sábado, 14 de março de 2020

O RADIALISTA IVO DE SOUZA RAMOS, EX-GERENTE DA RÁDIO DIFUSORA DE GARANHUNS, FALECEU TRAGICAMENTE EM UM ACIDENTE AUTOMOBILÍSTICO EM UMA NOITE FRIA DE 16 DE SETEMBRO DE 1973.


CONCURSO PREFEITURA DE AREIAL - PB COM 132 VAGAS

Os vencimentos variam de R$ 1.045,00 a R$ 2.602,31 e todas as contratações seguirão o regime estatutário. O certame terá validade de dois anos e sua renovação por um prazo igual poderá ser feita mediante necessidade da Prefeitura Municipal de Areial.

A Comissão Permanente de Concursos da Universidade Estadual da Paraíba (CPCon) será a banca organizadora do concurso.

Como se inscrever no concurso Areial - PB

O período de inscrições começa às 10h do dia 02 de março de 2020 e termina às 23h59 de 02 de abril de 2020, horário local.

Os registros precisam ser feitos no site da organização, dentro do período de inscrição, não sendo aceitas inscrições fora do prazo.

Valor da taxa de inscrição: Fundamental R$ 65,00; Médio/Técnico R$ 85,00 e Superior R$ 105,00.

LEI Nº 2.513 - DENOMINA PRAÇA MANOEL DOMINGOS DE MELO (NEZINHO) UM LOGRADOURO NO DISTRITO DE SÃO PEDRO - GARANHUNS/PE.


ALEXSIA MONTEIRO É A ATRAÇÃO DO SESC LAZER EM BELO JARDIM

Neste domingo (15/03), o Sesc Ler Belo Jardim realiza mais uma edição do Sesc Lazer. O projeto recreativo tem como atração a cantora Alexsia Monerato. As atividades começam às 9h, mas a apresentação musical começa às 12h. A entrada custa R$ 10, mas os trabalhadores do comércio e seus dependentes com o cartão Sesc têm desconto e pagam R$ 5. O Sesc Lazer segue até às 16h.

Alexsia fará uma apresentação de voz e violão com um repertório repleto de sucessos da MPB. Além da cantora, o público vai poder desfrutar das atividades na piscina, jogos de salão e brincadeiras para as crianças. “O Sesc tem um compromisso fiel com seu público e por isso realiza atividades recreativas como forma de promover uma grande confraternização entre as pessoas”, afirma Fabrício Lino, instrutor de atividades recreativas do Sesc Ler Belo Jardim.

EMPRESÁRIO HELOÍSIO LOPES RECEBE TÍTULO DE CIDADÃO DE GARANHUNS - 1991

Imagem / Jornal O Monitor / 22 de Junho de 1991
Acervo / Memorial Ulisses V. de Barros Neto

FALECEU EM SANTOS/SP, EM JUNHO DE 1991, O SR. JOSÉ PEREIRA GALINDO, QUE POR MUITOS ANOS TRABALHOU NOS CORREIOS DE GARANHUNS.


"GARANHUNS É UM PEDAÇO DO CÉU, QUE DEUS DEIXOU CAIR ENTRE OS MONTES". PROFESSOR JOSÉ RODRIGUES DA SILVA


"PREPAREMO-NOS PARA O CÉU, QUE LÁ, SIM , SEREMOS FELIZES" - PADRE CÍCERO


GREGÓRIO BEZERRA - 120 ANOS DE NASCIMENTO DE UM HERÓI BRASILEIRO

Por Roberto Arrais

Sexta-feira, 13 de março, 120 anos de nascimento de Gregório Bezerra, um dos mais extraordinários heróis do povo brasileiro! Gregório Bezerra considero um dos mais destacados homens do século XX. Um comunista convicto que militou com um amor profundo pelos trabalhadores, especialmente do campo, onde ele tinha sua origem de criança, quando começou a ajudar o trabalho do roçado de sua família, aos 4 anos de idade, na cidade de Panelas, no agreste de Pernambuco. Viveu por cerca de 23 anos nas cadeias do País, uns 15 anos de clandestinidade, uns 10 de semi-clandestinidade, 10 anos de exílio. 

Nas prisões ficou mais tempo, na "Casa de Detenção do Recife", hoje Casa da Cultura de Pernambuco. A foto acima, que é a da capa do Livro de Memórias publicado pela Boitempo, foi tirada alguns dias depois das torturas que sofreu no quartel do exército de motomecanização localizado na avenida 17 de agosto, em Casa Forte, e para onde, com 3 cordas no pescoço foi levado pelas ruas para ser enforcado na Praça de Casa Forte, uma praça concebida em 1937 pelo grande paisagista, Burle Marx, mas que devido aos protestos feitos pelas freiras do Colégio Sagrada Família, este ato foi suspenso, após telefonema da madre superiora ao General comandante do 4° exército. 

Chegada de Gregório Bezerra do exílio em novembro de 1979

Como muitas pessoas e a própria família ficou sem notícias dele, e ficaram pressionando para saber sobre seu estado de saúde, pois Gregório tinha naquele momento 64 anos de idade, os golpistas o colocaram no Pátio da prisão e "permitiram" que os fotógrafos, distantes, pudessem fotografá-lo. 

O poeta Ferreira Gullar escreveu em versos um pouco da história deste revolucionário e herói do povo brasileiro, denominado: "História de Um Valente", num de seus versos ele consegue sintetizar a figura extraordinária deste camarada, dizendo: "(...) Mas existe nesta terra / muita gente de valor/ que é bravo sem matar gente/ mas não teme matador/ que gosta de sua gente/ e luta a seu favor/ como Gregório Bezerra/ feito de ferro e de flor (...)". Isso era Gregório, que era valente, que vivia a práxis da luta de classes, que organizava os camponeses em células por engenho, na zona da mata do estado, que dormia nas casas dos camaradas e amigos e não se lamentava pelos problemas, pelas prisões, pelas dores... mesmo aos 83 anos, carregava muita esperança no socialismo, na luta, estava teimando pela revolução. Gregório está vivo pelas fábricas, pelos campos, nos assentamentos, nos acampamentos, nas aldeias, nas comunidades, no coração e na imaginação de quem deseja e luta por um mundo justo, igualitário sem a exploração do homem pelo homem.

