sábado, 13 de junho de 2020

SEBASTIÃO MOURA - MEU TIPO INESQUECÍVEL

Sebastião Moura Lins ainda
 jovem
Por Marcílio Reinaux*

Há muitos motivos pelos quais eu diria que a figura de Sebastião Moura Lins, representa para mim aquela do meu tipo inesquecível. Nascido às margens do Rio Canhoto, que corta alguns dos Municípios deste Agreste Meridional, Sebastião foi integrante de uma numerosa família de 22 filhos, de José Adriano Lins e Maria Moura Lins, todos nascidos naquelas bandas de Canhotinho. José Adriano (meu avô materno) teve uma  vida paupérrima, a partir da sua profissão de Sacristão. Fazia os serviços da Paróquia, próprios da sua atividade e ganhava algumas patacas, quando tocava  os sinos nas chamadas de missas fúnebres encomendadas.

A propósito de seus pais, também pais da minha mãe, Sebastião fazia sem  pre referência a um fato interessante. Ambos viúvos, Dona Maria trazia para o novo consórcio dois filhos do primeiro matrimônio e o Sacristão José Adriano trazia oito. "Foi a lua-de-mel mais concorrida do mundo com 12 participantes: o casal e os dez filhos", dizia Sebastião. Desta união ainda viriam a nascer vinte e dois filhos, tendo portando meus avós, pais de Sebastião ao todo 32 filhos. Dentre eles a minha mãe, Francisquinha de saudosa e queridíssima memória, a quem reverencio.

É dispensável dizer que com estas origens humildes, a vida de Sebastião Moura e dos seus irmãos foi duríssima, com uma pobreza franciscana que os acompanhou por longos anos. Sebastião trabalhou duro desde cedo. No meu tempo de menino aqui em Garanhuns, lembro "Tia Satú", irmã de Sebastião trabalhando com o marido "Tio Chiquinho", com uma tolda de feira, vendendo "Secos e molhados". Em atenção à sua natural inclinação, Sebastião logo exercitou os seus dons de comerciante. Foi "mascatear" vendendo com seu incipiente comércio, tecidos e quinquilharias nos  ombros dos burros e cavalos. Percorria as feiras de Canhotinho, Lajedo, Calçado, São Bento do Una, Garanhuns, Cachoeirinha, Jurema e outros Municípios. Com o passar dos anos cheios de muita poeira nas estradas deste Agreste, trocou os lombos dos burros pela carroceria de uma caminhonete, adaptada por ele mesmo de um FORD 29. Chegava às  feiras, espalhava as peças de fazenda pelas calçadas e esticava o metro o dia  todo cortando tecidos. A noitinha partia para outra cidade. Uma vez por semana, um dois dias passava em casa para ver a família, beijar mulher e filhos, deixar dinheiro e tomar outras procidências. Ficou assim muitos anos.

Mesmo tendo muito tino para o comércio, Sebastião não chegou a ficar rico. Mas foi sempre "bem remediado", como se costuma dizer, tendo uma velhice tranquila cercado de uma grande família de filhos, genros, noras, netos e bisnetos. Seu espírito empreendedor levou-o a implantar em Garanhuns uma pequena fábrica de colorau e fubá, usando pequenas máquinas. Tornou-se pioneiro do Distrito Industrial de Garanhuns, pois a sua fábrica foi a primeira daquela área. Foi comerciante de "Secos e Molhados", de Tecidos de Bugingangas, de Produtos Alimentícios, proprietário de Posto de Gasolina, além deter tido muitas outras atividades mercantilista. Por fim foi fazendeiro.

A sua "Fazenda Pau Amarelo", implantada bem na borda da cidade, ficou um encanto (adquirida de Zé Batatinha) de lugar, tratada pelas mãos habilidosas de Sebastião, a tudo presente, fosse na ordenha, fosse no roçado. Casado em  duas núpcias, Sebastião teve nas esposas excelentes criaturas. A primeira Eulália (Tia Lála) uma santa mulher que junto com Sebastião conferiu aos filhos o precioso legado da honradez e do caráter. A segunda, Dadá, continuou essa missão e esteve sempre presente ao lado de Sebastião, sendo a sua grande ajudadora nos seus problemas e na sua vida dos últimos anos.

Aportando em Garanhuns muito cedo, este homem de Canhoto, tomou a Terra de Simôa Gomes, como sua segunda mãe, aqui fincando as estacas da  sua tenda e esticando as amarras da sua vida. Constituiu uma grande família, trabalhando muito para educar a todos, sobrevivendo em meio a felicidade e aos problemas. Contribuiu substancialmente para o progresso e engrandecimento de Garanhuns fosse como simples cidadão,  fosse como comerciante respeitado e digno. Sebastião Moura Lins, homem religioso, de uma bondade ilimitada, de muitos amigos, escorreiro no trato, meu querido tio (querido na expressão maior da palavra) é o meu tipo inesquecível, a quem Garanhuns presta  a sua reverência e homenagem com um preito de saudade. Sebastião Moura, uma patrimônio que se foi e que deixa em seu caminho, um pouco de sua alma e um traço de si mesmo.

*Marcílio Lins Reinaux é escritor, poeta, historiador e pintor.

A SAGA DA FAMÍLIA ZAIDAN NO BRASIL

Família Zaidan
Por Cláudio Gonçalves de Lima*

O Rio de janeiro foi à cidade escolhida no idos do século XX para a lua de mel do casal sírio-libanês Tomé Simão Zaidan e Emília Kury Zaidan. Aqueles recém-casados que comemoravam a recente união matrimonial e que começavam a escreverem as primeiras páginas de suas vidas. Desembarcaram no Brasil trazendo em suas bagagens não apenas vestuários, mas cultura, costumes, sonhos e perspectivas, que fariam mudar o roteiro daquela história ao tomarem a decisão de permanecerem nas terras brasileiras, passando a escreverem nas páginas que ainda estavam em branco, uma nova história, com tinteiros com as cores verde, amarelo, azul e branco. Tempos depois sabendo da existência de uma colônia libanesa no Maranhão o casal seguiu para aquele Estado, caminho depois seguindo pelos seus irmãos. 

