sábado, 20 de junho de 2020

IZAÍAS ABANDONOU A CIDADE, REBATE SIVALDO ALBINO

Do Blog do Magno Martins

"Caro Magno,

A respeito de entrevista divulgada sobre as críticas do prefeito de Garanhuns, Izaías Régis, ao nosso nome, que de má fé tem nos atacado, permita-nos esclarecer alguns fatos que talvez explique seu nervosismo e ingratidão.

Como é sabido por todos, a população de Garanhuns encontra-se absolutamente insatisfeita e até indignada com o prefeito em razão da omissão, do descaso e de sua desastrosa atuação nesta pandemia, sobretudo por ter se omitido e entregue a população à Covid-19, inclusive com desrespeito aos mortos e desatenção às famílias enlutadas.

Para se ter uma ideia do quanto a Prefeitura de Garanhuns agiu mal e de forma tardia no enfrentamento à Covid-19, somente esta semana é que foi aberto o hospital de campanha, depois de ter passado por reforma milionária e demorada. Aliás, trata-se de uma obra que iniciou em 2014 e estava parada. Tem quatro pacientes internados que deram entrada ontem (19/06), e que foram os primeiros atendidos pela Prefeitura - depois de mais de 100 dias de decretada a pandemia em Pernambuco.

Durante todo este tempo foi o Governo do Estado que abrigou os pacientes do município nos leitos que foram abertos na UPAE Garanhuns e no Hospital Regional Dom Moura, sem contar os leitos que o estado está contratando no Hospital Particular N. Sra. do Perpétuo Socorro.

Ao contrário disso, a Prefeitura de Garanhuns tem sido omissa nas ações de prevenção e nossa região sofre por não ter acompanhado outras regiões, que por diminuírem os números de contaminados e óbitos, já começam a ver sua reabertura econômica.

Garanhuns foi praticamente a última cidade do Agreste a implantar barreiras sanitárias. Fez compras milionárias para saúde, mas deu apenas uma máscara descartável e um frasco de álcool em gel a cada agente de saúde. E o pior: a V Regional de Saúde conta com 21 municípios, mas Garanhuns é o ÚNICO deles que não dispõe de hospital municipal, tendo em vista que o que tinha o Sr. Izaías Régis decidiu fechar logo no início de sua gestão. 

Estamos pagando um alto preço agora por não termos um gestor com os olhos voltados ao social. Qualquer dia traremos aqui informações sobre a educação, que também vai de mal a pior, da briga na justiça com os professores, construções de colégios e creches paradas... um caos!

O Prefeito foi irresponsável ao dizer que só conseguimos R$ 60 mil para cestas básicas. Ora, foi ele mesmo que nos pediu R$ 50 mil - fato que só mostra sua desonestidade verbal, até porque ele e a população do município conhecem nossa atuação.

Portanto, sua intenção é tão somente a de denegrir nossa imagem, em razão do processo eleitoral que se avizinha. Só que não entraremos nesse jogo porque o momento é grave e exige de todos nós um trabalho reforçado, direcionado à saúde e à preservação do maior número de vidas possível.  Eleição a gente discute no tempo oportuno, e não com ele, mas com seu candidato, que também está sendo omisso, sobretudo por sua condição, é médico. Até agora não moveu uma palha sequer ou deu qualquer palavra de apoio à população, ou fez qualquer gesto que pudesse ajudar no combate à pandemia. 

Na contramão da omissão do Prefeito, graças ao apoio do Governo do Estado, conseguimos implantar 60 leitos em Garanhuns, exclusivos para pacientes com Covid-19, sendo 22 de UTI, além da contratação de mais de 200 profissionais de saúde, a aquisição de uma UTI móvel e um aparelho de raio-x portátil.

Vale lembrar ainda, a emenda parlamentar de nossa autoria no valor de R$ 558 mil e outra emenda de R$ 370 mil que conseguimos com o deputado João Campos (PSB), ambas para o Hospital Dom Moura. Além disso, conseguimos, repito,  R$ 60 mil para cestas básicas, entre outras ações. Graças à nossa parceria com o governador Paulo Câmara,  mais de 10 milhões de reais foram investidos pelo estado em nossa cidade, recursos que permitiram Garanhuns e região vencerem este período mais crítico. Vamos continuar trabalhando. 

Para finalizar, caro Magno, embora o momento ainda seja de enfrentamento à Covid-19, estamos planejando ações que impulsionem Garanhuns para sua reabertura econômica, e isto só se faz ouvindo e unindo todos neste novo desafio. Ontem tivemos uma reunião online com a diretoria da CDL Garanhuns. Onde estava o prefeito? Escondido na sua habitual omissão!

Felizmente, lideranças responsáveis de Garanhuns têm assumido estes desafios, e não vamos nos esconder ou atacar os outros, vamos trabalhar, como sempre temos feito.

Grande abraço, e obrigado pelo espaço."

Sivaldo Albino 
Dep. Estadual e Líder do PSB na ALEPE

A FAMÍLIA MOCHILEIRA DE GARANHUNS - ÁRVORE GENEALÓGICA DE SIMÔA GOMES DE AZEVEDO

Octávio Rêgo, no centro. À esquerda - Dário Rêgo (filho) e os bisnetos - Maria da Penha, João Jerônimo; à direita - Zózima S. Rêgo (nora) e os bisnetos: Cecília, Estela. Na 1ª fila - Alba Luci - Dário das Neves, Mário Fernando, Álvaro Eduardo, Aloísio Fernando, Antônio Octávio - Ano de 1950
Casal:

Domingos Jorge Velho
Jerónima Cardim Fróes

1ª Geração

(Filhos de Domingos / Jerónima)

Miguel Coelho Gomes  - Casado com a Indígena Unhanhú

2 Geração

(Filhos de Miguel / Indígena Unhanhú)