AGA 90 ANOS - ABIMAEL SANTOS DINAMIZOU O CLUBE EM 1977

Abimael Santos
GARANHUNS - Assumindo a presidência  da Associação Garanhuense de Atletismo (AGA) em caráter interino, vez que, o Capitão Silvestre encontrava-se no Sul do País fazendo curso de aperfeiçoamento, Abimael de Oliveira Santos, Bia, realizou um grande trabalho pelo engradecimento da AGA. No setor social,   Abimael  fez realizar no dia 30 de maio de 1977, uma animadíssima noite com o Conjunto "The Brothers". No dia 14 de maio foi realizado monumental baile para apresentar, não só a candidata de Garanhuns ao Miss Pernambuco, bem como de outras cidades vizinhas. Essa festa foi intitulada de "Encontro com as Miss", e direto da  Bahia o conjunto "Matéria Prima", animou a festa, um dos mais famosos da Boa Terra.

O "Baile das Rosas" uma das maiores promoções da AGA, aconteceu no dia 28 de maio e todos dançaram ao som do conjunto "Os Nobres" da cidade de Maraial.

Abimael prometeu ainda para os associados, ainda na sua gestão a inauguração da Sauna. Quanto a parte concernente aos esportes, Abimael manifestou viva esperança no quadro da AGA, que está crescendo, e, com um pouco mais de sorte deverá chegar lá. Outro setor que se tempo houver deverá ser atacado por Abimael é o Parque Infantil. O play-gound recebeu melhoramentos e a implantação de novos brinquedos. O restaurante sob nova administração  correspondeu  plenamente aos seus frequentadores.

Quem estava à frente do Restaurante da AGA, era o dedicado Vardo, gente muito gente que a gente conhece e que gosta da gente.

GOVERNO DE PERNAMBUCO PROÍBE ATRACAÇÃO DE EMBARCAÇÕES DE PASSAGEIROS

O governador Paulo Câmara decretou, nesta sexta-feira (13), a proibição da atracação, em Pernambuco, de cruzeiros e outras embarcações de passageiros de grande porte. A medida terá validade enquanto durar o estado de emergência por conta da pandemia do coronavírus. Somente nos meses de março e abril, havia a previsão da chegada de mais oito navios com esse perfil, transportando 11.033 pessoas.

Nos últimos dias, o Estado registrou dois casos confirmados da Covid-19, com contaminação importada, e investiga um conjunto de suspeitas de contágio pelo vírus. O decreto assinado pelo chefe do Executivo estadual também formaliza a instalação do Comitê Estadual de Combate ao coronavírus, sob a coordenação da Secretaria Estadual de Saúde. 

sexta-feira, 13 de março de 2020

DETRAN REALIZOU AÇÃO ITINERANTE NA COHAB II

Caminhão itinerante da unidade
A 5ª CIRETRAN de Garanhuns realizou nesta sexta-feira, 13, atendimento para os moradores da Cohab II e loteamentos próximos. Na oportunidade foram disponibilizados vários serviços: Habilitação (primeira habilitação),  segunda via de CNH, renovação de CNH, adição e mudança de categoria,  alteração  de dados, habilitação definitiva,  solicitação de permissão internacional para dirigir, inclusão de atividade remunerada, agendamento de exames psico médicos e consulta a pontuação da CNH.

Também foram oferecidos serviços ligados aos veículos, como emissão de taxas de taxas,  solicitação de CLA, consultas de débitos,  multas e restrições e licenciamento 2020.

O caminhão ficou instalado na Av. Deolinda Silvestre Valença,  n° 540 em frente à Agreste Link .

O objeto desse trabalho é levar os serviços com melhor comodidade à população. 

SECRETÁRIA ÉRIKA LACET PRESENTE NA REUNIÃO DO CONACI

A secretária da Controladoria-Geral do Estado (SCGE), Érika Lacet, participou esta semana da 34ª Reunião Técnica do Conselho Nacional de Controle Interno (Conaci), na cidade de Vitória, no Espírito Santo. Numa proposta de fortalecer a atividade de controle interno no Brasil, por meio do combate à corrupção, transparência, controle social e geração de serviço público com efetividade, o encontro reuniu representantes de estados e municípios de todo o País.

Conduzido pelo presidente do Conaci, Leonardo Ferraz, a reunião contou com a presença do ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário, e do diretor da Transparência Internacional no Brasil, Bruno Brandão. Além da agenda administrativa, o encontro foi pautado pelo debate de temas com foco no aprimoramento das atividades de controle no País, para a melhoria da gestão pública.

Dentro da programação, na quinta-feira (12), Rosário proferiu palestra sobre “Relacionamento Controle Externo x Controle Interno: limites de atuação e desafios”. Neste mesmo dia, Brandão abordou o tema “Programa Integridade nos Estados: Apresentação Institucional da Transparência Internacional Brasil”. Já nesta sexta-feira (13), o diretor de Governança e Conformidade da Petrobras, Marcelo Zenkner, apresentou o “Projeto de Implementação dos Controles Internos em Municípios Receptores de Royalties de Petróleo – parceria Conaci x Petrobras”.

Paralelo a reunião, a secretária Érika Lacet participou também, na quarta-feira (11), do 1º Seminário Controle Interno para uma Governança Anticorrupção, quando foram discutidos os desafios e as perspectivas do controle interno no País. Promovido pelo Conaci e Secretaria de Controle e Transparência (Secont-ES), o seminário contou com palestras e painéis centrados em temas como inovação, integridade no poder público e no setor privado, combate à corrupção e transparência.

Imagem: Assessoria Conaci

CASOS E FATOS DO PASSADO

CAPOEIRAS - Três homens transportados numa rural identificada como sendo de Garanhuns, nesta semana se dirigiram até a localidade Alegre, município de Capoeiras, a procura de uma botija. Chegando ao local, quando já se dispunham a iniciar a tarefa e com o pensamento de ficarem ricos, o negócio tomou rumo diferente. Pessoas residentes no local, pensando tratar-se de malfeitores não mediram distância. O pau cantou. Quando tomaram conhecimento que o fato gerador da visita dos três desconhecidos era uma botija já era tarde. Os ex-futuros ricaços, talvez pensem em voltar no entanto devidamente credenciados, caso contrário, nada de tesouro enterrado. (Jornal O Monitor - 09/06/1979).

GARANHUNS - Era época das vacas gordas. Os bancos convidam os produtores rurais para financiar custeio de lavoura, melhoramento da propriedade e aquisição de animais. Não havia correção monetária e o interesse do governo era estimular a agropecuária, com resultados satisfatórios. O crédito estava igualmente sendo direcionado para pequenos e mine-produtores. Um reunião promovida pela ANCAR para  orientar essas pessoas que jamais tiveram acesso ao crédito bancário, na sede da Associação Comercial, 1º andar do prédio situado à Avenida Santo Antônio, esquina da Rua Vereador Elias de Barros, que foi demolido para construção do edifício da firma Ferreira Costa. O técnico, depois de instruir os agricultores como deveriam proceder, arrematou: "Preste bem atenção! Os senhores, munidos de documentos vão ao Bandepe para fazer o cadastro. Depois voltem para pegar o carnê e receber o empréstimo". Dias após, fui abordado por Cirilo, um dos proprietários beneficiados, revelando muita satisfação, abordou-me: Seu Bertino! Deu tudo certo: Fui ao bandeco, fiz e cadaço, peguei o carneiro e recebi o empresto. Isso é que é gunverno!..." (Humberto Moraes / outubro de 1993).

RUAS DE GARANHUNS - A Rua Julião Cavalcante, onde se encontrava instalado o abatedouro de animais no passado, denominava-se Rua da Matança Nova. A Rua Alves Tororó, era popularmente chamada de Rua da Bosta. A Praça Campos Sales, denominava-se de Rua do Campo.

CATEDRAL - Um grande melhoramento para o serviço acústico da Catedral de Garanhuns foi, por certo, a instalação de um aparelho amplificador de voz com auto-falantes interno e externo. É um ótimo aparelho da conhecida R.C.A Victor que, graças aos esforços e a dedicação do estimado pároco de Santo Antônio, Mons. José de Anchieta Callou veio muito contribuir para melhor divulgação da palavra de Deus e das  Cerimônias sagradas do Culto Eclesiástico. (17/10/1948).

TEATRO - Dois importantes grupos teatrais fizeram muito sucesso em Garanhuns, exibindo-se no Cine Teatro Glória instalado onde funcionou às Casas José Araújo, à Avenida Santo Antônio. O Grêmio Polimático dirigido João José de Carvalho e o Grêmio Estudantil, criado e dirigido por Luiz Maia.

SESC CARUARU TOMA PRECAUÇÕES CONTRA O CORONAVÍRUS

Após a confirmação dos primeiros casos do Covid-19 em Pernambuco pela Secretaria Estadual de Saúde, o Departamento Regional do Sesc/PE recomendou às unidades espalhadas pelo Estado a suspenderem algumas ações que venham aglomerar grande público.

Em Caruaru, foram suspensos o CineSesc dos dias 18 e 25 de março, 1º e 8 de abril; a temporada do espetáculo “Dois Perdidos numa Noite Suja”, que começaria nesta sexta-feira (13); as reuniões do grupo de idosos Amizade por 15 dias; o projeto Reuniões Dançantes, previsto para o dia 28; e a Maratona Recreativa.

A medida visa evitar uma possível proliferação do Conoravírus, apesar de não haver registros da doença em Caruaru. “Ações preventivas são as melhores soluções diante de uma situação tão preocupante. Em breve, anunciaremos as novas datas das ações”, afirma Luzinete Lemos, gerente do Sesc Caruaru.

Imagem / Izaias Rodrigues

O GAVIÃO (conto)


Por Clovis de Barros Filho*

Era um sítio pequeno mais muito aprazível e seguro. Meus avós nasceram e lá viveram, até a morte, já bem velhinhos. Passei um bom tempo da minha infância com eles desfrutando da natureza pródiga do lugar. A casa era bem simples com uma ótima varanda na frente. Era lá que meu avô descansava tranquilamente após o almoço até chegada a hora de voltar para cuidar do cafezal. Um dia à tarde quando o mesmo já voltara para limpar a roça, minha avó e minha tia foram alertadas por Fox um vira-latas da presença de alguém à porta. Saíram para ver quem era. Caído em frente à varanda havia um homem bem jovem ainda não aparentando mais que 17 anos apesar da sua altura elevada contrastando com os padrões dos nativos do lugar. Parecia fraco e cansado. Minha tia lhe serviu água fresca. Passados alguns minutos o jovem homem começou a se mexer e logo tratou de se sentar. Olhou agradecido para minha tia porém sem pronunciar uma palavra. Levantou-se em seguida e foi ai que as duas repararam o seu corpanzil  com omoplatas extremamente largas  e o corpo arqueado. Sua cabeça era pequena exibindo um cabelo preto, olhos pequeníssimos, nariz que mais parecia o bico de uma ave de rapina, boca pequena exibindo estranhos dentes finos parecendo que eram todos iguais. Suas mão eram  enormes e suas pernas muito compridas. Após se espreguiçar um pouco o estranho voltou a sentar. Tentou balbuciar algumas palavras mais seu esforço foi em vão só conseguindo emitir um estranho ruído da sua pequena boca. Minha avó e minha tia dele se compadeceram e o levaram para descansar na varanda onde permaneceu quieto até a chegada do meu avô. Após ouvir a narrativa da minha tia meu avô foi logo dizendo que se ele quisesse poderia ficar no sítio para ajudá-lo nas tarefas diárias. E foi o que acabou acontecendo. O estranho foi acomodado numa edícula próxima à casa principal. Quem não pareceu gostar muito da presença dele foi o vira-latas Fox. Pela atitude do homem a  reação foi a mesma do cão. Os dias foram passando, e diferentemente do que pensara meu avô o estranho não se adaptou ao trabalho mais pesado. Limitava-se a ir há fazer pequenas tarefas caseiras  como ir à Vila próxima comprar alguns mantimentos sempre claro levando uma lista com o que deveria ser adquirido já que não falava nada. Passados mais alguns dias meu avô resolveu batizá-lo com o nome de Gavião nome segundo ele derivado da sua aparência com a ave de rapina. Gavião pareceu entender o seu novo nome se é que ele já havia tido algum. Bastava que qualquer um da casa chamasse pelo seu nome e ele vinha de imediato. Com o tempo meus avós foram percebendo outras atitudes estranhas em Gavião. Ele nunca permanecia dentro da sua casinha. Preferia ficar nas partes mais altas do sítio como que vigiando a chegada de algum estranho próximo a residência dos meus avós. Dono de uma força fora do normal para sua idade, às vezes carregava toras de madeira e cortava com um machado sem muito esforço. Era raro ele fazer isso porém às vezes fazia pois percebia que o trabalho era por demais pesado para o meu avô. Gavião diferente da ave que lhe deu nome não se alimentava de carne. Preferia comer feijão, arroz, macaxeira ou outro vegetal qualquer. Nunca comia um pedaço de carne. Gavião se mostrava muito cuidadoso na minha presença sentia que me protegia com todo cuidado era ainda uma crianças de 5 anos. Nenhum estranho mesmo que primos e tios podiam se aproximar de mim até ele ter certeza de quem eles realmente eram.

Gavião foi criando raízes, os anos passaram-se e passou literalmente a fazer parte da família mantendo todo esses anos o mesmo ritual de sempre.

Certo dia após o almoço com meu avô já na roça sob um sol a pino e um calor fortíssimo aproximaram-se da casa dois homens estranhos e que não eram do lugar. Chegaram sorrateiramente sem fazer qualquer ruído, estudaram o lugar e resolveram sem avisar subir até a varanda. Como viram a porta de entrada fechada resolveram bater à porta. Fox foi o primeiro a dar o sinal de alerta latindo sem parar. Minha tia saiu para ver o que acontecia. Os dois homens já se encontravam bem em frente à porta de entrada e sem dirigir-lhe uma palavra os dois seguraram ela pelos braços e adentraram à casa ameaçando-a com enorme faca peixeira. Os crimes na região eram muito raros porém quando ocorriam eram sempre a golpe de facas e extremamente violentos. Na maioria das vezes os criminosos roubavam as vítimas, cometiam estrupo e ainda as matavam esfaqueadas. E com certeza o que ambos planejavam era aquilo mesmo. Levaram minha tia para a cozinha onde ameaçaram também a minha avó. Começaram então a pedir dinheiro e jóias sempre esfregando a afiada faca no pescoço das duas. Nesse momento a porta dos fundos que dava para cozinha foi aberta com enorme violência. Era Gavião, que com enorme rapidez e força imobilizou os dois de uma só vez pelos pescoços. Gavião tomou a faca de um deles. Derrubando um deles ao chão o imobilizou pisando no seu corpo. O outro ficou tentando se soltar em vão dos braços e da força descomunal de Gavião. O que aconteceu a seguir foi rápido e pavoroso. Gavião prendeu as mão do homem na mesa de madeira e com um golpe certeiro decepou quatro dedos do estranho que emitiu um terrível grito de dor. Gavião o soltou-o o qual desapareceu urrando de dor em desabalada carreira. O outro não teve sorte diferente da do primeiro perdeu seus quatro dedos com golpe certeiro da faca peixeira que portavam e gritando  sumiu estrada afora. Minha avó e tia estavam literalmente em choque assustadas com a cena, tanto pela ameaça que sofreram dos estranhos quanto pela reação violenta de Gavião. Porém, com o passar dos minutos entenderam que se não fora a presença dele ali as duas àquela altura já poderiam estar mortas. Gavião não parou por ai, providenciou um balde de água e sem que ninguém solicitasse lavou todo sangue deixando a cozinha sem nenhum vestígio do que ali ocorrera. A surpresa mesmo ficou por conta dos oito dedos dos assaltantes. Com enorme cuidado Gavião os colocou em uma toalha limpa deu um nó e levou o macabro embrulho para fora de casa não se sabe para onde. Não tardou e meu avô apareceu perguntando o que tinha acontecido pois Fox latira o tempo todo. Minha tia  e minha avó assustadíssimas contaram o ocorrido deixando o velho muito nervoso. Foi até a casinha de Gavião. Sentado na sua cama feitas com varas de bambu e cobertas por um colchão revestido de capim seco não esboçou qualquer reação ou sinalizou estar preocupado com algo tão terrível que acabara de acontecer. Meu avó voltou então para casa e os três ficaram curiosos com o que ele tinha feito com os dedos dos estranhos. Certamente disse minha avó ele deve os ter enterrado em algum lugar Porém, passadas algumas horas aquilo que nunca tinha acontecido, aconteceu. Repentinamente começaram a sentir um cheiro de carne queimada vindo da casinha de Gavião. Meu avô foi lá dar uma olhada. E para sua surpresa e estarrecimento Gavião saboreava na maior tranquilidade os dedos assados dos dois bandidos. Meu avô entrou em casa assustado com o que viu e contou a minha avó que ficou mais desesperada ainda. Os três mais minha tinha resolveram ficar calados e fazer que não viram nada. Passaram-se alguns dias. Quando tudo parecia ter terminado, minha avó e sua filha começaram a sentir falta das galinhas que criavam soltas no quintal. Já ressabiadas descobriram que Gavião adquirira o hábito por comer carne vermelha e o cheiro de galinha assada passou a ser mais frequente para os lados de onde morava o Gavião. A preocupação só aumentou. Até que o pior aconteceu. Uma tarde meu avô sentiu falta do velho Fox pelo qual Gavião não nutria a menor simpatia. Meu avô gritou, assobiou e nada do Fox aparecer. O que apareceu mais uma vez sentiram foi um cheiro de carne queimada e uma fumaça forte vinda da casinha do Gavião. Meu avô foi lá ver para conferir do que se tratava. E para seu espanto Gavião sentado no chão devorava parte do Fox sem a menor cerimônia. Nem a presença dele ali fez ele parar de saborear o velho cão. Aquilo foi a gota d'água. Após contar o ocorrido em casa, no dia seguinte foi à Vila e contou tudo para o policial de plantão. Eles concluíram então que o Gavião era um caso perdido e com certeza teria um desvio psiquiátrico forte sendo então um perigo para eles que o davam abrigo e para os habitantes da Vila. Ficou decidido então que na manhã seguinte eles iriam prender provisoriamente Gavião até que o mesmo fosse transferido para uma colônia penal para pessoas com doenças mentais. E foi o que fizeram sem antes recrutar mais um soldado para ajudá-los. Não foi tarefa difícil. Gavião veio tranquilo pois não tinha a menor ideia do que seria uma prisão. A cadeia da Vila era muito pequena. Na realidade uma garagem improvisada pois pouquíssimas pessoas cometiam algum delito para serem lá trancafiadas. Foi para que levaram Gavião provisoriamente.  Abriram a porta e pediram para ele entrar. Gavião entrou numa boa. O ambiente era meio escuro mais o suficiente para Gavião com seu olhar sempre aguçado enxergar tudo à sua volta. E de repente fez uma coisa que jamais tinha feito antes. Sorriu. Um sorriso largo e assustador, mais sorriu. O que será que teria levado Gavião a fazer aquele gesto incomum? Sentados no fundo da sala tremendo de medo encontravam-se nada mais nada menos aqueles dois que emprestaram seus oito dedos para o seu batismo com carne vermelha e humana. O guarda fechou a porta da sela. No dia seguinte descobriram que Gavião tinha batido asas e sumido não se sabe para onde. O que restou foram dois cadáveres mutilados faltando-lhes partes dos corpos.

*Clovis de Barros filho nasceu na Serra da Prata (Iatecá). Estudou no Colégio Diocesano de Garanhuns do Admissão ao Científico onde concluiu em 1968. Reside em São Paulo desde 1970. É Licenciado e Bacharel em Química Industrial pela Universidade de Guarulhos e Químico Industrial Superior pelas faculdades Osvaldo Cruz/SP.