Tomé Simão Zaidan e Emília
Cury Zaidan
A família Zaidan após alguns anos vivendo no Maranhão decidiu vir para Garanhuns. Chegando a Suíça Pernambucana, o casal Zaidan e sua prole, entre eles, Michel Zaidan, pai do Professor Doutor Michel Zaidan Filho, fixaram residência na Avenida Santo Antônio nº 190 e num curto período de tempo inauguraram na mesma avenida o estabelecimento comercial Zaidan - O Mar das Meias. Seu filho Michel Zaidan como outros irmãos, se estabeleceu em Garanhuns como comerciante, sendo proprietário da Loja A Vantajosa. Michel Zaidan casou com Elizabete Zaidan, filha de Manoel Napoleão de Santana e Aurora Gomes Santana. O casal Michel e Elizabete tiveram cinco filhos, entre eles Michel Zaidan Filho, nascido no dia 29 de julho de 1951 à Rua Dom José nº 129 às 19h15.

O futuro Doutor Michel Zaidan Filho herdou de seu pai o hábito da leitura, lendo em sua adolescência Sartre, Max e até mesmo tratados de medicina, pois era a leitura preferida do pai Michel Zaidan. Estudou nos Colégios Diocesano e Presbiteriano XV de Novembro, foi neste centenário estabelecimento de ensino que teve a oportunidade de ampliar seu universo literário principalmente no campo da Filosofia, participando de grêmios estudantis, escrevendo ou os representando. Decidido em trilhar o caminho da Filosofia, encontrou algumas resistências na família, chegando o Tio Osvaldo que era promotor a dizer: Ou vai ser boêmio, provavelmente, ou um filósofo e gênio. Eu não acredito que ele vai ser um filósofo e gênio, então vai um ser boêmio. Vai partir para boemia mesmo. Não vai dar em nada isso aí, mas Michelzinho, cognome carinhoso pelo qual era chamado pelos seus pais, encarou o desafio e seguiu para o Recife em buscar dos seus ideais e de uma visão de mundo. E assim em 1974 graduou-se em Filosofia pela Universidade Católica de Pernambuco, em 1982 concluiu o mestrado em História pela Universidade Estadual de Campinas e doutorado em História Social pela Universidade de São Paulo em 1986. Atualmente é professor titular do Centro de Filosofia e Ciências Humanas da Universidade Federal de Pernambuco (professor do departamento de História da Universidade Federal de Pernambuco), tendo experiência na área de História e Ciências Sociais, com ênfase em Teoria e Filosofia da História política, atuando nos seguintes temas: teoria da democracia, comunismo, política, Brasil, Democracia e Política.

Michel Zaidan Filho
Professor, Filosofo, Cientista Político e historiador, autor de 16 livros e outros publicados em parceira, sendo sua recente obra, “A Honra do Imperador: Reflexões sobre a História”. Também é marcante a sua participação no documentário de Clóvis Manfrini, Hecatombe: Horas que abalaram Garanhuns. Essas são apenas algumas das suas proezas na Educação, na literatura e na Política, sempre combativo na defesa do interesse público. Esse é o Professor Michel Zaidan Filho, polímata, que na adolescência em uma conversa com uma tia paterna disse-lhe que queria uma carreira que pudesse falar com as pessoas, e o futuro lhe reservou que a sua voz, seus pensamentos e teorias fossem ouvidas nos grêmios estudantis, nos sindicatos, nas entrevistas concedidas, conferências, palestras, obras publicadas e em diferentes nacionalidades. 

*Cláudio Gonçalves de Lima é professor, escritor e historiador. Ex-presidente do Instituto Histórico de Garanhuns e membro da Academia de Letras de Garanhuns.

RUA TENENTE NELSON PAES DE MACÊDO - GARANHUNS, PERNAMBUCO

sexta-feira, 12 de junho de 2020

IGREJA ONDE O PADRE JOÃO DA MATHA CELEBROU SUA PRIMEIRA MISSA E IVO AMARAL FOI BATIZADO

Nesta Igreja foi onde o então Padre João da Matha celebrou a primeira missa e batizou seu sobrinho, Ivo Tinô do Amaral

Por Ivo Amaral*

Esta Igreja foi construída em 1914 pelo casal proprietário da Fazenda Salobro antigo distrito de Canhotinho, hoje o progressista município de Lajedo. O casal era o Sr. Francisco Severino de Andrade Amaral e Sra. Deolinda Florentino do Amaral, eles avós maternos do ex-prefeito de Garanhuns, Ivo Tinô do Amaral e pais de 8 filhos, entre eles os Bispo Dom João da Mata Andrade Amaral e o jornalista Manoel Amaral. Dom Matha como era conhecido foi o Bispo de Cajazeiras, na Paraíba, Manaus no Amazonas e faleceu como Arcebispo de Niterói, na época capital dos Estado do Rio de Janeiro. O irmão Manoel tornou-se jornalista famoso no Recife, companheiro de Gilberto Freyre, Costa Porto, Mauro Mota entre outros. 

José com a morte de seu França, como era conhecido o Sr. Francisco Severino de Andrade Amaral, foi escolhido pelos irmãos para cuidar da viúva Dona Dora, como era conhecida na Fazenda Salobro, tendo participado ativamente da emancipação do distrito de Lajedo, que ficou independente em 1948 de Canhotinho.  José foi eleito vereador e vice-prefeito, o outro irmão Mamede sempre foi agropecuarista na região e participando da política ao lado do irmão José e do cunhado José Burgos que foi o terceiro Prefeito eleito do novo município, antes tinha sido Prefeito (Interventor) no município de Canhotinho.

