sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021

Família de Monsenhor Adelmar da Mota Valença

Família Valença
Irmã Mirtes Corrêa*

Abílio Camilo Cordeiro Valença e Emília Benvinda da Mota Valença fortes alicerces em que  foi construída a família Valença.

Família, honesta batalhadora, temente a Deus, que soube enfrentar todos os desafios para educar uma numerosa prole.

Lar abençoado onde a nobreza de sentimentos dos pais, cientes de sua missão, se perpetuou através de seus  descendentes que continuam testemunhando o amor, a integridade, a fé, a cultura, enriquecendo assim o patrimônio cultural de Garanhuns.

Família generosa e amiga que sempre contribuiu para o engrandecimento do nosso Colégio, quer como professoras, quer como colaboradoras nos eventos e desfiles, inclusive idealizando e confeccionando a bandeira do Colégio.

Foi desta grande estirpe que surgiu o nosso inesquecível Mons. Adelmar da Mota Valença, sacerdote íntegro, vigoroso e destemido, gloriosamente respeitado por todos. Homem de fé, humilde, justo, acolhedor, grande servidor dos irmãos.

Da inteligência privilegiada e grande cultura, seu valor era reconhecido por todos e sua humildade superava os elogios.. Sempre que era homenageado dizia: "o melhor é merecê-los sem os ter que possuí-los sem os merecer".

Assim era Mons. Adelmar, o oitavo filho desta família abençoada.

A todos os que fazem a família Valença, a cada um em particular, queremos expressar nossa grande admiração, espeito, todo o nosso carinho, toda a nossa amizade e gratidão.

O dia 22 de maio de 1913 não foi um dia comum na vida e história de Garanhuns. Embora não tenha acontecido algo extraordinário, capaz de chamar a atenção do público e virar notícia nos jornais. Não.

Simplesmente chegava a esta cidade uma família que mais tarde iria marcar presença e contribuir decisivamente para o progresso do município, impulsionando as artes, letras e programas educacionais.

Fonte: Monsenhor Adelmar da Mota Valença - vida e obra - Centenário de Nascimento 1908 - 2008 / Irmãs Cândida Araújo Corrêa e Maria Mirtes de Araújo Corrêa. Acervo: Memorial Ulisses Viana de Barros Neto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário