sábado, 21 de novembro de 2020

Sivaldo nomeia equipe e transição de governo começa na próxima semana

Dr. Paulo Couto

Prefeito eleito de Garanhuns, Sivaldo Albino (PSB), já escolheu os integrantes da Comissão que irá fazer a transição administrativa entre o atual e o futuro governo do município.

Integram a equipe indicada pelo socialista o advogado Alexandre Marinho, que será o coordenador do grupo, o também advogado Paulo Couto, o médico Paulo Mendonça, Acácio Santana de Godoy e Sinval Albino

No documento enviado ao prefeito Izaías Régis (PTB), o futuro gestor do município solicita uma série de informações com relação à situação financeira do município, às autarquias municipais e ao Fundo de Previdência.

No prazo de oito dias, o prefeito eleito espera receber, através da equipe de transição, dados a respeito do funcionalismo, de obras contratadas, de precatórios, quanto existe no Caixa do Tesouro Municipal e nos bancos.

Paulo Couto, um dos integrantes da equipe de transição, já esteve na prefeitura, foi bem recebido e conversou preliminarmente com os secretários Glauco Brasileiro e Mewiton Araújo, tendo entregue protocolado o documento que transcrevemos abaixo:

AO: Exmo. Sr. Prefeito do Município de Garanhuns

Izaías Régis Neto

ASSUNTO: Apresentação da Comissão de Transição

Exmo. Sr. Prefeito,

Cumprimentando-o respeitosamente, servimo-nos do presente para, com fundamento no  art. 2º, da Lei Complementar Estadual nº 260/2014, e

CONSIDERANDO a necessidade de instituir processo de transição governamental para  preservação da continuidade dos serviços públicos, visando aos superiores interesses da  população de Garanhuns;

CONSIDERANDO, ainda, que a nova gestão administrativa necessita conhecer dados  fundamentais, sem os quais dificultar-se-ia a implantação de seus projetos, programas de  governo e compromissos de campanha, já a partir do início do exercício do novo mandato;

CONSIDERANDO, finalmente, que os agentes e autoridades administrativas, têm o  dever constitucional de pautarem-se pelos princípios da legalidade, impessoalidade,  moralidade, publicidade, eficácia, razoabilidade, precaução e transparência,

Vem, apresentar a Vossa Excelência os nomes da Comissão de Transição encarregada de  coletar informações, da atual gestão, necessárias à continuidade dos serviços públicos  prestados à população, oportunidade em que solicitamos, com base no art. 4º da mesma  Lei, a documentação e informações abaixo listadas:

1 - Plano Plurianual – PPA;

2 - Lei de Diretrizes Orçamentárias – LDO, para o exercício seguinte, contendo, se for o  caso, os Anexos de Metas Fiscais e de Riscos Fiscais, previstos nos artigos 4º e 5º da Lei  Complementar Federal nº 101, de 2000;

3 - Projeto de Lei Orçamentária Anual – LOA, para o exercício seguinte;

4 - Demonstrativo dos saldos disponíveis transferidos do exercício findo para o exercício  seguinte, da seguinte forma:

a) termo de conferência de saldos em caixa, onde se firmará valor em moeda corrente  encontrado nos cofres municipais na data da prestação das informações à comissão de  transição, e, ainda, os cheques em poder da Tesouraria;

b) termo de conferência de saldos em bancos, onde serão anotados os saldos de todas as  contas mantidas pelo Poder Executivo, acompanhado de extratos que indiquem  expressamente o valor existente na data da prestação das informações à comissão de  transição;

c) conciliação bancária, contendo data, número do cheque, banco e valor;

d) relação de valores pertencentes a terceiros e regularmente confiados à guarda da  Tesouraria;

5 - demonstrativo dos restos a pagar distinguindo-se os empenhos liquidados/processados  e os não processados, referentes aos exercícios anteriores àqueles relativos ao exercício  findo, com cópias dos respectivos empenhos;

6 - demonstrativos da Dívida Fundada Interna, bem como de operações de créditos por  antecipação de receitas;

7 - relações dos documentos financeiros, decorrentes de contratos de execução de obras,  consórcios, parcelamentos, convênios e outros não concluídos até o término do mandato  atual, contendo as seguintes informações:

a) identificação das partes;

b) data de início e término do ato;

c) valor pago e saldo a pagar;

d) posição da meta alcançada;

e) posição quanto à prestação de contas junto aos órgãos fiscalizadores;

8 - termos de ajuste de conduta e de gestão firmados;

9 - relação atualizada dos bens móveis e imóveis que compõem o patrimônio do Poder  Executivo;

10 - relação dos bens de consumo existentes em almoxarifado;

11 - relação e situação dos servidores, em face do seu regime jurídico e quadro de pessoal  regularmente aprovado por lei, para fins de averiguação das admissões efetuadas,  observando-se:

a) servidores estáveis, assim considerados por força do art. 19 do Ato das Disposições  Constitucionais Transitórias da Constituição Federal, se houver;

b) servidores pertencentes ao quadro suplementar, por força do não enquadramento no  art. 19 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias da Constituição Federal, se  houver;

c) servidores admitidos através de concurso público, indicando seus vencimentos iniciais  e data de admissão, bem como o protocolo de sua remessa ao Tribunal de Contas;

d) pessoal admitido mediante contratos temporários por prazo determinado;

12 - cópia dos relatórios da lei de Responsabilidade Fiscal referentes ao exercício findo,  devendo apresentar os anexos do Relatório Resumido da Execução Orçamentária  (RREO) do 5º bimestre e os anexos do Relatório de Gestão Fiscal (RGF) do 2º  quadrimestre/1º semestre, uma vez que o restante terá como prazo janeiro do exercício  seguinte, bem como cópia das atas das audiências públicas realizadas;

13 - relação dos precatórios;

14 - relação dos programas (softwares) utilizados pela administração pública;

15 - demonstrativo das obras em andamento, com resumo dos saldos a pagar e percentual  que indique o seu estágio de execução;

16 - relatório circunstanciado da situação atuarial e patrimonial do(s) órgão (s)  previdenciário (s), caso o Estado ou Município possua regime próprio de previdência.

Outrossim, solicitamos ainda, preferencialmente em forma de relatório, dos seguintes  documentos e informações:

17 - Relatórios referentes aos contratos de execução de obras, relativos a consórcios,  convênios, contratos de repasse e outros ajustes, pagos e a pagar;

18 - Relatórios referentes às transferências constitucionais e legais, atualmente em  andamento;

19 - Relatórios com os bens e patrimônios, que devem trazer relação atualizada dos bens  patrimoniais e o levantamento dos bens de consumo e permanentes existentes no  almoxarifado;

20 - Relatório atualizado da estrutura funcional, contendo demonstrativo do quadro de  servidores, efetivos e contratados, incluindo lotação e descrição das atividades realizadas;

21 - Relatório acerca das pendências porventura existentes junto ao CAUC;

22 - Levantamento de assuntos que sejam ou possam resultar em processos judiciais ou  administrativos e;

23 - Principais ações, projetos e programas em execução, interrompidos, finalizados ou  que aguardam implementação.

24 - Base de dados do e-SUS;

25 - Plano de Saúde do Município;

26 - Contratos firmados com os terceirizados na área de saúde, que estiveram ou estão  em vigor durante o ano de 2020;

27 - Inventário do estoque de equipamentos, material de consumo, material permanente  e medicamentos da área de saúde;

28 - Inventário de bens patrimoniais da prefeitura.

Outrossim, é importante salientar que tais solicitações estendem-se também, no que  couber, às autarquias municipais (AESGA e AMSTT) e ao Instituto de Previdência dos  Servidores de Garanhuns – IPSG.

