sábado, 9 de maio de 2020

OUVIDORIA DO ESTADO RECEBE QUASE 1.500 MANIFESTAÇÕES SOBRE A COVID-19 EM DOIS MESES


A Ouvidoria-Geral do Estado (OGE) registrou, entre março e abril, quase 1.500 manifestações relacionadas ao novo coronavírus. De acordo com levantamento realizado pela Coordenação da Rede de Ouvidorias do Poder Executivo, esse número representa perto de 10% do total de manifestações recebidas nesse período, que somou 15.753. Fazendo um recorde dos meses, as demandas praticamente dobraram, passando de 490 em março para 965 no mês seguinte. Em termos percentuais, o total de manifestações referentes à Covid-19 subiu de 5% para 16% do total de contatos recebidos pela rede.

Os assuntos mais procurados pela população foram informações gerais sobre a doença e sobre as ações do Governo do Estado no combate à pandemia (45%), dúvidas sobre o auxílio emergencial do Governo Federal (14%), cartão-alimentação destinado aos estudantes da rede estadual de ensino (5%) e seguro-desemprego (4%).

Para a secretária da Controladoria-Geral do Estado e Ouvidoria-Geral, Érika Lacet, esses números são bastante expressivos, uma vez que refletem a necessidade da população de buscar informações em fontes confiáveis. “Num momento em que existem tantas fake news circulando, as pessoas sabem que podem ter uma resposta séria e precisa da gestão estadual. E o governador Paulo Câmara já determinou que esse trabalho de atendimento ao cidadão nos casos relacionados à Covid-19 é sempre uma prioridade”, destacou.

ORIENTAÇÕES GERAIS - Com o objetivo de agilizar o atendimento das manifestações relacionadas ao novo coronavírus, a OGE recomenda que as demandas sejam realizadas diretamente por meio dos telefones 190, da Secretaria de Defesa Social (SDS), e 136, do Ministério da Saúde. No primeiro número, devem ser comunicadas apenas as situações que precisam de atuação policial. Já no outro, chamado de Disque Saúde, é possível receber informações gerais sobre a doença.

Para os demais assuntos, a OGE, vinculada à Secretaria da Controladoria-Geral do Estado (SCGE), orienta que os cidadãos utilizem as plataformas online disponibilizadas pela Rede Estadual de Ouvidorias: o site (www.ouvidoria.pe.gov.br) ou o e-mail (ouvidoria@ouvidoria.pe.gov.br). Também é possível ser atendido pelo número 162 (ligação gratuita de telefone fixo e celular), que está funcionando das 10h às 16h, de segunda a sexta-feira.

Dentro das ações de enfrentamento ao novo coronavírus, a Ouvidoria-Geral do Estado informa que foram suspensos temporariamente os atendimentos presenciais.

NOVE DE MAIO

Há datas que não saem de nossas cabeças, e, portanto, precedem a quaisquer outras, sem desdouro de nenhuma delas. E eu refiro: são as datas que estão em nossos corações, porque delas fomos coautores, desde seu germinar. A essas datas, preconiza-se todo Santo Dia. Com grande alegria e com imensa ternura.

Tenho três em minha mente: nove de maio, onze de agosto e dez de dezembro. Para elas, bato palmas. Para elas, estampo alegria. Aqui, já madrugada dessa quinta-feira. Acordo. Vou ao banheiro. Perco o sono. Pego do celular, e vejo uma postagem de minha caçula Giovanna, que vive em Austin, capital do Texas, com seu esposo e filhinhas, minhas netinhas.

"Vamos fazer uma surpresa pra Dinho e mainha no sábado. Algo parecido com o vídeo sobre nossa família que você fez." 

Alegre com a postagem, penso: agora, difícil retomar o sono. E respondo: "Que legal, filhinha. Eles vão ficar muito felizes. Dia nove de maio nascia nosso primogênito. Seu nome, ainda na sala de parto, quem deu foi sua mãe: Givaldo Calado de Freitas Filho.

'Mas Emília...'

'Mas eu quero!'

Obediente, fui para o Cartório. Mas, hoje, confesso, fiquei muito feliz. Pelo nascer. Pelo nome. E pela súbita honra que Emília me prestava.

Na mesma Maternidade, cerca de dois anos depois, nascia Germana. A ela dei esse nome, com o aval de sua mãe, nome, inspirado no nome da Diretora da Maternidade, Madre Germana. 'Que menina linda! Cabeluda.'

Por fim, Giovanna, esse, nome escolhido por sua mãe: 'Temos, agora, três G’s, filhos'

'Por enquanto, né?

Já, já, o quarto..., vamos pra mais.'

'Não! Doutor Henrique disse que mais, não. Não posso.'

Essa a história dos primeiros dias de vocês, nossos três G’s, queridos.

Nossos filhos maravilhosos que só nos dão alegrias. E para quem pedimos a Deus, todos os dias, proteção e felicidade.

Com a terra parada. Todos cônscios do 'FIQUE EM CASA', 'USE
MÁSCARA'... As minhas bênçãos, extensivas a todos."

De repente, mal encerro essas linhas, Germana, lá da Califórnia:

"Família querida!

Amanhã (9), será dia de festa. Vamos nos reunir para comemorar duas pessoas maravilhosas nas nossas vidas: Dinho e Mainha.

Vamos fazer uma conferência, via Zoom, às 10h00, em São Francisco; 12h00, em Austin; 6h00, em Lisboa e 2h00, em Recife/Garanhuns."

É! Tempos de pandemia.

GIVALDO
Calado de Freitas

INSTITUTO CHICO MENDES COM MAIS DE 500 VAGAS PARA BRIGADISTAS E CHEFE DE ESQUADRÃO


O ICMBio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) está contratando brigadistas e Chefe de Esquadrão para atuarem na brigada temporária de prevenção e combate a incêndios florestais e apoio operacional.

Atualmente encontram-se em aberto 525 vagas, além das outras que já tiveram seus processos seletivos encerrados. As oportunidades são para reservas ambientais localizadas nos seguintes estados:

Amapá; 
Bahia; 
Ceará;
Espírito Santo;
Goiás;
Mato Grosso;
Minas Gerais;
Paraíba;
Paraná;
Pernambuco;
Piauí;
Rio de Janeiro;
Rio Grande do Sul;
Rondônia;
Roraima;
Santa Catarina;
São Paulo;
Tocantins.

