR COM CRLV 2018


O prazo limite para circular com o Certificado de Registro e Licenciamento Veicular - CRLV 2018, dos veículos com placa terminada em 6, 7 e 8 é até o dia 31 de julho. O Departamento Estadual de Trânsito de Pernambuco – DETRAN-PE, por meio do Diretor de Atendimento, Cel. Felipe Nascimento, lembra que o CRLV 2019 só é emitido depois que é quitado todas as taxas que compõem o Licenciamento. São elas: Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), taxas (bombeiros, licenciamento), possíveis multas de transito vencidas e seguro obrigatório (DPVAT).

Quem optou por não pagar a taxa de postagem, o proprietário ou procurador legal, após quitar as demais taxas que compõem o Licenciamento, é preciso agendar atendimento para emissão do CRLV 2019 no site www.detran.pe.gov.br, onde é possível escolher o ponto de atendimento do DETRAN para receber documento. Quem deixar para quitar o licenciamento 2019 no último dia, ou seja, 31 de julho, deverá agendar para receber o CRLV.

É possível ao cidadão que optou por pagar a taxa de postagem, rastrear o envio do CRLV 2019, depois de sua devida emissão, por meio do site do DETRAN-PE. Para isso, digite a placa do veículo na seção “Consultar Placa”, localizada na parte superior esquerda da página principal do site. Depois disso, o cidadão clica no botão “Detalhamento de débito” e lá na opção de rastreamento do CRLV. Só o proprietário registrado ou seu procurador legal estão habilitados a receber o CRLV do veículo.

A circulação sem o porte, seja físico ou digital, do CRLV 2019 acarretará em 3 pontos na CNH, infração leve no valor de R$ 88,38. Já com licenciamento vencido, acarretará na remoção do veículo para depósito do DETRAN-PE, 7 pontos na CNH, infração gravíssima no valor de R$ 293,47, e taxas para a liberação.

terça-feira, 30 de julho de 2019

AGRESTINA - JUSTIÇA DETERMINA QUE PREFEITO ENCERRE CONTRATOS TEMPORÁRIOS

Prefeitura de Agrestina
O juiz Francisco Jorge Alves, da Vara Única de Agrestina, deferiu liminar atendendo à ação civil pública ajuizada pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE), determinando que a Prefeitura suspenda até o dia 30 de outubro de 2019 todos os contratos temporários celebrados a partir de 1º de janeiro de 2019, estando ainda proibida de renovar contratações temporárias de serviços ou realizar novas contratações nos mesmos moldes.

No texto da ação civil pública, o promotor de Justiça Leôncio Tavares Dias defendeu que os candidatos aprovados no último concurso público municipal, realizado em 2004, devem ser nomeados em detrimento de novas contratações temporárias. O promotor de Justiça citou que, no período dos exercícios financeiros de 2013, 2014, 2015, 2016, 2017 e de 2018, o prefeito de Agrestina, Thiago Lucena Nunes (eleito em 2012 e reeleito em 2016), efetuou a contratação ilícita de mais de mil servidores públicos por meio de contratos temporários por excepcional interesse público manifestamente ilícitos, “visando a fim proibido em lei ou regulamento ou diverso daquele previsto, na regra de competência, a saber, a violação ao princípio da legalidade dos atos administrativos e a frustração da licitude do concurso público”, alegou Leôncio Tavares Dias.

O último concurso público promovido pela Prefeitura de Agrestina, antes do exercício financeiro de 2017, ocorreu no ano de 2004. Mesmo assim, de 2009 a 2012 e de 2013 até 2018, o município vem efetuando contratações temporárias de pessoal por excepcional interesse público. Segundo o juiz na peça de decisão, “a exposição dos fatos e a verificação das circunstâncias presentes e comprovadas na ação vislumbram que o requerido vem se utilizando da contratação temporária e em caráter excepcional para suprir os cargos vagos na administração municipal, burlando o princípio constitucional do concurso público. Sim, pois sequer fundamentou qual situação fática fez nascer a excepcionalidade que justificaria a utilização da contratação temporária, aceita apenas em casos singulares e em caráter excepcional”, analisou ele.