Ademais, em face do curto lapso temporal, entre a entrega deste ofício e a nossa posse,  solicitamos que tais informações sejam entregues no prazo de oito dias, contados a partir  do recebimento do presente.

Por fim, solicitamos a indicação de servidores municipais que possam receber a Comissão  abaixo indicada para visita às secretarias, bem como nos reservamos o direito de indicar  novos membros para esta Comissão nos próximos dias, caso necessário.

Membros da Comissão de Transição

Alexandre Henrique de Lemos Marinho 10517 OAB/PE - Coordenador Paulo André Lima do Couto Soares 16106 OAB/PE Membro

Paulo Ricardo Ramos Mendonça Filho 5095095 SDS/PE

Antônio Acácio Santana de Godoy 2177624 SSP/PE  

Sinval Rodrigues Albino 5354930 SSP/PE Membro

Atenciosamente,

Sivaldo Rodrigues Albino

Prefeito Eleito

Fonte: Blog do Roberto Almeida

Cinemas de Garanhuns


No jornal "O Sertão" de 4 de junho de 1911 aparece um anúncio do Cinema Guarany, tendo como eletricista operador Euclides Reis, apresentando seis fitas. Duas sessões: 1ª 8/9 da noite e a 2ª 9:30/10:30. Preços das cadeiras 1$000 e gerais $500. Era de propriedade dos Irmãos Paes de Barros (Caju) e Vicente Dantas Filho, que em 28 de julho de 1912 desliga-se da Empresa. Esteve em funcionamento até fins de 1912.

O cinema Grossi de propriedade da Francisco Grossi (Chicó) é inaugurado em 30 de novembro de 1912. Instalado em prédio próprio, construído por Manoel Rabelo, tendo salão de projeção para 600 pessoas, além de um "buffet" e bilhar ao lado. Localizado na Avenida Rio Branco (Rua Santo Antônio). Manteve-se por cerca de 18 anos. Passa a A. Freire e, após a Otávio de Freitas, comerciante da cidade e toma a denominação de Cinema Glória. Em 1933 é transferido para a Firma Severino Casemiro e, em seguida, ao grupo Gonçalves Nunes. Em 1935 é arrendado a José Fitipaldi, comerciante de tecidos que o vende a José Maria Dourado (Pipe) que também adquire o Cine Trianon (foto) de Antônio Alves do Nascimento, instalado na Praça Jardim, e que toma a denominação de "Cine Poeira" por ter sido destinado à segunda classe. Além deste, Pipe, constrói, no Arraial (Heliópolis) o Cine Eldorado. Por fim, os três estabelecimentos de diversão são negociados com Agenor Moraes.

Agenor fecha o "Cine Poeira" e o "Glória", construindo na Praça Jardim o Cinema Jardim.

No ano de 1915, em 5 de dezembro, é inaugurado o "Cinema Moderno".

Vestimentas Diferentes

"Como as árvores e arbustas dos vales e das serras, cresçamos em sabedoria e bondade, tecendo o fio de vestuários que não perecem".
Foto: Anchieta Gueiros

Dr. Aurélio Muniz Freire / Garanhuns

"E por que andais ansiosos quanto ao vestuário? Considerai como crescem os lírios do campo; eles não trabalham nem fiam. - Eu, contudo, vos afirmo que nem Salomão, em toda a sua glória,  se vestiu como qualquer deles." (Mt. 6:28 e 29).

Agradecidas, por seus "laboratórios escondidos debaixo do chão", vestem-se as flores de cores e perfumes, excursionando belezas pelos ares.

Na extensão das terras, em trajes de beleza, causando inveja aos modernos e sofisticados teares das gentes, a Natureza pelos campos da vida.

Impérios e reinos poderosos, tantas vezes trabalham o sopro da destruição, dormindo por glórias fugidas sob castelos de areia.

Como as árvores e arbustas dos vales e das serras, cresçamos em sabedoria e bondade, tecendo o fio de vestuários que não perecem.

sexta-feira, 20 de novembro de 2020

Amupe promove reunião com articuladores municipais que marca a finalização do Projeto Gestão Cidadã


A Associação Municipalista de Pernambuco, através do Projeto Gestão Cidadã, financiado pela União Europeia, promoveu nesta quarta-feira, 18/11, reunião com articuladores dos municípios integrantes do Projeto com o objetivo de fortalecer o elo de integração entre os articuladores municipais e divulgar as ações a serem realizadas, a exemplo da promoção do curso de formação em advocacy: incidência política na prática, a ser realizado pela Amupe em sua plataforma EAD, no eadamupe.org.

A Amupe apresentou aos participantes o +Controle, ferramenta de gestão da controladoria que vai ser lançada no Encontro de Novos Gestores, também promovido pela Associação, que deve acontecer no início do mês de dezembro. “O Projeto Gestão Cidadã contribuiu para a participação social e transparência em 16 municípios pernambucanos e deixa um legado para a democracia e o controle social de cada cidade, e os articuladores são peças chave nesse processo”, frisou a coordenadora do Projeto, Ana Nery.

O curso de Advocacy vai abordar o tema em sua essência e visa contribuir para que a sociedade civil se capacite e exerça a cidadania de forma mais objetiva e clara, ao defender os anseios da comunidade. Serão 42 horas de capacitação em três módulos. A primeira aula será presencial nas cidades de Surubim (25/11), Caruaru (26/11) e Tabira (27/11), para até 30 pessoas com todos os protocolos de segurança sanitária para os presentes. A capacitação foi desenvolvida em parceria com a ONG Britânica United Porpuse e pela Rede de Educação Cidadã.

Lacen-PE: aberta seleção com 23 vagas para técnicos de laboratório

Para reforçar as atividades do Laboratório Central de Saúde Pública de Pernambuco (Lacen-PE), que vem recebendo investimentos do Governo de Pernambuco para continuar ampliando sua capacidade de análise dos exames da Covid-19, a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) abre seleção pública simplificada com 23 vagas para técnicos de laboratório. Os profissionais irão atuar na sede do Lacen, no Recife, além dos laboratórios das Gerências Regionais de Saúde (Geres) de Caruaru (IV), Petrolina (VIII) e Serra Talhada (XI). As inscrições seguem até a próxima quinta-feira (26/11) pelo ead.saude.pe.gov.br. O edital foi publicado nesta sexta (20/11) no Diário Oficial do Estado e também está disponível no portal.saude.pe.gov.br.

As vagas no Recife são para os profissionais atuarem no regime de plantão, em turno único de 24 horas ou dois de 12 horas, cada. Já para os laboratórios das Geres, que fazem parte da rede descentralizada do Lacen, o trabalho será de diarista (4 horas diárias, totalizando 20 horas semanais). Os candidatos serão selecionados a partir de análise curricular, de caráter classificatório e eliminatório. O resultado preliminar será divulgado em 03/12 e os recursos serão recebidos até as 23h59 do dia 04/12. O resultado final sairá em 11/12.

Em decorrência da pandemia da Covid-19 em Pernambuco, não será permitida a participação na seleção pública de candidatos com mais de 60 anos, gestantes, puérperas ou que sejam de algum outro grupo de risco para o novo coronavírus, conforme descrito no edital.

É importante destacar que esta é a segunda seleção realizada especificamente para o Lacen-PE com o intuito de atender a necessidade temporária de excepcional interesse público relacionada à emergência em saúde pública decorrente do novo coronavírus. O chamamento dos profissionais será para o período de até 6 meses, podendo ser prorrogado por até 2 anos.