Imagem: www.nicholas-wade.com 

quinta-feira, 12 de março de 2020

SENAC SELECIONA GESTOR PARA UNIDADE DE GARANHUNS

O Senac Pernambuco abriu processo seletivo destinado ao preenchimento da vaga de Assessor Técnico I – Gestor de Unidade Educacional, para atuar na unidade da instituição em Garanhuns. O salário inicial, no período de experiência, é de R$ R$ 6.996,96 (seis mil, novecentos e noventa e seis reais e noventa e seis centavos), mais a gratificação da função.  Para se candidatar, os interessados devem ter nível superior completo, preferencialmente em Administração ou Pedagogia com especialização lato ou stricto sensu; experiência mínima de trabalho (comprovada) de dois anos em Gestão e, obrigatoriamente, fixar residência em Garanhuns.

Os interessados na vaga devem enviar currículo, comprovantes de experiência e escolaridade, por e-mail, para o endereço rhsenac@pe.senac.br, até às 23h59min, do dia 16 de março, colocando no assunto Processo Seletivo - Assessor Técnico I – Gestor | Garanhuns.

O processo seletivo será composto por cinco etapas: inscrição na vaga, análise dos currículos de acordo com os requisitos mínimos para o cargo; avaliação de conhecimentos; avaliação individual técnica e avaliação individual comportamental. O Senac Pernambuco é instituição de direito privado e suas contratações são realizadas pelo regime da Consolidação das Leis do Trabalho – CLT. Para este cargo, a carga horária de trabalho é de 40h semanais, de segunda à sexta-feira. Outros benefícios oferecidos são: vale alimentação; vale transporte; assistência médica (opcional - com participação financeira do empregado) e assistência odontológica (opcional).

O edital completo com o cronograma e outras informações sobre o processo seletivo está disponível no site do Senac, por meio do link http://www.pe.senac.br/trabalhe-conosco/.

FERNANDO RODOLFO TENTA PARAR TRAMITAÇÃO DE PROJETO QUE ATINGE TERRAS INDÍGENAS

Do Blog do Edmar Lyra

O deputado federal Fernando Rodolfo (PL-PE) apresentou requerimento à Mesa da Câmara solicitando a suspensão imediata da tramitação do projeto de lei 191/2020, enviado pelo governo, que permite a exploração produtiva de terras indígenas. Rodolfo, que considera a iniciativa “uma arbitrariedade”, justifica ser a proposta “flagrantemente” inconstitucional, sob o argumento de que projeto de lei ordinária não pode alterar a Constituição.

O PL 191/2020, encaminhado pelo governo no início de fevereiro, foi distribuído para oito comissões. Como determina o regimento interno da Câmara para propostas despachadas a mais de três comissões, será examinado inicialmente por uma comissão especial. “É um projeto que não merece guarida na Câmara, porque é uma ofensa aos direitos dos povos indígenas”, declarou Rodolfo em entrevista à TV Câmara.

Com 46 artigos, o projeto de lei, que visa “regulamentar” os artigos 176 e 231 da Constituição, permite a lavra de minérios e a geração de energia elétrica em terras indígenas. “A Constituição trata as terras indígenas como inalienáveis e indisponíveis. Pra mudar isso teria que ser através de uma PEC (proposta de emenda à Constituição) e não por meio de uma lei ordinária”, argumenta o deputado.

Fernando Rodolfo participou, ontem (quarta, 11), de reunião da Frente Parlamentar Mista em Defesa dos Direitos dos Povos Indígenas, que contou com a presença de apenas quatro deputados, sendo ele o único do nordeste a estar presente. “Vamos, todos juntos, independente de partidos, defender as causas indígenas com unhas e dentes”, conclamou Fernando Rodolfo na reunião.

IGREJA KERIGMA DE GARANHUNS REALIZA 3º CONGRESSO DE CASAIS


A Igreja Kerigma estará  realizando um evento para Casais, neste sábado,  dia 14/03/2020, em nossa sede, na Rua Joaquim Távora, 44, a partir das 15 horas.

DOM PAULO JACKSON RECEBERÁ TÍTULO DE CIDADÃO HONORÁRIO DE PERNAMBUCO

Dom Paulo Jackson e Sivaldo Albino
Os parlamentares pernambucanos aprovaram por unanimidade projeto do deputado Sivaldo Albino (PSB) que concede o Título Honorífico de Cidadão Pernambucano ao Bispo Diocesano de Garanhuns, Dom Paulo Jackson, atual presidente da Regional NE2 da CNBB.

Segundo Sivaldo, a proposta foi apresentada como reconhecimento do trabalho feito pelo religioso na Diocese de Garanhuns e a forma natural com a qual tem defendido Pernambuco, com altivez, paixão e conhecimento. 

A Assembleia Legislativa do Estado ainda vai marcar a data para a solenidade de entrega do título a Dom Paulo, que deverá ser bastante prestigiada, inclusive com a participação da sociedade garanhuense e representantes religiosos de várias regiões do estado e do Nordeste.

Dom Paulo Jackson Nóbrega de Sousa é o bispo diocesano de Garanhuns desde 20 de maio de 2015, nomeado pelo Papa Francisco. 

Nascido em 17 de abril de 1969 em São José de Espinharas, Paraíba. Sua ordenação presbiteral aconteceu em 17 de dezembro de 1993. Em maio de 2019, Dom Paulo foi eleito presidente da Regional NE2 da CNBB.   

WALMIRO E FORRÓ PHOENIX ANIMAM SESC NIGHT EM GARANHUNS

O Sesc vai realizar neste fim de semana mais uma edição do Sesc Night em Garanhuns. A festa dançante será nesta sexta-feira (13/03), no Salão de Eventos Jaime Pincho, às 21h, e vai ter como atrações o cantor e sanfoneiro Walmiro e a banda Forró Phoenix. Os ingressos custam R$ 16, mas os trabalhadores do comércio e seus dependentes com o cartão Sesc têm desconto e pagam R$ 8.

Walmiro é de Jupi, cidade que fica a 25 Km de Garanhuns, e vai apresentar um repertório com os mais famosos clássicos do autêntico forró pé-de-serra. Em períodos de festas juninas, é requisitado por diversas cidades do Agreste Meridional. “É, sem dúvida, uma atração que promete fazer os casais dançarem muito em mais um Sesc Night”, afirma Marcos Gonçalves, instrutor de atividades recreativas do Sesc Garanhuns.

FUNDAJ RECEBE ACERVO DE MAXIMIANO CAMPOS

Em 20 de março de 2020, em solenidade programada para às 10h, no 3º andar,da Biblioteca Blanche Knopf, no campus Apipucos, na Rua Dois Irmãos, 92, no bairro de Apipucos, na zona norte do Recife, a Fundação Joaquim Nabuco vai receber a doação do acervo do escritor Maximiano Campos, doado pelo presidente e herdeiro Antonio Campos.