Dom João da Mata de Amaral

* 08-02-1898 - Pernambuco
+ 07-11-1954 - Rio de Janeiro
Ordenação Sacerdotal:  20-03-1921
Sagração Episcopal:  20-05-1934
Posse em Cajazeiras: 29-06-1934
Posse em Manaus: 24-10-1941
Bodas Sacerdotais: 20-03-1946
Transferência para: Niterói 1948
Posse em Niterói: 08-08-1948

Dom João da Mata não conheceu em toda sua vida de Padre descanso. Depois que ascendeu à plenitude do Sacerdócio, as forças espirituais lhe deram mais coragem ainda para conquistar almas, e foi, Cognominado 'O Bispo da Ação Social Brasileira'. Perdeu o Brasil um General, um dos maiores soldados do Evangelho.


Dom João da Mata
A sua capacidade de realizar não encontrou paralelo. Quando uma obra Social era concluída, duas eram começadas. Ex-aluno Salesiano, legou a congregação um grande terreno, e nele foi construído o Patronato Agrícola D. João da Matha para a formação e instrução das crianças pobres. Eis o que ele disse  em uma carta a um dos seus irmãos sobre o Patronato: "As notícias sobre o Padre José Mendonça muito me alegram. Está resolvido o maior problema de Salobro; A permanência dos Salesiano. Será para esse pedaço feliz da Terra uma verdadeira primavera para as almas. Os filhos de D. Bosco e de Nossa Senhora Auxiliadora. Colégio  e vida espiritual etc. Para nós, foi a maior vitória do ano Santo Mariano Do Céu os  nossos pais estão regozijando".

Essa graça D. João a mereceu de D. Bosco. Depois de grandes e ininterruptos serviços à Santa Igreja. Deus o chamou à sua presença para premia-lo e gozar as delícias da vida eterna.

*Ivo Tinô do Amaral foi prefeito de Garanhuns em dois mandatos e deputado estadual em duas legislaturas.

HOTÉIS DO SESC EM GARANHUNS E TRIUNFO RETOMAM OPERAÇÃO NESTA SEGUNDA-FEIRA (15)


Os hotéis do Sesc em Garanhuns e Triunfo voltam a operar nesta segunda-feira (15/06), após quase três meses de atividades interrompidas devido ao novo coronavírus e em cumprimento ao decreto do Governo de Pernambuco que suspendeu as atividades de serviços não essenciais. Para esta retomada, o Sesc estabeleceu e adotou um plano de segurança sanitária, ancorado nas orientações da Organização Mundial de Saúde.

Para voltar a receber os hóspedes com segurança, os hotéis voltam de forma gradual, com 30 a 50% da capacidade máxima de ocupação. Serão obrigatórios o uso de máscaras, a higienização frequente das mãos, o distanciamento social, o check-in express e a sanitização de bagagens na chegada das pessoas. “Os protocolos foram amadurecidos e toda a equipe recebeu orientações para esse novo momento, para assegurar que a estadia, a trabalho, negócios, confinamento ou lazer, seja uma experiência ímpar e segura”, afirma Filipe Queiroga, coordenador de Turismo do Sesc Pernambuco.

As dependências dos hotéis vão receber painéis informativos, os ambientes sociais e quartos serão submetidos a rigorosos processos de higienização sanitária assiduamente e todos os funcionários usarão os equipamentos de proteção individual. No restaurante, as refeições serão servidas à la carte (o buffet está suspenso) e os serviços de lazer estarão temporariamente fechados. 

Reservas - Os clientes com reservas adiadas anteriormente vão receber um comunicado, por e-mail, informando que terão até o final de 2021 para utilizar as diárias que foram temporariamente canceladas. Em relação aos novos agendamentos, o procedimento continua o mesmo de antes da pandemia, acessando o site www.reservas.sescpe.com.br ou diretamente com os hotéis, caso a reserva seja para o mesmo dia ou semana.

Foto: Marcos Paes de Araújo

JESUS CAMPELO - O POETA QUE SE APAIXONOU POR GARANHUNS

Jesus de Oliveira Campelo
Por Osman Holanda*

Jesus Campelo confessa que sua paixão por Garanhuns nasceu no ano de 1968, quando se hospedou pela primeira vez no Sanatório Tavares Correia e, numa bela manhã, pôde sentir a beleza, o aroma das flores e o clima agradável desta terra maravilhosa.

Nasceu em Belo Jardim, Pernambuco, e guarda de sua infância, entre outras belas recordações, a lembrança do seu querido pai, Otávio de Barros Campelo, homem severo, avesso a devaneios, mas persistente no trabalho, que tinha um só credo religioso fidelidade extrema à pontualidade ao dever cotidiano, e de sua mãe, Izaura de Oliveira Cintra que era portadora de um temperamento suave e angélico, de coração sentimental, muito modesta, que se dedicou de corpo e alma aos filhos a aos afazeres domésticos.

Considera-se um homem vitorioso e muito feliz. Na sua juventude lutou bravamente para conseguir as vitórias que lhe proporcionaram uma existência plena de realizações. O desejo de vencer sempre foi um companheiro inseparável em sua vida. Certa vez, ainda  na época de estudante em Recife, numa tarde/noite ao assistir o pôr-do-sol, na sacada da Escola Técnica de Comércio, meditando sobre o seu futuro escreveu este poema:

A tarde é quente. O céu empalidece!
Sozinho, contemplo a paisagem linda!
Aquela luz vermelha que desaparece,
É o sol que se despede da labuta finda.

E, eu comparo a noite ao meu futuro.
Negra, esquisita, porém mui calma.
E, através da escuridão imensa,
Encontro um lenitivo para minh'alma.

Quantas vitórias contarei mais tarde?
Serão debaldes os sacrifícios meus?
Lutarei sempre, não serei covarde.

Pois, se algum dia sentir no peito, a glória,
Saberei agradecer ao meu bom Deus,
E, ver escrito em ouro, uma página de minha história.

A sua carreira profissional está pontilhada de várias atuações como executivo em importantes Empresas, destacando-se a atuação na Companhia de Serviços Elétricos do Rio Grande do Norte - COSERN, onde prestou sua colaboração desde 1969, culminando com sua ascensão à presidência em 18 de maio de 1973.