MELHORIAS - Para absorver a demanda de exames de RT-PCR, o Governo de Pernambuco investiu em melhorias na estrutura física do Lacen-PE e adquiriu novo maquinário, que possibilitou automatizar e chegar a quadruplicar a capacidade de processamento dos exames. Só nos novos equipamentos e aquisição de insumos para o aparato foram investidos R$ 6 milhões, por meio da Fundação de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Pernambuco (Facepe). Além das seleções públicas para profissionais, ainda foram nomeados cerca de 50 aprovados em concurso público para o órgão.

BALANÇO - Desde o início da pandemia do novo coronavírus, o Lacen-PE já analisou mais de 188 mil amostras biológicas de pacientes suspeitos para o novo coronavírus. No local, são avaliados os exames de biologia molecular (RT-PCR), considerado padrão-ouro por ter maior sensibilidade para diagnosticar a doença na sua fase aguda, quando há risco de transmissão.

As amostras analisadas pelo Lacen-PE representam 55% do total de exames de RT-PCR já realizadas no Estado - mais de 344 mil. Quando somados os laboratórios parceiros da rede pública estadual, o percentual sobe para 77% (mais de 266 mil).

Garanhuns minha terra

Gonzaga de Garanhuns / 2001

O sol surge dentre as serras

Nas saudosas manhãzinhas

O seu ocaso é mais belo

Na penumbra das tardinhas

Ó Garanhuns minha terra

Meu chão rico e adorado

De fulgor és radiante

De beleza é rodeado

O céu se torna azulado

Mais verde se torna o chão

O colorido das flores

Dar beleza e sensação

Garanhuns querida terra

Torrão que me viu nascer

Este chão maravilhoso

Também me sentiu crescer.

quinta-feira, 19 de novembro de 2020

Mais de 100 mil famílias de baixa renda são inseridas no programa de descontos da Celpe

Cerca de 108 mil famílias foram inseridas pela Companhia Energética de Pernambuco, empresa da Neoenergia, na Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE). O benefício concede desconto de até 65% na conta de luz aos clientes classificados com baixa renda. A inserção foi realizada a partir de uma consulta ao Cadastro Único, Programa Social do Governo Federal. Atualmente, a Celpe contabiliza mais de 1 milhão de famílias cadastradas no programa.

“A inserção automática, realizada pela Celpe e demais distribuidoras da Neoenergia, cruza informações dos contratos com os dados do CadÚnico, disponibilizados às concessionárias periodicamente pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Apenas neste ano, conseguimos aumentar a nossa base de clientes cadastrados na Tarifa Social em 12%”, comenta o superintendente de processos comerciais da Neoenergia, Leonardo Moura. 

As famílias que não estão inseridas e desejam participar do programa podem pedir o benefício em plataformas como o site da Celpe e o WhatsApp. Para realizar a solicitação pelo WhatsApp da concessionária: (81) 3217-6990, basta informar o número da conta contrato da Celpe e o NIS. Os dados serão confirmados no banco de dados do Governo Federal e, depois, o prazo para o credenciamento no programa é de cinco dias úteis, com o início do benefício na fatura seguinte.

Caso o CPF que aparece na conta de energia não seja o mesmo que o do representante da família no cadastro do Governo Federal, é necessário solicitar a inclusão na Tarifa Social para ter acesso ao programa.

Fonte: Folha de Pernambuco

ECI/SCGE divulga programação do mês de dezembro

A Escola de Controle Interno Professor Francisco Ribeiro (ECI), da Secretaria da Controladoria-Geral do Estado (SCGE), promoverá no mês de dezembro, em parceria com o Centro de Formação dos Servidores e Empregados Públicos do Estado de Pernambuco (Cefospe), o curso online “Tomada de Contas Especial: aspectos da Resolução TC No 36/2018”. Direcionado para gestores de secretarias e órgãos do Poder Executivo Estadual, esta programação será realizada nos dias 7, 9, 11 e 14 de dezembro.

Um total de 20 vagas estão sendo oferecidas, com inscrição diretamente no site do Cefospe – sgic.cefospe.pe.gov.br. As aulas, com transmissão ao vivo, por meio da plataforma Microsoft Teams, serão ministradas por Daniel Tiné, gestor governamental de Controle Interno da Diretoria de Correição (DCOR/SCGE), sempre das 14h às 17h30. Também no mês de dezembro, a ECI terá uma agenda exclusiva para os servidores da SCGE.

Sesc tem inscrições abertas para oficina de escrita criativa


Estão abertas as inscrições para a oficina “Soltando a Língua com a Escrita Criativa” que o Sesc Pernambuco realiza nos dias 20, 21, 27 e 28 de novembro. As aulas online serão ministradas pelo escritor pernambucano Marcelino Freire. Para se inscrever, os interessados precisam acessar o site www.cursos.sescpe.com.br. A taxa custa R$ 40, mas os trabalhadores do comércio e seus dependentes, em dia com o cartão do Sesc, têm desconto e pagam R$ 20.

As aulas serão realizadas em duas sextas-feiras e dois sábados, das 19h às 22h, pelo aplicativo Zoom. Marcelino Freire vai passar dicas aos participantes sobre como desbloquear e enxugar um texto, trabalhar a concisão, dar voz a uma ideia, criar um personagem, organizar um livro, valorizar o repertório e o vocabulário, independente do gênero literário. Isso se dará por meio de exercícios, de uma intensa troca de ideias e de experiências.  

“Para um bom rendimento dos participantes, o número máximo de vagas será de 25 pessoas, com idades a partir dos 16 anos. Essas pessoas podem ser escritores, escritoras, estudantes de cursos ligados às Letras e amantes da literatura”, explica Marcilene Pereira, professora de artes do Centro de Produção Cultural, Tecnologia e Negócios do Sesc em Garanhuns.

Marcelino Freire – o escritor nasceu em Sertânia (PE), em 1967. Atualmente, vive em São Paulo. É conhecido por suas obras, constantemente adaptadas para o teatro, e por sua atuação como professor de oficinas de criação literária, além de produtor cultural. Escreveu, entre outros, “Contos Negreiros” (Editora Record, 2005), com o qual foi vencedor do Prêmio Jabuti, livro também publicado na Argentina e no México. Em 2013 lançou, pela Editora Record, o romance “Nossos Ossos” (Prêmio Machado de Assis), também publicado em Portugal e ainda na Argentina e na França. É o criador e curador da Balada Literária, evento que acontece desde 2006 em São Paulo. Em 2018, lançou o livro "Bagageiro", reunindo o que ele chama de "ensaios de ficção" (Editora José Olympio). Mantém o blog Ossos do Ofídio: www.marcelinofreire.wordpress.com.   

Prefeito eleito Sivaldo Albino une novamente a família Taveira, de Miracica


Deputado estadual Sivaldo Albino, eleito prefeito de Garanhuns no último dia 15, já está trabalhando para reforçar a sua base de sustentação na Câmara Municipal.

Nesta quarta-feira (18) o socialista conseguiu unir novamente a família Taveira, do distrito de Miracica.

Na eleição proporcional deste ano o clã teve dois candidatos: Cláudio, no PSB, apoiou Sivaldo. Bruno, filiado ao Cidadania, esteve no grupo do prefeito Izaías Régis.

Mas com a pacificação da família, graças a articulação do prefeito eleito, Bruno já decidiu que ficará na base do governo.

Ele é um ótimo rapaz, resgatou o mandato de Miracica, como chegou a dizer que ia fazer, aqui no blog e está disposto a contribuir com o projeto de mudanças em Garanhuns.

*Na foto, Sivaldo com Bruno, Cláudio Taveira e outros integrantes da família. 

Fonte: Blog do Roberto Almeida

Retratos de Garanhuns


Sessão Solene - Mons. Adelmar, Mons. Benevenuto e Prof. Albérico, durante homenagem a Professora Almira da Mota Valença, Mons. Tarcísio Falcão e Mons. Pedro Magno de Godoy. Realizada no Salão Nobre do Colégio Diocesano de Garanhuns em 7 de outubro de 1995.

