sábado, 1 de agosto de 2020

ESTOU AQUI DE PÉ, SENHORES...

Dr. Samuel Hardman - Secretário
de Agricultura de Pernambuco,
que presidiu o 1º Congresso do
Café realizado em Garanhuns
A Galeria Ítalo Brasileiro, era o café-restaurante chic de Garanhuns. Montado com todos os requintes  da época, ficava na Praça Sérgio Loreto (atual Praça João Pessoa), esquina da Avenida 13 de Maio, o seu proprietário era o italiano Emílio Notaro, que mais tarde iniciava, em sua fazenda, o maior cultivo de flores naturais da região. 

Era "chic" na época, após as sessões de cinema ir tomar chá, café ou chocolate nos salões do Ítalo Brasileiro e ser prazeirosamente atendido pelo seu proprietário e auxiliares. Havia também para deleite dos seus frequentadores, um piano que ficava na parte posterior do salão principal em plano elevado, onde o velho Ariosto, após as sessões do Grossi, vinha fazer suas tocatas. Durante o dia, era o Ítalo frequentado por viajantes e todos os que gostavam de uma boa refeição.

Sendo parte obrigatória do "Grand Mons" garanhuense, também ali se realizavam os banquetes e jantares políticos.

De uma feita, conta-se que num banquete oferecido ao Secretário de Agricultura de então, o Dr. Samuel Hardman, foi  encarregado o pastor Samuel Marinho, de fazer a saudação de praxe, oferecendo o ágape em nome dos seus correligionários políticos da cidade.

Samuel Marinho, era um brilhante orado, de palavra fácil e de imagens políticas, estava acostumado aos "improvisos", nestas ocasiões. Levantado-se, iniciou sua saudação dizendo: Estou aqui de pé, senhores... pensa e novamente, por um lapso de memória, até chegar-lhe as imagens de sua oração, repetiu o introito durante três (3) vezes, sendo interrompido, por alguém do "sereno", naturalmente um opositor político da situação que falou alto: "porque não se senta vossa senhoria?..."

O orador não perdeu a calma e retomou a palavra até o fim da saudação!!!

Alfredo Vieira
Advogado, jornalista e historiador
Recife, ano 1981

RUAS DE GARANHUNS - 8 DE ABRIL DE 1949


OFICINAS ON-LINE ENTRE OS DIAS 3 E 7 DE AGOSTO CAPACITAM GESTORES PARA ATUAREM EM INOVAÇÃO



Entre os dias 3 e 7 de agosto, os gestores municipais terão acesso a cursos on-lines para atuarem em inovação no Município. A iniciativa faz parte do Programa Nacional de Inovação Terra 2 e tem o apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações. As inscrições são gratuitas com direito a certificado ao final dos cursos.

O evento é totalmente on-line e faz parte da Semana de Talentos da Fundação Santo André e tem o intuito de fomentar a empregabilidade e o empreendedorismo. As apresentações são abertas ao público e podem ser assistidas pelo YouTube. Para garantir o certificado, o interessado deve preencher um cadastro no Sympla.

Click no link abaixo e saiba mais:

https://www.amupe.org/2020/oficinas-on-line-entre-os-dias-3-e-7-de-agosto-capacitam-gestores-para-atuarem-em-inovacao/

sexta-feira, 31 de julho de 2020

BANCO DE ALIMENTOS DO SESC INICIA ENTREGA DE ALIMENTOS NAS CIDADES PERNAMBUCANAS

Famílias em situação de vulnerabilidade social de Pernambuco estão sendo beneficiadas com o recebimento de cestas básicas neste mês de agosto. A Caravana Solidária, ação realizada pelo Banco de Alimentos do Sesc Pernambuco, acontece em parceria com o Sistema Fecomércio/Sesc/Senac e os sindicatos a ele filiados, e a expectativa é que sejam entregues nove mil unidades.

As cestas estão sendo compradas com o valor arrecadado, aproximadamente R$ 400 mil, das lives promovidas pelo Mesa Brasil, em parceria com o projeto Fome de Música, realizadas durante o período de isolamento. A distribuição acontece por meio das unidades do Banco de Alimentos nas cidades Recife, Caruaru, Garanhuns, Arcoverde e Petrolina e demais cidades no entorno. Os alimentos são encaminhados a instituições cadastradas no Banco que estão em municípios onde há unidades do Sesc. Além disso, os sindicatos ligados à Fecomércio também indicaram as organizações beneficiadas.

MORRE O PRIMEIRO CÃO QUE TESTOU POSITIVO PARA CORONAVÍRUS NOS EUA

Buddy, pastor Alemão de 7 anos, foi vítima da covid-19. Foto: AFP

Por Folha de Pernambuco

O primeiro cachorro a testar positivo para coronavírus nos Estados Unidos morreu, segundo relato da revista National Geographic esta semana. Ele sofreu com sintomas comuns nos pacientes humanos de Covid-19. 

Buddy, um pastor alemão de sete anos, ficou doente em abril, na mesma época em que seu dono Robert Mahoney estava se recuperando da doença. O animal parecia ter o nariz entupido e dificuldades para respirar e sua situação apenas piorou com o passar das semanas e meses.

Mahoney e sua esposa Allison, que vivem em Nova York, acabaram sacrificando o cão em 11 de julho, depois que ele começou a vomitar coágulos de sangue, urinar sangue e já não conseguia mais andar.

O casal disse à National Geographic que teve dificuldades de confirmar a suspeita de que Buddy havia sido infectado com o SARS-CoV-2. Muitos veterinários da região estavam fechados devido à pandemia. Alguns foram céticos quanto a animais contraindo o vírus. De qualquer forma, os testes estavam sendo preservados para o uso em humanos.

Uma clínica, enfim, conseguiu confirmar o resultado positivo do cachorro e descobriu ainda que o filhote de 10 meses da família, que nunca chegou a adoecer, tinha anticorpos contra o coronavírus.

PRÉ-CANDIDATOS ÀS ELEIÇÕES MUNICIPAIS EM JUREMA DEVERÃO CUMPRIR RECOMENDAÇÕES SANITÁRIAS DE PREVENÇÃO AO NOVO CORONAVÍRUS

Ao longo das últimas semanas, o Ministério Público de Pernambuco (MPPE) vem emitindo diversas recomendações aos candidatos às Eleições Municipais 2020 para que todos respeitem as normas sanitárias de prevenção ao novo coronavírus. Desta vez, a Promotoria de Justiça de Jurema e a Promotoria de Justiça da 94ª Zona Eleitoral (Lajedo e Jurema) recomendaram aos pretensos candidatos que respeitem as medidas sanitárias, cumpram os decretos estaduais e municipais e não realizem carreatas, aglomerações e reuniões em vias públicas, sob pena de serem conduzidos para a Delegacia, a fim de que haja uma apuração do delito praticado.

A promotora de Justiça de Jurema, Kamila Renata Bezerra Guerra, e o promotor Eleitoral, Edson de Miranda Cunha Filho, ressaltaram ainda que a Prefeitura de Jurema deverá, juntamente com o apoio de fiscais da Vigilância Sanitária, reunir uma equipe para orientar, fiscalizar e multar cidadãos que não estiverem cumprindo as normas sanitárias de utilização da proteção facial e acerca da proibição das aglomerações em vias públicas. 