O livro intitulado "Faça-se a Luz", do escritor norteriograndense, Veríssimo de Melo, mostra, com destaque, a sua brilhante atuação naquela empresa.

Ainda, em Natal, em reconhecimento aos relevantes serviços prestados à comunidade e ao Estado, recebeu o título honorário da cidadão natalense e, como destaca o jornal Diário de Natal de 13 de dezembro de 1973, foi considerado personalidade do ano e é agraciado, com a medalha de ouro do "Mérito Câmara Cascudo", conforme noticia do jornal Diário de Natal de 18 de outubro deste mesmo anos:

PERSONALIDADE DO ANO

O Mérito "Câmara Cascudo" foi conferido ao Dr. Jesus de Oliveira Campelo, levando em conta os seus serviços por ele prestado à comunidade, e num prêmio ao seu esforço, trabalho e inteligência. A outorga ocorreu na Reitoria da Universidade Federal, presente as mais altas autoridades civis e militares, na abertura da Festa Brasileira das Personalidades.

O Dr. Jesus de Oliveira Campelo é Diretor-Presidente da Companhia de  Serviços Elétricos do Rio Grande do Norte CONSERN, pernambucano de Belo Jardim, porém natalense honorário por Lei e de coração, por concessão dos poderes legislativo e, executivo da capital.

Desde 1968 que reside nesta cidade, tendo esposa e filhos natalenses. É um homem de larga visão administrativa e  de considerável nível de cultura social. Bacharel em Administração de Empresas, portador de vários cursos de economia e finanças, no âmbito local, regional e nacional, membro da Delegação Brasileira junto à V Conferência Latino Americana de  Eletrificação Rural em Bogotá e antes de tudo isto uma vida dedicada ao  serviço desinteressado da comunidade, isto é, em condições honorárias colaborando e ajudando o seu semelhante. Daí ter sido eleito presidente do clube de serviço e presidente de Divisão de Lions Internacional. O estado inteiro apoio a sua eleição para o Mérito Câmara Cascudo.

Como presidente do Instituto de Orientação às Cooperativas Habitacionais INOCOOP - Guararapes, participou da construção do conjunto residencial Nilo Coelho, financiado pela Caixa Econômica, localizado no bairro do Magano, nesta cidade.

Desde o ano de 1994 reside em Garanhuns, cidade escolhida para residir definitivamente, formando com sua esposa Ires, um casal feliz. Segundo relata, o clima maravilhoso desta cidade fez desabrochar o desejo de transmitir através de seus poemas e de suas crônicas, os conhecimentos e a experiência adquiridas ao longo de sua vida.

É membro da Loja Maçônica Mensageiros do Bem e do Lions Clube de Garanhuns. 

Gosta de ler bons livros - principalmente os que enriquecem sua natureza espiritual e de escrever crônicas. Na Academia de Letras de Garanhuns defende a cadeira do saudoso escritor Raimundo de Morais. (Texto transcrito do Jornal O Monitor de 31 de Julho de 2004).

*Osman Benício de Holanda é advogado, juiz de direito aposentado e escritor.

quinta-feira, 11 de junho de 2020

PERNAMBUCO REGISTRA 1.059 NOVOS CASOS DA COVID-19 E 102 MORTES NAS ÚLTIMAS 24H

A Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE) confirmou, nesta quinta-feira (11), 1.059 novos casos da Covid-19. Além disso, foram registradas 102 mortes ocorridas desde o dia 15 de abril. Entre os novos infectados, 788 são casos leves e 271 se enquadram como Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag). 

Agora Pernambuco totaliza 42.994 casos, sendo 16.557 graves e 26.437 leves, e 3.633 mortes pela doença. 

Do total de novas mortes registradas, 70 (69%) ocorreram entre o dia 15 de abril e 7 de junho e 32 (31%), nos últimos três dias. Os detalhes epidemiológicos serão repassados ao longo do dia pela Secretaria Estadual de Saúde.

OS TRÊS Ds DO PROGRESSO

"De volta pro meu sertão, nada lá mais encontrei: Nem o rancho que morei, nem o rio que pesquei, nem a sombra que descansei..."
Foto: Anchieta Gueiros

Paulo Dácio de Melo

No alto lá do sertão, nos cafundós bem distantes, existe um grande e, este é o sertanejo, de força e sabedoria,  homem de muita valia, chamado de sertanejo, de caipira e de roceiro, homem que vive da fé, e de mentira dos  governos.

Trabalha o dia inteiro, mais firme em sua fé, é deste povo que vim, foi no sertão que nasci. E também eu aprendi, a viver entre serpentes, espinhos e sol ardente.

Eu era feliz e não sabia.

Aos 17 anos de idade era ainda analfabeto, jovem e muito desinquieto, queria a felicidade, resolvi ir pra cidade, de encontro ao progresso, que já vinha ao meu encontro.

Amigo eu lhe confesso, foi a pior viagem que fiz, fui tentar ser feliz e encontrei com o progresso, que vinha ao meu encontro.

Amigo eu lhe confesso, foi a pior viagem que fiz, era feliz e não sabia, na cidade eu descobri o que era sofrimento, trabalhei como jumento. O pão que o diabo amassou é feito lá na cidade.

Descobri mais uma coisa, os três D deste progresso: O primeiro é a decepção, o segundo é a desgraça, e o terceiro a destruição.

Quando voltei do meu sonho, da viagem de ilusão, o que achei no sertão foi o maior desengano, desse pobre coração, depois de trinta e dois anos.

De volta pro meu sertão, nada lá mais encontrei: Nem o rancho que morei, nem o rio que pesquei, nem a sombra que descansei... Nada mais disto existia, só os três D do progresso.

Decepção.
Desgraça.
Destruição.

E tudo isso, - na cidade e nos campos - continua!

RUA DR. ELPÍDIO BRANCO - GARANHUNS, PERNAMBUCO


VERDADE?