Divagação


João Marques

A avenida vazia

de si e de sol

feito sombra, passo

noite de espaço

em busca de mim


me acho quando

o silêncio desce

como manto 

que tudo cobre

e o relógio da torre

bate as horas

estabelecendo só

tempos de sonho.

(Do livro Partições do Silêncio / João Marques dos Santos / Garanhuns - 2005)

Miguel Paes, ex-prefeito de Brejão, morre de Covid-19


Faleceu no início da noite desta quarta-feira(18/11), Miguel Carlos Torres Calado conhecido como Miguel Paes. Ele tinha 83 anos e estava internado no Hospital Monte Sinai em Garanhuns. Tendo testado positivo para a COVID-19 ficou sob cuidados médicos durante 11 dias na UTI da referida unidade hospitalar, mas devido a complicações decorrentes da doença, não resistiu e faleceu nesta data.

Natural do município de Angelim, Miguel Paes nasceu em 17 de junho de 1937, era viúvo e pai de 6 filhos. Filho do saudoso Manoel Paes Torres e Dona Maria. Homem honrado e querido por toda população, morou na Fazenda  Brasileira, e chegou a residir durante  alguns anos em Garanhuns. Retornou ao município de Brejão, onde sobrevivia da agropecuária na Fazenda Serra Verde.

Foi eleito vereador em 1972, e  em 1992 apoiado pelo ex-prefeito Josa Cadengue foi eleito prefeito,  governando o município entre os anos de 1993 a 1996. Em sua administração Miguel Paes conseguiu realizar inúmeras obras que até hoje são lembradas pela população.

É com profundo pesar que a prefeita Beta Cadengue, o vice-prefeito Joseraldo Rodrigues e presidente da câmara dos vereadores,  Saulo Maruim,  lamentam a morte do ex-prefeito Miguel Paes, e ao mesmo tempo, se solidarizam com toda família neste momento de dor e consternação.

Devido os protocolos das autoridades sanitárias não haverá velório. De acordo com informações da família o sepultamento ocorrerá nesta quinta-feira (19/11) as 11 horas da manhã no cemitério São Luís em Brejão.

A prefeita Beta Cadengue deverá decretar luto oficial no município por três dias a partir desta quinta.

Fonte: Blog do Roberto Almeida

quarta-feira, 18 de novembro de 2020

MPPE recomenda aos proprietários de estabelecimentos de produtos de origem animal de Garanhuns que observem os decretos regulamentadores sobre o serviço de inspeção

O Ministério Público de Pernambuco (MPPE), por meio da 1ª Promotoria de Justiça de Defesa da Cidadania de Garanhuns, recomendou aos proprietários de estabelecimentos de produtos de origem animal (produtores, distribuidores e revendedores atacadistas ou varejistas) de Garanhuns que observem os decretos regulamentadores relativos ao serviço de inspeção dessas mercadorias bem como a legislação específica da área (federal, estadual e municipal).

Conforme a recomendação, os proprietários devem observar as seguintes medidas: registro do estabelecimento perante o Serviço de Inspeção; contratação de responsável técnico para acompanhamento da atividade; adequado oferecimento, armazenamento de produtos perecíveis, rotulagem e fracionamento de produtos de origem animal. Caso os produtores e comerciantes não estejam adequados à legislação, estes deverão promover as adequações necessárias no prazo de 30 dias a contar do conhecimento e recebimento da recomendação.

Esses estabelecimentos deverão dispor de dependências anexas para a industrialização, quaisquer operações de fracionamento, corte, embalagem ou reembalagem para então distribuição a estabelecimento de varejo diferente, que, por sua vez, se caracterize como entreposto de produtos de origem animal, tendo papel de produtor ou distribuidor.

Ao município de Garanhuns e ao Estado de Pernambuco, através dos órgãos de inspeção municipal (Vigilância Sanitária) e estadual (ADAGRO), o MPPE recomendou que seja realizada a fiscalização, sem aviso prévio, no prazo de até 60 dias, de todos os estabelecimentos/locais que realizem o recebimento, manipulação, guarda, conservação, acondicionamento e distribuição de produtos de origem animal e seus subprodutos (frescos ou frigorificados).

Nessa fiscalização deverá ser verificado se tais estabelecimentos possuem as licenças sanitária e ambiental com atendimento às exigências técnicas e condições higiênico-sanitárias fixadas pelo serviço de inspeção. Posteriormente ao processo, um relatório com os autos/termos de infração deverá ser encaminhando a 1ª Promotoria de Justiça de Defesa da Cidadania de Garanhuns.

Os fiscais deverão ainda, no mesmo prazo, realizar a fiscalização de abates clandestinos de animais, adotando as medidas cabíveis. Já às Polícias Civis e Militares deverão, por sua vez, prestar todo o auxílio necessário nesse processo.

A recomendação, firmada pelo promotor de Justiça Domingos Sávio Pereira Agra, foi publicada no Diário Oficial Eletrônico do MPPE desta quarta-feira (18).

Fonte: MPPE

Governo lança portaria para Loja de Moda Autoral de Pernambuco (Mape)


O Governo de Pernambuco, por meio da Diretoria de Promoção da Economia Criativa, da Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, (AD Diper), lançou na última sexta-feira, 13 de novembro, portaria que marca o início das inscrições para estilistas, designers e criativos pernambucanos ou radicados no Estado que queiram comercializar suas produções, roupas ou acessórios, na Loja de Moda Autoral de Pernambuco (Mape), primeira referência de política pública na comercialização coletiva de moda com identidade pernambucana.

O espaço de moda autoral de Pernambuco, com 670m², no Armazém 11, colado ao Centro de Artesanato de Pernambuco, no Marco Zero, funcionará em formato de loja colaborativa, com nichos individuais; e espera abrigar mais de 100 marcas de criativos pernambucanos. “A principal função é fortalecer, aprimorar, promover, de maneira potente, a cadeia produtiva do setor em nosso Estado, oportunizando a comercializando dos produtos de moda autoral de designers e criativos do nosso Estado”, explica a diretora de Promoção da Economia Criativa, Márcia Souto.

Para se inscrever, os estilistas e criativos precisam acessar o documento, disponível no site da AD Diper, (www.addiper.pe.gov.br),onde constam todas as informações necessárias. O documento e os anexos devem ser preenchidos e enviados para o e-mail mape@modaautoral.pe.gov.br.

Os inscritos passarão por uma curadoria permanente formada por representantes da sociedade civil, Governo do Estado e instituições representativas da cadeia produtiva da moda no Estado. Dentro do projeto, caberá ainda, além da comercialização no espaço, a realização de encontros roda de conversa, lançamentos, exposições e troca de experiências, com objetivo de aprimorar conhecimentos e despertar nos profissionais e estudantes de moda, o desejo de empreender e a conscientização da importância do design e originalidade de referência do patrimônio cultural pernambucano. O mezanino da Mape contará com um estúdio de fotografia, que será utilizado também para que os estilistas possam gerar conteúdo para divulgação de suas marcas.

A Mape também funcionará em parceria com o Marco Pernambucano da Moda, iniciativa ligada a Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco, que funciona no Centro Cultural Mercado Eufrásio Barbosa. E trata-se de um espaço para quem faz, cria, pensa, respira a moda. E tem como função a difusão de técnicas e ferramentas de gestão, inovação, design e empreendedorismo para formação e qualificação de empresas e profissionais do setor. Os expositores do espaço de moda autoral serão acompanhados e avaliados constantemente para que, quando necessário, sejam encaminhados para aprimoramento em consultorias, capacitação e suporte de inteligência mercadológica.