“As contratações temporárias são absolutamente anormais, pois o exercício de atribuições profissionais deve ser desempenhado por servidores efetivos admitidos após regular concurso público, devendo a contratação temporária ser vista como uma exceção e não como regra, do modo como está a revelar os autos”, completou o juiz Francisco Jorge Alves.

Em caso de descumprimento da ordem, o município deverá pagar o valor R$ 500,00 por dia de contrato temporário mantido, renovado ou firmado ilegalmente, sem afastar o enquadramento em crime de desobediência.  Com informações do MPPE.

CAVALO APOSENTADO APÓS 12 ANOS DE SERVIÇO


Garanhuns, PE - Este fato aconteceu em 1987. O prefeito José Luiz Gininho Marchio do município de  Jardinópolis - SP, região de Ribeirão Preto, concedeu aposentadoria ao cavalo "Guarani", garantido-lhe, como recompensa após 12 anos de "serviços relevantes". Teve  direito a um "ótimo local de descanso e alimentação farta, com muita proteína e vitamina, para que o animal possa desfrutar um merecido descanso, com muita paz até o fim de sua vida". 

Foi o que estabeleceu a portaria nº 52/87, baixada pelo prefeito no dia 25 de março de 1987, e devidamente publicada, com a explicação de que atendeu ao pedido do vereador Carlos Magno Riul (PMDB), que constatou a "injustiça" a que "Guarani" estava sendo submetido, após haver puxado, durante 12 anos, a carroça que fazia a coleta de lixo do Distrito de Jurucê. 

Guarani também virou cartão postal da cidade.  "Este é o protesto do prefeito contra a calamitosa vida do aposentado brasileiro", dizia o postal da época.

O cavalo faleceu em outubro de 2002, aos 39 anos.  Em uma noite, Guarani caiu num rio e não teve forças para se levantar.  Passou a noite toda na água.  A baixa temperatura e a idade já avançada não o deixaram escapar com vida do acidente. 

BALANÇO DO FIG É DIVULGADO


Na manhã do sábado (27) a Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) fez balanço desta sua 29º edição do Festival de Inverno de Garanhuns, que encerra, hoje.

Na coletiva, presenças do presidente da Fundarpe Marcelo Canuto, da vice-governadora de Pernambuco Luciana Santos, do prefeito de Garanhuns Izaías Régis, dos Deputados Estaduais Sivaldo Albino e Valdemar Borges, do Deputado Federal Tadeu Alencar, além do Secretário Estadual de Cultura do Estado Gilberto Freire Neto.


O empresário e figura pública Givaldo Calado de Freitas prestigiou a coletiva, que contou, ainda, com o prestígio de inúmeras pessoas do trade turístico estadual.

Para Marcelo Canuto O FIG foi harmonioso. "As 14 linguagens que tiveram a oportunidade de passar pelos 21 polos do FIG e puderam se sobressair”, comentou Canuto.

Ainda de acordo com ele, estima-se que cerca de 600 mil pessoas passaram pelos diversos polos do FIG nesses dez dias, colocando-o na condição de um dos maiores de suas vinte e nove edições. "Agora vamos trabalhar para a próxima, a 30º que será simbólica e entrará para sua história”, disse Marcelo.


O Deputado Sivaldo Albino destacou a importância do FIG e sua grandeza, além de ter destacado a parceria dos governos Estadual e Municipal. “Nosso amigo Givaldo Calado de Freitas, que está aqui, é um grande parceiro do FIG”, comentou Sivaldo.

Para Givaldo o FIG é o maior produto cultural de Pernambuco, impactando 52 segmentos da economia, inclusive os próprios poderes em suas esferas municipal, estadual e federal. Por isso mesmo o defendo com tanto entusiasmo, inclusive na defesa de sua extensão para trinta dias com quatro finais de semana.