Vagas e inscrição

A forma de inscrição para cada uma das vagas varia conforme o local de atuação, devendo o candidato ler com atenção o respectivo edital, que se encontra publicado no site do ICMBio.

sexta-feira, 8 de maio de 2020

A POESIA INOVADORA DE ASCENSO FERREIRA COMPLETA 125 ANOS

Lá se vão 125 anos de nascimento do poeta pernambucano Ascenso Ferreira (1895-1965), completados neste 9 de maio. Sua poesia regionalista virou marco do movimento modernista, apesar de muitos intelectuais acreditarem que regionalismo e modernismo eram como água e óleo. Por causa desse equívoco histórico, Ascenso Ferreira segue pouco lembrado e pesquisado, recordado apenas como figura folclórica e anedótica - homenzarrão de quase dois metros, chapéu grande de palha na cabeça, vozeirão e charuto na boca - e de poesia regionalista. É muito mais do que isso, como revela o livro Como polpa de ingá maduro: poesia reunida de Ascenso Ferreira, editado pela Cepe em 2015 e organizado pela doutora em Línguas Hispânicas e Literatura pela Universidade da Califórnia, Valéria Torres da Costa e Silva. “Ascenso inova na construção, nas melodias, ritmos e recursos poéticos que utiliza”, defende a autora, endossada pelo editor da Cepe, Diogo Guedes, para quem “a poesia de Ascenso é regida pelo signo do prazer na linguagem, no tom e nos temas, e ainda de um prazer mais despretensioso, que não precisa de muito mais do que a (re)descoberta do cotidiano, dos causos, das tradições, dos amores, da sátira e dos sons”, discorre Diogo. Ele sugere o livro da Cepe como “uma excelente introdução para quem quer conhecer o poeta pernambucano, e um apurado reencontro para os já familiarizados”. 

Destaque para o ineditismo da organização da edição, realizada a partir dos principais eixos temáticos que marcam a obra do poeta natural de Palmares, interior de Pernambuco: Tradição e modernidade; Cotidiano; e Amor. “Curiosamente, não apenas são poucas e modestas as edições da poesia de Ascenso, como é também escassa a crítica da sua obra”, lamenta Valéria, que passou 20 anos estudando o pensamento social e os movimentos literários que forjaram uma noção moderna de identidade cultural brasileira, com destaque para os anos 1920 e 1930. “Essas duas décadas são determinantes, para o bem e para o mau, sobre a forma como nós pensamos e nos enxergamos enquanto brasileiros. Ascenso Ferreira publica Catimbó (1927) e Cana caiana (1939) nesse período”, diz a pesquisadora, explicando como mergulhou em sua obra, sobre a qual se debruçou de 2008 a 2015. Ascenso depois lançou apenas mais um livro de poemas inéditos, Xenhenhém, em 1951. 

Houve, porém, quem reconhecesse a importância do trabalho de Ascenso Ferreira, como os também poetas Manuel Bandeira e Mário de Andrade, que escreve o artigo ‘Ritmo Novo’, no qual discorre que “só mesmo Ascenso Ferreira trouxe para o modernismo uma originalidade real, um ritmo verdadeiramente novo”. Mesmo pensamento não compartilham os demais. “A crítica literária mais recente - elaborada a partir dos anos 1960, em São Paulo - colocaram Ascenso como um tipo ‘saudável de regionalismo, que valorizava as tradições culturais da terra aliado ao espírito inventivo, inovador e irreverente do modernismo”, esclarece a pesquisadora. Só que o modernismo a que se referiam era o que ocorreu em São Paulo, em 1922, e que via características modernistas de outras regiões como regionalismos, apenas por não serem “paulistocêntricas” (palavra da autora), focadas no progresso industrial e urbano e mais ligado à vanguarda europeia do que a brasileira. A importância de lembrar Ascenso hoje, como diz Diogo, é “reiterar o modernismo brasileiro como uma pluralidade mais ampla do que a iniciativa de um grupo de autores paulistas”.

Mas Ascenso, precursor da segunda fase do modernismo brasileiro, - quando deixam de glorificar o ‘progresso’ para se dedicar às profundidades brasileiras em linguagem moderna - tinha plena consciência disso.  “A julgar por algumas entrevistas e declarações, ele se via como de fato era:um poeta modernista que escrevia a partir da sua ‘província’, Pernambuco. Ele buscou conjugar suas raízes culturais com os desafios da modernidade”. 

Os poemas apontam a simplicidade e o colorido da vida, a valorização das experiências sensoriais e afetivas e da contemplação. Nada mais atual nesses tempos de pandemia”, ressalta Valéria. A autora também pontua que mesmo quando de caráter anedótico, a poesia do autor também faz crítica social, como em Filosofia:

Hora de comer — comer!
Hora de dormir — dormir!
Hora de vadiar — vadiar!
Hora de trabalhar?
— Pernas pro ar que ninguém é de ferro!

“É uma crítica genial ao sistema de produção que ancora toda experiência moderna e tenta reduzir o homem à sua força de trabalho. Nesse poema de pouquíssimas linhas, Ascenso se insurge contra a objetificação do ser humano no sistema capitalista”, descreve Valéria.

Para conferir mais textos sobre o poeta, outra dica é acessar o arquivo do Acervo Cepe. (http://www.acervocepe.com.br/acervo/coletanea-do-suplemento-cultural--1986-2006-).

Em maio de 1990, quando Ascenso Ferreira completou 95 anos de nascimento, o então Suplemento Cultural - hoje Suplemento Pernambuco - lançou uma edição dedicada ao poeta. Com 25 páginas, o jornal todo em preto e branco traz na capa uma ilustração de Ascenso Ferreira criada pelo artista José Cláudio, que também assina um dos textos, assim como o cronista Joca Souza Leão. Há ainda ilustração de Augusto Rodrigues, fotografias do poeta com familiares, depoimentos de parentes e de poetas como Marcus Accioly, José Mário Rodrigues, Mário Souto Maior e Alceu Valença. Este último gravou Vou danado pra Catende, que contém versos de Trem de Alagoas, uma poesia ritmada que busca reproduzir o barulho do trem sobre os trilhos:

O sino bate,
o condutor apita o apito,
solta o trem de ferro um grito,
põe-se logo a caminhar...
— Vou danado pra Catende,
    vou danado pra Catende,
    vou danado pra Catende
    com vontade de chegar… (...)

UM ARROZ

Érica poetisa

A menina procurava o belo
entrou dentro da panela de pressão
procurou na bagunça do quarto
assistiu o programa da TV
viu pássaros no chão
olhou o céu
se lambuzou de sol
brincou na chuva
deitou debaixo de uma árvore amarela
encontrou um grão de arroz
segurou e analisou lentamente
sorriu
sorriu enquanto voava em pensamentos
deitou nas lembranças
abraçou o grão de arroz
descobriu além do belo.

CONSULTA AO TCE PASSAM A SER FEITAS DE FORMA ELETRÔNICA

Uma importante medida foi adotada pelo Tribunal de Contas do Estado em razão da pandemia da Covid-19. A instituição passou a adotar a modalidade do processo de Consulta apenas por meio eletrônico.