Simôa Gomes - Casada com Manoel Ferreira de Azevedo
Miguel Coelho Gomes - Casado com Ângela de Araújo Gomes

3ª Geração

(Filhos de Simôa / Manoel)

Valério Ferreira de Azevedo - Casado com Agueda Maria de Azevedo
Bertoleza Ferreira de Azevedo - Casada com José Feliz dos Anjos - primeiras núpcias e casada em segundas núpcias com Leandro da Cruz Meireles

4ª Geração

(Filhos de Valério / Agueda)

Francisca Ferreira de Azevedo - Casada com João Damasceno da Rocha
José Ferreira de Azevedo - Casado com Mariana dos Santos de Azevedo
Maria da Luz Ferreira - Casada com Manoel Joaquim dos Santos
Manoel Ferreira de Azevedo - Casado com Maria de Jesus da Silva

(Filhos de Bertoleza / José Felix)

João Ferreira de Brito - Casado com Maria de Jesus de Azevedo
José Felix de Brito - Casado com Joaquina Maurício Wanderley

(Filhos de Bertoleza / Leandro)

Antônia do Nascimento - Casada com José Felix de Amorim
Maria Tereza de Jesus - Casada com João de Araújo Oliveira

5ª Geração

(Filhos de Manoel / Maria de Jesus)

João Ferreira de Azevedo - Casado com Ana Joaquina dos Anjos
Maria de Jesus de Azevedo - Casado com João Ferreira de Brito
José Ponciano Ferreira de Azevedo - Casado com Rita de Cássia da Costa Azevedo
Joaquim Ferreira de Azevedo - Casado com Rosa Maria de Brito d'Azevedo
Luís Ferreira de Azevedo - Casado com Maria Cordulina da Glória

(Filhos de José Felix / Joaquina)

Rosa Maria de Brito - Casada com Joaquim Ferreira de Azevedo

(Filhos de Maria Tereza / João)

Catarina Ferreira da Luz - Casada com Miguel Teles de Carvalho
Porcina Maria de Jesus - Casado com Domingos Ferreira dos Santos
Manoel Ferreira de Azevedo - 

6ª Geração

(Filhos de João / Ana Joaquina)

Manoel Ferreira de Azevedo
Agostinho Ferreira de Azevedo - Casado com Alexandrina Tiburtina de Azevedo
Joaquim Ferreira de Azevedo
Francisco Ricardo de Azevedo
Antônio Cardeal de Azevedo - Casado com Francisca Teodora Chaves
João Calixtrato de Azevedo
Matias Belino de Azevedo - Casado com Severina Jovina de Oliveira
Tolentino Ferreira de Azevedo - Casado  com Laurinda Maria de Jesus
Francisca Joaquina de Azevedo - Casada com Manoel Alves Barreto
Maria Cordulina de Azevedo - Casada com Luís Ferreira de Azevedo
Francelina de Azevedo - Casada com Francisco Ferreira Chaves
Rosa Maria de Azevedo
Joana de Paula de Azevedo - Casada com João Porfírio Correia
Josefa Carolina de Azevedo - Casada com Joaquim Salgado Vasconcelos
Lúcia Ferreira de Azevedo

(Filhos de Luiz / Maria Cordulina)

Agostinho Ferreira de Azevedo - Casado com Constança Maurício de Brito
Manoel de Aquino Azevedo - Casado com Tereza Belina de Azevedo
Joaquim Targino de Azevedo - Casado com Francisca Xavier da Costa
Matias Felismino de Azevedo
Antônio Belino de Azevedo - Casado com Josefina Carolina de Azevedo
Francisco Calixtrato de Azevedo
Honório Adelino de Azevedo
Tolentino Ferreira de Azevedo
Aquilino Ferreira de Azevedo
Luiz Ferreira de Azevedo Filho
Henrique Augusto de Azevedo
Miguel Hermeto de Azevedo
Francelina Ferreira de Azevedo
Joana Ferreira de Azevedo
Agueda Ferreira de Azevedo  - Casada com Agostinho Ferreira da Silva Brito
Idalina Ferreira de Azevedo - Casada com Amâncio da Rocha Wanderley
Teresa Galeana de Azevedo - Casada com Amâncio da Rocha Wanderley (viúvo)
Tomás Ferreira de Azevedo - Casado com Isabel Ursulina da Silva

7ª Geração

(Filhos de Agostinho / Alexandrina)

Raquel Idalina de Azevedo - Casada com João Pereira dos Santos
Tereza Ferreira da Silva Gueiros - Casada com Clarindo Barbosa da Silva Gueiros
Veneranda Ferreira de Azevedo - Casada com Agostinho Pereira dos Santos
Celestino Ozanam de Azevedo - Casado com Antônia de Souza Vilela

(Filhos de Antônio Cardeal / Francisca Teodora)

Antônia Cardeal de Azevedo - Casada com Antônio Gomes
Anna Cardeal de Azevedo - Casada com Joaquim Bahia de Mello
João Cândido Cardeal de Azevedo
Malaquias Cardeal de Azevedo - Casado com Antônia Góes de Azevedo
Umbelino dos Passos C. de Azevedo - Casado com Cordelina Góes de Azevedo)
Cecília dos Martyrios C. de Azevedo - Casada com Octávio Alves da Silva Rêgo
Antônio Cardeal de Azevedo Filho - Casado com Leúcia Farias de Azevedo

(Filhos de Tolentino / Laurinda)

Manoel Ferreira de Azevedo
João Ferreira de Azevedo
Antônio Ferreira de Azevedo
Veneranda Ferreira de Azevedo

(Filhos de Agostinho / Constança)

Luiz Birineu de Azevedo - Casado com Inácia Petronila de Mello

(Filhos de Joaquim Targino / Francisca Xavier)