“A Mape proporcionará às marcas e criativos que produzem moda autoral em Pernambuco, a divulgação e comercialização de seus produtos, que são criados e produzidos com a utilização de saberes e recursos locais. Hoje o consumidor de moda, quer fugir de uma estética padronizada, e a moda autoral prioriza experimentações quanto a formas, materiais e texturas, oferecendo um produto diferenciado e autêntico. Além, é claro, da propagação da nossa cultura e principalmente na geração de novos empregos e renda”, completa a coordenadora da Loja de Moda Autoral de Pernambuco, Tatiana Henry.

Para maiores informações, os interessados podem contatar a equipe da loja Mape por meio do telefone (81) 3181-3450 ou pelo e-mail mape@modaautoral.pe.gov.br.

Ai da minha biografia sem a letra que me falta no nome!

Por José Alexandre Saraiva*

Meu nome contém todas as letras do alfabeto, menos uma, conforme logo descobrirá o leitor, eis que me chamo Severo José Alexandre Saraiva Narraceno Benedyto Faranho de Almeida Gouveia Klowsin de Xavier e Queiróz, vulgo Cícero Baroni, Enoch Lucena e Naia Macambira.

Providencialmente, porém, produziram-me em Pindorama, país da picaretagem, personificado no passado por um pau e proclamado por Pedro, português, o Primeiro. Para perpetuar o primeiro “p” do poderoso e promissor pau, políticos populistas petrificaram-no propositadamente no princípio dos partidos.

Prevenindo problemas da personalidade e para preservar postura própria, pariram-me em Panelas, povoado pernambucano, pequeno paraíso prolificado pelos poetas, prosistas, pifes e piabas. Projetada com perfeição, a Prefeitura, prédio pomposo, pontificava na principal via pública, perto do péla-porco e da praça. Parente de papai, o poderoso prefeito possuía na prole o primogênito Paulo. Por pura pirraça dos patrícios do peito Patury, Pompéia, Peruca e Piúdo, perfeitos papangus e papa-figos presepeiros, puseram-me o apelido de Pé-de-Pato.

Permanece patente no pensamento a paisagem pitoresca do potentado do papai. Prevalecia a presença do pau-pereira, pitangueiras, pirins e do pé de pitomba, onde patativas, pintassilgos e periquitos pousavam a passos pausados e um parrudo pica-pau perambulava possesso, picando sem piedade, parecendo paciente psicopata do Pinel possuído pelo Pererê.

Painho passava parte das pacatas e perenes primaveras papando pinha, pamonha e paçoca pilada num pilãozinho preto. Pela palma do polegar, pitava porções perfumadas do pó preto de rapé. Postado à parede de pequeno paiol, presenciava pombos, pintinhos, preás, pebas e patos pipilando pedacinhos de pão perdidos pelo pátio. Por essa privilegiada posição, de permeio, piscando as pestanas, polindo a peixeira e o punhal prateado, podia perceber potros e porcos, prestes a pisotear o pasto de palma e de capim pangola. O pervertido mas prodigioso papagaio Perivaldo pronunciava palavras profanas e paparicava papagaias perequetadas na porteira.

Pesarosamente, parti para a parte prometida deste país. Portava meu piston, o pé-de-bode, partituras e um punhado de poemas prontinhos no pensamento. Peguei o pau-de-arara “Progresso” em Palmares para as paragens poéticas do Pão-de-Açúcar, do Pixinguinha, dos passistas da passarela, dos pagodeiros, da Portela, dos Pierrôs e das peraltices dos piratas-da-perna-de-pau. Paquerei Pepa mas preferi a prendada Penha.

Para prover-me, principiei numa farmácia, na praça Aphonso Pena, com propaganda em peagá. Pelejei, paguei penitências, peregrinei a pé, sobre pó e pedras e na penúria, pela Pavuna, Piedade, Penha, Parati, Parada Angélica, Paquetá e Petrópolis, pousando primeiro numa pensão popular, preferida dos “paraíbas”, pertinho de dois palácios, um presidencial, outro provinciano, com placa publicitária no parapeito em pátina.

Perseguindo a progressão profissional, passei, de primeira em prova para o poder público. Pendurava o paletó próximo do Passeio, a poucos passos do Plaza, onde projetavam películas de minha predileção.

Posteriormente, promovido de posto, partiria com a princesa Penha, pela Penha, para o Paraná, precisamente para Pinhais, porção da preservação potável paranaense, onde proliferam prados, pardais, paisagens pictóricas, pirilampos, pomares, poncãs, pêssegos, pêras e pipas planando no ar purificado pelos pinheirais. Pinhais, Pinhais... do Palmitalzinho, das painas, da Vila Perneta, do Petinate, do Parque Panorâmico, do Polaco do Pérola — no passado pequena parte de pastagem pertencente a Piraquara, presentemente populosa, próspera e, por pressão popular plebiscitária, possuidora de personalidade e de patrimônio próprios.

Passeei pelo país platino do poderoso Perón, do pianíssimo Piazolla, da Patagônia dos pinguins e pelo Paraguai das polcas, das passifloras, do Pássaro Campana e da Petisquera. Passando sobre a ponte do Paranazão para a Pátria de Portinari, Picchia, Poty, Patativa, Pelé e Piquet, prestei prece em prol da piracema, dos pescadores e dos peixes piapara, pintado, pacu, palometa, piranha, perna-de-moça e piau.

Pranteando o passamento no passado (1.881) do principal e proeminente pároco panelense, proclamo, publicamente, preito de pesar póstumo para Padre Pedro da Purificação Paes Paiva, Pároco da Paróquia de Panelas, Província de Pernambuco e Professor Público Primário, par de Pedro, Pároco Prior do Paraná. (Do meu livro Diversos & Diluídos, 2ª ed., 2006).

*José Alexandre Saraiva é advogado, escritor e músico

Elementos da Vida

"Os pensamentos se renovam no sentido de projetar a força de sua capacidade de tornar o mundo mais feliz" - José Francisco de Souza
Foto: Anchieta Gueiros
A vitória do ser humano consiste em saber usar os elementos da vida. Eles não se definem por coerção das
circunstâncias, e nem se projetam por meras conquistas dos preceitos da sociedade. Não há dúvidas que esse conjunto de relações possui normas de conduta. Muitas de suas imposições são prioritárias como ordenamento político. A sua linguagem estritamente convencional domina. Isto é muito importante. Entendemos que mais importante do que a forma, é a pureza das ideias pontilhadas de realismo.

O universo intelectual existe em relação a individualidade humana. É indiviso na unidade de ser  criativo. É um recolhimento de integração sem divisa psicológica. Completo em si mesma e não se estrutura por força exterior. Renova-se constantemente. Vive em perene mutação. A sociedade de seus componentes seria eterno suplício. A solidão criativa não é manipulada, é concentração de energias. Energias sóbrias e de vitalidades preponderantes.

O labor desse universo se opera no mais profundo silêncio. Os ruídos comuns não se objetivam, não é força capaz de alarmar. Só o silêncio impera em toda a sua plenitude, parece até que só os pensamentos tem vida. Não há aquele comodismo mental de se esperar que os outros dedicam por nós. Isso não mais existe. A exploração das negativas, não se refletiam nos elementos positivos de decisão.

Por exemplo, a cidade pode se modificar. Pode se insurgir contra a estagnação de muitos, deve mesmo protestar contra os que governam o seu destino. O que interessa propriamente ao seu espírito construtivo, é a personalidade das pessoas que nasceram e vivem respirando o ar puro de sua liberdade. Esse  comportamento constata o seu estado de progresso. Daí nasce o ponto culminante da capacidade humana. As aspirações sublimes do mundo da espiritualidade maior.