Tudo que vocês me dizem há muito exagero. Pra não dizer pesadelo, se dormem. Histeria, se acordados. Ou alguma parecida.

Reservo-me ao direito de não acreditar. Mas, como é mesmo o nome desse “bichinho”? Vejam nem nome sério tem: COVID-19?

Desculpem, mas que é COVID? E, por cima, 19? Se esse 19 tem a ver com o ano 19 dos anos dois mil, bom alertar seus criadores de que já estamos no começo dos 20 dos anos dois mil. Então não sei a razão desse 19, como também não sei do porquê desse tal de COVID que vocês me trazem.

Vou continuar na minha jornada, que já difícil. Muito difícil. Pensem, amigos, do que fizeram com nosso país, alçando ao seu comando esse... Bem, vou ficar calado.

O assunto, aqui, como vocês bem colocam, é saúde, é vida. E ao tema devemos nos limitar. Mas quero repetir o que disse, faz pouco. Eu não acredito em nada do que vocês me trazem. Tudo bem! Lá pra China, Ásia... Quem sabe, até, em alguns países da Europa. Mas, pra nós, nesse “fim de mundo” como diria nosso Santo Padre. Não! Não acredito!

Vou continuar meu cotidiano. Minha vida normal. Afinal, os negócios estão piores a cada dia. Por aqui, poucos vêm. Os que vinham a negócios, cada vez mais, vêm menos. Os que vinham para Congressos, faz tempo que não adentram em nossa cidade. Não sei se porque não são procurados, ou porque correram da nossa cidade. O dado concreto é que não vêm mais, e já faz tempo. Os que vinham para repouso, para lazer..., cansaram de vir. Afinal, que lhes oferecemos? Essa a nossa situação.

Por conta dessa realidade, as contas não fecham. As receitas, de há muito, não cobrem as despesas. E, agora, chegam vocês com essa história de pandemia. Que é preciso cerração de portas. Todos, estarem isolados, todos... Pra lá, amigos. E as contas a pagar? Quem vai pagar?

A propósito, que mal lhes fiz pra vocês estarem assim comigo? Ah! Querem saber? Não lhes devo nada. Verdade? Pois, vou pô-los a pensar. Se os devesse, e diante do terror que vocês me trazem, eu estaria a dizer-lhes, aqui e agora, deixem esse “bichinho” sumir, para eu poder lhes pagar. Afinal, só se zera passivo com ativo.

GIVALDO
Calado de Freitas

SESC PROMOVE FESTIVAL DE LIVES "MÚSICAS QUE ALIMENTAM"


Neste período de isolamento social, em que as pessoas estão em casa com saudades de participar de shows musicais, o Sesc Pernambuco promove, através do Centro de Produção Cultural, Negócios e Tecnologia (CPC) de Garanhuns, o “Festival Músicas que Alimentam”, uma série de lives com alguns nomes da música popular brasileira, em especial a música nordestina. A programação começa neste sábado, 14 de junho, e segue até o dia 9 de julho, com transmissões pelo canal do Sesc no Youtube (www.youtube.com/sescpernambuco) e redes sociais dos artistas. As lives terão um QR Code para que as pessoas possam fazer doações que serão destinadas ao projeto Mesa Brasil – Banco de Alimentos do Sesc.

Abrindo os festejos, tem Flávio Leandro, no domingo (14/06), às 16h. Na segunda (22/06), às 21h, será a vez de Maciel Melo e seus convidados. O arrasta-pé continua na quinta (25/06), às 21h, com o Forró das Comadres Irah Caldeira, Nádia Maia e Cristina Amaral; e na sexta (26/06), também às 21h, com o show Fafá de Belém Canta para São João. Em julho, serão duas grandes representantes do brega pernambucano. No sábado (04/07), às 22h, tem a live de Priscila Sena, que será transmitida exclusivamente pelas plataformas virtuais da cantora; e Michele Melo, a Rainha do Brega, na quarta (09/07), às 21h, encerrando a programação.

“Este festival é mais uma iniciativa do Sesc que visa colaborar com a diminuição dos índices de fome no país, uma vez que as doações que serão arrecadadas durante a transmissão dos shows solidários serão destinadas ao Banco de Alimentos do Sesc, que arrecada mantimentos para cerca de 150 mil pessoas em situação de risco social e são assistidas por 440 instituições de nosso Estado”, afirma Oswaldo Ramos, diretor regional do Sesc em Pernambuco.

Serviço: Festival Músicas que Alimentam

Data: de 14 de junho a 09 de julho

Programação:

14/06 (domingo), às 16h – Flávio Leandro

22/06 (segunda), às 21h – Maciel Melo e convidados

25/06 (quinta), às 21h – Forró das Comadres, com Irah Caldeira, Nádia Maia e Cristina Amaral

26/06 (sexta), às 21h – Fafá de Belém canta para São João

04/07 (sábado), às 22h – Priscila Sena

09/07 (quarta), às 21h – Michelle Melo

PIONEIRISMO NO TRANSPORTE DE PASSAGEIROS

HISTÓRIA DE GARANHUNS - O transporte coletivo de passageiros entre Garanhuns e o Recife foi instalado por João Tude de Melo, que criou a empresa Auto Viação Progresso. Na área urbana desta cidade, decorreu da iniciativa de Alfredo Leite Cavalcanti, que colocou um coletivo todo aberto, semelhante a um bonde para fazer a linha Avenida Santo Antônio / bairro Heliópolis.

Depois, estendeu o serviço até o final da Avenida Sátiro Ivo, popularmente denominada Rua da Areia. Alfredo rejeitara convite de João Tude para associar-se à Progresso, preferindo enfrentar o desafio para manter o serviço urbano de passageiros em Garanhuns. Os ônibus eram denominados de "sopa". (Humberto Alves de Moraes / Garanhuns, 5 de Novembro de 1993).