Luiza Azevedo
Agostinho Targino de Azevedo
João Targino de Azevedo - Casado com Ana Severina de Azevedo - primeiras núpcias e com Maria Pacheco de Azevedo em segundas núpcias
Joaquim Targino de Azevedo Filho - Casado com Leolina Viana da Costa Azevedo
Luiz Targino de Azevedo - Casado com Americana Machado de Mello
José Targino de Azevedo - Casado com Olímpia Bahia de Azevedo
Antônio Targino de Azevedo - Casado com Vivina Azevedo
Jacinto Targino de Azevedo
Júlia de Azevedo - Casada com Antônio Jacinto de Mello
Josefina de Azevedo

8ª Geração

(Filhos de Raquel / João Pereira)

Antônio Pereira de Azevedo - Casado com Josefa de Azevedo
Agostinho Pereira dos Santos - Casado com Veneranda Ferreira de Azevedo
José Pereira de Azevedo - Casado com Josina Liliosa de Azevedo
Virtuosa Pereira de Azevedo - Casada com Luís Pereira Wanderley
Umbelina Augusta de Azevedo - Casada com Manoel Pereira Wanderley
Vicência Pereira de Azevedo - Casada com Joaquim Lopes Cazumba Filho
Adelaide Pereira de Azevedo - Casada com Canuto Florentino de Oliveira
Isabel Pereira de Azevedo - Casada com Balbino Florentino de Oliveira
Maria Pereira de Azevedo - Casada com Balbino Florentino de Oliveira

(Filhos de Ana Cardeal / Joaquim Bahia)

Jacinta de Azevedo Bahia
Regina de Azevedo Bahia - Casada com Macário Lopes de Souza
Maria de Azevedo Bahia
Francisca de Azevedo Bahia - Casada com Antônio Lopes de Souza
Antônio Vasconcelos de Azevedo Bahia 

(Filhos de Malaquias / Antônia de Góes)

Luiza de Góes Azevedo
Quitéria de Góes Azevedo
Antônio de Góes Azevedo
Rosa de Góes Azevedo - Casada com João Barbosa
Augusta de Góes Azevedo

(Filhos de Umbelino dos Passos / Cordelina)

Hermínia Góes de Azevedo
Maria Góes de Azevedo
Justina Góes de Azevedo
Regina Góes de Azevedo
Lígia Góes de Azevedo
Alta Góes de Azevedo
Leodora Góes de Azevedo
Antônio Góes de Azevedo
João Góes de Azevedo
Umbelina Góes de Azevedo

(Filhos de Cecília dos Martyrios / Octávio Alves)

Pedro Alves da Silva Rêgo
Dario Alves da Silva Rêgo - Casado com Zózima Alves de Siqueira

 (Filhos de Antônio Cardeal / Lêucia Farias)

Antônio Euthymio de Azevedo - Casado com Quitéria dos Santos - Em primeiras núpcias e Georgina Fonsêca em segundas núpcias
Olímpio Cardeal de Azevedo - Casado com Celiza Azevedo
Francisca Cardeal de Azevedo
Ernesto Cardeal de Azevedo
Arthur Cardeal de Azevedo - Casado com Maria (Nina) Schettini - Em primeiras núpcias e com Cacilda Azevedo em segundas núpcias

(Filhos de Luís Sirineu / Inácia Petrolina)

Xisto Sirineu de Azevedo - Casado com Percila Pereira Wanderley
Josina Liliosa de Azevedo - Casada com José Pereira de Azevedo

(Filhos de João Targino / Anna Severina - Ana Rêgo) Primeiras núpcias

Arsênio Targino de Azevedo - Casado com Lourdes Sampaio de Azevedo
Augusto Targino de Azevedo - Casado com Lídia Almeida de Azevedo

(Filhos de João Targino / Maria Pacheco - Segundas núpcias)

Walmira
Walfrido
Waldenice
Waldemar

(Filhos de Joaquim Targino / Leonila Viana)

Carlos Targino de Azevedo - Casado com Maria José Bezerra de Azevedo
José Targino de Azevedo - Casado com Alice Azevedo
Maria do Carmo Viana de Azevedo - Casada com José Anselmo
Marina Viana de Azevedo
Celina Viana de Azevedo - Casada com Sebastião Barbosa

9º Geração

(Filhos de Antônio Pereira / Josefa)

Raquel Pereira de Azevedo - Casada com José Pereira de Azevedo Sobrinho

(Filhos de Umbelina Augusta / Manoel Pereira)

Heronides Pereira Wanderley - Casado com Noême Braga
Percila Pereira Wanderley - Casada com João de Souza Vilaça - Primeiras núpcias e Xisto Sirineu de Azevedo em segundas núpcias
José Pereira de Azevedo Sobrinho - Casado com Raquel Pereira de Azevedo

(Filhos de Regina Bahia / Macário)

Analice Lopes de Souza
Antônia Lopes de Souza
José Lopes de Souza (Zezinho) - Casado com Elza Bezerra de Souza
Eulina Lopes de Souza - Casada com José Rocha
Luís Lopes de Souza

(Filhos de Francisca Bahia / Antônio)

Malaquias Lopes de Souza - Casado com Quitéria Maria dos Santos Lopes
José Lopes de Souza (Lelé) - Casado com Anita Vieira de Souza
Antônia Lopes de Souza (Donzinha) - Casada com Severino Rocha Wanderley
Luiza Lopes de Souza - Casada com Francisco Rausto de Araújo

(Filhos de Dário / Zozima)