A gestão municipal deverá mobilizar carros de som para informar a população sobre essas medidas.  Caso persistam a recusa no uso da proteção facial e o estímulo às aglomerações, a Polícia Militar também poderá atuar conduzindo os infratores à Delegacia para apuração dos procedimentos policiais pertinentes.

A Recomendação Ministerial Conjunta nº 01/2020 foi publicada na íntegra no Diário Oficial Eletrônico do MPPE desta quinta-feira (30/07).

ORIGEM DO NOME TIMBÓ

HISTÓRIA DE GARANHUNS - Um cipó nativo das matas da região que servia para cura de dor de dente, e para fazer balaios, cestos domésticos e caçuá. Os primeiros negros chegaram na Comunidade do Timbó no dia 24 de janeiro de 1615, trazendo consigo a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, enfrentaram grandes batalhas, entre elas a Guerra dos Beneditos e tomada do Riacho do Periri.

quinta-feira, 30 de julho de 2020

RESTAURANTES, CAFÉS E ACADEMIAS PODERÃO REABRIR NO AGRESTE

Com base nos dados epidemiológicos desta semana, o Gabinete de Enfrentamento à Covid-19 em Pernambuco determinou novas configurações em relação ao retorno das atividades econômicas no Estado. A Macrorregião de Saúde II, que tem como cidades-polo Caruaru e Garanhuns, fará um novo salto de duas etapas, saindo da Etapa 4 para a 6.

Assim, a partir da próxima segunda-feira (3), estarão liberados os serviços de escritório - desde que utilizem 50% do efetivo -, os restaurantes, cafés e lanchonetes, também com capacidade reduzida e funcionando das 6h às 20h, e as academias de ginástica. Já os serviços veiculares poderão operar com 100% do efetivo. O anúncio foi feito na tarde desta quinta-feira (30), em entrevista remota que reuniu os secretários de Saúde e de Desenvolvimento Econômico do Estado, André Longo e Bruno Schwambach. 

“Os indicadores apresentaram tendência de queda, o que nos permite avançar duas etapas em uma só fase, indo da 4 para 6”, justificou Schwambach, que disse estar havendo uma mobilização em ações de conscientização com as populações dessas áreas para que respeitem os protocolos sanitários. Nesta semana, foram vistos vários pontos de aglomeração na região comercial de Caruaru, por exemplo. 

RESOLUÇÃO DO TCE TRAZ MUDANÇAS NA TRANSPARÊNCIA DE RECURSOS PÚBLICOS DA SAÚDE

O Tribunal de Contas publicou no Diário Oficial desta quinta-feira (30) a Resolução TC nº 98/2020 que traz algumas novidades sobre a transparência dos recursos públicos recebidos por Organizações Sociais de Saúde (OSSs). O normativo altera os artigos 1º e 2º e os Anexos I, III e VIII da Resolução TC nº 58/2019 que até então tratavam do assunto. Estes anexos devem conter informações sobre a descrição das categorias de despesas, o detalhamento das obrigações patronais e outras despesas com pessoal, e o detalhamento dos termos aditivos aos contratos firmados pelas unidades de saúde geridas por OSS.

O novo regramento foi aprovado pelo Pleno, em sessão realizada no último dia 29 de julho, e determina em seu artigo primeiro a disponibilização, nos sites oficiais dos órgãos ou entidades supervisoras dos contratos de gestão firmados com OSSs, assim como nos Portais de Transparência do Poder Executivo, de uma série de informações e dados sobre a aplicação dos recursos públicos geridos por OSSs, inclusive das suas prestações de contas mensais. Tudo organizado por unidade de saúde e atualizado mensalmente. 

Os demonstrativos sobre o detalhamento dos vencimentos e vantagens, das despesas gerais, das receitas provenientes da Secretaria de Saúde, das demais receitas recebidas, dos contratos vigentes pelas unidades de saúde geridas por Organizações Sociais de Saúde e dos termos aditivos aos contratos firmados pelas unidades de saúde geridas por OSS, descritos nos anexos II a VIII da Resolução, devem também ser enviados ao TCE até o dia 15 do segundo mês subsequente ao da competência das informações, ou dia útil posterior a esta data.

Neles deverá constar o número de cadastro de pessoas físicas (CPF), e o encaminhamento realizado mediante formato aberto de dados, do tipo Comma-Separated Values (CSV), por meio de aplicativo disponibilizado na página da internet da instituição. A disponibilização de informações em formato aberto de dados possibilita a análise das despesas, receitas, folha de pessoal e contratos, tanto pelo controle social, quanto pelo TCE, e o conhecimento do destino final dos recursos públicos.

A partir de agora, estes arquivos poderão ser atualizados, desde que mantido, para fins de histórico, o envio ou a publicação anterior.

O descumprimento do prazo de atualização mensal continua passível de multa e a não disponibilização, ou o não envio dos documentos e das informações, será considerado sonegação, podendo ensejar auto de infração pelo Tribunal de Contas.

As alterações realizadas no artigo primeiro desta Resolução passam a valer a partir de 1º de setembro deste ano. As demais, vigoram a partir da data de sua publicação.

Confira aqui as mudanças nos anexos

DE BARAÚNAS A MIRACICA

HISTÓRIA DE GARANHUNS - Corria os idos de 1924 e a localidade onde hoje se insere o distrito de Miracica, expendia-se expressivamente pela força pujante da produção de Café e de Caju. O chamado Ouro verde, o café garantiu por muitos anos, o nascimento de um dos mais alvissareiros distritos de Garanhuns. Na verdade, Miracica foi fundada no mês de Março daquele início de século, pelo senhor Cândido de Araújo Neves, popularmente conhecido como "Caboclo Neves", o destemido agricultor, tratou de estimular a cultura do café e do caju, enquanto incentivava a aglomeração de  residências no começo da Vila, que recebeu a princípio o nome de Baraúnas. Com a campanha de erradicação do café no final dos  anos 30 e começo dos anos 40, toda a região de Miracica sofreu forte queda econômica, passando a manter-se praticamente com a  produção de caju e outras culturas agrárias hoje comuns na região.

PRESIDENTES DA CÂMARA DOS DEPUTADOS DURANTE O IMPÉRIO - ANO DE 1847


FRANCISCO MUNIZ TAVARES - Pernambucano. Era padre. Em 1817, um dos mártires da Revolução Republicana de Pernambuco sobre a qual escreveu uma obra magistral. Deputado às Cortes de Lisboa, à Constituinte de 1823 e a Sexta Legislatura. Em 1847, Presidente da Câmara. A história de sua vida, fecunda e gloriosa, está intimamente ligada à de sua  terra. Faleceu com mais de 80 anos, em 1876.