Com as atividades presenciais do TCE suspensas e a necessidade de os poderes públicos do Estado e dos municípios adotarem medidas para combater a pandemia, a solução vai permitir aos gestores que tirem dúvidas sobre as ações de enfrentamento ao coronavírus, dada a situação de calamidade pública. 

O processo de Consulta é a forma pela qual os órgãos públicos podem solicitar o entendimento do TCE sobre os mais diversos assuntos ligados à administração. Ao ser formulada, o processo de Consulta segue para o gabinete do conselheiro relator, que pode solicitar um parecer técnico da Coordenadoria de Controle Externo, um parecer jurídico do Ministério Público de Contas ou, ainda, uma proposta de voto da Auditoria Geral.

Formado o entendimento, o relator levará o processo à julgamento em sessão do Pleno. A resposta dada às Consultas vale como referência para todos os jurisdicionados no Estado.

Na quarta-feira (29), foi formalizado no TCE o primeiro processo de Consulta apresentado eletronicamente, feito pela Câmara Municipal de Sertânia, com relatoria do conselheiro Carlos Neves.

PROCESSO ELETRÔNICO - O sistema e-TCEPE é uma versão virtual dos processos instaurados no Tribunal, em substituição aos físicos (papel), que permite compor os autos processuais e o controle do trâmite processual através de sistemas informatizados, mediante a adoção de documentos eletrônicos.

Além de gerar transparência, agilidade, economia e estímulo ao controle social, o sistema garante a confiabilidade e a segurança das informações recebidas, já que a origem, as datas e os responsáveis pelo envio dos dados são conhecidos, mediante certificação digital em todos os atos processuais.

GIVALDO CALADO FAZ LIVE EM DEFESA DA CULTURA, DO TURISMO E DO ENSINO


CONCURSO PÚBLICO PREFEITURA DE JUREMA - PE


A Prefeitura de Jurema divulgou o edital de um novo Concurso Público que terá validade de dois anos, a contar da homologação do resultado final, com possibilidade de prorrogação por igual período. São 63 vagas em diferentes áreas.

Há oportunidades distribuídas para os seguintes cargos: Agente de Consultório Dentário de ISF (3); Assistente Escolar (5); Auxiliar de Sala de Parto; Condutor Socorrista; Coordenador de Controle Interno (1); Digitador (7); Defensor Público (1); Educador Social (5); Enfermeiro Obstetra; Engenheiro Civil (1); Farmacêutico (1); Médico Anestesista (1); Médico Cardiologista - Ambulatorista (1); Médico Cirurgião; Médico Clínico Geral - Ambulatorial (1); Médico Dermatologista (1); Médico Endoscopista (1); Médico Geriatra (1); Médico Gineco-Obstetra - Ambulatorista (1); Médico Pediatra - Ambulatorista (1); Médico Psiquiatra - Ambulatorista (1); Médico Plantonista (7); Médico - ESF (6); Professor de Educação Infantil (5); Recepcionista (5); Técnico em Enfermagem - Socorrista; Técnico em Laboratório (2) e Vigia (5).

Vale ressaltar que algumas destas chances são para pessoas que se enquadrem nos requisitos específicos no edital.

É necessário que os candidatos tenham ensino fundamental, médio/ técnico e superior nas áreas exigidas, idade mínima de 18 anos completos na data da posse, aptidão física e mental para o exercício das atribuições do cargo, além de outras exigências especificadas no edital.

Sob jornada de trabalho de 20 a 40 horas semanais, os contratados receberão salário base mensal que varia de R$ 1.045,00 a R$ 3.000,00.

Interessados poderão se inscrever a partir das 11h do dia 11 de maio de 2020 até o dia 7 de junho deste mesmo ano, exclusivamente via internet, no site da Funvapi. O valor da taxa a ser paga é de R$ 60,00 a R$ 100,00, entretanto, os candidatos que se encaixarem nos requisitos especificados, poderão requerer a isenção da taxa, por meio do envio dos documentos digitalizados para o endereço de e-mail comissaoconcursojurema@gmail.com.

Seleção

Para selecionar os candidatos, será realizada prova escrita objetiva, de caráter eliminatório e classificatório, com data de aplicação prevista para o dia 12 de julho de 2020. Além disso, também haverá prova de títulos.

O conteúdo programático será composto pelas disciplinas de: língua portuguesa, conhecimentos específicos, conhecimentos/ saúde pública, fundamentos da educação, matemática e raciocínio lógico.

A contratação dos profissionais será por meio do Regime Jurídico Estatutário. Demais informações podem ser obtidas por meio do edital oficial disponível em nosso site.

BRASILEIRO BEBE MENOS CERVEJA E LUCRO DA AMBEV CAI 56%

Bares por todo o Brasil fecharam apenas na segunda quinzena de março como medida para conter o avanço do novo coronavírus. Foi o suficiente para derrubar as vendas de cerveja da Ambev em 11,5% no primeiro trimestre, quando comparado com igual período de 2019, e derrubar o lucro da companhia em 56%. A gigante de bebidas teve lucro líquido de R$ 1,2 bilhão, bem abaixo do consenso das estimativas do mercado compiladas pela Refinitiv, de R$ 2,503 bilhões. Os resultados foram divulgados nesta quinta-feira (7).

A fabricante das cervejas Budweiser, Corona e Stella Artois apurou receita líquida de R$ 12,6 bilhões, 0,3% menor em relação ao primeiro trimestre de 2019. O lucro não foi impactado apenas pela redução nas vendas. A Ambev apontou aumento de custo de produtos vendidos de 10,5% no primeiro trimestre quando comparado com janeiro a março de 2019.

quinta-feira, 7 de maio de 2020

TCE E MPCO FAZEM RECOMENDAÇÃO AOS PREFEITOS SOBRE VERBAS DA COSIP

Em face da pandemia do coronavírus e da situação de emergência em que se encontram o Estado e municípios, o presidente do Tribunal, Dirceu Rodolfo, com aprovação de todos os demais conselheiros, e a procuradora geral do Ministério Público de Contas, Germana Laureano, expediram uma recomendação conjunta aos prefeitos dos municípios para que eles concedam isenção temporária e emergencial da contribuição para o Custeio do Serviço de Iluminação Pública (COSIP)  para determinados consumidores.

Na Recomendação Conjunta (TC n° 05/2020), publicada nesta quinta-feira (07) no Diário Oficial do TCE, ficou definido que os gestores devem conceder, por meio de lei municipal, isenção temporária e emergencial da contribuição para COSIP a unidades consumidoras enquadradas na subclasse residencial “baixa renda” pela Lei Federal nº 12.212, inscritas no Cadastro Único do Governo Federal, cujo consumo de energia elétrica, no período de 1º de abril de 2020 a 30 de junho de 2020, seja inferior ou igual a 220 kWh/mês.