Alberto da Silva Rêgo - Casado com Lígia Machado da Silva Rêgo
Ailda da Silva Rêgo - Casado com Paulo Fernandes Barros
Alda da Silva Rêgo - Casado com Formoso de Barros Neves
Maria Anunciada da Silva Rêgo - Casada com Vanildo Raimundo da Silva
Abelardo da Silva Rêgo
Amilton da Silva Rêgo - Casado com Maria Rita Rêgo
Albérico da Silva Rêgo - Casado com Maria Luzanira Leite Rêgo
Arnaldo José Azevedo Tororó - Casado com Maria José Maia
Argentina da Silva Rêgo
Aécia Tereza da Silva Rêgo - Casado com Etevaldo C. Missena
Silvia da Silva Rêgo


(Filhos de Antônio Euthymio /Quitéria)

Hilda Azevedo - Casada com Aluisio Mendes Cahú
Waldecir Azevedo - Casada com Paulo da Veiga Pessôa
Agilberto Azevedo - Casado com Angélica Wanderley Azevedo - Primeiras núpcias - Dirce Oliveira Azevedo em segundas núpcias
Alcey Euthimio de Azevedo - Casado com Helena Barbosa Bento de Oliveira
Jacira Azevedo - Casada com Adiel Araújo

(Filhos de Antônio Euthimio / Georgina)

Antônio Euthimio de Azevedo Jr.
Ivam de Azevedo
Marcílio de Azevedo
Glauce Mirta de Azevedo
Maurilio Fonsêca de Azevedo
Cleide Fonsêca de Azevedo

(Filhos de Arthur Cardeal / Cacilda)

Arthur Cardeal de Azevedo de Azevedo Filho
José Cardeal de Azevedo

(Filhos de Carlos Targino / Maria José)

José Carlos Targino Bezerra  - Casado com Marilene Barbosa Targino
José Celso T. Bezerra - Casado com Vera Lúcia Bezerra
José Cláudio Bezerra Azevedo - Casado com Irani Azevedo
Maria de Lourdes Azevedo - Casada com Carlos Alberto Rodrigues de Lima
José Clélio Bezerra de Azevedo - Casado com Sandra Reis Azevedo
José Clénio Bezerra de Azevedo - Casado com Severina Bezerra de Azevedo
Joaquim Targino Bezerra de Azevedo
Valério Bezerra de Azevedo
Fátima Bezerra de Azevedo
Vânia Lúcia Azevedo - Casado com Clênito Silva
Luiza Bezerra de Azevedo
Carmem Lúcia Bezerra de Azevedo - Casada com Francisco Xavier Farias

(Filhos de José Targino /Alice)

Severina Targino de Azevedo

10ª Geração

(Filhos de Raquel / José Pereira)

Maria José Pereira de Azevedo
Geraldo Pereira de Azevedo
Armanda Pereira de Azevedo
Osvaldo Pereira de Azevedo
Clóvis Pereira de Azevedo
Carlos Pereira de Azevedo

(Filhos de José Lopes / Elza Bezerra)

Carlos Alberto Bezerra de Souza

(Filhos de Malaquias / Quitéria)

José Fernando Santos de Souza - Casado com Maria de Fátima Santos de Souza
Luzanira Lopes de Souza - Casada com João Ferreira Araçá
Paulo Lopes de Souza
Antônio Lopes de Souza
João Lopes de Souza

(Filhos de José Lopes / Anita)

Ana Cláudia Lopes Vieira
Ana Francisca Lopes Vieira
Albérico José Vieira de Souza
Alapércio Antônio Vieira de Souza
Álvaro Manoel Vieira de Souza
Ana Glória Lopes Vieira  - Casada com Francisco de Assis Lucas da Silva


(Filhos de Antônia / Severino)

Severino Rocha Wanderley Júnior

(Filhos de Luiza / Francisco)

Luis Fernando Fausto Lopes
Aldérico José Fausto Lopes - Casado com Maria Véras Lúcia Teixeira Lopes
Maria Luiza Fausto Lopes - Casado com Luís Araújo da Silva
Maria Wilma Fausto Lopes - Casada com Vandilço Araújo Pereira
Antônio Everaldo Fausto Lopes
Francisco Fausto de Araújo Júnior
Maria Celina Fausto Lopes

(Filhos de Alberto / Ligia)

Antônio Otávio Machado Rêgo - Casado com Sandra Cavalheiro Rêgo
Alba Luci Machado Rêgo - Casado com Ernani de Morais Peloso
Aloisio Fernando Machado Rêgo - Casado com Eralciléa Fátima Catunda Rêgo
Álvaro Eduardo Machado Rêgo - Casado com Nazaré Botelho Rêgo - Primeiras núpcias e Arineide Lima Santos Rêgo e segundas núpcias
José Eurico Machado Rêgo - Casado com Maria Aux. Barros Carvalho
Alberto da Silva Rêgo Filho
Maria Cristina Machado Rêgo - Casada com Alejandre Molfese


(Filhos de Ailda / Paulo)

Mário Fernando Rêgo Barros - Sílvia Carmen Spacca Barros
Maria da Penha Rêgo Barros - Casada com Eraldo Rodrigues Santos
Maria Estela Rêgo Barros - Casada com Altinésio Melo e Silva
Maria Anunciada Rêgo Barros - Casada com João E. Cavalcante Fonte
Maria Eulália Rêgo Barros - Casada com José Bosco Seixas


(Filhos de Alda / Formoso)

Cecília Escolástica Rêgo Neves - Casada com Luís Augusto Rocha Ugá
João Jerônimo Rêgo das Neves - Casado com Maria José Cavalcante das Neves
Dário Zózimo Rêgo das Neves - Casado com Iaci Alba Monturil
Rita Cássia Rêgo das Neves - Casada com Wilson M. Soledade
Zózima Fedra Rêgo das Neves

(Filhos de Amilton / Maria Rita)