BETÂNIA PROPÕE VOTO DE APLAUSO AO PROFESSOR CLÁUDIO GONÇALVES

Cláudio Gonçalves e Edilene Cordelista
A vereadora Betânia da Ação Social, apresentou na Câmara Municipal de Garanhuns um voto de aplauso com o professor, historiador e escritor Cláudio Gonçalves, pelo conjunto de entrevistas que ele está realizando com expoentes da cultura local.

Para a vereadora, nomes como Gonzaga de Garanhuns, Igor Cardoso, João Marques, Wagner Marques e Edilene Cordelista, entrevistados por Cláudio, levam o nome da cidade – de forma positiva aos mais diversos lugares.

Entrevistas com os produtores culturais estão sendo divulgadas nas redes sociais, e nos blogs de Roberto Almeida e de Anchieta Gueiros.

“Os artistas e este trabalho do professor Cláudio precisam ser valorizados”, defendeu a vereadora Betânia da Ação Social.

Cláudio Gonçalves é autor de diversos livros, dois deles sobre a hecatombe de Garanhuns. Está concluindo uma biografia do cantor e compositor Roberto Carlos, que deve ser publicada no próximo ano.

ÉPOCA DE OURO DA MÚSICA EM GARANHUNS

Zulmira Henrique da Silva, "Zulmira Fogo"
Em garanhuns no passado, Augusto Calheiros, Luiz Patrão, Alfredo Leite Cavalcanti e outros menestréis cantavam músicas imorredouras acompanhadas pelos violinistas Euclides Pernambuco, Manoel do Sargento, Pedro Pichumba, Luiz Montanha e muitos outros músicos de qualidade.

O chamado "modernismo" modificou as belas-artes, como a música romântica e o samba. Voltando a Garanhuns, lembro-me dos apetitosos consumidores dos bons vinhos, entre eles João Pirrichiu, Libório Fogueteiro, Alfredo Barbeiro, Manoel da Baixa e muitos outros. Após "bebiricarem" os saborosos licores, Augusto Calheiros e Luiz Patrão cantavam e declamavam músicas imortais. Os cinemas Grossi, Trianom, Jardim e Glória, realizavam belos saraus acompanhados pela pianista Zulmira Fogo. (José Rodrigues da Silva - Professor e Jornalista - Garanhuns, 28 de Março de 2003).

DR. MAYR MARANHÃO LAPENDA

HISTÓRIA DE GARANHUNS - Mayr Maranhão Lapenda, ou simplesmente Dr. Mayr, foi promotor Justiça em Garanhuns durante 12 anos, tendo respondido por comarcas da micro-região do Agreste Meridional em diversos municípios. Dr. Mayr também foi professor em diversos colégios da nossa cidade. Ao que nos consta, foi o cidadão que mais recebeu títulos honoríficos. Além de Garanhuns foi agraciado com esta honraria, também, pelos municípios de Lajedo, Jupi, São João, Angelim, Caetés, Paranatama, Brejão, Bom Conselho, entre outros.

O Dr. Mayr è frente  da Comarca de Garanhuns, como promotor, foi um verdadeiro fiscal da lei. Todos os anos o Dr. Mayr visitava nossa cidade, os seu inúmeros de amigos e suas famílias.

Podemos dizer, sem medo de errar, que Mayr Lapenda foi um verdadeiro representante da Justiça Pernambucana. Foi um  mestre do Direito. Como professor, nesta cidade, soube conduzir o ensino com maestria e precisão.

Mayr Lapenda fez muitas amizades nesta terra do Magano, todavia, um dos seus maiores amigos, inclusive seu compadre, foi Ivo Tinô do Amaral.

Mayr Lapenda era  um homem da mais alta humildade. Muitas vezes encontrei Dr. Mayr confabulando Direito como  o Dr. José Francisco de Souza, que foi por muitos anos advogados dos presos pobres do município de Garanhuns e com o oficial de Justiça conhecido por Roboão. Com  a toga ou sem ela, na tribuna do júri ou na praça pública, Mayr Lapenda foi sempre amigo de todos.

Dr. Mayr Maranhão Lapenda faleceu em janeiro de 2007, aos 88 anos de idade, em Recife.

José Rodrigues da Silva
Professor, escritor e jornalista
Garanhuns, 15 de Janeiro de 2007
Jornal Correio Sete Colinas

CENÁRIOS DE PERNAMBUCO

Sítio Lagoa Cavada, Iati, Pernambuco

CASA DE TAIPA - Taipa é um método construtivo vernacular que consiste no uso do barro e da madeira para criar moradias. Existem dois tipos de taipa: a taipa de mão e a taipa de pilão.

As casas de taipa fazem parte da história brasileira e ainda são construídas em diversas regiões do Brasil, principalmente no Norte e Nordeste. A técnica também é usada na bioconstrução e é um exemplo de moradia sustentável.

PROFESSOR UZZAE CANUTO - DÉCADA DE 1950


GARANHUNS ANTIGA - Colégio XV de Novembro - Década de 50 - Prof. Uzzae Canuto - da direita para esquerda: Tereza Mariano, Marline, Semira, Célia, Maria Consuelo Alves, Zeneide Soares, Zilda Mello, Jessé Menezes (próximo ao professor).

quarta-feira, 10 de junho de 2020

SEBASTIÃO PAES DE LIRA - ANO DE 1977

Sebastião Paes de Lira

DE LOCUTOR A VEREADOR - Sebastião Paes de Lira, possuidor de bela voz, associou a essa qualidade natural de artista que é, o desejo de servir ao seu povo na Câmara  de Vereadores de São João, Pernambuco, E, porque sempre se interessou pelos problemas de sua comunidade, utilizando os microfones do Serviço de Alto Falantes de sua cidade, fazendo e lendo crônicas de interesse comunitários, foi eleito com excelente votação e foi um dos mais atuantes vereadores da Câmara Municipal de São João. Não foi sem sentido o "slogan" de sua campanha: "Uma voz que se ouve na tristeza e na alegria". (Fonte: Jornal O Monitor - 19 de Março de 1977 / Acervo: Memorial Ulisses Viana de Barros Neto).