A Recomendação tem como base a Medida Provisória nº 950, que dispõe sobre ações temporárias emergenciais destinadas ao setor elétrico para enfrentamento do estado de calamidade pública e o Decreto Estadual nº 48.971, que isentou, no período de 1º de abril a 30 de junho de 2020, do ICMS em relação à energia elétrica, o fornecimento para consumo residencial de baixa renda até a faixa de consumo de 220 KWh/mês.

Por fim, a Recomendação também define que deve ser utilizado prioritariamente nas ações de enfrentamento de emergências decorrentes da Covid-19 e mediante expedição de Decreto, o saldo dos recursos oriundos da desvinculação da COSIP, no limite de até 30% da receita total.

Sendo assim, para registro dos recursos desvinculados da COSIP, deverá ser criado desdobramento na fonte específica para que se preserve a respectiva origem e a destinação diversa, prevista na Constituição Federal, com descrição que identifique como recurso da COSIP para enfrentamento da Emergência no combate à Covid-19.

Também ficou definido que a utilização da receita em fim diverso do estabelecido não interfere nos critérios e nos componentes da Receita Corrente Líquida (RCL) dos Municípios, visto que considera a natureza das receitas correntes e não a sua destinação ou vinculação.

EM JANEIRO DE 1989, IVO AMARAL ASSUMIA PELA SEGUNDA VEZ O CARGO DE PREFEITO DE GARANHUNS

Ivo Tinô do Amaral
Em um dos pleitos mais disputados, Garanhuns viveu dias de festa por ocasião da campanha política, que envolveu Ivo Amaral, José Cardoso,  Givaldo Calado, José Estevão dos Santos e Carlos Moraes.

O principal oponente da chapa pefelista, no pleito daquele ano foi o líder popular José Cardoso, que apesar de ser uma liderança carismática perdeu a eleição por uma diferença de mais de dois mil votos.

As eleições foram realizadas em 15 de novembro de 1988, Ivo Amaral, tendo como seu vice o médico Esdras Cabral de Lima, é eleito para o segundo mandado de prefeito de Garanhuns. Ivo Amaral - 12.060 votos; José Cardoso - 9.643 votos; Givaldo Calado - 4.689; José Estevão dos Santos - 2.833 e Carlos Moraes 517 votos.

POSSE DE IVO AMARAL

Em 1º de janeiro de 1989, Ivo Amaral assumia pela segunda vez o cargo de prefeito de Garanhuns, tendo como vice o Dr. Esdras Cabral de Lima.

Foi na segunda administração à frente da Prefeitura de Garanhuns, que Ivo Amaral teve a oportunidade de criar o Festival de Inverno em 1991, além de concluir obras que constavam do programa de governo da sua primeira administração 1977/1982.

Entre os vários projetos que foram criados e desenvolvidos destacamos: Construção de 20 novas Unidades Escolares, ampliação de 5 outras, aumentando a capacidade da oferta escolar em mais de 40 salas de aula, além de recuperar 51 escolas; pavimentação de 200 ruas, com construção de galerias de águas pluviais, perfazendo um total de 100 km de vias pavimentadas e 60 km de galerias implantadas; Revitalização do parque Ruber van der Linden  (Pau Pombo); Recuperação do Centro Cultural Alfredo Leite Cavalcanti; Conclusão das obras de construção e instalação do Matadouro Industrial; Renovação da frota de veículos, com a aquisição de 2 caminhões basculantes, 2 caminhões com carrocerias compactadoras e mais 1 caminhão de carroceria; Construção e recuperação de praças e jardins: Espaço Cultural Luís Jardim, Praça Almira da Mota Valença, Tavares Correia, Souto Filho, Avenida Rui Barbosa, Pedro II, São Sebastião, Santo Antônio, Santa Terezinha e Jaime Pinheiro; Construção do Posto de Saúde, Dr. Othoniel Furtado Gueiros, no bairro Aloísio Pinto; Realização do I e II Festival de Inverno e a realização da primeira Garanheta em 1990.

Na sua primeira administração Ivo Amaral teve a oportunidade de comemorar o Centenário de Emancipação Política e Administrativa de Garanhuns. Foi através do Projeto de Lei do Deputado Provincial Silvino Guilherme de Barros (Barão de Nazaré), que foi sancionada a Lei nº 1309 em 4 de fevereiro de 1879 que emancipou Garanhuns. Neste período administrativo Ivo Amaral  implantou o Relógio de Flores, o único existente no Norte/Nordeste do Brasil, o cartão postal da nossa cidade, localizado na Praça Dr. Tavares Correia, bairro de Heliópolis.  Garanhuns tornou-se a primeira cidade do interior do Estado a ter suas ruas e avenidas asfaltadas e a iluminação com lâmpadas a vapor de sódio.

01/01/1989 - Ivo Amaral, Edjenalva e D. Francisca Amaral Tinô são recepcionados  pelos garanhuenses na chegada ao Palácio Celso Galvão


DISCURSO DA SOLENIDADE DE POSSE DE IVO AMARAL NA PREFEITURA DE GARANHUNS (01/01/1989)

Minhas Senhoras e Meus Senhores:

Quis a generosidade do povo de Garanhuns e a sua indômita vontade cívica, demonstradas nas urnas de 15 de novembro de 1988, que eu voltasse a ser Prefeito de todos os garanhuenses.

Portanto, aqui estou, mais disposto e consciente do dever a cumprir e ciente dos graves e inadiáveis problemas que tenho a enfrentar.

Garanhuns com cem mil habitantes e localizada em ponto privilegiado, quer pela sua altitude, quer pelas suas águas, suas escolas, seus pontos turísticos, suas belezas naturais, por sua infra-estrutura, especialmente a hoteleira, quer pela sua condição de ser um dos principais entroncamento rodoviários do Nordeste - encontros das BRs - 423 e 424 enfim, por tudo isso e por toda sua potencialidade ainda não explorada - deve voltar, e, deve urgentemente reconquistar a sua real posição no cenário político-social de Pernambuco e do Brasil.

D. Edjenalva, Ivo Amaral e D. Francisca Amaral Tinô

Aqui estou, recebendo o honrado encargo, para que na qualidade de Prefeito, possa gerir nos próximos quatro anos, a vida político-administrativa de Garanhuns.

É uma honrosa responsabilidade, e um trabalho que assumo, e espero fazê-lo com todo amor, todo entusiasmo e com todas as minhas forças. Não descansarei enquanto não ver, novamente, nossa "Suíça Pernambucana" alegre e sorridente, cantada e decantada pelos seus filhos, por aqueles que aqui aportam para trabalhar, pelos nossos visitantes e turistas.