Quando o pensamento criativo está em alguma parte, a alma também ai está. Irradiante suas harmônicas vibrações emanadas de seus atributos divinos. Pois a alma na grandeza de vida é quem pensa. O pensamento é um atributo. Para os espíritos que identificam a verdade nenhuma importância dão ao que é convencional. Só as leis como relação da natureza das coisas e suas derivações, merecem ser respeitadas integralmente. Deixar de cumpri-las implica em resgate de provas de causa e efeitos.

Para eles o pensamento é tudo. Deixa-nos a forma, a escolha dos termos as classificações, numa palavra, os sistemas, ou pensamentos puros são coordenados pela evolução espiritual. Eles purificam o mundo e suas relações. O mundo ordenado pela sintonia desses pensamentos edificantes e nobres, é um mundo de beleza, em que a vida se projeta com as suas maravilhas.

Esses ensinamentos são ricos de conteúdo e forma. Os pensamentos se renovam no sentido de projetar a força de sua capacidade de tornar o mundo mais feliz.  O seu domínio não se impõe, é uma conquista de apercebimento na ação. A nova estrutura mental representa a força indomável que luta pela realidade do presente em todas as horas e momentos . Chegou o exato instante da exaustão, já não há mais  possibilidades ponderáveis entre as partes em séculos de litígios. Os elementos da vida, não se omitem. Pelo contrário se manifestam em todos os quadrantes dos mundos em formação. São determinantes modificadoras de pensamentos negativos e consolidam, entre nós, os desejos dos assistentes espirituais por um mundo melhor e mais humano.

José Francisco de Souza / Advogado, jornalista e historiador / Garanhuns, 28 de Julho de 1984

Concurso de fotografias: CPRH disponibiliza fotos para julgamento popular


A Agência Estadual de Meio Ambiente (CPRH) publicou no seu instagram (@cprh), as fotos finalistas no concurso de fotografias “Unidades de Conservação no Meu Caminho”, para o julgamento popular. A Comissão Julgadora do concurso selecionou 15 fotos, sendo cinco de cada categoria: Paisagem, Biodiversidade e Ações para proteção, que ficarão disponíveis para votação, até às 19h, da próxima sexta-feira (20). O resultado final será divulgado no sábado, dia 21.

 De acordo com o regulamento do concurso, as três fotos mais curtidas em cada categoria serão as finalistas e a imagem que tiver mais curtida, será a vencedora. Os autores das fotografias vencedoras, em primeiro lugar de categoria, receberão um smartphone, os demais serão premidos com certificados e um kit de materiais didáticos produzidos pela CPRH. 

O I Concurso de Fotografias “Unidades de Conservação no Meu Caminho”, faz parte da programação da IV Semana das Unidades de Conservação da Natureza, realizada pela Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) e pela Agência Estadual de Meio Ambiente Meio (CPRH), iniciada na última terça-feira (17). 

A marca indelével dos Thompson no Colégio Quinze de Novembro em Garanhuns

Por Marcílio Reinaux*

Em 1910 o Colégio Quinze já completava a sua primeira década de existência, desde a sua antiga Escola Paroquial Evangélica de Garanhuns. Nele já trabalhavam o casal Martha e George Henderlite. Jerônimo Gueiros, Cecília Rodrigues e Soriano Furtado, além de outros colaboradores que aos poucos iam surgindo, muitos dos quais primeiros alunos como o caso dos acima citados. A chegada aos trabalhos dos  mais variados, dona Martha Henderlite não esconderia a sua alegria ao ver um novo casal de missionários, seus conterrâneos, chegar para o trabalho missionário e igualmente para o trabalho do magistério no colégio. Eram o Dr. William Thompson (foto) e sua esposa dona Catarina C. Thompson. O rumo dado ao Colégio Quinze pelos seus primeiros professores, dirigentes, funcionários com a participação de alunos, haveria de ser continuado com os Thompson.

De pronto Garanhuns começou a conhecer a personalidade marcante do Dr. Thompson. Seu caráter e sua justiça, espelhados numa conduta de personalidade irrepreensível tornara-se, com o passar dos tempos, referencias proverbiais. O Dr. Thompson tinha um amor à pontualidade  era cumpridor dos seus deveres e obrigações, como dificilmente se poderia encontrar uma pessoa assim. No que respeita à sua pontualidade em tudo que fazia e em tudo que marcava, surgiram histórias popularescas em Garanhuns, diante de tais características singulares. Chegava ao ponto de algumas pessoas que moravam nas proximidades da residência do casal Thompson, marcar as horas quando da passagem do mesmo todo dia, exatamente no mesmo horário. Diziam alguns: "Faltam 15 minutos para às oito horas, porque o Dr. Thompson já vai para o Colégio". Outros, residentes na então tradicional e muito conhecida Rua do Recife (a Rua da minha infância), hoje Dr. José Mariano diziam: "São 4 horas da tarde. Dr. Thompson já vai passando para o correio". É verdade. Para o correio Dr. Thompson ia diariamente às quatro da tarde  para apanhar na Caixa Postal nº 15 as suas correspondências e colocar no correio aquelas que enviava aos muitos amigos, parentes e autoridades da Missão Presbiteriana nos Estados Unidos. Tinha uma larga atividade, com a correspondência do  Colégio e sua em particular. Jamais deixou segundo informavam os seus contemporâneos de responder uma carta, de quem quer que fosse.

Chegando a Garanhuns em 1910, Dr. Thompson não assumiria logo a direção do educandário que permaneceria com o Dr. George Henderlite. Ele sim, com Dona Catarina assumiram parte das aulas, ministrando algumas. A especialidade contudo do mestre era a matemática. Dona Catarina era educadora por formação. Muitas vezes foi mal compreendida pela sua franqueza que era extraordinária, quando se referia a pessoas ou fatos. "Não tinha", como se diz-se hoje no adágio popularesco, "papas-na-língua". Em contrapartida, seus alunos eram unânimes em afirmar que ela era extremamente caridosa. Dona Cecília Rodrigues de Siqueira, durante o período de alguns tornou-se diretora do Quinze até 1914. A partir de então o Dr. Thompson assume a direção permanecendo com este encargo até 1921.

Um dos dois filhos do Dr. Thompson, (um faleceu na guerra), Franklin casou-se em Garanhuns com Ruth Furtado Gueiros, filha do Reverendo Antônio Gueiros, um dos grandes nomes do evangelismo presbiteriano no Brasil.

*Marcílio Reinaux é advogado, escritor, pintor e historiador     

Fonte: Jornal O Monitor / 3 de Agosto de 1985                      

terça-feira, 17 de novembro de 2020

Curso gratuito sobre acessibilidade nas exposições de arte tem inscrições abertas


Depois de sete meses fechados por conta da pandemia de Covid-19, os espaços culturais estão, aos poucos, reabrindo. Uma das reflexões maturadas pelos produtores e gestores do segmento da cultura ao longo desse tempo trata dos cuidados que seriam necessários para voltar a receber o público. Mas, para além das medidas sanitárias, uma necessidade urgente, que ainda não é realidade em grande parte dos equipamentos culturais, diz respeito à questão da acessibilidade.

Tendo em vista a mudança nesse cenário, a produtora cultural Arkhé vai promover a segunda edição do curso gratuito Exposições Acessíveis para Pessoas com Deficiência em duas cidades: Garanhuns, no Agreste, e Arcoverde, no Sertão pernambucano. Em 2021, o curso, que tem o incentivo do Governo do Estado de Pernambuco, por meio dos recursos do Funcultura, está previsto para acontecer também em Goiana, na Região Metropolitana do Recife, e em Palmares, na Zona da Mata.