A Vice Governadora encerrou a coletiva falando sobre a identidade do FIG. “A cultura afirma a expressão de todas as linguagens que o FIG consegue reunir. É uma riqueza que faz jus à diversidade cultural de Pernambuco.”

Que acrescentou: “além da economia, Givaldo, do grande impacto
econômico que gera no comércio e na rede hoteleira.”

Ezandra Ribeiro
Jornalista 
Assessora de Comunicação
Fotos - Ezandra Ribeiro

TCU - RECURSOS DE PRECATÓRIOS DO FUNDEF NÃO PODEM SER USADOS PARA PAGAR PROFESSORES

A decisão que proíbe o pagamento de salários de professores com recursos dos precatórios do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental e de Valorização do Magistério (Fundef) foi reiterada pelo Tribunal de Contas da União (TCU), na última quarta-feira, 24 de julho. O alerta é feito pela Corte aos prefeitos e reforça que os valores devem ser aplicados em ações de manutenção e desenvolvimento do ensino público de nível básico. 

Na ocasião, o TCU concluiu que não poderá ser atendida a solicitação do Congresso Nacional para abertura de fiscalização no Fundef, com o intuito de garantir o uso de 60% dos valores destinados pela União aos Municípios, a título de precatórios, para o pagamento de profissionais do magistério. A demanda foi encaminhada pelo presidente da Comissão de Fiscalização Financeira e Controle (CFFC) da Câmara, na forma da Proposta de Fiscalização e Controle (PFC) 181 de 2018.

A íntegra da decisão do TCU sobre financiamento da educação, está disponível aqui. A CNM participa do debate técnico e político a respeito da elaboração de políticas públicas para a primeira infância, bem como sobre o Novo Fundeb e está à disposição dos gestores para acolher sugestões e tirar dúvidas.

Da Agência CNM de Notícias

segunda-feira, 29 de julho de 2019

FERNANDO RODOLFO, ZÉ DA LUZ E GIVALDO FALAM NA SETE COLINAS FM


Na manhã desta sexta-feira (26) participaram do programa a “Porta Voz da Notícia”, comandado pelo radialista Marcos Cardoso, a partir das 12h, na FM Sete Colinas o Deputado Federal Fernando Rodolfo, o Deputado Estadual Gustavo Gouveia, o ex prefeito de Caetés Zé da Luz, o empresário e figura pública Givaldo Calado de Freitas, além do médico e escritor Eduardo Miranda.

Durante a conversa o Festival de Inverno de Garanhuns, foi tema preferido do Deputado Federal Fernando Rodolfo que segundo ele é necessária uma restruturação do evento, que é de grande importância para a cidade.

O Deputado também falou sobre o Projeto de Lei, de sua autoria, que confere o título de “Capital do Inverno Nordestino” à "Cidade das Flores". Já o ex-prefeito de Caetés disse que depois de 28 anos o município tem um deputado federal de Garanhuns. Isso é uma grande conquista, e elogiou o empresário e figura pública Givaldo pelo muito que tem feito pela cidade com muita competência e dedicação às suas iniciativas, comentou Zé.


Também o empresário Givaldo, se referindo ao FIG, cobrou da FUNDARPE a divulgação de suas atrações com mais antecedência para que se possa melhor ‘vender’ esse produto cultural, reconhecido como o maior de Pernambuco.

Na ocasião Marcos Cardoso perguntou ao empresário sobre o relançamento do seu livro “Minhas Linhas e Linhas das Redes Sociais” - Volume I, que será nesta sexta-feira às 17h na Academia de Letras de Garanhuns, tendo Givaldo respondido que é um livro de crônicas que contam o cotidiano da cidade e histórias da família e amigos.

Ezandra Ribeiro
Jornalista 
Assessoria de Comunicação 
Fotos - Ezandra Ribeiro

ESCOLA DE CONTAS DIVULGA NOVA PROGRAMAÇÃO DE CURSOS GRATUITOS


A Escola de Contas está com inscrições abertas para novos cursos do Programa de Interiorização. Os cursos são destinados a servidores de órgãos públicos, em todo Estado. “O Programa de Interiorização tem o objetivo de levar capacitações gratuitas para servidores de todo o Estado de Pernambuco, visando uma otimização da aplicação de recursos públicos, e colaborando com a missão dos Tribunais de Contas do controle externo das contas públicas”, destacou o conselheiro diretor da Escola, Ranilson Ramos.

Ministrado pelo professor José Iramar da Rocha, o curso "Gestão Atuarial e de Investimentos de Regimes Próprios" tem carga horária de 20h/a e quatro módulos: Regime Próprio, Instrumentos de Gestão, Instrumentos de Controle e Investimentos. Entre os assuntos abordados estão, as mudanças na base normativa (portaria MF 464 e Constituição); nota técnica atuarial; procedimento de contratação do atuário; plano de amortização e investimentos e gestão temerária.

O professor José Vieira ministrará o curso "Sistema de Registro de Preços", carga horária de 16h/a, com o objetivo de instruir o aluno sobre os aspectos jurídicos, doutrinários e jurisprudenciais que envolvem as contratações resultantes de sistema de registro de preços. No conteúdo programático, temas como requisitos legais; procedimentos; administração da ata de registro; contratação decorrente de licitação com SRP e assuntos polêmicos. 

No curso "Boas práticas de Licitações e Contratos Administrativos na visão do TCE-PE", o professor Eduardo Maia vai abordar a jurisprudência do Tribunal em casos relacionados aos temas: contratações diretas; contratação de serviços advocatícios; contratação de assessoria de imprensa; contratação de transporte escolar; aquisição de veículos; Lei 13.303/2016 (estatais); licitação internacional; alienação de veículos; obra pública; credenciamento hospitais públicos; contratações na final do mandato e sanções administrativas. A capacitação tem carga horária de 16h/a. 

Para inscrições, acesse o site da Escola. Mais informações entre em contato pelo telefone (81) 3181-7942 ou pelo e-mail gpdi@tce.pe.gov.br.

Gestão Atuarial e de Investimentos de Regimes Próprios 

Professor: José Iramar da Rocha 
Horário: 08h às 18h
Recife | 06 e  07/08
Surubim | 20 e 21/08
Garanhuns | 27 e 28/08
Serra Talhada | 17 e 18/09
Caruaru | 15 e 16/10

Sistema de Registro de Preços

Professor: José Vieira de Santana 
Horário: 08h às 16h40
Garanhuns | 06 e  07/08
Caruaru | 10 e 11/09
Recife | 24 e  25/09
Surubim | 08 e 09/10

Boas práticas de Licitações e Contratos Administrativos na visão do TCE-PE

Professor: Eduardo Maia
Horário: 08h às 16h40
Garanhuns | 13 e 14/08
Caruaru | 27 e 28/08
Surubim | 17 e 18/09
Recife | 15 e 16/10

SÃO BENTO DO UNA SE PREPARA PARA MAIS UMA EDIÇÃO DA FEIRA DA AVICULTURA DO NORDESTE


Um evento como este, não teria local melhor para acontecer, São Bento do Una-PE é o maior produtor de Aves e Ovos do Norte/Nordeste Brasileiro, sendo o 5º maior produtor de Ovos Nacional. São mais de 6 milhões de ovos por dia e, mais de 200 toneladas de frangos por semana. É este município que faz com que o estado de Pernambuco esteja na 4ª colocação no ranking nacional na produção de ovos, perdendo apenas para os estados de São Paulo, Minas Gerais e Espírito Santo.

Em sua quarta edição, o evento aposta numa planta com 103 stands, setor de palestras para 150 pessoas, ambiente para funcionar 03 restaurantes, dentro de uma área de 2.628 m², com muito network, manutenção e geração de novos negócios.

A expectativa é de casa cheia durante os 3 dias de realização da feira. Avicultores e interessados pelo setor de outros estados já confirmaram presença. Uma prova disso, é a rede hoteleira da região que já está com 98% de seus leitos já reservados.

O evento tem a realização da Prefeitura de São Bento do Una-PE, através da Secretaria de Planejamento e Gestão, em parceria com a AVIPE – Associação Avícola de Pernambuco. O evento também conta com o apoio das Granjas Almeida e Ipojuca, SEBRAE e TV Asa Branca.

Em sua última edição, segundo pesquisa realizada pelo SEBRAE, houve uma movimentação de mais de 50 milhões de reais em negócios fechados durante os três de realização do evento.

Empresas como a Nutrivil (nutrição), Dekalb (linhagem de galinhas) e Hisex (linhagem de galinhas), como também a Associação Avícola de Pernambuco, já estão com os stands sendo montados para receber clientes e amigos.

Nesta edição o simpósio conta com a realização da Prefeitura de São Bento do Una,AVIPE, EPE Produtos Agropecuários e da USIVET.

TRAIÇÃO E MORTE NO CANGAÇO

Cangaceiro Zé Baiano e Lídia Pereira de Souza
Imagem/http://blogdomendesemendes.blogspot.com/

Consta da história que o sanguinário e impiedoso cangaceiro Zé Baiano, chefe de um dos grupos de Lampião, atuava principalmente na região de Frei Paulo e adjacências, no nosso querido Estado de Sergipe, inclusive era um rico bandido que tinha a audácia de também ser um forte agiota, emprestando vultuosas quantias de dinheiro a juros exorbitantes para fazendeiros e comerciantes daquelas cercanias. Dizem que alguns enriqueceram às custas do dinheiro sujo de Zé Baiano e fizeram nome no cenário sergipano, vez que com a sua morte acabou-se as dívidas, ou seja, tais dívidas foram perdoadas pela “Providencia Divina”.

O famoso bandoleiro ferrador Zé Baiano, apesar da sua feiura em todos os sentidos, tinha o privilégio de ter como companheira a mais linda e atraente das cangaceiras, Lídia Pereira de Sousa, uma linda cabocla mestiça da região de Glória, hoje Paulo Afonso, na Bahia, uma jovem que teve antecedentes “raceados” com estrangeiros, por isso ser “loira amanteigada” e de pele “rosa caramelizada”.

Contaram os remanescentes do cangaço, mais de perto os então cangaceiros sobreviventes e alguns ex-coiteiros e protetores de Lampião, que a estonteante Lídia era daquelas mulheres de “fechar quarteirão”, de deixar todos os cabras-machos “babando” de desejo, principalmente quando se apresentava saindo dos rios ou lagoas em vestido molhado e colado ao seu estrutural corpo. Diziam ser um verdadeiro deslumbre de se ver a cangaceira Lídia no seu andar provocante e “reboculoso” a balançar as suas bem torneadas curvas, enfim, “quando Deus a desenhou ele estava namorando”. Trocando em miúdos, Lídia era um espécime raro dos sertões.

Por isso era admirada e desejada por todos os cangaceiros, mas ninguém se atrevia a dar uma “cantada” na moça, até porque, apesar de todos ali serem bandidos perigosos, havia muito respeito dentro do acampamento. Essa era uma das regras impostas e prova inconteste da liderança e comando de Lampião, ou seja, exigia o chefe, acima de tudo, que todos se respeitassem mutuamente e que só houvesse sexo entre os casais devidamente conquistados e efetivados. Além disso tudo, o próprio Zé Baiano, pela sua crueldade, era dos mais respeitados dentro do bando e mais ainda fora do acampamento, onde quer que chegasse. O seu nome fazia arrepiar e tremer de medo qualquer um, talvez até mais do que o próprio Lampião que era bem mais complacente e compreensivo. Um temível cangaceiro acostumado a ferrar mulheres com ferro em brasa com as iniciais JB nos seus rostos, virilhas ou nádegas somente pelo simples fato delas usarem cabelos curtos, maquiagens
ou roupas decotadas. Enfim, um psicopata impiedoso, ignorante em todos os sentidos que matava, estuprava, roubava e torturava as suas vítimas sem dó ou piedade.

Ocorre, porém, que o desejo da carne terminou sobrepondo todos os perigos possíveis e assim a linda cangaceira Lídia terminou por ceder ou mesmo procurou os encantos do cangaceiro apelidado por Bem-te-vi, de nome próprio Ademorcio, um conhecido da sua infância e com ele passou a cometer adultério em eloquentes e quentes encontros sexuais dentro do mato quando da ausência de Zé Baiano no acampamento. No entanto, o cangaceiro Coqueiro que também já estava de olho em Lídia há algum tempo e até desconfiado que ela traia Zé Baiano com o Bem-te-vi, certo dia seguiu os dois quando eles entraram disfarçadamente na mataria, pegando-os em flagrante na hora do esbraseante sexo. Daí fez uma proposta para a Lídia que se ela também mantivesse relações sexuais com ele, o segredo ficaria somente entre os três, caso contrário ele contaria tudo a Zé Baiano. Indignada, a corajosa Lídia retrucou agressivamente com palavras de baixo calão o cangaceiro Coqueiro e sua indecente chantagem.

Então, naquela mesma noite, quando todos estavam reunidos em volta a uma fogueira, contando e recontando as diversas histórias de Trancoso, histórias de assombração, histórias de botijas e histórias diversas das guerras do cangaço, o bandido flagranteador Coqueiro provocou a Lídia que apesar de tudo não arrefeceu mostrando força, coragem e determinação mesmo sabendo que tal gesto poderia valer a sua própria vida.

Presentes estavam os maiorais do cangaço que “lavaram as suas mãos” sem interferirem na decisão, a exemplo do supremo chefe Lampião com a sua companheira Maria Bonita e de outros da sua inteira confiança como Corisco e sua companheira Dadá, Luís Pedro, Moreno, Virginio e Labareda, além do próprio traído, cangaceiro Zé Baiano. Corajosa, afoita, determinada, atrevida no atrevimento suicida das mulheres decididas da época e até mesmo inconsequente para o momento, Lídia repeliu o seu companheiro surpreso e enlouquecido de raiva e ódio, Zé Baiano, exclamando em alto e bom som: Estive com ele, sim!... Que tem isso?... O que é meu eu dou a quem quero!...

Enlouquecido em místico de vergonha, raiva, ódio e desespero ao mesmo tempo, Zé Baiano arrastou Lídia até uma árvore ali perto e após amarrá-la, matou-a impiedosamente a cacetadas e depois chorou copiosamente a perda do seu grande amor, enterrando o seu tão desfigurado corpo do que antes tinha sido uma linda mulher, a sublime cangaceira dos “chamegantes” olhos esverdeados. Para ele a sua honra fora lavada com o sangue da traidora. A partir de então Zé Baiano que já era malvado ficou ainda pior, principalmente contra as mulheres.

Já o cangaceiro delator, Coqueiro, foi morto ali mesmo por ordem de Lampião no momento em que Lídia disse que ele assim tinha denunciado o fato em contrapartida dela não ter aceitado também transar com ele. Por sua vez, o cangaceiro Bem-te-vi logo no início da conversa, de um pulo, tal qual uma Jaguatirica, tratou de fugir na escuridão, mato adentro em desabalada carreira para nunca mais se ter notícias dele.

Segundo os historiadores, tão feroz “feminicídio” (aos olhos de hoje), ocorreu próximo ao Riacho Quatarvo, localizado nas terras da Fazenda Paus Pretos, de propriedade do grande coiteiro de Sergipe, Antônio Caixeiro, pai do então Governador Eronides Ferreira de Carvalho. Infelizmente, também ninguém encontrou a provável cruz da Lídia, enterrada nas cercanias. Era um tempo atroz em que não se aceitavam traições femininas em hipótese alguma e quem assim se atrevesse a contrariar as regras pagava com a sua própria vida.

Autor: Archimedes Marques. Escritor, pesquisador e Conselheiro do Movimento Cariri Cangaço. archimedes-marques@bol.com.br