Logo mais, estarei dando posse aos meus auxiliares mais diretos, auxiliares escolhidos entre pessoas da nossa terra, profundos conhecedores de nossos problemas, pessoas já provadas e aprovadas pela opinião pública quando do exercício de funções públicas e em outras atividades privadas. A equipe está pronta. Amanhã reiniciaremos a batalha pela conquista do tempo perdido. Os instrumentos de trabalho e os equipamentos que vamos dispor,  para os primeiros embates, são parcos mas, faremos como as heroínas de Tejucupapo, lutaremos com as armas que tivermos às mãos. Esta é razão pela qual vamos necessitar da compreensão de nossa população.

Ivo Amaral assina o livro do posse

Teremos que ter, não só a compreensão, mas a ajuda, pois só assim poderemos recuperar, mais rapidamente, Garanhuns.

Um governo se define pelas suas metas e pelos seus objetivos, e dentro  das metas e dos objetivos, destacam-se as prioridades. Hoje, em Garanhuns, tudo é prioridade, porém, a limpeza urbana, não só pelo visual, mas porque já está se tornando um problema de saúde pública, é prioridade absoluta. Não podemos deixar de reconhecer o estado lamentável em que também, se encontra nosso sistema viário - todas as suas principais vias estão em estado deplorável. Cito apenas esses dois aspectos, para que tenhamos uma visão do atual estado das coisas.

Dentro dos objetivos e metas, quero destacar a necessidade de se ter um trabalho voltado para a industrialização de nosso município, pensando não só nas grandes, médias indústrias, mas principalmente, para as pequenas e microempresas - as chamadas fábricas de fundo de quintal - onde a família trabalha, e unida tira o seu sustento, produzindo a grandeza de nossa comunidade.

Em se falando de indústria, não se pode deixar de mencionar a indústria sem chaminé - o turismo - que, quando bem orientado, e com uma infra-estrutura bem montada, produz riquezas, mão-de-obra em abundância; pode modificar a fisionomia de uma cidade e de uma região. Vamos investir. Vamos cuidar. Vamos trabalhar para que o turismo seja uma realidade palpável em nossa cidade. Estou criando uma Secretaria de Turismo, para que nossas ideias se transformem em realidade.

Já dizia o grande Rui Barbosa: "A Mão que embala o berço, governa as nações" Falava da educação doméstica que é responsabilidade da família. Quanto à responsabilidade dos governos, e a educação formal, clássica e pedagógica dada nas escolas, quanto à nossa responsabilidade local, procurarei por todos os  meios criar uma nova estrutura educacional no nosso município, para que a escola atinja os seus objetivos. Queremos que a escola tenha uma participação destacada na preparação dos nossos jovens. Todas as coisas no campo da saúde, do trabalho, o relacionamento entre as pessoas, as oportunidades e os horizontes  das pessoas seriam muito mais amplos se a escola fosse mais presente em suas vidas - maior aprendizado das letras - melhor profissionalização, enfim, tudo depende da escola. Darei e farei tudo, para que o meu governo seja marcado como um  governo que trabalhou, para que as nossas escolas fossem cada dia melhores.

A saúde vive dias de grandes transformações. Processa-se no momento atual, a estadualização e a municipalização das ações de saúde. Aos senhores prometo que, Garanhuns não ficará a reboque do processo, que ora está em curso.

Atuaremos e participaremos, para que em todas as atividades, possamos estar presentes com os nossos técnicos e nosso pessoal, para defendermos os nossos direitos. Quanto às atuais atividades nas áreas de saúde, não só as conservaremos, mas procuraremos dentro da capacidade do município, fazer a sua ampliação progressiva.

Não posso deixar de falar aos meus amigos da Zona Rural, aqui presentes em grande número. Na campanha eleitoral, prometi uma nova política para a Zona Rural, com a implantação de novas estradas, construção de novos açudes e barreiros, mais eletrificação, telefonia, escolas, tratores agrícolas e seus implementos, sementes selecionadas, enfim, uma nova e dinâmica política na Secretaria de Agricultura Municipal, voltada para o campo. Já estamos tomando as providências.

Portanto quero, para finalizar, falar aos funcionários públicos municipais. Muitos já me conhecem, já trabalharam comigo por mais de cinco anos. Prometo que vamos trabalhar para que dentro do menor espaço de tempo possível, seja regularizado o pagamento dos salários.

Desejo aproveitar a oportunidade para dizer que espero contar com todos, a  partir de amanhã, cada um em seu posto, procurando realizar suas tarefas ou as novas tarefas que serão estabelecidas, porque o tempo urge.

Temos uma grande etapa de serviços a realizar. De nossa parte, a regularização de certas e determinadas situações, principalmente os pagamentos, mas esperamos que todos cumpram com o seu dever.

Meu governo será um governo transparente. Será um governo participativo, todos estão sendo convocados a dele participar.

Teremos, nos primeiros meses, que  enfrentar uma verdadeira economia de guerra e tenho certeza que assim sendo, todos nós aprenderemos sempre  a fazer economia e zelar pelos bens públicos.

Desejando a todos que vão compor o meu governo, e para tal já foram convocados e para os que vão ser ainda convocados, aos senhores Vereadores, ao meu vice-prefeito, Dr. Esdras Cabral de Lima e a todo povo de Garanhuns, muita paz e muito amor por nossa terra.

Digo finalizando: " Vamos à luta".

Tenho Dito.

Garanhuns, 1º de janeiro de 1989.

Ivo Tinô do Amaral
Prefeito 

LOCKDOWN - NOTA DE ESCLARECIMENTO À SOCIEDADE PERNAMBUCANA

Quanto às matérias veiculadas pela imprensa informando que o Ministério Público iria requerer o lockdown no Estado de Pernambuco, o procurador-geral de Justiça Francisco Dirceu Barros esclarece que:

Desde o início da crise provocada pela pandemia da Covid-19, o procurador-geral de Justiça do MPPE instalou um Gabinete de Acompanhamento, sob sua coordenação, composto por vários especialistas nas áreas de defesa da saúde, cidadania, patrimônio público, consumidor, meio ambiente, criança e adolescente, educação, criminal.

Na tentativa de manter a unidade ministerial nessa fase delicada vivenciada pelo nosso país, respeitando a independência funcional, o Gabinete de Acompanhamento da Crise tem expedido várias recomendações aos promotores e procuradores de Justiça, sempre pautadas em argumentos técnicos e científicos firmados a partir de orientações fundamentadas das autoridades sanitárias. E mais, o MPPE reforça a preocupação de observar o momento adequado para adoção de cada medida a ser priorizada pela instituição, sempre com o respaldo das evidências cientificas.

A posição oficial do Ministério Público de Pernambuco, firmada por seu gabinete de crise, é que, no momento, não há nenhum dado científico demonstrando a necessidade de decretação de lockdown no Estado de Pernambuco. Dados indicam que nos últimos 15 dias o isolamento social passou de 74% para 52,24%, ou seja, houve um relaxamento nos índices de isolamento social, fator que impulsionou um crescimento da propagação do vírus e óbitos. Portanto, o momento é de intensificar os níveis de isolamento social, adotando-se regras mais duras para deter o avanço da pandemia.