Edmundo de Jesus Alves Rêgo - Casado com Maria Goretti Nascimento
Amilton Alves Rêgo - Casado com Iraid Alves Rêgo
Aloisio Lúcio Alves Rêgo - Casado com Lucile Margareth Salah Rêgo
Maria do Socorro Alves Rêgo - Casada com Basílio Coelho da Silva
Daria Alves Rego

(Filhos de Albérico / Maria Luzanira)

Luzanira Maia Leite Rêgo 
Albérico da Silva Rêgo Júnior - Casado com Maria das Graças Lapenda Rêgo
André Luís Leite Rêgo - Casado com Maria Fernanda Cavalcanti Rêgo
Kátia Leite Rêgo - Casada com Manoel Firmino da Silva Júnior

(Filhos de Arnaldo / Maria José)

Magda Catharine Tororó Pereira Casada com Itamar Siqueira Pereira
Airton Maia Tororó
Moêma Maia Tororó

(Filhos de Argentina / José)

Alice Zózima da Silva Rêgo
Silvia da Silva Rêgo Sobrinha

(Filhos de Aécia / Etevaldo)

Etevaldo C. Missena Júnior
Dario Alves da Silva Rêgo Neto
Aleluia Alexandrina Missêna Rêgo - Casada com José Sérgio Teodósio


(Filhos de Hilda / Aluísio)

Luciano Azevedo Cahú - Casado com Carmem Lúcia C. Barros
Lúcia Azevedo Cahú - Casada com Fernando Cabral Chaves
Aluísio Mendes Cahú - Casado com Maria de Fátima Branca

(Filhos de Waldecir / Paulo)

Paulo Fernando Veiga Pessoa / Casado com Sônia da Veiga Pessoa
Luís Sergio da Veiga - Casado com Olivana da Veiga Pessoa.

Fonte: Livro "Os Aldeões de Garanhuns" de Alberto da Silva Rêgo / Coleção Tempo Municipal 10 - Centro de Estudos de História Municipal / 1987.
Acervo: Memorial Ulisses Viana de Barros Neto

DE NOVO ELE


Hoje, depois do almoço, e de assistir um pouco ao Jornal, fui pra minha “horizontal”, como sempre com meus inseparáveis marcadores de textos e minhas réguas. Lá, à minha espera, “Anna Kariênina”, de Liev Tolstói, “folheto” de 814 páginas, que me lembra um colega de turma da Faculdade que me dizia outro dia: “Estou fora. Não enfrento mais que meia dúzia de páginas.”

Deitado, mas ainda acordado, lendo Tolstói, de repente o celular toca, e toca de novo, e, eu, nem aí, apesar de ouvir seus toques. Tirei o olhar de “Anna Kariênina”, e exclamei: “Será possível? Deixem-me ler. Afinal, leio Tolstói, esse russo autor de “Guerra e Paz”, romance que o tornara notável na década anterior, 1863, já que Anna Kariênina ele escreveu em 73 dos anos mil oitocentos.

E o celular a tocar. Resolvi atender. Afinal, tamanha aflição pode sugerir alguma urgência, e urgência é urgência, e, como tal, temos que considerar. “Você está vendo, Givaldo? Nunca vi tanta chuva em Garanhuns. E, com ela, tanto frio. Hoje, a previsão é que vamos para 10ºC. E olhe lá! Você tem aguentado, amigo?”

“Verdade? Que notícia boa! É Garanhuns mais Garanhuns. Afinal, é o inverno que chega. Hoje, nossa cidade é conhecida Brasil afora por isso. Agora, amigo, será que vamos mesmo para 10ºC? Procura conferir, porque quero sentir esse frio que faz algum tempo que não sinto. Você sabe, não é? Gosto do frio e da garoa de Garanhuns. Eles me sugerem conforto, aconchego, tranquilidade. Alô! Alô! Você não está aí?”

“Estou, Givaldo, é que estou morto de frio. Que devo fazer?” “Primeiro, amigo, agradecer a Garanhuns. Você ‘morto’, no entanto, falando comigo. Segundo, volte pra sua terra. Soube que lá, hoje, beira os 40ºC. Esse tempo, aqui, não. Nem nesse tempo de pandemia, cujo “bichinho” nos atormenta.

GIVALDO
Calado de Freitas

CENÁRIOS DE PERNAMBUCO

Sítio Aguazinha, Iati, Pernambuco
Cerca viva de Mandacaru: É uma linha de árvores e arbustos plantados para formar uma barreira ou marcar delimitação de uma área, por exemplo, entre propriedades.
Foto: Anchieta Gueiros

sexta-feira, 19 de junho de 2020

PIB DE PERNAMBUCO CRESCEU 0.8% NO PRIMEIRO TRIMESTRE DE 2020

A Agência Estadual de Planejamento e Pesquisas de Pernambuco – Condepe/Fidem, divulgou nesta sexta-feira (19), os dados do Produto Interno Bruto de Pernambuco (PIB-PE) do 1º trimestre de 2020. Segundo a entidade, a preços de mercado houve um crescimento de 0,8% em relação a igual período em 2019.

Em termos comparativos, a economia pernambucana apresentou um comportamento mais dinâmico que a economia brasileira no período, considerada a queda de 0,3% do PIB nacional. O PIB-PE alcançou R$ 51,6 bilhões, em valores correntes. Esse desempenho decorreu do comportamento, no trimestre, dos três grandes setores econômicos: Agropecuária (0,4%), Indústria (3,2%) e Serviços (-0,1%).

A divulgação ocorreu sob a forma de videoconferência para a imprensa e alguns participantes de entidades governamentais, sendo coordenação pela presidente da Agência Condepe/Fidem, Sheilla Pincovsky, com a presença do diretor de Estudos e Pesquisas, Maurílio Lima, e os gerentes da entidade, Rodolfo Guimarães e Wagner Lima.