O objetivo principal do curso é que as pessoas que já trabalham na área de artes visuais pensem sobre acessibilidade desde a etapa de concepção dos projetos. Serão disponibilizadas 20 vagas em cada cidade, destinadas a profissionais de artes visuais, como curadores, gestores de instituições culturais, museólogos, produtores culturais, arte-educadores e técnicos das áreas de expografia, além de estudantes de áreas afins. As inscrições vão até 20 de novembro apenas pelo site: www.arkhecultural.com.br.

As aulas em Garanhuns serão no Sesc, entre os dias 30 de novembro e 4 de dezembro, em dois turnos, das 8h às 12h e das 13h às 17h. Em Arcoverde, o curso vai de 7 a 11 de dezembro, no Sesc, também das 8h às 12h e das 13h às 17h.

Três formadores serão responsáveis por conduzir o curso: Fernanda Araújo, psicóloga, Doutora em Educação pela UFPE, com pesquisas na área de Educação Inclusiva; Artur Mendonça, especialista em acessibilidade e inclusão de pessoas com deficiência; e Everson Melquíades, pedagogo, doutor em Educação e professor da UFPE.

Segundo o Censo do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) de 2010, 23,9% da população brasileira possui algum tipo de deficiência. Melhorar o acesso à cultura, aos museus e às suas coleções para as pessoas com deficiência constitui objetivo essencial do curso. Durante as 40 horas, serão abordados conteúdos que vão desde a legislação de referência na área, os processos de inclusão social nos museus e instituições culturais, os diversos tipos de acessibilidade, os dispositivos utilizados, como aplicativos, legendas, maquetes táteis, até a mediação sociocultural das pessoas com deficiência.

De acordo com o professor Artur Mendonça, um dos objetivos é desmistificar as supostas dificuldades, principalmente relacionadas aos custos financeiros, para possibilitar a acessibilidade dos produtos culturais. “A tecnologia facilitou bastante a vida das pessoas com deficiência, hoje temos muitos recursos disponíveis, mas é preciso que o produtor cultural esteja disposto a pensar nisso desde a concepção do projeto da exposição. O preço da exclusão é muito maior”, defende.

A primeira edição do curso Exposições Acessíveis para Pessoas com Deficiência foi realizada nas cidades do Recife, Caruaru, Nazaré da Mata e Triunfo. 64 profissionais que já atuam ou que deverão trabalhar em museus, principalmente arquitetos, museólogos, conservadores e restauradores, concluíram essa etapa do programa. Outras informações sobre o curso estão disponíveis no site www.arkhecultural.com.br.

Serviço

Curso Exposições Acessíveis para Pessoas com Deficiência

Inscrições: Até 20 de novembro pelo site: www.arkhecultural.com.br

Quanto: Gratuito

Carga-horária: 40 horas

Programação de aulas:

- Garanhuns – de 30 de novembro a 4 de dezembro, das 8h às 12h e das 13h às 17h, no Sesc de Garanhuns

- Arcoverde – de 7 a 11 de dezembro, das 8h às 12h e das 13h às 17h, no Sesc de Arcoverde

UniFavip está com inscrições abertas para o VestSimulado 2021

Estão abertas as inscrições para o VestSimulado 2021 do Centro Universitário UniFavip. Essa é a oportunidade de ingressar na instituição e, ao mesmo tempo se preparar para o ENEM, por meio da prova realizada no modelo TRI (Teoria de Resposta ao Item), também usada no Exame Nacional do Ensino Médio.

As provas serão realizadas nos dias 20 e 21 de novembro, das 9h às 14h. As inscrições seguem até o dia 19 de novembro e podem ser feitas pelo site https://inscricoes.unifavip.com.br/vestibular, de forma gratuita, para os cursos nas áreas de Arquitetura, Comunicação, Design, Direito, Engenharia, Gastronomia, Gestão de Negócios, Saúde e Tecnologia.

Os candidatos que realizarem o VestSimulado e se matricularem até 15 de dezembro terão a oportunidade de receber bolsas de até 100%. Todos terão direito a bolsas de pelo menos 10%, e os melhores colocados terão bolsas com porcentagem maior, conforme descrito a seguir.

Bolsas de estudos para os mais bem colocados

100% para o 1º colocado

70% para o 2º e 3º colocados

60% para o 4º e 5º colocados

50% para o 6º e 7º colocados

Prova no mesmo modelo do ENEM

A prova foi adaptada para o modelo TRI, o mesmo utilizado pelo ENEM. O candidato deverá realizar testes objetivos, baseados em competências, abrangendo os seguintes campos do saber: ciências da natureza, ciências humanas, linguagens (incluindo inglês ou espanhol) e matemática. A prova é dividida em 60 questões, sendo 15 por disciplina. A nota mínima para aprovação é 400 pontos e o resultado é publicado após a realização da prova. Portanto, essa também pode ser uma boa oportunidade para quem deseja testar seus conhecimentos para realização do ENEM.

Outras formas de ingresso

Processo seletivo ENEM: seleção feita pelo aproveitamento de notas do Exame Nacional do Ensino Médio (ENEM). Serão aceitas notas de exames realizados entre 2009 a 2019.

Transferência externa: o candidato poderá continuar o curso no UniFavip e aproveitar os créditos já cursados em outra instituição de ensino superior, desde que a matrícula esteja ativa ou trancada, constando o reconhecimento ou autorização de funcionamento do curso pelo MEC.

2ª Graduação: processo seletivo especial para candidatos que já possuem diploma do nível superior com reconhecimento ou autorização de funcionamento do curso pelo MEC.

Para mais informações, acesse o site: https://cursos.wyden.com.br/#formas-ingresso.

Serviço – VestiSimulado 2021

Inscrições: https://www.wyden.com.br/unifavip

Taxa de inscrição: Gratuita

Cursos: Administração, Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Arquitetura e Urbanismo, Biomedicina, Ciência da Computação, Ciências Contábeis, Design de Moda, Design de Interiores, Design Gráfico, Direito, Educação Física, Enfermagem, Engenharia Civil, Engenharia Mecânica, Engenharia Elétrica, Engenharia de Produção, Estética e Cosmética, Farmácia, Fisioterapia, Gastronomia, Recursos Humanos, Jornalismo, Marketing, Medicina Veterinária, Nutrição, Odontologia, Publicidade e Propaganda, Psicologia.

Os filhos de Dona Justina

Dizem que Deus escreve certo por linhas tortas, não sei precisamente se o adágio é completo, e se é aplicável ao fato que irei narrar aos leitores de Garanhuns. Que cada um deles tire as inerentes conclusões, ajuizando sobre o mérito e a possível oportunidade do artigo.

Quando, em janeiro de 1986, retornei a Garanhuns, contratado profissionalmente para operar o marketing político, da campanha de reeleição do deputado Ivo Amaral, quis o destino que o meu primeiro encontro, reunião não programada, se desse com Zito, como é popularmente conhecido o candidato do PMDB à sucessão de Zé Inácio.

Jaime Pinheiro (foto), então alto funcionário empresarial da Cilpe/Gisa, fora incumbido pelo meu contratante para levar-me a jantar, numa pizzaria da cidade, ocasião que aproveitamos para discutir uma pauta de trabalho, baseada numa enxurrada de sinopses, que eu havia enviado ao deputado para necessária avaliação e rumos a serem decididos.

Foi naquela ocasião que adentrou à casa de pasto, para uma refeição noturna, o ex-presidente da Câmara Municipal, Zito, um dos notáveis filhos de dona Justina, amiga da minha falecida mãe que, em época remota, abastecia-se de carne verde na banca de seu Manoel dos Santos, que em vida cultivou sadia amizade com Fausto Souto Maior, meu pai.