A decretação de lockdown no Estado de Pernambuco, na visão de todas as autoridades no assunto, seria uma medida de extrema gravidade e que só poderá ser adotada quando todas as demais falharem e quando houver base científica indicando a necessidade da medida. No momento, não há, no gabinete de acompanhamento do Ministério Público de Pernambuco, nenhum dado científico ou debate amadurecido que fundamente a necessidade de se exigir a decretação de um bloqueio total no Estado de Pernambuco.

Importante ressaltar que as instituições republicanas, em Pernambuco, tem procurado agir harmonicamente como manda o texto constitucional, respeitadas as suas independências e competências. Permanentemente, o procurador-geral de Justiça tem se reunido com os representantes de outros poderes, trazendo as demandas, levando as preocupações/sugestões dos integrantes do MPPE e compartilhando as informações oficiais para o Gabinete de Acompanhamento, o qual, como dito, vem orientando os membros em suas atuações.

Neste momento, o posicionamento institucional do MPPE, que deve nortear jurídica e tecnicamente a atuação dos membros, respeitando, por ser evidente, a independência funcional de cada membro, é no sentido de exigir o endurecimento da fiscalização e o fiel cumprimento, pelos gestores públicos e pela sociedade em geral, das medidas restritivas que já foram implementadas.

Reiteramos que, até a presente data, não há qualquer orientação científica que aponte para a decretação de lockdown no Estado de Pernambuco, e caso isso venha a ocorrer, desde logo, o procurador-geral de Justiça vem tranquilizar as cidadãs e cidadãos pernambucanos destacando que sempre será ressalvada a plena garantia de funcionamento e de acesso aos serviços essenciais, como supermercados e farmácias.

O Ministério Público de Pernambuco estará sempre ao lado do cidadão pernambucano, adotando todas as medidas para diminuir o impacto desta crise.

Francisco Dirceu Barros
Procurador Geral de Justiça

MAPA DA FUNDAJ MOSTRA QUE COVID-19 AVANÇA PARA O AGRESTE PERNAMBUCANO

Mapa analítico da FUNDAJ atualizado no dia 5 de maio
Imagem/Reprodução/Internet

Da Folha de Pernambuco

Entre os dias 3 e 5 de maio, a elipse que concentra a maior dispersão do novo coronavírus nos municípios de Pernambuco alterou suas dimensões, forma e direção. O painel analítico da Fundaj sobre a Covid-19, elaborado por pesquisadores do Centro Integrado de Estudos Georreferenciados (Cieg), da Fundação Joaquim Nabuco (Fundaj), mostra as recentes mudanças de disseminação do novo coronavírus em Pernambuco.

Em 48h, a partir dos informes epidemiológicos da Secretaria de Saúde de Pernambuco (SES-PE), o número de casos confirmados residentes cresceu de 8.627 para 9.306, um aumento aproximado de 8%. Já o número de municípios com casos confirmados, passou de 126 para 130, enquanto os óbitos passaram de 652 para 749, um aumento de quase 15% em dois dias.

“Esses aumentos e mudanças nas elipses e nas densidades indicam que a dispersão e a concentração de casos está se deslocando fortemente para o Agreste, em direção ao Sertão pernambucano, numa velocidade muito alta”, afirmou o pesquisador da Fundaj e coordenador responsável pelo painel analítico, Neison Freire.

O eixo Fernando de Noronha - Palmares perdeu força e agora o eixo que orienta a dispersão se direciona à Caruaru, tomando a BR-232 como principal vetor de difusão hierárquica. São como “ondas de leste” de dispersão da pandemia, vindas do litoral, densamente ocupado e povoado, para o Interior do Estado.

Nesse sentido, o epicentro da pandemia pode deixar de ser a Capital e se deslocar para algum ponto além da cidade de Caruaru. A mesma variou de 30 casos no dia 3 para 34 no dia 5, sentido Sertão. Além de concentrar uma área muito maior, tomando praticamente toda a Região Metropolitana e as matas Norte e Sul.

Entretanto, observa-se nitidamente que as maiores densidades formam corredores de casos em direção tanto à Vitória de Santo Antão (74 para 87 casos), à Leste, quanto à Noroeste, em direção à Limoeiro (14 para 16 casos). Nesses lugares, a pandemia também se espalha por cidades próximas.

REVISTA DE GARANHUNS

Desenho de Luís Jardim - A Feira de Garanhuns
Imagem/Garanhuns do Meu Tempo/Alfredo Vieira

Foi publicada em 15 de novembro de 1930, impressa em oficina própria, sob a direção de Hibernon Wanderley, edição mensal. Na edição de dezembro colaboraram: Altamiro Cunha, Seve Leite, Hibernon Wanderley (A Velha Casa Colonial com ilustração de Luís Jardim), Gumercindo de Abreu, Rackel Lima, Ivo Júnior, M. de Azevedo Melo, Álvaro Moreira, Virgílio Costa, Ferreira dos Santos, Willy Levin, F. de Oliveira Leite, Graça Aranha, Nelson de Alcântara, Luís Lélio, e desenhos de Luís Jardim "Feira de Garanhuns". Na edição de janeiro, Luís Jardim com suas ilustrações "Atalho de Garrote no Sertão" e "Mãe da Lua", artigo de Ruber van der Linden, Ida Souto e em outros números: João Vasconcelos, José Quito, Joaquim Cardoso, Olívio Montenegro, Ângelo Cibela, Herculano de Oliveira, Cassiano Ricardo, José Moraes, Rodrigues Teixeira Pinto, Manoel Bandeira e Uzzae Canuto.

quarta-feira, 6 de maio de 2020

ÚLTIMO DIA DE INSCRIÇÕES PARA CURSOS GRATUITOS OFERECIDOS PELA SETUR E IFPE

Nesta quinta-feira, 7 de maio, encerram-se as inscrições para os cursos de Formação Inicial e Continuada a distância para as pessoas interessadas em trabalhar no setor do turismo. A iniciativa, fruto de uma articulação feita pela Secretaria de Turismo e Lazer de Pernambuco (Setur-PE) e a Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação (Seteq-PE) com o Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), destina 960 vagas em dez categorias.

São elas: Agente de Informações Turísticas, Assistente Administrativo, Assistente de Recursos Humanos, Assistente Financeiro, Auxiliar de Cozinha, Balconista de farmácia, Cuidador de Idoso, Higienista de Serviços de Saúde, Operador de Caixa e Recepcionista.

As vagas serão preenchidas conforme a ordem de inscrição dos candidatos. As inscrições são gratuitas e realizadas através do site http://selecoes.dead.ifpe.edu.br. A lista preliminar com os classificados será divulgada na próxima segunda-feira, 11 de maio.