MEUS PAPAGAIOS DE PAPEL

Antônio Galindo

Quando o vento soprava, o vento fino,
deixando a rua toda empoeirada,
nos meus tempos saudosos de menino,
eu não temia a tarde ensolarada.

Meu papagaio embora pequenino,
causando inveja a toda a garotada,
sempre a subir, subir, sem ter destino,
era o meu sonho, meu prazer mais nada.

Agora, velho, me lembrando deles,
perguntando ao tempo: onde estão aqueles
que foram outrora todo o meu amor?

Invasores do ar, meus ideais!...
foram-se embora e não voltaram mais,
meus papagaios de papel de cor.

LUIS SCHETTINI

HISTÓRIA DE GARANHUNS - Seguindo o exemplo do seu genitor, tornou-se comerciante, estabelecendo-se com uma padaria no bairro da Boa Vista. Seu pai Miguel, italiano, já na primeira década deste século (XX) se instalara em Garanhuns, com uma  panificadora.

Mas, Luis Schettini tinha outros sonhos. Um deles, como todo jovem, fugir para as peladas. Fundador e vice-presidente do América Futebol Clube nos períodos 1930/1931 a 1931/1932. Depois no São Cristóvão Sport Clube. Em 1933, vice-presidente da Sociedade Beneficente dos Proprietários de Padaria. Em colaboração com Jasselli na Sociedade de Cultura, no cargo de Tesoureiro; Em 1935 penetra no jornalismo. Inicialmente no Diário de Garanhuns, colaborando e, inclusive no cargo de diretor. Em 1938 como redator-chefe. Em abril, citado ano, escreve: "No campo de lutas da imprensa de Garanhuns, surge, hoje, o Garanhuns-Diário. Jornal modesto, elaborado às custas do esforço de dois amigos desta terra, ele se propõe trabalhar pelo seu progresso e engrandecimento na ânsia de vê-la crescer e subir". E termina o artigo:  "E nós estamos certos de que o povo de Garanhuns saberá corresponder ao nosso esforço, amparando o "Diário", que  não é unicamente nosso, é seu". O título de suas crônicas "Não Leia", não teve muita duração. Mudou-o para "Sandices", por sugestão de seu amigo Dr. Osvaldo Gouveia, médico sanitarista do Posto de Higiene.

De Luis Schettini diz JCR, em seus desenhos animados: "Luis Schettini ocupa, na turbulenta e heterogênea família jornalística de Garanhuns, um lugar indisputável e áspero - o de gramático. Cacógrafo de raiz, não lhe invejo nem lhe admiro esta tendência para policial dos pronomes.

Os gramáticos aparecem aos meus olhos como uma espécie zoológica desaparecida. São os megatérios das belas letras".

Após outras considerações, JCR termina: - Luis Schettini conquistou aqui as suas esporas de ouro de gramático, sem  pugnas, sem sangue, e sem canseiras. Faz gramática como aquele Mr. Jourdain do malicioso Moliére fazia prosa - sem o saber".

Luis Schettini casou-se com Luiza Bastos e foi residir no Rio de Janeiro, onde fundou um colégio no bairro do Meyer. Os filhos foram três. (Fonte: Os Aldeões de Garanhuns - Alberto da Silva Rêgo - 1987).

RUA MANOEL CIPRIANO DA CRUZ - GARANHUNS, PE

SIVALDO ALBINO DEFENDE GARANHUNS COMO TERRA DOS FESTIVAIS


Do Blog do Ronaldo Cesar

Em recentes entrevistas a meios de comunicação e lives nas redes sociais para influenciadores digitais, o deputado estadual Sivaldo Albino tem defendido transformar Garanhuns na Terra dos Festivais, como forma de atrair turistas durante todo o ano, dos mais diferentes perfis. "Já temos o grandioso Festival de Inverno, A Magia do Natal e o Viva Dominguinhos. No entanto a prefeitura cometeu o erro de acabar com o Garanhuns Jazz Festival, e ainda deixar de incentivar e patrocinar o MotoFest. Nosso município precisa se transformar na Terra dos Festivais, pois trata-se de um incremento importante em nossa economia, além de ter um impacto positivo na imagem de Garanhuns que impulsiona o turismo permanente e autosustentável" - Afirmou o deputado, que tem seu nome citado como principal nome da oposição municipal para a eleição de prefeito este ano.

Sivaldo Albino tem ido além em sua defesa de grandes eventos. "Não podemos menosprezar a força dos eventos religiosos, já provados em Garanhuns que dão certo. Precisamos apoiar cada vez mais o Festival Gospel, talvez até em outra época do ano também. Vamos conversar com lideranças evangélicas e construir uma proposta juntos. Quanto aos católicos, sabemos que o período da Semana Santa tem grande atrativo. Garanhuns está na Rota da Fé, tem igrejas e prédios religiosos belíssimos, vamos projetar um evento ou programação que se torne atraente a quem quiser viver este momento de celebração em nosso município".

Segundo Sivaldo, o evento da Magia do Natal cresceu e deve continuar crescendo, com grandes programações e com perfil voltado às famílias. "Lembro que quando fui vereador e presidente da Câmara Municipal apoiamos a criação do Natal de Garanhuns, e ficamos felizes em ver seu crescimento ao longo dos anos, mesmo mudando de nome, mas sem perder o perfil. Com certeza terá sempre nosso apoio para ser sempre belo, atraente e que impulsione nosso comércio ao final do ano". - Explica.

Quanto ao Festival Viva Dominguinhos, Sivaldo também acredita que pode crescer. "Garanhuns deve ter seu calendário com grandes eventos, e com certeza o Viva Dominguinhos deve ser muito bem tratado. É um erro acabar eventos como fez a atual gestão municipal. O que precisamos é criar, cuidar e desenvolver, nunca acabar, como aconteceu com os Festivais da Jovem Guarda, FEMUARTE, Jazz e MotoFest." - Afirma o deputado.