O meu anfitrião Jaime, de imediato, chamou-me a atenção para a entrada do vereador, e eu solicitei uma apresentação sem formalidades políticas, uma vez que Zito houvera sido contemporâneo do meu irmão Roberto, a exemplo do companheirismo que desfrutei com Epaminondas, Irineu, e Anacleto, seus irmãos de sangue e amigos de fé.

A apresentação foi feita e teve curso uma civilizada conversação democrática, entre o atual postulante do PMDB e o antigo do PDS-1, na qual eu fiquei assistindo prazerosamente o alto grau de politização de Zito e Jaime e, de vez em quando, arriscava um palpite sobre entreveros futuros. Nós três ficamos de acordo, num único e primordial ponto de vista: Garanhuns deveria ocupar em Pernambuco a importância econômica e política, a que tem direito pelas suas potencialidades humanas.

No adiantado da hora quis Jaime recolher-se à sua residência no bairro de Heliópolis, pois bem cedo deveria acordar no dia seguinte, para os compromissos de trabalho na administração empresarial da Cilpe/Gisa. Mas que eu, dissera-me o líder amaralista, ficasse e remoer reminiscências com Zito sobre a infância e mocidade, que os filhos de dona Justina e dona Irenita partilharam em remota época. Nos bons tempos de Garanhuns de antigamente.

Não pensei duas vezes para acatar a sugestão e com assentimento bem-educado, do atual candidato do PMDB, ficamos os dois a falar não somente do passado mas, especificamente, do presente e dos reflexos e perspectivas do futuro de Garanhuns, com vistas à importância que o município deveria assumir em Pernambuco.

Falamos sobre pessoas, sobre os elos que as ligam a entidades públicas e privadas o progresso de algumas e a decadência de outras, tudo isso, civilizadamente, sem a emocionalidade que acirra as paixões políticas de momento.

Perguntei-lhe sobre Humberto de Moraes, e demonstrei o interesse que eu tinha, naquela ocasião, de rever e manter um diálogo de alto nível com o companheiro de jornalismo e literatura, nos primórdios das nuances que empreendemos juntos, engatinhando os primeiros passos na Rádio Difusora e na Academia de Estudos do Saber, que precedeu e foi inequívoco pilar da implantação do Grêmio Cultural Ruber van der Linden.

Decorridos mais de dois anos daquela noite de janeiro de 1986, em que desfilei com Zito passagens de Garanhuns de antigamente, li recentemente numa das edições do jornal O Monitor, um perfil traçado sobre o candidato do PMDB, pela professora Maria Tenório Santos Paz. Achei sensatas e justas as colocações humanas e políticas que fez, e sobre as quais o eleitorado haverá de meditar com precisão.

É conhecida sobejamente a minha transparência profissional e política, em todos os atos que pratiquei e pratico na vida pública e privada, que palmilho com a dignidade dos homens de bem da minha terra. 

Rinaldo Souto Maior / Jornalista e historiador / São Paulo, 5 de Novembro de 1988

Primeiro turno teve recorde de abstenção em eleições municipais desde 1996

A pandemia da covid-19 explica em parte a taxa recorde de abstenção no primeiro turno das eleições municipais realizadas no domingo (15). Dados preliminares do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) apontam que 34,2 milhões dos mais de 147 milhões de brasileiros aptos a votar não compareceram às urnas, o que corresponde a 23,14%.

O índice de abstenção no pleito municipal é o maior desde 1996, ano em que as urnas eletrônicas começaram a ser utilizadas. O movimento já era esperado devido à pandemia e a consequente preocupação de eleitores em evitar aglomerações. Mas cientistas políticos avaliam que o crescimento da abstenção é uma tendência desde antes da pandemia. Nas duas eleições municipais anteriores, a abstenção no primeiro turno foi de 17,58% em 2016 e de 16,41% em 2012.

O professor da Universidade de Brasília (UnB) e cientista político Ricardo Caldas aponta uma série de fatores para a queda na participação dos eleitores e avalia que a tendência parece ser irreversível.

— Para muitas pessoas não é importante votar. Há uma sensação por parte dessas pessoas que o voto delas não afetam o resultado geral, embora obviamente afete. A penalidade para o não comparecimento também é muito baixa. A pandemia acentuou essa tendência. Penso que ela é irreversível — apontou.

Segundo Gilberto Guerzoni, consultor legislativo do Senado, muitas vezes os eleitores não conseguem identificar políticos que correspondam às suas próprias ideias:

— Acho que isso [a abstenção] pode ter sido provocado por uma resistência à política. A ideia de que o nosso sistema representativo não consegue representar a população.

No Rio de Janeiro e em Porto Alegre, um terço dos eleitores não votou; Em São Paulo, o índice de abstenção foi de 29%. E em mais da metade das capitais foi superior a 25%.

Na eleição mais recente, a presidencial de 2018, a abstenção no primeiro turno ficou em 20,33%. O presidente do TSE, ministro Luís Roberto Barroso, chegou a afirmar que a abstenção poderia chegar a 30% em 2020. Ele comemorou a participação dos brasileiros nas eleições deste ano.

— Os níveis de abstenções foram inferiores a 25%, portanto, em plena pandemia, nós tivemos um índice de abstenção pouca coisa superior a das eleições passadas — disse em entrevista coletiva no domingo.

Fonte: Agência Senado

Aníbal, o Guerreiro, ressuscita, vence um gigante e é aclamado vereador em Panelas (nome oficial de Labiata)

Por José Alexandre Saraiva*

O guru Kondras Kanillis sempre na frente dos acontecimentos. Informa agora ao seu confidente Caco: “Anibal, o guerreiro cartaginês que iniciou a queda do Império Romano, vem de ser aclamado vereador em Panelas, encarnado na pessoa do jovem advogado Pierre Logan.

Nascido no sítio Jundiá, Pierre largou promissora carreira de advogado em São Paulo para combater o mandonismo político no torrão natal, marcado pelo voto de cabresto e pelo assistencialismo escravocrata. No lugar de elefantes de guerra, lanças, dardos, arcos, capacetes e escudos de aço, bastou-lhe usar o verbo da verdade no seio da juventude e uns pares de botas e sapatos para percorrer recônditos de campesinos humildes, que agora estão libertos dos cabrestos.

As solas do último par de sapatos de Aníbal (Pierre) viraram cópias fiéis de queijo suíço, tantos foram os caminhos pedregosos e espinhosos, percorridos matas e brejos afora. De lambuja, Aníbal (Pierre), futuro presidente da Câmara de Vereadores, foi decisivo no êxito do candidato da oposição a prefeito, o também jovem e advogado Ruben Lima. Quanto à eleição de Ruben, isso eu já tinha cravado na carta do último 11. Encerra-se, assim, um sistema arcaico e opressor que se estendeu por mais de duas décadas em Panelas, a terra de Oliveira, Brito Lucena, Walter Silva, Demóstenes Miranda, Gregório Bezerra e dos valentes cabanos. Acrescento que a juventude teve papel crucial nessa vitória história. 

Só uma preocupação, Caco: o Osnírio está enfiado na jurubeba com o Beija, comemorando a libertação da cidade. E ele quando começa, geralmente só termina em orla marítima de difícil acesso. A mais próxima daqui fica a 100 quilômetros, em São José da Coroa Grande, Litoral Sul de Pernambuco, foz do Rio Panelas. Por sorte, a Nasa já consertou a luneta sonora e acoplou nela o infravermelho que usa nas investigações cósmicas. Neste momento, ele e o Beija estão num buteco em Caruau, na base de sarapatel, rolinha assada, tanajura e Pitú. Posso ver daqui da Serra da Bica que eles pediram uma salada mista de frutas locais, sem laranja, para ser servida no final.”

Tudo dito,

Te digo mais depois.

Xêro do KK.

José Alexandre Saraiva é advogado, escritor e músico