CARNAÍBA - HOSPITAL MUNICIPAL IMPLANTA ALA PARA ATENDIMENTO DE POSSÍVEIS CASOS DE COVID-19

O Hospital Municipal Dr. José Dantas Filho, em Carnaíba, organizou um espaço destinado ao atendimento e tratamento de pacientes com sintomas de Covid-19.

São dez leitos de retaguarda e 18 profissionais contratados para atuarem diretamente com os pacientes que apresentem síndrome respiratória.

Os profissionais receberam equipamentos de proteção individual (EPI), em quantidade suficiente para suprir as necessidades da demanda que ao aludido hospital. A ala será identificada como “Pronto Atendimento de Agravos Respiratórios”.

O hospital conta também com o apoio da equipe multidisciplinar que já realiza seus trabalhos laborativos dentro do equipamento de saúde, e é formada por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem, farmacêuticos, fonoaudiólogo, psicóloga, serviço social, RX e laboratório de analises clínica.

O Prefeito Anchieta Patriota, acompanhado da secretária de saúde, Selma Marques, da diretora do hospital, Joana Darque, e das enfermeiras Mary Kathleen e Janaína Tenório, visitou o espaço e averiguou as condições do local.

O gestor, que é médico por formação, agradeceu o empenho de todos os profissionais de saúde, e afirmou que a Prefeitura de Carnaíba não mede esforços para bem fazer o enfrentamento à Covid-19.

UBE FECHA PARCERIA COM EDITORA

A União Brasileira de Escritores (UBE), fechou uma parceria com a  Editora Performance.

Todos os associados da UBE terão desconto de 30% de desconto para publicação de livros.

Os escritores com  um investimento de R$ 600,00 que pode  ser dividido em duas vezes no cartão, terão um mundo possibilidades ao seu alcance. 


Neste investimento já inclui tudo: 

1- Capa Personalizada 
2- Diagramação 
3- Ficha catalográfica 
4- 2 ISBNs - do ebook e do livro físico. 
5- Landing page do livro 
6- Cartazes de divulgação e lançamento do livro. 
7- Cadastro do livro nos melhores marketing places do Brasil, e especial a Amazon, para você vender para o Mundo inteiro sua obra. 

Seu livro será reconhecido nacionalmente. 

Você só precisa encaminhar o seu livro em word para o e-mail: editoraperformance@gmail.com e efetuar o pagamento que em oito dias vocês terá a boneca do seu livro para conferir tudo e autorizar a conclusão. 

Viu como é simples? Seu sonho nunca ficou tão perto de ser realizado! 

PRAZO PARA REGULARIZAR TÍTULO DE ELEITOR TERMINA NESTA QUARTA-FEIRA (6)

Os eleitores brasileiros que não votaram por três eleições consecutivas e não justificaram sua ausência devem regularizar a situação com a Justiça Eleitoral até esta quarta-feira 6 de maio para não ter o título cancelado.

Para consultar a situação do seu título de eleitor basta acessar o Portal do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

Se a situação estiver irregular, o eleitor deve iniciar o processo de regularização pela Internet acessando a página de quitação de multas do TSE. Após o preenchimento dos dados pessoais, a página possibilitará a emissão de Guia de Recolhimento da União (GRU) para a quitação da multa, que, em via de regra, é de R$ 3,51 por turno. Depois de emitir a GRU e realizar o pagamento da pendência, o eleitor deve comparecer ao cartório eleitoral mais próximo, apresentando documento oficial com foto, comprovante de residência e título de eleitor, se ainda o possuir. 

O prazo para atualização do Cadastro Eleitoral está previsto na Resolução do TSE nº 23.594/2018, que estabelece todos os procedimentos relativos ao cancelamento dos títulos eleitorais e à regularização da situação dos eleitores.

Os nomes dos eleitores e os números dos respectivos documentos cancelados serão disponibilizados pela Justiça Eleitoral a partir do dia 24 de maio.

O CABO ELEITORAL DE ANTIGAMENTE

Dr. Souto Filho
GARANHUNS - A presença do "cabo eleitoral", ou "de eleitor", está ligado às eleições, desde os  tempos do Brasil.

Até hoje, nenhum candidato a cargo eletivo, desde vereador ao mais importante, deixou de ter seu "cabo eleitoral". São homens ou mulheres que se dedicam à tarefa de conseguir votos "para o doutor". Denotando uma certa importância, apresenta-se prestigiando, pronto para resolver qualquer problema. "Deixe que este galho eu quebro, vou falar com o doutor". Conduz uma pasta, um lápis e um caderno, onde está as "reivindicações"  dos  eleitores: Uma bolsa escolar; um porte de arma. A nomeação de uma filha professora; um trabalho para o filho mais velho, são os pedidos que recebe e promete que vai arranjar. "Fique descansado, o doutor vai amanhã prá capital e eu dou a ele tudo anotado". Quando vai falar com o candidato, o faz sempre à noite. É psicológico, é uma hora em que ele atende melhor, tem mais tempo para o ouvir. Na rua, quando o encontra, convida para "um particular". Dá assim aos que observam, uma demonstração de "prestígio". Comparece aos comícios, distribui os panfletos de propaganda, e consegue "um dinheirinho": É para comprar sapatos e roupas para uns eleitores; votos certos, doutor, é porteira fechada". O seu trabalho geralmente começa seis meses antes das eleições e só termina depois da apuração dos votos, que ele ajuda a fiscalizar. Se os  resultados não são favoráveis, tem duas formas de se desculpar: "O doutor não gastou nem mil cruzeiros". "Traição, doutor, traição, o senhor sabe como é o voto secreto".

Os candidatos de Garanhuns sempre contaram com seus cabos eleitorais, alguns que ficaram famosos pela  sua dedicação, envolvendo-se até em brigas ocasionais. Outros, 'cansados de serem  escadas para grandes subirem", resolveram também serem candidatos.

Um cidadão desta cidade,  fazia parte de fileira política do Dr. Souto Filho. Certo dia, não aguentou mais e explodiu: "Soutinho, um homem de bem como eu, não  pode fazer parte de um partido político, onde tem um Antônio ?. De hoje em diante não conte mais comigo". Calmo, Souto Filho pergunto: "Se eu mandar você sujar uma calçada de um adversário, você vai?" Não! Respondeu-lhe o amigo dissidente. "Antônio ?, vai, portanto, você veja que eu preciso dele".

Discordamos, de que todos os cabos eleitorais, tenham a personalidade daquele que trabalhava para Souto Filho; conhecemos diversos que  prestaram e ainda prestam bons serviços aos seus amigos candidatos.

É assim, a figura popular do cabo eleitoral.