Fonte: Presidentes da Câmara dos Deputados Durante o Império 1824 A 1889 - Carlos Tavares de Lyra - Cento de Documentação e Informação da Câmara dos Deputados / Brasília 1978

BOM AMIGO JAYME LUNA

Jayme Luna
Jayme de Oliveira Luna, cumpriu a sua modesta missão na terra, de cidadão garanhuense, exemplar chefe de família, sincero e amigo e, sobretudo, amante da Cidade do Clima Maravilhoso. Mesmo residindo, nos últimos anos, em Recife e Olinda, não deixava periodicamente vir visitá-la, usufruir do seu clima, da sua calma, do odor das flores dos seus jardins, sentir, dentro da alma,  o calor irradiante de um "Que" misterioso, entranhado no íntimo de cada um dos seus filhos. Algo que somente os que aqui nasceram e, alguns dos que aqui brincaram, moleques de rua na idade do fluir da juventude e, conto, conheço alguns, que continuaram brindando com sua pena, a terra adotiva, na imprensa matuta, verdadeiramente, garanhuenses de coração, é que persistem cultivando, por toda a existência, esse amor, podemos dizer, filial, para com a terrinha de Simoa Gomes.

Jayme nascido na primeira década do século XX, encontrando o pai, José Luna, na luta pelo soerguimento da "cidade do carro de boi misterioso", que surgia nas madrugadas frias, fazendo assombração, aos  violeiros e farristas, no retorno da Rua São Francisco, luta do genitor inaugurando uma frota de ônibus de sua propriedade para viagens às cidades circunvizinhas, no início da década de 1920.

Jayme, com dezessete anos, estava se iniciando no jornalismo, colaborando com Manoel Vieira dos Anjos, no "O Clarim" (1926) e, não parou por toda vida, de participar na imprensa matuta, tendo atuado, ora como diretor, secretário, colaborador nos seguintes jornais: "A Gazetinha", "A Trincheira", "Pequeno Diário", "Diário de Garanhuns", "Garanhuns Diário", "O Sport", "Garanhuns Jornal", "Revista a Cidade" e, por último no "O Monitor". Ai vamos encontrar os companheiros desse "hobby", tão útil para a História de Garanhuns, estampando, no papel o dia-a-dia, da comunidade em desenvolvimento. Entre muitos Josemyr Rosa Correia, o amigo inseparável de todos os tempos, podemos dizer, "O Ponto e Vírgula", prof. Hibernon Wanderlei, Tarso Ivo, Arlindo Penante, Waldomiro Pernambucano, Djalma Araújo, Antonio Monteiro, Luís Maia, Francisco Fernandes, Ulisses Peixoto Pinto (Alfinete), Zé Francisco e, inúmeros outros companheiros de darem um pouco do que tem para a história de sua Cidade Natal.

Este companheiro de Josemyr, um outro intelectual, idealista, no meio social, desfrutava de um grande número de amigos e, na época dos acirrados embates - democracia-comunismo-integralismo, sua  opinião pairava, sobre todos, expondo seus conceitos democráticos de que a sociedade, em si, não pode ser considerada, como um todo, pois até os  dedos de cada mão, são diferentes e, muito mais, os indivíduos, entre si.

Na vida pública, Jayme fora um devotado servidor da Empresa de Melhoramentos de Água e Luz de Garanhuns, sob a batuta do Eng. Ermano Amorim e, depois, Ruber van der Linden, tendo por colegas, Luiz Fonsêca, Luiz Lira, Vitrúvio e outros. Disse-me, muitas vezes, continuo sendo o arquivo da imprensa, (já aposentado), pois, ainda hoje, sou consultado sobre determinados problemas da época em que ali labutava.

No "curriculum vitae" de Jayme, vamos assinalar: fundador do Tiro de Guerra 45 (1929) sob o comando do Sargento Amâncio Nunes, integrante da "Coluna Louca" (outubro de 1930), participação de diretorias de clubes esportivos, América (orador), São Cristóvão e Santa Cruz Futebol Clube, centros culturais - Centro de Cultura Severiano Peixoto, na Maçonaria Mensageiros do Bem, em que chegou a ocupar o cargo de Venerável. Fundador da AGA. No rádio amadorismo, com José Calado Borba, Mário Falcão e outros dando a sua valiosa contribuição ao desenvolvimento dessa útil entidade radiofônica.

Éramos alguns, Josemyr, Jayme, eu e outros que se reuniam, quase toda noite, defronte ao Cinema Glória, para um bate-papo informal e, após uma caminhada, pelas ruas Santo Antônio e Recife, a fim de esticar as pernas, fazendo comentários sobre os fatos cotidianos, os problemas dos jornalecos, etc.  Passeios que se prolongavam até quase meia noite.

E, assim, a volta era vivida naqueles saudoso idos de 1930.

Casado com Dinah Viana, deixou três filhos, Ricardo, Vânia e Marcílio.

Alberto da Silva Rêgo
Agrônomo, jornalista, escritor e historiador
Fortaleza, 30 de Junho de 1990 

RUA DR. ARLINDO TENÓRIO DE MIRANDA - GARANHUNS, PE

OS CIPRIANO DE GARANHUNS

Manoel Cipriano
Por Roberto Almeida*

Garoto, morei seis anos na Rua XV de Novembro, na casa de número 314. Estudava no Colégio com o mesmo nome da rua, jogava bola, lia revistas em quadrinhos, assistia os programas de super heróis na televisão. Era inocente e feliz, sem saber que no Brasil existia ditadura, inflação, corrupção, nada disso.

Nós, os Almeida de Capoeiras, éramos vizinhos de uma família dessas que quase não existem mais. Pessoas boas, honestas, puras, sem maldade, que viviam do seu  trabalho, dedicando boa parte do seu tempo às orações, para louvar ao Senhor.

Manoel Cipriano, o chefe dessa família, era calmo, pacato, cordial e cidadão exemplar. A voz nunca se alterava e o seu exemplo de bondade se estendia pela casa toda, a rua, o bairro, a cidade de Garanhuns.

Ele, Manoel, trabalhava consertando relógios, inclusive era quem fazia a manutenção do relógio instalado no Palácio Celso Galvão, do prédio da Prefeitura.

Lídia Cipriano, a esposa, era tão simples e bondosa quanto o dono da casa. Até os olhos tinham uma expressão iluminada, como se quisesse transmitir o bem a cada criatura de passagem por esse mundo de turbulências.

Da minha casa, à hora das refeições, eu ouvia os  hinos belos que os Cipriano cantavam, agradecendo a Deus pelo pão, a saúde, a paz, o trabalho e mais um dia de harmonia naquela família garanhuense.

Manoel e Lídia tiveram muitos filhos. Todos seguiram o belo exemplo dos pais e nunca se ouviu na cidade em falatório envolvendo alguém dos  Cipriano.

Lena, que muitos chamavam também de Leni, ensinava numa escolinha de crianças. Se a memória não me trai, o nome do educandário era "Pequeno Guri". Sempre bem humorada, contente, tratando todos com respeito, amiga dos seus colegas de profissão e um doce de criatura com seus  vizinhos.

Na virada dos anos 60 para os 70, como tantos brasileiros, Lena lia José Mauro de Vasconcelos e se encantou especialmente com "Meu Pé de Laranja Lima".  Seu ídolo na música era o Rei, colecionava com carinho todos os discos de Roberto Carlos, vidrada especialmente na fase romântica do cantor de Cachoeira de Itapemirim. A fase das obras primas do artista, quando saíram de sua cabeça e do Erasmo músicas como A Distância, Se Eu Partir, Detalhes, Além do Horizonte, O Portão, dentre tantas.