PREFEITURA DE OLINDA - PE REALIZA PROCESSO SELETIVO COM 31 VAGAS PARA MÉDICOS

O contrato de trabalho terá duração inicial de 12 meses. Se houver entendimento entre as partes, este tempo poderá chegar aos 24 meses.

Como informado anteriormente, o processo seletivo ofertará 31 vagas. Os concorrentes precisam ser formados em Medicina e terem registro no CRM. Além disso, algumas funções ainda exigem especializações. Confira na tabela abaixo mais detalhes:

Como se inscrever no processo seletivo Olinda - PE

Não existe previsão de cobrança de taxa de participação para o processo seletivo. As inscrições deverão ser feitas pessoalmente, na Secretaria de Saúde de Olinda, situada na Rua do Sol, n° 311, Carmo, Olinda - PE. O horário de atendimento é das 8h às 15h.

Click no link abaixo e saiba mais:

quarta-feira, 11 de março de 2020

SESC PROMOVE OFICINA SOBRE COMPOSIÇÃO DE CENÁRIOS TEATRAIS EM GARANHUNS

O planejamento da construção e montagem de cenários teatrais são os objetos de estudo de uma atividade formativa que o Sesc realiza esta semana em Garanhuns. É a oficina de Cenotecnia que acontece de quinta (12) a domingo (15), no Centro de Produção Cultural, Tecnologia e Negócios do Sesc (CPC). Nos dias 12 e 13, as aulas serão das 18h às 22h, e nos dias 14 e 15, das 8h às 12h. As inscrições estão abertas e custam R$ 40. Os trabalhadores do comércio e dependentes com o cartão Sesc têm desconto e pagam R$ 20.

O instrutor será Eduardo Autran, cenotécnico profissional com mais de 20 anos de experiência. A oficina vai abordar a evolução da cenotecnia na história das artes cênicas, desde os primórdios até os dias atuais. Serão utilizadas ferramentas práticas como tipos de nós, ancoragem, pisos, amarras, garras e prendedores e fitas. Os alunos também aprenderão noções de segurança, execução dos projetos cenográficos, enquadramento de elementos, adereços e mobiliários, além de estudos de croquis e plantas.

ALTAMIR E MAGANO DEFENDEM MAIS RESPEITO A GARANHUNS

Do Blog do Roberto Almeida

Carlos Magano, que é pré-candidato a vereador de Garanhuns, irá, juntamente com o articulista Altamir Pinheiro, reunir cabeças pensantes da cidade para elaborar um estudo e em seguida redigir um documento para entregar ao próximo prefeito do município.

Uma das bandeiras de Magano em sua campanha será a defesa de que Garanhuns volte a comemorar sua emancipação política no dia quatro de fevereiro de cada ano.

Caso seja eleito, Carlos pretende envolver a Câmara e a Sociedade Civil, através de um plebiscito ou referendum para resolver de vez essa questão a respeito do aniversário da cidade.

Altamir Pinheiro e Carlos Magano compartilham da ideia de que fizeram um arrumadinho vergonhoso que humilha o município, ao mudar a data de aniversário para o dia 10 de março com objetivos políticos.

“Garanhuns é uma cidade centenária e não bicentenária. Esses pesquisadores fajutos estão fazendo palhaçada com a terra dos guarás e anuns”, dispara Altamir.

Os dois garanhuenses são intransigentes na defesa dos interesses do município e acreditam que a cidade merece respeito, não pode ser joguete nas mãos de políticos e falsos estudiosos.

Altamir Pinheiro é colaborador regular deste blog. Carlos Magano é cantor, compositor e dirigiu jornais que circularam em Garanhuns num passado recente.

Essa polêmica vem sendo alimentada desde que o atual prefeito, Izaías Régis, mudou a data do aniversário da cidade. Na ocasião o jornalista e advogado Manoel Neto Teixeira escreveu um artigo, publicado em primeira mão no Jornal do Commercio, dizendo que a mudança na data foi um retrocesso, pois Garanhuns passou a comemorar o aniversário na data em que virou vila e não cidade.

Grandes e pequenos municípios do Brasil, como São Paulo, Recife, Salvador, Olinda, Lajedo, Caetés e Capoeiras comemoram sua emancipação na data em que foram elevados à categoria de cidades.

LIBERDADE - TIPO POPULAR DE GARANHUNS

Garanhuns, PE - Parque Ruber van der Linden (Pau Pombo)

Aparecera com o mesmo aspecto e indumentária dos outros tipos populares. Parecia que jamais conhecera qualquer carinho humano. O ambiente em que vivera lhe foi muito hostil. O desconforto constituía a sua condição de ser humano. Não tinha residência. Trouxera consigo o destino  de pernoitar pelas ruas sujas de nossa cidade, de então. Alimentava-se das sobras de comidas jogadas ao lixo. Assim conseguia enganar o estômago torturado pela fome voraz. Tudo lhe fora mesquinho, de grande só conhecia a necessidade. Não o sabemos a quem atribuía tamanha desventura. Seu coração estava purificado pelo sofrimento.  Quando  lhe indagava a sua origem, mostrava-se visivelmente contrariado. Portador de algo misterioso não gostava de quem tentasse desvendá-lo. 

O homem é o rei da criação é um fim em si mesmo. Descobrir a sua criagem e seu destino, é querer penetrar nos arcanos do universo hominal. Esses comentários lhe davam ares de um sujeito a quem a miséria ensinara a sabedoria da vida. Infundia certo respeito como se a sua personalidade fosse produto do meio ambiente. E determinasse as suas atitudes. Seu tipo era de um sujeito apresentável estatura regular, cor branca e macerada, olhos tristes e sombrias. Fronte calva e ativa de quem estava conformado com a sua desventura. Tinha uns conceitos próprios a respeito das coisas e dos homens.

Não gostava dos grandes, dos chamados novos ricos, dos novatos da riqueza como o denominava essa turma de endinheirados. Dizia que essa qualidade de gente era muito besta e prepotente.  Coerente com os princípios de filosofia, considerava-se irmão no sofrimento de todos os miseráveis que perambulavam pela terra. Aqui, chegara sem se saber de onde nem quando. Surgira de surpresa como todas as madrugadas para os que dormem. Seu verdadeiro nome era ignorado. Chamavam-no de "Liberdade". Talvez pelo hábito de dizer: "Eu não dou e nem quero liberdade com ninguém". Como se vê a palavra liberdade para ele possuía um sentido especial. Representava algo imprestável pelo uso de tantas promessas fementidas feitas em seu nome. Por isso quando alguém dele se aproximava: dizia logo - "Vai rapaz pra lá quem te chamou aqui não sabes que não dou e nem quero liberdade".