Nelson Paes de Macedo
Escritor, cronista e historiador
Garanhuns, 29 de Maio de 1976

FIQUE EM... LAVE AS... USE...


Hoje, 29.04? Meu Deus! E eu, aqui, ainda, desde 20.03. Nunca me ocorrera passar tanto tempo em casa, desde a MESBLA. Desde a LTB. Também no serviço público. No máximo, 30 dias, ou, muito menos, por conta das conversões de parte das férias em dinheiro.

Ligo a TV. Nem pensar num cessar os contágios. Nem pensar num brando aos óbitos. Pelo contrário, as notícias só dão conta que crescem.

Os apelos ao respeito à saúde pública se aguçam, e chagam a dramatizarem, sei lá: “FIQUE EM CASA”. “LAVE AS MÃOS”. “USE MÁSCARA”.

"O pico ainda está por vir", dão conta. Podemos ser o epicentro do mal, asseguram. E, a cada minuto, repetem. Num terror que abate. Que nos leva ao chão. E a pensar que não somos nada diante de tal situação. Pobre ou rico. Preto ou branco. Enfim, quem quer que seja.

Confiantes, estamos, e, unânimes, também crentes que os contágios e seus desfechos só crescem. Porque por não atingirmos os desejados 70% mínimos, perseguidos pela gente da saúde do mundo inteiro em combate a esse vírus traiçoeiro, invisível, letal.

Fico a pensar, agora, no silêncio de meus aposentos. Por que não os 70/80%, perseguidos pela OMS e governos do mundo inteiro, como ideal ao distanciamento, recolhimento, isolamento..., não acontecem em terras brasileiras?

A ciência está dividida? Parte dela quer essa medida? A outra, dela, desdenha? O mundo, através de seus continentes, diverge quanto às medidas que devemos adotar no combate a esse mal?

Ora! Ora! Só aqui, a gente assiste a essa disputa. Estou começando a temer pela gente brasileira. Quanto ela tem errado, levada por sua inaptidão em discernir entre o bem e o mal. E, hoje, estamos a pagar um grande preço por um erro cometido por uma eventual maioria, hoje reduzida a uma minoria de fanáticos, claramente, ideológicos, a pregarem o endeusamento de vocações, de natureza demoníacas.

GIVALDO
Calado de Freitas

terça-feira, 5 de maio de 2020

TEATRO SANTA ISABEL CELEBRA 170 ANOS COM PROGRAMAÇÃO VIRTUAL


Casa secular, que testemunhou e emoldurou alguns dos mais importantes capítulos da história do Recife, o Teatro Santa Isabel completa 170 anos neste mês de maio, convidando os recifenses para uma celebração virtual. Com as portas fechadas e o atendimento ao público interrompido pela pandemia, um dos mais nobres e antigos espaços cênicos da capital pernambucana promoverá uma extensa programação de debates e apresentações musicais, que serão transmitidas ao vivo nas redes sociais do equipamento, único palco possível para escoar produções, mobilizações, alumbramentos e questionamentos artísticos em tempos de isolamento social.

Oferecida pela Prefeitura do Recife, por meio da Secretaria de Cultura e da Fundação de Cultura Cidade do Recife, a programação começa nesta quarta-feira (6) e só acaba no próximo dia 27, com uma série de lives que serão transmitidas no perfil do teatro no Instagram (@teatrodesantaisabeloficial).

Para celebrar a existência do equipamento histórico semeando conteúdos na quarentena, foram convidadas personalidades da cadeia produtiva e criativa da cultura, em seus vários desdobramentos e linguagens, como Rodrigo Dourado, Mônica Lira, Paula de Renor, André Brasileiro e o maestro José Renato Accioly. Eles participarão de conversas com o gestor do equipamento, Romildo Moreira, transmitidas nos próximos dias 6, 13, 20 e 27, sempre a partir das 19h, trazendo à tona questionamentos sobre o futuro dos mercados da arte pós pandemia, além claro de memórias e histórias que o Santa Isabel ajudou a contar na vida e na carreira de cada um. Os debates terão duração de 30 minutos a uma hora e ficarão disponíveis por 24h após a transmissão ao vivo no perfil do teatro.

No dia 18 de maio, data exata em que a casa fez sua estreia, no ano de 1850, apresentando seu primeiro espetáculo, O Pajem de Aljubarrota, do escritor português Mendes Leal, para uma plateia de ilustres, a programação será música para ouvidos isolados. Exatos 170 anos depois, o Santa Isabel pede a seu público cativo que fique em casa e celebre a efeméride do sofá, a partir das 19h, curtindo a live celebração protagonizada pelas atrações musicais: SH (Surama Santos e Henrique Albino), Publius Lentulus, Grupo Instrumental Brasil e Chorinho da Roça, todos selecionados pelo edital do projeto Santa Isabel em Cena, que teve sua programação adiada por tempo indeterminado, em função do avanço da pandemia.

Além de conteúdo, afeto não haverá de faltar nas comemorações virtuais ao teatro centenário. Para celebrar todas as histórias de amor e de arte guardadas por aquelas paredes, artistas, técnicos, produtores, público, visitantes e funcionários irão declarar seu amor e sua saudade, gravando pequenos vídeos sobre sua relação com o Santa Isabel, que também serão publicados no Instagram do equipamento ao longo de todo o mês de maio.

Sobre o Teatro

O Teatro Santa Isabel, cujo nome é uma homenagem à Princesa Isabel, foi inaugurado em 18 de maio de 1850, inserindo a então província de Pernambuco numa nova fase cultural. Idealizado pelo Barão da Boa Vista, teve o projeto dirigido pelo engenheiro francês Louis Léger Vauthier, que inovou na época, optando por não utilizar trabalho escravo na construção de arquitetura neoclássica. Tombado pelo Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 31 de outubro de 1949, o equipamento foi mais tarde eleito um dos 14 teatros-monumentos do país.

Durante toda a sua história, a casa sempre esteve no centro da vida política da cidade, tendo assistido à Revolução Praieira e abrigado a campanha abolicionista e pelo advento da República. Frequentado, desde sempre, por notórias personalidades da cultura nacional, o Teatro de Santa Isabel foi cenário dos debates literários de Tobias Barreto e Castro Alves. Foi de lá que ecoou para todo o Brasil a histórica frase do abolicionista Joaquim Nabuco: “Aqui vencemos a causa da abolição”, imortalizada numa placa exibida numa das paredes do teatro até hoje.

Uma curiosidade sobre o teatro é que ele chegou a ser destruído por um incêndio ocorrido em 19 de setembro de 1869, tendo sido totalmente recuperado, redimensionado e entregue outra vez ao povo pernambucano em 16 de dezembro de 1876, para em 2020, quem diria, virar de novo saudade, até que o coronavírus dê à humanidade uma merecida trégua.

Foto/Andréa Rêgo Barro/PCR