Sivaldo tem conversado com os produtores Giovanni Papaleo e Jackson Rocha para o retorno do Garanhuns Jazz. O evento já aconteceria este ano, contudo, devido a pandemia foi adiado, mas já está acertado entre o deputado e os produtores que em 2021, com o apoio do Governo do Estado de Pernambuco, o Jazz volta a Garanhuns. 

AS GUERRAS EM PERNAMBUCO

Cangaceiros
Créditos da Foto: Memorial Ulisses V. de Barros Neto

Desde o seu descobrimento o Brasil participou de inúmeras batalhas, revoltas e conflitos armados, inclusive das duas guerras mundiais. Pernambuco se não foi o Estado mais belicoso sempre esteve envolvido em eventos  violentos que marcaram épocas. Apesar de ter existido pequenas incursões de piratas e corsários, o primeiro registro considerável, só ocorreu em 1624 quando da Invasão Holandesa.

O primeiro litígio ocorrido no Brasil foi em 1563, na praia de Ibatuba em São Paulo, quando os Índios Tamoios, em defesa do seu território, atacaram Aldeias Portuguesas, quando o Padre Anchieta foi ameaçado de morte e ficou refém por dois meses numa choça de palha.

A Invasão Holandesa (1624) veio depois da expulsão de Salvador quando desembarcaram na praia de Pau Amarelo, com 70 navios e 200 canhões e ocuparam Olinda e Recife com 4 mil soldados. O domínio dos invasores durou até 1654, quando as cidades foram libertadas e os inimigos rechaçados para o interior. Estava criado o Exército Brasileiro com a união de brancos, índios e negros. É necessário que se faça justiça ao Príncipe Maurício de Nassau que de  1637 até 1644, soube governar com progresso. A expulsão geral só ocorreu em 1680.

Dado ao cultivo da Cana de Açúcar, Pernambuco tinha um grande número de escravos, que na fuga fundavam pequenos agrupamentos que eram chamados de Quilombos. O mais famoso foi o dos Palmares erguido em 1597 e localizado na Serra da Barriga a 150 quilômetros do Recife nos limites atuais de Alagoas, que chegou  a congregar mais de  10 mil habitantes, cuja "Capital" era Cerca Real do Macaco que tinha como Rei, Ganga Zumba, que depois foi substituído por  Zumbi, o mais famoso, nascido em 1655 e criado pelo Padre Antônio Melo sendo batizado como Francisco e aprendendo o português e latim. Revoltado com Ganga Zumba, que fez um acordo com os Portugueses, o envenenou. Em 1694, restaurado o poder dos Portugueses, foi mandado uma tropa de 9 mil homens, sob o comando do mercenário Domingos Jorge Velho, usando até canhões tendo dizimado o Quilombo dos  Palmares e aprisionaram mais de 500 negros. Zumbi, ferido continuou a luta e morreu numa emboscada em 20 de novembro de 1695,  tendo sua cabeça decepada.

A Guerra dos Mascates (1709/1711), os fazendeiros de  Olinda assustados com o  crescimento dos comerciantes do  Recife, chamado de Mascates, invadiram a Cidade e destruíram o "pelourinho". No ano seguinte foi à vez dos comerciantes invadiram Olinda. Tudo só parou com a vinda de um interventor mandado por Portugal.

A exportação do açúcar estava em baixa e a elite de Pernambuco iniciou movimento para se libertar do domínio Português, tendo o Capitão José Barros matado um Brigadeiro e a população foi para as ruas, tomando conta da Cidade. As tropas legalistas cercaram Recife e os líderes foram executados. A chamada Revolta Pernambucana se deu em 1817.

Em 1824 uma revolta em Pernambuco tomou o nome de Confederação do Equador, quando o Presidente da Província Manoel Paes de Andrade, se revoltou contra o Império mas a revolta foi extinta com a prisão dos seus líderes, inclusive o Frei  Caneca que foi condenado ao enforcamento. Só que os carrascos se recusaram a fazer a execução, sendo convocados escravos que não aceitaram, recusado até o prêmio de alforria. Finalmente Frei Caneca foi executado depois de perdoar os soldados do pelotão de fuzilamento.

A Rebelião Praieira durante  o Segundo Reinado foi motivada pela revolta dos  políticos do Partido Liberal substituídos por membros do Partido Conservador. Antonio Chichorro da Gama um liberal ligado ao Jornal Diário Novo que ficava na Rua da Praia, comandou a Rebelião em 1848, pedindo o voto livre e universal. A luta partidária foi para as ruas tendo como comandante Pedro Ivo, mas sua duração foi pequena e logo reprimido tendo os seus líderes que foram condenados à prisão perpetua. Em 1852 foram anistiados.

Na mudança do sistema métrico, reinou desconfiança na população do Recife que não confiavam na nova norma, imaginando que era uma maneira do comércio ludibriar o povo e invadiram casas comerciais destruindo os novos pesos e réguas, pois só aceitavam a medida em palmo e polegada e o peso em libra e arroba. Foi a Revolta dos Quebra-Quilos em 1874.

O Cangaço se iniciou  no Nordeste em 1877 e Pernambuco centro dos Bandos  Armados onde se destacaram: Cabeleira, Lucas da Feira, Antônio Silvino e Sinhô Pereira todos com raízes no nosso Estado. O mais famoso foi Virgulino Ferreira o Lampião que a partir de 1922 liderou o movimento. Nascido em Serra Talhada em 1897, entrou no Cangaço para  vingar a morte do seu Pai, a ele são atribuídas inúmeras atrocidades. No confronto entre o Crato e Juazeiro, recebeu a patente de Capitão, que ostentava com orgulho. Morreu em 28 de julho de 1938 na Fazenda Angico, em Sergipe, sendo decapitado junto com sua companheira Maria Bonita. O último cangaceiro que conseguiu escapar ao cerco, foi Corisco morto em 1940.