Era uma maneira toda especial de evitar o contrário asqueroso dos que tripudiam por sobre o cadáver da miséria humana. Não lhe seduziam as aproximações com pessoas ou coisas do ambiente indiscreto das ruas e das praças. A praça é do povo e o povo era ele e mais ninguém. "Liberdade... Liberdade... "Abre as asas sobre nós...".

Não... Não gostava desse pensamento do poeta condoeiro. Preferia sempre viver em contato com a terra escaldante dos caminhos escuros de sua vida atribulada. Durante o tempo que aqui passara jamais  o vimos trabalhando. Era como os capitalistas de todo mundo não tinha profissão. Vivia  da multiplicação das suas próprias misérias. Assim liberdade apenas ocupava um corpo no espaço e nada mais.

Num dia cheio de sol, quando desfilava pela Avenida Santo Antônio, na tradicional procissão do "dia de ano" o corpo de "Liberdade" fora encontrado morto, dentro de um botequim de palha de coqueiro verde. Desprezado como vivera e lá passou até o dia seguinte quando foi jogado esse resto de amargura, num esquife de terceira. Levado para o cemitério local, onde repousa entre outros que foram mais felizes do que ele na vida mas que tiveram o mesmo destino na morte.

*José Francisco de Souza
Advogado, cronista, historiador e jornalista
05 de Junho de 1982

NOSSOS TIPOS, NOSSA GENTE

Depois que o Delegado Valtaso, irritadíssimo, sentou-se à sua escrivaninha, o cabo Simão penetrou imediatamente no recinto segurando um pobre rapaz pelo cinto.

- Então, disse o Delegado fulo de raiva, é esse o patife que vocês deixaram escapar?

Ninguém respondeu.

Quando o soldado Benedito quis tentar justificar a fuga do prisioneiro, o Delegado bateu violentamente na mesa e num estertor de raiva vociferou:

Cale-se seu banana! Procure, a partir de hoje, honrar mais a sua farda, não permitindo jamais que  um mero palhaço desse tipo escape de suas mãos.

O pobre rapaz manteve-se cabisbaixo sem sequer olhar para o Delegado, enquanto o soldado, em posição de sentido, ouvia claramente os insultos do seu  superior.

O sargento Verruga, como era conhecido, disse qualquer coisa ao ouvido do Delegado, tendo este, logo depois, ordenado ao Cabo Simão que soltasse o prisioneiro.

- Eu bem que gostaria, disse o delegado, de saber como esse patife conseguiu fazer vocês de bobo, e encarando o prisioneiro ordenou-lhe que contasse sua história; antes, porém, enunciasse o seu nome.

- A HISTÓRIA -

Nhô sim, Dotô Delegado;
Eu me chamo Zé Mané
Mas todos por apelido
Só me chamam Capilé;
Moro lá no Riachão
Com meu pai e dois irmão
Cinco fio e a mulé.

Sempre fui home dereito
E nunca tive uma intriga;
Pra dizer mais a verdade
Eu nunca provoquei briga
Mesmo fora de furdunço
Eu nunca temi jagunço;
Os santos do Céu que diga.

Entonce o que se passou
Foi caso inté engraçado;
Eu tava comendo jaca
Num cantinho acocorado;
Veja o fute cuma é!
Pois um diabo de mulé
Fez um baburim danado.

Aquela mardita
Num caroço escorregou;
Inté mesmo nem dei fé
Daquilo que se passou;
Assim, Dotô Delegado,
Olhando um pouco de lado
Vi que a mulher se assentou.

Inté fiquei espantado
Quando vi o arvoroço,
Tive um susto tão danado
Que engoli um caroço;
Quando levantei do chão
Recebi um bofetão
Neste lado do pescoço.

Quando a raiva me cegou,
Todo meu sangue ferveu;
Vendo a mulher maltratando
Dizendo que dava neu,
Eu fiquei todo doidão;
Bati com ela no chão
E a polícia me prendeu.

Assim mesmo eu reagi:
Dei pontapé, cabeçada,
Pulava feito cabrito
Prá não leva borrachada;
De pancada fiquei rôxo,
Mas provei que não sou frôxo
E não fugi da parada.

Assim, Dotô Delegado, 
Aquela mulher matraca
Além de curpá a mim
Curpô também minha jaca;
O sordado Benedito
Na hora que ouviu o grito
Tomou logo minha faca.

E começou o zum zum;
Dei coice pra todo lado;
Quem tivesse à minha frente, 
Fosse sirvi ou sordado.
E naquele barburim
Eu notei que atrás de mim
Tinha um fuzil apontado.

Vendo aquilo me entreguei;
Que havera de fazer?
Ma bater com três sordado
Era na certa morrer;
Foi quando o cabo Simão
Segurou meu cinturão
Pra eu não poder correr.

Já na rua caminhando
Meu desejo era fugir
Pensei diversas maneira
De poder escapulir;
Cada passo farseado,
Um empurrão do sordado
E um grito tinha que ouvir.

Cuma sou caba de peia,
Tive uma boa noção;
Afrouxei logo a fivela,
Fiz finca-pé com ação;
E num arranco bendito
O sordado Benedito
Ficou com meu cinturão.

Não Tive ajuda da sorte
Logo adiante tropecei
Naquela mardita pedra
Que bem na frente topei;
Fui preso na ocasião
sem nenhuma reação
Quando então me comportei.

Assim, Dotô Delegado,
Faça o que deve fazer;
Me bote até no xadrz
Se de fato eu merecer.
O que sou não é segredo;
De ninguém eu tenho medo,
Suceda o que assuceder.

Maviael Medeiros
Escritor, cronista e historiador
Garanhuns, 5 de Junho de 1982

VIAGEM FOTOGRÁFICA AO PASSADO DE GARANHUNS - DÉCADA DE 1940


Carnaval em Garanhuns - Rua do Recife (Dr. José Mariano) - Foliões - João Domingos da Fonseca e Mário Matos.
Imagem / Os Aldeões de Garanhuns / Alberto da Silva Rêgo / Coleção Tempo Municipal - Centro de Estudos de História Municipal

SIVALDO ALBINO TEM DIA DE ENCONTROS POLÍTICOS EM BRASÍLIA

Jarbas Vasconcelos e Sivaldo Albino

Do Blog do Ronaldo Cesar

Ainda em Brasília, onde participou da Audiência Pública especial na Câmara Federal em homenagem aos 209 anos de Garanhuns, o deputado estadual Sivaldo Albino aproveitou a terça-feira (10) para visitas e reuniões com parlamentares, levando demandas aqui do município.