Um dos filhos, Jair, que todo mundo chamava de Bito, alto e inteligente, era muito amigo do meu irmão mais velho, Eduardo, hoje juiz do trabalho em João Pessoa. Os dois ficavam conversando e ouvindo música clássica, através deles tomei conhecimento da existência  de Beethoven, Chopin, Mozart, Vivaldi e outros grandes compositores eruditos.

Outro da família, o professor Elon, foi meu mestre no Colégio Quinze. Tentava com a maior nos transmitir alguma coisa de Matemática e Geometria e  alguns adoravam, enquanto outros, como eu, já de pequeno demonstrava dificuldade com os números e vocação para as Ciências Humanas.

Quando meus irmãos foram estudar no Recife meus  pais alugaram a casa e fui convidado a morar com os Cipriano, para poder terminar no Colégio Quinze o último ano do antigo ginásio. Durante 12 meses convivi bem de perto com Seu Manoel, Dona Lídia, Lena, Lucy e Méida, os filhos que estavam em casa ou próximos.

Outros da família conheci mais  superficialmente. Nenuel, Neco, Davi... Legitimamente Cipriano, todos, fazendo jus aos ensinamentos do velho Manoel.

Bito foi morar em São Paulo, com sua esposa e numa das visitas a Garanhuns, na volta, sofreu um acidente e nos deixou mais cedo.

Manoel e Lídia deram adeus a Garanhuns e a este lado da vida quando eu morava no Recife, estudante, e nem pude vir à cidade para me despedir deles.

Estão ai os outros  filhos, como Lena e Lucy, carregando os mesmos bons sentimentos do passado, herdados dos pais, dois exemplos raros de integridade.

Lena não esquece meu aniversário, liga todo 19 de março. Consegue sempre me deixar emocionado com seu carinho. Às vezes encontro na cidade com a Lucy, outras vezes esbarro com Elon num supermercado do centro ou vou pessoalmente levar o jornal a sua casa. Eles três gostam muito do Correio Sete Colinas, acompanham a saga do jornal desde o início.

Felizmente, ainda existem pessoas boas, decentes, do bem, como os Cipriano de Garanhuns. Seu Manoel hoje dá nome a uma rua do bairro de Heliópolis, homenagem das mais justas. Essa família é ouro, é uma riqueza imensa plantada entre as sete colinas e que merece toda atenção por parte dos que vivem o dia a dia da Suíça Pernambucana.

À família Cipriano minha eterna gratidão por tudo que me ensinaram e todo meu carinho de filho e irmão.

*Roberto Almeida, jornalista, escritor e blogueiro (Texto transcrito do Jornal Correio Sete Colinas / Junho de 2011).

A FESTA DE 75 ANOS DE JURANDIR TENÓRIO

Jurandir Tenório
GARANHUNS - Com muita emoção, brilho, música e arte, houve na noite do dia 9 de abril (2005), uma festa oferecida pelo professor, músico e cantor, Jurandir Tenório, da querida terra de São Bento do Una.

Estive lá, convidado a fim de cumprimentar o denodado aniversariante, que  completou 75 anos de idade (bodas de brilhante).

Lá, naquela bela casa  pertinho do Grupo Escolar Dom João da Mata Amaral (tio de Ivo Amaral) na Boa Vista, havia união, amor, confraternização onde  imperava a música e o canto. Canto de um "Carinhoso" do grande Pixinguinha, por sinal cantado por muita gente que estava no lar florido, enfeitado, com luzes, inclusive com as do Cristo.

Este humilde "matuto jornalista", sorria, chorava um pouco, pelas músicas cantadas por Jurandir. Era uma mistura entre o sentimento, a saudade, a cordialidade e o querer bem. A alegria era tanta entre os presentes, pessoas cultas, civilizadas que fica difícil um parecer a respeito dos 75 anos do bom Jurandir, figura alegre, que nasceu na lendária São Bento do Una, torrão natal dos Valenças: de Martha Cintra; do grande militar general Zenildo, ex-ministro do Exército em dois Governos, meu amigo de longas datas. Este brioso militar foi amigo de infância e de escola de Jurandir Tenório. Graças ao aludido militar, foi criado o Dia do Exército (19 de abril) quando houve em Guararapes, a primeira batalha vitoriosa contra o invasor batavo, em terras pernambucanas.

No ano passado, o pernambucano de São Bento, Zenildo de Lucena, veio do Rio, a fim de tomar parte no aniversário de Jurandir. Contudo, prometeu no ano vindouro tomar parte nessa comemoração de fundo sentimental.

Estavam lá entre muitos convidados, o prefeito de Garanhuns e de São João, respectivamente, Luiz Carlos de Oliveira e Pedro Barbosa, acompanhados das esposas Geny e Miriam; Benedito Fonseca, regente da Capella Gaudium et Spes e do Coro Imperial do Penedo. Este é de Maceió, comentador e membro do Conselho Estadual de Cultura de Alagoas; sax soprano (música gospel), Alexandro de Souza, de Garanhuns; flautista Regina Cajazeiras e a pianista Selma Brito, de Maceió; médicos Ivaldo Dourado Rodrigues, Cláudio Porto, Leone Valença, Saulo Rocha, Jurandy Albuquerque e Marilena, ele irmão da amiga Geny, ex-aluna do Colégio 15 de Novembro e primeira-dama desta terra das "Colinas Verdejantes"; coronel Eudes Lima, comandante do 71º BI Mtz, figura bondosa e simples; ex-prefeito Silvino Duarte; tenente Cândido, do Exército, filho de Palmeirina que cantou também para os presentes; vice-prefeito Almir Penaforte e esposa Maria Goreti; padre José Luiz Vasconcelos, vigário de São Bento do Una; Mário Barbosa Filho (Marinho) e esposa Ana Alves; Nivaldo Tenório de Vasconcelos, 1º sargento dos Bombeiros, também vibrante poeta e esposa professora do Diocesano Dorvalina Maria Maciel de Vasconcelos; Jesus Campelo e esposa Íris, ambos inteligentes do mundo da comunicação, inclusive do espiritual; Ronaldo José do Nascimento, poeta, e esposa Valdeleide Tenório Souto, "galeguinha" que nasceu no sítio "Aguazinha", em Iati, minha parente. Esse sítio é terra também de Felícia Souto Pinto, minha (saudosa mãe); Ginaldo Batista de Barros, operador de máquinas; José Ferreira de Aguiar, inteligente conselheiro da Diocese local e tantos outros vultos que estiveram presentes naquele lar alimentado pelo coração, pela alma onde não faltaram também os "comes e bebes", o tradicional bolo e até o "bobó" de camarão" feito com esmero pela querida Ana Veloso, presidente da Apae, que cantou o "Carinhoso", ao lado de outros.

Encerro este pequeno trabalho, com um trecho da música "além do Arco Íris" (do filme "O Mágico de Oz"). "Certa vez / Eu ouvi alguém contar / Que além sobre o Arco Íris / Há um lugar / Onde o céu / Sempre azul / Nos faz sonhar / E onde a gente / Consegue os sonhos realizar!" Foi cantado lá.