SEIOS ORNAMENTADOS

Genivaldo Almeida Pessoa

...A pedra bem polida
Esboço de joia desejada...
Ainda rústica em mãos de joalheiro,
Destina-se sim, às mãos de mulher amada...

A cor das águas cristalinas
De um verde de algas marinas,
Brilhante que cintila aos olhos da menina,

Pérola rara, amor da minha vida...

No seu colo realçado,
Traz-me dúvidas e me confunde
De quem mais brilha...

Se a joia em teu peito pendurado
Ou o olhar lascivo da mulher querida...!

NERIVAL RODRIGUES - A ARTE DE UM GARANHUENSE NO SUL DO PAÍS (1987)


A força criativa de Nerival Rodrigues, demonstrada neste quadro, um dos seus trabalhos que encantou o público em uma exposição realizada em Campinas, São Paulo, em março de 1987.

"Brasil Arte da Gente" foi uma mostra de arte brasileira que reuniu pintores e escultores de Norte ao Sul, alguns mundialmente conhecidos, como Nerival, o baiano Josinaldo e escultor alagoano Zé Ribeiro.

Nesta exposição, Nerival, que saiu de Garanhuns ainda cedo, passando a residir no Paraná, depois em São Paulo, mas nunca esquecendo-se de suas origens, de seu sentimento regionalista, mostrou, mais uma vez a força de sua imaginação e capacidade de criativa e artística, transformadas em centenas de telas. Com um forte tropicalismo regional, Nerival Rodrigues confirma seu amor ao Nordeste, evidenciando em seus rabiscos e pinturas, figuras nossas, tais quais o violeiro, camponeses de engenhos, e a vida rural.

RUA MÁRIO LYRA - GARANHUNS, PERNAMBUCO


UNDIME PERNAMBUCO REALIZARÁ I CONGRESSO DIGITAL DOS DIRIGENTES MUNICIPAIS DE DUCAÇÃO

A Undime Pernambuco ao longo do período de isolamento social em virtude do COVID19 vem realizando ações com o objetivo de subsidiar os Dirigentes Municipais de Educação, diante das dificuldades propiciadas nesse contexto.

O projeto “Quarentena da Educação Municipal” que iniciou no dia 26 de março, já está indo para sua 12ª edição semanal, com aproximadamente 15 horas de gravação, 20 convidados durante todas as semanas realizadas, com temas diversos, que foram desde a educação infantil à neurociência, todas às temáticas voltadas a apresentar questões pertinentes para nortear, sobretudo, a gestão da Educação Municipal.

A UNDIME/PE, além dos webinários, criou o Grupo Interinstitucional para debater os assuntos emergentes da Educação em tempos de pandemia, composto por diversos segmentos da educação: Conselho Estadual de Educação, UNCME, SINTEPE, Secretaria Estadual de Educação, Universidades Federal e Rural de Pernambuco, Fórum de Educação Infantil, dentre outras Entidades.

Atualmente uma das maiores preocupações  e tema de discussões entre Dirigentes Municipais de Educação, Instituições de Ensino, professores, órgãos de controle tem sido o retorno às aulas, uma preocupação que abrange a gestores (as) escolares, professores (as), e as famílias.

Nesse sentido, com o objetivo de ampliar as discussões, de modo que sejam contemplados (as) Dirigentes Municipais de Educação, técnicos (as) e equipes técnicas das Secretarias Municipais de Educação, gestores (as) escolares, professores (as), e representantes de Entidades e segmentos da educação, a UNDIME/PE realizará o I Congresso Estadual Virtual dos Dirigentes Municipais de Educação, cujo a temática é: “Perspectivas e Possibilidades para o retorno às aulas”.

O Congresso Virtual acontecerá no dia 25/06/2020, gratuitamente e com emissão de certificado, das 9h às 12h e das 14h às 16h, transmitido ao vivo pela plataforma Youtube, com link a ser posteriormente divulgado. Contará com a participação de palestrantes especialistas em educação e reconhecidos nacionalmente. As inscrições estão abertas e poderão ser realizadas através do link: https://tinyurl.com/y7t6hu52.

PERNAMBUCO REGISTRA 925 NOVOS CASOS DA COVID-19 E 78 MORTES NAS ÚLTIMAS 24H

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) confirmou, nesta quarta-feira (10), 925 novos casos da Covid-19. Além disso, foram confirmadas 78 mortes ocorridas desde o dia 20 de abril. Entre os novos infectados, 730 são casos leves e 195 se enquadram como Síndrome Respiratória Aguda Grave (Srag).

Agora, Pernambuco totaliza 41.935 casos já confirmados, sendo 16.286 graves e 25.649 leves.  Do total de óbitos divulgados, 62 (79,5%) ocorreram entre o dia 20 de abril e 06 de junho e 16 (20,5%) foram registrados nos últimos três dias. Com isso, o Estado totaliza 3.531 mortes pela doença. Os detalhes epidemiológicos serão repassados ao longo do dia pela Secretaria Estadual de Saúde.

RAFAEL AMARAL TENÓRIO - NOME DE DESTAQUE DA ARQUITETURA PERNAMBUCANA

Rafael Amaral Tenório
Formado desde 2007 em arquitetura e urbanismo, o arquiteto Rafael Amaral Tenório é um dos nomes de destaque da arquitetura pernambucana. De lá para cá, coleciona a construção de mais de 200 projetos. Na atual presidência do CAU/PE, o arquiteto também foi um dos responsáveis pela criação da Associação dos Profissionais de Arquitetura de Pernambuco (APA, hoje Asbea), onde também assumiu a presidência. Rafael tem como seus maiores ídolos na arquitetura Luis Barragán, Frank Gehry, Lina Bo Bardi e Janete Costa. Nomes de peso que contribuíram para a construção da arquitetura mundial. 

Rafael Tenório possui formação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Pernambuco e Mestrado em Arquitetura Sustentável, realizado na Universidade Politécnica de Madri, na Espanha.