Um desses encontros foi com o senador Jarbas Vasconcelos, que fez questão de registrar em suas redes sociais: "Registro do encontro que tive nesta terça (10), aqui no Senado Federal, com o deputado estadual e pré-candidato a prefeito de Garanhuns, Sivaldo Albino (PSB). Além de conversarmos sobre o cenário político nacional e sobre as eleições municipais deste ano, já estamos discutindo futuras emendas em beneficio do atendimento de saúde da cidade." https://www.instagram.com/jarbas156/

Além de Jarbas, Sivaldo também teve encontros com os deputados João Campos, Gonzaga Patriota, Fernando Monteiro, Raul Henry e André de Paula, presidente estadual do PSD. Com o deputado Fernando Rodolfo, que presidiu a solenidade em homenagem a Garanhuns, Sivaldo conversou ontem mesmo, aproveitando o encontro em plenário.

terça-feira, 10 de março de 2020

PREFEITURA DE SÃO LOURENÇO DA MATA ABRE SELEÇÃO PARA 942 VAGAS

Estão abertas as inscrições para uma seleção simplificada para contratar 942 profissionais para atendimento das Secretarias Municipais de Assistência Social e Educação do município de São Lourenço da Mata, na Região Metropolitana do Recife (RMR). As oportunidades são para os níveis Fundamental, Médio e Superior.

São 824 oportunidades para a Secretaria de Educação e 118 para a Secretaria de Assistência. Os salários variam entre R$ 1.045 e R$ 2,8 mil. As inscrições vão até o dia 20 de abril. O resultado será divulgado no dia 18 de maio.

O processo seletivo será realizado em uma única etapa: Análise da Experiência Profissional e de Títulos, sendo eliminatória e classificatória. Para se inscrever, o candidato deve obrigatoriamente acessar o site da organizadora www.institutodarwin.org, fazer seu cadastro e anexar os documentos pessoais digitalizados.

O edital está disponível no Diário Oficial do Município de São Lourenço da Mata e no site www.institutodarwin.org. Do total de vagas ofertadas por função neste Edital, 5% será reservada para pessoas com deficiência.

O candidato deverá efetuar o pagamento da taxa de inscrição, no valor de R$ 34 para cargos de nível fundamental, R$ 40,00 para cargos de nível médio/técnico e R$ 45,00 para cargos de nível superior, através de boleto bancário.

Vagas na Secretaria Municipal de Assistência

Para Nível Superior, são 26 vagas para os cargos de consultor jurídico (1), assistente social (11), supervisor técnico (1), coordenador (3) pedagogo (2), psicólogo (6), educador físico (1) e contador (1).

Também estão disponíveis 54 oportunidades para o Ensino Médio. Os cargos são de supervisor de cadastro único (1), auxiliar administrativo (25), auxiliar de contabilidade (1), cuidador (12), educador social (5) e entrevistador. Para o Nível Fundamental, há 38 vagas. As oportunidades são para cozinheiro (3), motorista (5), serviços gerais (14), vigia diarista (6), vigia plantonista (10).

Vagas na Secretaria de Educação

Para Nível Superior, são 353 oportunidades para psicólogo educacional (2), nutricionista (2), professor de Braile (2), professor de Libras (4), professor de anos iniciais (215), professor de Ciências anos finais (17), professor de Educação Física anos finais (9), professor de Arte anos finais (2), professor de Geografia anos finais (12), professor de História anos finais (14), professor de Inglês anos finais (4), professor de Matemática anos finais (30), professor de Português anos finais (40).

São 133 vagas para Nível médio. As oportunidades são para auxiliar administrativo (100), auxiliar de disciplina (18) e auxiliar de transporte escolar (15). Também há 338 vagas para Nível Fundamental. Os cargos são de auxiliar de serviço de manutenção (8), auxiliar de serviços gerais (105), merendeira (90), motorista (5) e vigia (130).

Com informações do Portal Folha de Pernambuco

DIOCESE DE GARANHUNS ORIENTA SOBRE O CORONAVÍRUS

Dom Paulo Jackson
Em nossa Diocese de Garanhuns, é imensa a devoção das pessoas a São Sebastião intercessor, diante de Deus, em casos de fome, guerra e epidemias. As pestes e epidemias já foram tantas, ontem e hoje. Recentemente, fomos afligidos pela SARS (Síndrome Respiratória Aguda Grave), Gripe HINI. Dengue, Zika, Chikungunya, Sarampo e Febre Amarela, entre outras A ciência tem avançado muito, e verdade Nosso olhar e de esperança, sobretudo por causa de nossa fé em Deus. Ele nos capacita a enfrentarmos os sofrimentos da vida.

É preciso, contudo, prevenção e precaução. Assim, estabelecemos que as paróquias santuário, capelas e oratórios tomem os seguintes cuidados:

ORIENTAÇÕES SOBRE O COVID-19

1) Evite-se o aperto de mãos na acolhida dos fiéis; 
2) Evitem-se as mãos dadas na Oração do Pai Nosso; 
3) Omita-se a saudação no Rito da Paz; 
4) Os ministros higienizar bem as mãos, antes da Santa Missa, com água e sabão; 
5) A Sagrada Comunhão seja distribuída somente na espécie de pão, exceto para os casos especiais como o dos celíacos Além disso por período transitório esta deve ser distribuída somente na mão. Que o fiel forme um trono para Cristo, pondo a palma da mão esquerda sobre a palma da mão direita, e leve ele mesmo a comunhão à boca; 
6) Ore-se diuturnamente pelas vitimas e seus familiares, pelos cientistas, e para que a medidas tomadas pelos poderes públicos sejam eficazes.

A todos os homens e mulheres de boa vontade, admoestar, como já feito pela Arquidiocese de Olinda e Recife: 

1) Lavar corretamente as mãos várias vezes ao dia; 
2) Utilizar lenço descartável para higiene nasal; 
3) Ao tossir ou espirrar, utilizar lenço ou o antebraço sobre a boca; 
4) Evitar tocar os olhos, o nariz e a boca apos contato com superfícies varias; 
5) Manter os ambientes bem ventilados; 
6) Evitar contato próximo com pessoas que apresentam sinais da doença; 
7) Que o doente não saia de casa no apresentar sintomas da doença; 
8) Em caos mais graves, procurar imediatamente o hospital; 
9) Repouso e ingestão de líquidos;
10) Alimentação adequada, especialmente com fontes de Vitamina C.

Garanhuns, 09 de março de 2020.
Dom Paulo Jackson Nóbrega de Sousa 
Bispo de Garanhuns