Estes sonhos, caro Jurandir, vão ser repetidos e espero novamente, marcar presença sob o poder de Deus, do Papa João Paulo II, um santo que amava o ser humano, sem distinguir religiões, povos, pobres ou potentados. Foi o guia espiritual do mundo!

Peço perdão a você, Jurandir, por ter desviado um pouco esta crônica. "Porto seguro / Sol que aquece / Bondade que enternece / Estrela guia / Mãos estendidas / Amigo..." (da poetisa Ruth Paes, no seu livro "Marcas Existenciais", com prefácio de um dos condores da poesia e da cultura desta querida cidade, João Marques dos Santos. (três parentes e amigos).

Ulisses Peixoto Pinto
Jornalista, cronista e historiador
Garanhuns, Abril de 2005

MPPE AJUÍZA AÇÃO CIVIL PARA SUSPENSÃO DO PROCESSO LICITATÓRIO DE SERVIÇOS NAS FEIRAS LIVRE DE GARANHUNS

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE) ajuizou, nesta quarta-feira (29), uma ação civil pública, na Vara da Fazenda Pública da Comarca de Garanhuns, para que o município suspenda de imediato o novo processo licitatório que visa a concessão de serviço para padronização das bancas, gestão, organização e manutenção das feiras livres realizadas em espaços públicos da cidade, demonstrando irregularidades no edital de licitação nº 28/2020 (Concorrência nº 06/2020).

Segundo apuração do MPPE, os feirantes locais se insurgiram contra o fato de a administração municipal não ter ouvido os mesmos antes da elaboração do novo termo de referência e do respectivo edital, o que permitiria uma melhor ampliação das discussões acerca de temas importantes para o regular funcionamento das feiras livres na cidade, evitando erros na especificação do objeto do edital.

Os feirantes reclamaram de vários pontos no texto do novo edital. Um deles é não considerar o menor preço das bancas cobrados dos feirantes como critério de classificação das empresas, repetindo o edital anterior e contrariando o que a Prefeitura teria acertado com os feirantes. Ressalta-se que os preços das bancas no novo edital estariam altos, em desacordo com a situação financeira dos feirantes.

“A reivindicação dos noticiantes procede, ao passo que, a exemplo da licitação anterior, que continha irregularidades semelhantes, o edital de licitação objeto dos autos também não observou esses detalhes que podem inviabilizar o funcionamento das feiras. Não só em aspectos técnicos, mas também aspectos práticos, tais como valores das bancas”, analisou o promotor de Justiça Domingos Sávio Agra.

“A não observância da realidade e de maneira especial a condição financeira dos feirantes tende a inviabilizar a curto ou médio prazo a realização das feiras, uma vez que os feirantes são, em grande parte, pessoas que trabalham na informalidade, a maioria pequenos agricultores, cujo único sustento vem da venda dos alimentos que produzem em suas pequenas propriedades e que são comercializados nas feiras que acontecem no município ao longo da semana”, frisou o promotor de Justiça. “Também não é bom para a sociedade que se diminua drasticamente a quantidade de feirantes, pois isso afetaria diretamente a quantidade de produtos ofertados, o que elevaria os preços dos produtos comercializados”, concluiu ele.

Desde o início de toda a discussão sobre a administração das feiras em Garanhuns, o MPPE tem acentuado a necessidade de diálogo e transparência da Administração Pública para com os feirantes e a população interessada. “As feiras livres são fenômenos complexos, de maneira que as intervenções do poder público, de maneira especial no regime democrático, devem ser pautadas pelo diálogo permanente e transparente com as pessoas que trabalham diretamente nesses espaços. Do contrário, as intervenções estarão fadadas ao insucesso e ao autoritarismo”, observou Domingos Sávio Agra.

O promotor de Justiça também observou que, no edital, a Prefeitura pretende negar às microempresas (ME) e empresas de pequeno porte (EPP) os benefícios previstos na Lei complementar nº 123/2006, afirmando que tais benefícios não seriam aplicáveis à licitação em tela por não se tratar o objeto do certame de venda ou aquisição de bem, mas de concessão de espaço público a terceiro, afirma, para prestação de serviço que a Administração Pública não consegue exercer.

“Ocorre que, ao contrário do que menciona a referida justificativa, o objeto da licitação em tela, a rigor, não é a concessão de espaço público a um terceiro, mas sim, conforme especificado no edital, a concessão de serviço público para fins de padronização das bancas, gestão, organização e manutenção das feiras livres realizadas em espaços públicos de Garanhuns”, citou o Domingos Sávio Agra. “A Lei Complementar no 123/06 prevê, não só a participação das *MEs e EPPs nas licitações, mas também a adoção de tratamento diferenciado e simplificado, não havendo óbice para sua aplicação, no que se refere à concessão de serviço público.”

Outra irregularidade da Prefeitura foi a justificativa para a não adoção do pregão como modalidade licitatória, eletrônico ou presencial, sob o argumento de se tratar de uma concessão e porque a administração das feiras livres não se configuraria um objeto comum. Justificativas que, segundo o Ministério Público, não procede, por não haver óbice legal da aplicação de pregão em concessão e por serem as feiras eventos comuns

Segundo o representante do Ministério Público, a situação se agrava em termos de competitividade quando o município cria regras anômalas que restringem o acesso aos atos licitatórios.

“É prevista sessão interna/sigilosa de abertura dos envelopes, sem transmissão em tempo real, apenas com juntada da gravação e das fotografias a posteriori, o que entendemos ser absolutamente ilegal. Assim, da forma como está posto, o edital de licitação impede a devida publicização, pois a abertura dos envelopes será realizada a portas fechadas, e põe em risco a lisura do procedimento, já que os interessados não poderão acompanhar os trabalhos realizados pela comissão de licitação”, destacou o promotor de Justiça.

A abertura dos envelopes está prevista para a segunda-feira, 3 de agosto. “É prudente a suspensão do processo para evitar mais gastos por parte da administração pública e insegurança jurídica não só para os competidores, mas também para os feirantes, que são diretamente afetados pelo desenrolar do procedimento licitatório”, advertiu Domingos Sávio Agra.

Na ação, o Ministério Público ressalta ainda contradição na divulgação oficial da data da licitação, a necessidade de divisão do objeto em lotes de feiras (e não em lote único como está no edital) e de observância da Recomendação Conjunta TCE/PGJ 01/2020, item 4, (DOE de 24/04/2020) e da Consulta TC 2052602-7, do TCE, para garantir a competitividade e publicidade. A ação recebeu o nº 0003687-73.2020.17.2640. Já o atual contrato de concessão da organização das feiras livres no Município é objeto de outra ação de nulidade proposta pela promotoria (ACP 0002108-27.2019.8.17.2640).

HUAWEI SUPERA SAMSUNG E VIRA LÍDER DE VENDAS DE TELEFONES

A empresa chinesa superou a sul-coreana Samsung e se tornou a líder mundial em vendas de telefones celulares no segundo trimestre, graças à demanda interna, informou nesta quinta-feira (30) a consultoria Canalys. 