Na presidência do Conselho de Arquitetura e Urbanismo de Pernambuco desde 2018, o arquiteto Rafael Tenório vem realizando um trabalho importante para a classe profissional, levando também o Conselho e suas ações para todo o território pernambucano.

Com destaque na mudança realizada na estratégia de gestão que aposta no uso de redes sociais, outbus, outdoor, rádio e de uma atuação mais próxima da sociedade, one colocou Pernambuco na vanguarda, fazendo entregas efetivas e com maior aderência às demandas dos profissionais. 

Responsável pelo projeto do Hotel Íbis em Garanhuns, Rafael é neto do ex-prefeito do município, Ivo Amaral.

Escritório de Arquitetura

O arquiteto Rafael Tenório mantém no Recife o seu escritório, Amaral Tenório + Arquitetos desde janeiro de 2009, onde junto com demais profissionais, desenvolvem projetos residenciais, comerciais e clínicas médicas.

Endereço e contatos

Telefones: (81) 991887667 // (81) 992358749
Endereço Av. Herculano Bandeira, 513/13. Galeria Joana Darc- 51110-131 - Recife-PE.

Por Lorena Moura / RevistaSIM

NESTE MÊS DE JUNHO, FAZ 40 ANOS DAS EXPLOSÕES DAS BARRACAS DE FOGOS EM GARANHUNS



Prédio do Banco do Brasil após as explosões
João Marques, então funcionário do Banco do Brasil, foi quem primeiro chegou ao Banco, imediatamente depois do desastre. Conta que, ao chegar, foi liberando os extintores para apagar focos de incêndio na vizinhança.  E entrou na agência, apavorado, a procura de algum funcionário que estivesse debaixo dos escombros. Suspirou aliviado, quando não encontrou ninguém do Banco. Viu, contudo, o corpo de um homem sem vida arremessado de fora para dentro da agência. Transcrevemos trecho de seu romance a ser publicado, euHerói - As aventuras de uma Avenida, em que conta esse momento de sua chegada. 

“Em outro canto, duas explosões imensas. A primeira abala a Avenida e destrói tudo por perto. A segunda, igual, com segundos de intervalo, aumenta a destruição. Cada uma soa medonho por mil tiros de canhão. As vidraças caem todas. Portas e janelas, as mais próximas e até de ferro, entram de casa a dentro, com o impacto. O espaço fica escurecido pela fumaça. A manhã se parte e é arremessada para fora. Faz-se tarde imediatamente. As sombras dificultam a visão e parece a chegada do fim do mundo. Dão-se, ainda, mais espocares de bombas menores que haviam sido sacudidas em muitas direções. Corrida de pessoas para todos os lados, fugindo do desastre. Eu, ao contrário, vou para mais perto. Lembro de que havia duas barracas de fogos de artifício no local. Instaladas, para venda de fogos nos festejos juninos. Apesar do fumaceiro, dá para observar tisnadas as folhas das árvores. Galhos entortados. Árvores e ares voltados para o chão cheio de pedaços de papel. No ar, ainda morno, o odor de pólvora queimada.”

João Marques Santos é poeta, escritor, editor/redator do jornal O Século, funcionário aposentado do Bando do Brasil, autor do Hino de Garanhuns e ex-presidente da Academia de Letras de Garanhuns.

Click nos links abaixo e veja fotos e mais detalhes sobre a tragédia:


SESC TEM PROGRAMAÇÃO JUNINA ATÉ O DIA 30


Durante este mês, o Sesc Pernambuco vai apresentar programação de lives juninas para manter a tradição de celebrar o São João, mas respeitando as limitações de isolamento durante a Covid-19. Até o dia 30 de junho, o Pé-de-Sesc vai transmitir ou participar de apresentações online de artistas e bandas de forró.

“É uma forma de celebrar nossa festa de nosso estado e manter projetos já consolidados do Sesc, como o Beco do Forró de Araripina”, afirma Jeane Albuquerque, a coordenadora de Esportes e Recreação da instituição. As transmissões vão acontecer no Youtube (Sescpernambuco) em horários variados e também nos finais de semana.

A próxima atividade vai acontecer nesta quarta-feira (10/06) com o Forró Sanfona, às 20h. Na quinta-feira (11/06) tem o cantor Walter Ventura, a partir das 18h. Na sexta-feira (12), às 21h, o Dia dos Namorados será comemorado com Rodrigo RR e no domingo (14), às 11h, será a vez da apresentação da Banda Forró das Meninas.

Programação:

10/06, às 20h – Forró Sanfona (Youtube do Sesc PE)

11/06, às 18h – Walter Ventura e Banda (Youtube do Sesc PE)

12/06, às 21h – Rodrigo RR (Youtube do Sesc PE)

14/06, às 11h – Forró das Meninas (Youtube do Sesc PE)

17/06, às 17h – Valdir Santos (Youtube do Sesc PE)

17/06, às 20h – Banda Forró que chama, né? (Youtube do Sesc PE)

19/06, às 11h – Diálogos de Manifestações Culturais - Ciclo Junino (Youtube do Sesc PE)

19/06, às 20h – Abertura do Beco do Forró com Jorge do Acordeon (Youtube do Sesc PE)

20/06, às 20h – Aniversário Sesc Ler Surubim com Neto Sales e Banda (Youtube do Sesc PE)

21/06, às 16h – Banda Chamegão (Youtube do Sesc PE)

23/06, às 19h – Sambada de Coco (Youtube da TV LW)

24/06, às 19h – Dia de São João (Youtube da TV LW)

27/06, às 19h – Ébano Nunes (Youtube do Sesc PE)

28/06, às 16h – Miltinho Magalhães

29/06, às 20h – Banda Emanoel Pontual e Banda Paralelos (Youtube do Sesc PE)

30/06, às 11h – Diálogos de Manifestações Culturais (Youtube do Sesc PE)

30/06, às 20h – Encerramento com Mala sem Alça e Moleca Safada (Youtube do Sesc PE)

Serviço: Pé-de-Sesc
Data: até 30 de junho

Foto: CDM PRODUTORA