A Coluna Prestes (1924/1927) que se iniciou no Rio Grande do Sul e agrupou mais de 2 mil homens, teve uma passagem por Pernambuco sem grandes destaques.

O Levante de Princesa, foi quando o Coronel José Pereira,  reuniu um exército para enfrentar o Governo da Paraíba, terminou no Recife com o assassinato de João Pessoa (1930).

A Intentona Comunista (1935), teve a participação de Pernambuco, com a tentativa da tomada do 14 RI em Jaboatão, quando o Capitão Sampaio Xavier foi assassinado, os revoltosos foram dizimados e a maioria presa. A chefia nacional era de Luiz Carlos Prestes.

Em 2 de julho de 1944, partia para lutar na Itália os primeiros 5.081 soldados Brasileiros, muitos deles recrutados no 21 BC de Garanhuns e do 14 RI de Jaboatão, retornando vitoriosos deixando 457 mortos (sendo 13 Oficiais) que foram sepultados no Cemitério de Pistoia. O Recife foi sede de um contingente Americano na Segunda Guerra Mundial.

Depois de um longo período de aparente calmaria veio a Revolução de 1964, quando o Comando das Forças Armadas, visando expurgar um movimento trabalhista de tendência esquerdista, botaram as tropas nas ruas e destituíram o Presidente João Goulart e Miguel Arraes de Alencar Governador de Pernambuco. Houve inúmeras cassações e prisões. Pequenos grupos armados tentaram estabelecer focos de levantes armados mas foram dizimados.

Lutas partidárias que se estenderam provocando assassinatos em todo Estado, sendo o mais  significativo o da Hecatombe de Garanhuns.

Assim Pernambuco viveu períodos belicosos, revelando personagem que se  destacaram como heróis e vilões. 

*Pedro Jorge S. Valença
Economista, escritor, historiador e agropecuarista
Texto transcrito do jornal Correio Sete Colinas de Setembro de 2006 - Garanhuns).

SALVAÇÃO DE UMA ÁRVORE

"Hoje estou colhendo frutos de um cajueiro que salvei"
Foto: Anchieta Gueiros

Paulo Dácio de Melo

Há quatro anos passados
Eu impedi uma ação
Um ser sem coração
De um ser atrasado
Foi consertar uma estrada
Um cajueiro atrapalhava
E quando ia arrancando
Eu impedi a ação
Hoje ele está adulto,
Eu estou colhendo seus frutos.

Na beira de uma estrada
Tinha um pé de cajueiro
Com os galhos arriados
Aparace um empreiteiro
Pra arrumar a estrada
Com um gigante trator
Assim que ele chegou
Foi me causando insulto
Eu impedi toda ação
E hoje estou colhendo o fruto.

Ainda bem que cheguei
A tempo de impedir
Que ela fosse sumir
Por um ser sem sentimento
Compara-lo com jumento
É agredir o animal bruto
E hoje estou colhendo o fruto.

Hoje colhi muitos frutos
Deliciosa a doçura
Colhi frutos com fartura
A recompensa que veio
Porque nesse mundo eu sei
Você colhe o que plantou
Não precisa ser doutor
Pra saber do que eu sei
Hoje estou colhendo frutos
De uma árvore que salvei.

Ainda bem que eu cheguei
A tempo de impedir
Que ela fosse sumir
Por uma alma do mal
Sem nenhum sentimento
Compará-lo com um jumento
É agredir o animal
É um insulto e é feio
Hoje estou colhendo frutos...
De uma árvore que salvei.

quinta-feira, 18 de junho de 2020

GOVERNO DE PERNAMBUCO IMPLANTA PROGRAMA DE DESSALINIZAÇÃO PARA ABASTECER 30 MIL PESSOAS


O governador Paulo Câmara apresentou o cronograma para implantação de sistemas de dessalinização, nesta quinta-feira (18), que definiu o início das obras do Programa Água Doce para a primeira semana de julho. As cidades de Manari (Sertão do Moxotó) e Itaíba, Águas Belas, Iati, Paranatama, Caetés e Capoeiras, no Agreste Meridional, serão as primeiras beneficiadas. Inicialmente, serão instalados 93 sistemas de dessalinização dos 170 previstos, beneficiando cerca de 30 mil pessoas, de um total de 60 mil que passarão a ter acesso à água potável quando a implantação estiver finalizada.

Com um investimento de R$ 36,9 milhões, dos quais R$ 3,7 foram desembolsados pelo Estado e R$ 33,2 milhões da União, a previsão para conclusão dos sistemas em 21 municípios é de até dois anos. O secretário de Desenvolvimento Agrário, Dilson Peixoto, e os prefeitos desses municípios acompanharam a apresentação.

Os municípios com maior dificuldade de acesso à água foram priorizados. Essa escolha levou em consideração o Índice de Criticidade de Acesso à Água (ICA), que contém indicadores, como Índice de Desenvolvimento Humano (IDH), pluviometria, taxa de mortalidade infantil e intensidade de pobreza.

SOBRE O PROGRAMA – O Programa Água Doce integra um conjunto de ações com foco na melhoria da infraestrutura hídrica no Agreste e Sertão do Estado. Além dos sistemas de dessalinização, estão em curso o Programa de Integração do São Francisco (PISF), que beneficiará 12 mil pessoas residentes em comunidades localizadas em um raio de até cinco quilômetros de distância dos canais Norte e Leste da Transposição, e a implantação de cisternas e perfuração de poços.

RUA ANTONIO DE ALMEIDA - GARANHUNS, PE