A Huawei, que enfrenta sanções dos Estados Unidos e a queda de suas vendas fora da China, vendeu 55,8 milhões de telefones no período, superando pela primeira vez a Samsung, com 53,7 milhões, de acordo com a consultoria. Este é o primeiro trimestre em nove anos em que uma empresa diferente da Samsung ou Apple lidera o mercado, destacou a Canalys.

As sanções americanas "derrubaram" as vendas da Huawei fora da China continental, mas a atividade cresceu e agora a empresa domina o mercado doméstico.

Mais de 70% dos smartphones da Huawei são vendidos na China, onde a Samsung tem uma parcela muito pequena do mercado, um sinal de "excepcional resistência", indicou a Canalys.

As vendas da Huawei no exterior, no entanto, caíram quase um terço no segundo trimestre. De acordo com o analista Mo Jia, da Canalys, isto demonstra que somente a força na China "não será suficiente para manter a Huawei no topo quando começar a recuperação da economia global".

A Huawei, líder mundial de equipamentos de redes de telecomunicações, virou um objeto de disputa entre Pequim e Washington, que alega que o grupo representa uma ameaça para a segurança.

O governo dos Estados Unidos decidiu afastar a Huawei de seu mercado e iniciou uma campanha global para isolar a empresa.

SESC ABRE INSCRIÇÃO PARA OFICINAS DE CULTURA ONLINE

Com mais de 170 vagas, o Sesc Pernambuco está com inscrições abertas para as atividades formativas do #CulturaEmRedeSescPE. Durante o mês de agosto, serão promovidas em plataformas digitais 10 oficinas e cursos de audiovisual, artes cênicas e visuais e de literatura, com inscrições em andamento. O valor para cada uma delas é de R$ 30 para o público geral e R$ 15 para comerciários e dependentes, professores e pessoas com mais de 60 anos.

Além das ações formativas, o #CulturaEmRedeSescPE dará continuidade à programação gratuita nas plataformas da instituição e dos artistas selecionados na Chamada Pública. Durante o mês, o público poderá participar de debates, conversas e palestras, além de assistir a exibições de filmes e apresentação de espetáculos e performances. A programação completa e as inscrições podem ser acessadas no www.sescpe.org.br.

A TRAJETÓRIA DE ULISSES PINTO

Elogios quando feitos por amigos perdem na substância grande parte da essência indissimulável da verdade, uma  vez que a falta de isenção constitui-se elemento refratário, que não se presta a admitir o fato verdadeiro.

Nesses quarenta e quatro anos de jornalismo interiorano, praticado pelo Ulisses Pinto, que é decano da crônica política de Garanhuns, faço seu elogio público isento e integral. Na confraria democrática da imprensa sempre estivemos divergindo no campo político-partidário e, mesmo havendo recíproco respeito entre nós dois, nunca chegamos a ser amigos de fato.

Daí que, propositadamente, sou o último dos seus contemporâneos a congratular-me e escrever um artigo sobre esse quase meio século de atividades do jornalista Ulisses Pinto, vice-diretor do jornal O Monitor, onde diletantemente, começou escrevendo a respeito de um dos seus temas favoritos: o Exército e a bravura incontestável do soldado brasileiro.

Na política de que foi militante filiado da UDN, Arena e PDS, meu perfilado teve na figura lendária de Eduardo Gomes, o brigadeiro da Eterna Vigilância e herói nacional dos 18 de Forte de Copacabana, a liderança partidária de muitos anos vividos na Velha república. Com o advento de março de 1964 seguiu os rumos traçados pelo marechal Humberto de Alencar Castelo Branco para, mais  adiante, talvez desencantado, desfiliar-se do diretório municipal do PDS, sucedâneo da antiga Arena.

Filho de tradicional família, local, corre-lhe nas veias o sangue generoso de Souto Filho, seu glorioso ancestral, que formou várias e diferenciadas gerações de políticos garanhuenses, com ênfase a de Aloísio Souto Pinto, prefeito e deputado à Assembleia Legislativa do estado, onde se houve com alto tirocínio e grande competência.

Espiritualista de boa formação cristã, político por natureza própria de Garanhuns, sua reverenciada Bíblia cotidiana, poderia ter Ulisses Pinto desfrutado invejável carreira partidária, galgando posições de mando e poder. Preferiu corretamente apenas desfrutar à aposentadoria púbica dos Correios.

Rinaldo Souto Maior
Jornalista e historiador
São Paulo, 16 de Agosto de 1986

UMA NÉVOA EM PRETO E BRANCO

Ana Maria César

Garanhuns é uma névoa em preto e branco
em meio à névoa que encobre Garanhuns
Nenhuma lembrança
só o preto e branco dos retratos
pregados com cantoneiras
em álbuns rasgados e colados

Nem o sino de Santo Antônio
nem o apito do trem
nem a garoa da tarde
nem o frio da noite
só a névoa em preto e branco
marcando as páginas do álbum
com fotos de Garanhuns.

RUA DR. ESDRAS CABRAL DE LIMA - GARANHUNS, PE

quarta-feira, 29 de julho de 2020

DIOCESE DE GARANHUNS - ORIENTAÇÕES PRÁTICAS PARA REABERTURA DAS IGREJAS AOS FIÉIS


O Governo do Estado de Pernambuco autorizou a reabertura gradual das igrejas, santuários e capelas, no Agreste, com a possibilidade de participação de fiéis. A Diocese de Garanhuns, como já comunicado, decidiu que só o fará no próximo dia primeiro de agosto, quando acontecerá a Missa dos Santos Óleos, na Catedral, com a presença do Clero Diocesano e representações das seis paróquias da cidade de Garanhuns. Para guiar o processo de reabertura, damos as seguintes orientações:

1 - Capacidade: No que concerne ao número de fiéis, nas celebrações de quaisquer sacramentos ou sacramentais devem obedecer ao máximo de 30% da capacidade do templo.

2 - Grupos de risco: Pessoas idosas, gestantes, pessoas com doenças crônicas ou comorbidades e crianças ate 10 anos ainda devem acompanhar a celebração pelos meios de comunicação social. Os sacerdotes e diáconos que são do grupo de risco tenham também especial atenção. 

3 - Horários de Missa: Onde for possível, aumente-se a quantidade de Celebrações Eucarísticas, especialmente no sábado e no domingo. Dê-se boa publicidade a esses novos horários.

4 - Agendamento: Cada paróquia, santuário o capela tem liberdade de organizar o seu critério de agendamento, podendo-se, para isso, disponibilizar algum número telefônico. Atente-se para que não sejam as mesmas pessoas a terem acesso sempre ás celebrações.

5 - Equipes: Organizem-se equipes de acolhida e de higienização dos templos, antes e depois de cada celebração.

6 - Ventilação: Onde for possível, de-se prioridade as celebrações campais ou em lugares mais abertos. Nos templos, as janelas devem estar sempre abertas.

7 - Termômetro: Na entrada de cada templo, haja alguém medindo a temperatura de cada participante da celebração. Não se permite a entrada de alguém em estado febril.

8 - Máscara: O uso de máscara é obrigatório durante a celebração, exceto para o presidente, para aquele que vai proclamar o Evangelho, naquele momento, e na distribuição da Eucaristia, para os que vão recebê-la.

9 - Higienização das mãos: Antes de sair de casa, o fiel deve lavar bem as suas mãos com água e sabão. Na igreja, facilite-se o uso dos banheiros, com água, sabão e papel toalha. Disponibilize-se álcool 70% em todas as entradas da igreja. Cada pessoa, inclusive, pode criar o hábito de sempre levar álcool em gel consigo. Também os ministros, ordenados ou não, lavem bem as mãos antes da celebração e as higienize com álcool 70% antes da distribuição da Eucaristia.

10 - Distancia. Obedeça-se a distancia de 1,5m entre os participantes, exceto se eles habitarem na mesma casa. Para facilitar a distribuição dos espaços, sejam afixados adesivos nos bancos ou cadeiras, sinalizando os locais disponíveis. Também nos corredores, sejam afixados adesivos no chão para orientar a fila da comunhão. Outra possibilidade é que a comunhão seja distribuída junto aos bancos, para evitar aglomeração.

11 - Cuidados especiais. Os microfones sejam individuais, se for possível. Caso contrario, que eles sejam higienizados depois de cada uso. Evite-se o compartilhamento de objetos, como: bíblias, rosários, folhetos litúrgicos, etc. evite-se o uso de veste litúrgica, exceto se for pessoal. O sacerdote tenha  máxima atenção com o cálice, a patena e as ambulas, deixando-os sempre cobertos. Descubram-se a patena e o cálice, um a um, somente no momento da formula da consagração, evitando-se, ao máximo, o perigo de gotículas sobre eles.

12 - Beijo de reverência. Transforme-se o beijo do altar ou do livro em vênia profunda.

13 - Saudação da paz. Continua suspensa a saudação da paz com contato físico.

14 - Comunhão na mão. A distribuição da Eucaristia, por enquanto, só é permitida na mão.

15 - Coleta. A coleta de donativos para a manutenção da comunidade seja feita somente no final da celebração, acompanhada de um canto, imediatamente antes da benção. Na saída da igreja, o fiel tem a possibilidade de novamente higienizar as mãos, já que o dinheiro pode ser um dos veículos transmissores do vírus.

16 - Água Benta. Nesse período, evitem-se os dispensadores ou a aspersão com a água benta.

17 - Bebedouro. Não se utilize nenhum bebedouro que exige aproximação da boca com o ponto de saída da água.

18 - Saída. Evite-se aglomeração na saída dos templos.

19 - Desinfecção. Após a celebração, o templo deve ser desinfectado, fazendo-se atenção a não se usar produtos químicos que prejudiquem artefatos litúrgicos, especialmente aqueles de valor histórico, cultural e religioso. A limpeza dos sanitários também devem ser intensificada.

20 - Intervalo. O intervalo entre uma celebração e outra deve ser suficiente para que se faça a desinfecção do templo.

21 - Igrejas abertas. As igrejas continuarão abertas em horários adequados para a adoração e oração pessoal, como também para que as pessoas que não participaram presencialmente da Santa Missa possam receber a Santa Comunhão.

22 - Cartazes. Cartazes com orientações a respeito das medidas de prevenção e controle da Covid-19, bem como das regras para o funcionamento dos templos religiosos, podem ser afixados em pontos estratégicos e visíveis.

23 - Reuniões. Ainda permanecem suspensas as grandes reuniões de grupos pastorais, movimentos  e serviços. Reuniões menores podem acontecer, desde que se sigam as instruções sobre a distancia e a capacidade de cada ambiente. A catequese, em todos os níveis, por enquanto, ainda continua suspensa.

24 - CNBB. Para a realização dos demais sacramentos, além da Eucaristia, os sacerdotes e diáconos consultem as orientações emanadas pela CNBB.

Garanhuns, 17 de julho de 2020.
Dom Paulo Jackson Nóbrega de Souza
Bispo de Garanhuns

AMÍLCAR O HOMEM PÚBLICO

Amílcar da Mota Valença
Sua veia política vem de 1930, quando com 15 anos se alistou nas Forças Revolucionárias, não seguindo com a tropa, pois foi retirado já no trem por José Batatinha. Na queda do Estado Novo, sob a orientação de Elpídio Branco, se candidatou para Vereador, sendo reeleito por mais duas vezes. O Distrito  de São Pedro era sua base onde Dona Dora atendia a todos, sem descriminação, não temendo contaminação visitava doentes e velhos, levando leite e sopa. Era comum se dizer que os votos  eram de Dona Dora. Sem apego ao poder, entregou o comando do Distrito para Hermínio Sampaio que foi eleito com sobras de votos.

Sua ausência demorou pouco, pois convocado por um grupo de amigos, que protestavam contra as imposições dos comandos políticos locais, lançaram sua candidatura a Prefeito da Cidade. Era a candidatura de um "matuto" contra o rolo compressor do Município e do Estado. A campanha mexeu com  os brios da população que aproveitou os dizeres pejorativos para encampar a candidatura do "leiteiro". No rastro da campanha várias lideranças se projetaram: Vicente Cavalcanti, João Calado, Clovis Vidal, Urbano Vitalino, Seu Romeiro, Zezinho dos Couros, Ivan Rodrigues, José Pinto, José Guilherme, Ivo Amaral, Jaime Pinheiro, José Inácio, Levino Epaminondas, Luiz Firmino, Paulo Faustino, Antônio Edson, José Ferreira (Zi), Antônio Adeildo, Vicente Pinto, Vicente Ataíde, João Valença, Paulo Gomes, Osvaldo Ferreira, Severino Pereira Guimarães, Pedro Marques, Dona Anália e Manoel dos Santos, José Neto, Sérgio Ivo, José de Né, Sólon Gomes, Iran Pessoa, José Rodrigues, Seu Nino, Ivanildo Branco, Luiz Roldão, Mauricio Acioli, Artur Ataíde, Oscar Francisco, Galdino Nunes, Antônio Miranda, Chiquito, Chico Tenório, Pedro Vaqueiro, Sebastião Moura, Sebastião Rocha, os irmãos Vilela, a Família Vasconcelos em São Pedro, finalmente a maior liderança do Agreste Meridional que foi Osvaldo (Vavá) Morais que comandou a política do Agreste Meridional por muitos anos. Este grupo se juntou aos antigos políticos: Dede Maia, João de Assis Moreno, José Francisco, Elísio Alves Pinto, Othoniel Gueiros, Uzzae Canuto conseguindo uma vitória esmagadora, não perdendo em  uma só urna da Cidade e até nos Distritos onde as "chefias" eram radicalmente contra.

Amílcar e Dona Deolinda Silvestre Valença
(D. Dora)
Eleito foi levado a Prefeitura, tendo na sua Vice Everardo Gueiros. Sua primeira providencia foi abrir as portas do Gabinete, atendendo a todos pessoalmente na entrada do prédio.

Retornando vitorioso para o seu segundo mandato de Prefeito sendo Ivo Amaral o seu Vice, quando completou suas obras notabilizadas pelos seus objetivos que beneficiava a população sem descriminação, atendendo tanto a Cidade quanto aos Distritos.

Quando a fundação da Codeam em 1976, foi o seu primeiro Vice-Presidente, participando da Campanha para a instalação da Universidade Federal Rural de Pernambuco em garanhuns. Convocado para Superintendente do INPS, em Garanhuns, extinguiu todas as filas, chegando no trabalho às 5 horas da manhã e divulgando nas Rádios o número de atendimentos feito por cada Médico, que passaram a ser cobrados pela população. Ideia simples e  eficiente.


Sem estardalhaços cultivava um número incalculável de amigos sendo respeitado por todos os grandes líderes do Estado, que tinham uma parada obrigatória na Vila de São Pedro para tomar um café com Queijo de Manteiga, preparado por Dona Dora e servida numa mesa onde estavam também sentados os seus amigos: Seu Vespa, José Lins, Antônio Cambota e Vieira. Por lá passaram praticamente todos os Governadores e as principais lideranças do Estado de Pernambuco.


As homenagens foram muitas, partindo de Órgãos e Entidades, com destaque para a Medalha do Pacificador e a do Mérito do Exército, comenda restrita e poucas autoridades civis.

Para prestar uma homenagem ao seu amigo Elpídio Branco foi convocado pelo Governador Miguel Arraes, para dirigir o Centro Social que tinha o nome daquele Deputado.

Grandes obras dos Governos Federal e Estadual, tiveram sua participação: Instalação dos Batalhões da Polícia Militar e Infantaria do Exército, Barragem de Inhumas, Rodoviária, Parque de Exposição de Animais, diversas Vilas da Cohab, Parque Industrial, entre outros.

Suas principais obras, primaram por sua grandeza e ineditismo: frota de tratores e  e motoniveladora; aterros ligando os Bairros; Faculdade de Administração, o Colégio Municipal, cujas matrículas foram as maiores de todo o Estado; Renovação de toda arborização da Cidade e Distritos; Construção de um Mercado Público, o maior do Estado na época, Mercado da Farinha, Mercado das Frutas e Verduras, Centro de Abastecimento e Armazéns Geral, Retirada da Feira Livre da Avenida Santo Antônio; ônibus para condução dos Alunos, fato inédito nos Serviços Públicos. Finalmente a compra do Semanário o Monitor que pertencia a Diocese de Garanhuns.

Sua maior obra foi à conquista do respeito e amizade da população do Município.

Pedro Jorge S. Valença
Economista, escritor, cronista e agropecuarista
Garanhuns, Julho de 2005

PERNAMBUCO É O 2º ESTADO DO PAÍS EM NÚMERO DE LEITOS ABERTOS PARA ENFRENTAR A COVID-19

O Conselho Federal de Medicina publicou um estudo que analisou o número de leitos nos estados e capitais brasileiros entre fevereiro e junho de 2020. Pelo levantamento, Pernambuco aparece como o segundo estado brasileiro em ampliação da rede hospitalar. São 2.697 novos leitos criados em função do enfrentamento da Covid-19. O estado de São Paulo contabilizou 5.354.

“Isso só foi possível, graças não só ao esforço dos profissionais da Secretaria Estadual de Saúde, mas também de várias áreas do governo que se engajaram no nosso Gabinete de Enfrentamento à Covid-19 e realizaram a maior operação logística e sanitária da história da saúde pública pernambucana e, agora, comprovadamente, uma das maiores do país”, avaliou o governador Paulo Câmara.

Assim como o estado de Pernambuco, o Recife só perdeu para o município de São Paulo em número de leitos abertos durante a pandemia.

“A melhor notícia em relação a todos esses leitos é que a taxa de ocupação deles está há quase dois meses abaixo de 80%, mesmo com o Plano de Convivência com a Covid-19 tendo avançado até a etapa 6, na Região Metropolitana, na Zona da Mata e em parte do Agreste”, completou o governador.

REITORES EXPLICAM RETOMADA DAS AULAS NAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS EM PERNAMBUCO

Por Camila Souza / Folha de Pernambuco

As universidades públicas em Pernambuco já definiram as datas para a retomada das aulas da graduação, que serão de forma remota, após quatro meses de suspensão devido ao isolamento social decorrente da pandemia da Covid-19. Durante coletiva de imprensa na tarde desta terça-feira (28) do Consórcio Universitas - formado por universidades de Pernambuco -, reitores afirmaram que os alunos não serão penalizados por não se matricularem ou reprovarem durante o semestre, além de informarem todas as iniciativas que cada centro acadêmico tem oferecido à sociedade nesse período. 

Os reitores, porém, não divulgaram data de retorno das aulas presenciais. “Só voltaremos quando não houver risco à vida”, afirmou o reitor da Universidade de Pernambuco (UPE), Pedro Falcão. Além disso, foi destacado que as universidades não estão adotando a ferramenta de Educação a Distância (EAD).  No caso da UPE, com as atividades suspensas desde o dia 16 de março, as aulas remotas voltarão a partir do dia 8 de setembro, seguindo até 14 de novembro. No total, os alunos terão dez semanas de semestre. De acordo com Falcão, as aulas serão suplementares e facultativas. Ele ressaltou ainda que os estudantes não terão prejuízos no histórico escolar. “Não vai aparecer que ele perdeu um semestre se ele desistir, se for reprovado. Temos 30% de alunos com dificuldade de acesso à conectividade, devido à situação de vulnerabilidade social”, disse. 

O reitor da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), Alfredo Gomes, explicou que, desde o dia da suspensão das aulas, em 16 de março, a universidade tem realizado um amplo e profundo planejamento para preparar o semestre letivo exclusivamente remoto, que começará no dia 17 de agosto. O estudante poderá cursar até 300 horas. No último e penúltimo semestre poderão cursar além das 300 horas. Aulas serão síncronas (de modo ao vivo) e assíncronas. "Os estudantes nos penúltimo e último períodos poderão cursar mais disciplinas”, detalhou, lembrando que as aulas remotas também serão facultativas.

No caso da pós-graduação (mestrado e doutorado), os alunso já voltaram às atividades de modo remoto. Gomes ainda afirmou que foi realizada uma pesquisa com mais de 14 mil estudantes da UFPE indicando que cerca de 90% deles cursarão disciplinas online. Já 88% dos professores afirmaram que oferecerão disciplinas.

Já a Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) vai oferecer aos seus alunos o Período Letivo Excepcional (PLE) 2020.3, que vai durar dez semanas, com encerramento previsto para ocorrer no mês de novembro. As atividades foram suspensas também no dia 16 de março e agora estão previstas para retornarem também no dia 17 de agosto. O reitor Marcelo Carneiro Leão disse que os desafios é integrar os alunos que ingressariam na universidade no segundo semestre de 2020. Como ainda não foram matriculados, eles poderão assistir até duas disciplinas como aluno especial. “Paralelamente a isso, aproveitamos esse período para ofertar capacitação aos docentes”, disse. 

Católica

A Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) aderiu à suspensão, mas retomou suas aulas remotamente ainda no início da pandemia. De acordo com o reitor da Unicap, padre Pedro Rubens, a universidade não poderia deixar de funcionar e que, desde 2015, a universidade estava se planejando para trabalhar com a inovação digital como ferramenta pedagógica e, diante da pandemia, se viram obrigados a colocar em prática. “Estávamos nos preparando, mas não estávamos preparados. Foi um momento importante de iniciar uma inovação pedagógica. Mas é bem diferente do EAD, é outra lógica”, afirmou o reitor.