sábado, 27 de fevereiro de 2021

Um Jardim e a Cidade das Flores

Uma das demonstrações mais claras da vitória da arte sobre a  política, da estética sobre as intrigas de circunstância, por trágicas que sejam, é a história do artista e escritor Luís Inácio de Miranda Jardim (foto). Vítima silenciosa de uma hecatombe que abateu Garanhuns, em 1917, ele se mudaria um ano depois para o Recife, com dezesseis anos incompletos. De vida modesta de caixeiro até escritor e artista de renome foram só alguns passos. A sua vida é daquelas que se diziam que daria uma novela, um romance. Ou um filme - ele com certo perfil de galã de  cinema. Romance e novela, ele escreveu-os, como se fossem memória viva do menino que nunca deixou Garanhuns.

Se a vida é feita de aparentes coincidências do que de falsos acasos, a arte quis que tivesse o sobrenome de Jardim o principal autor de uma cidade que é conhecida como cidade das flores. É fato ainda a se  examinar que alguns dos maiores nomes da literatura pernambucana, ao  se radicarem em outras cidades tenham voltado sempre as suas atenções para os meninos que foram. Essa obsessão da meninice tocou Gilberto Freyre e Manuel Bandeira numa proporção não menos que a Luís Jardim. Com a diferença de que se fez notável como autor de alunos dos  melhores livros do chamado gênero infanto-juvenil.

Se a infância lembra histórias da carochinha, de trancoso e de  tanto era uma vez, lembra mais desenho, traço, os primeiros riscos que a vida insinua. Luís Jardim foi desenhista nato. Começou a reproduzir o que via quase ao mesmo tempo em que se viciou a conversar com as plantas, a perceber em tudo esse mistério intenso de que só sabem de  verdade as crianças. Se o melhor da vida é a infância, a de Luís Jardim ficou em Garanhuns, e ele a levou consigo pra onde foi ( a infância e a  cidade, que talvez sejam a mesma coisa). Num livro de memórias que  despertou o entusiasmo de Gilberto Freyre, Meu Pequeno Mundo, ele faz esta exaltação da infância em todas as páginas, não conta o que foi quando adulto, e só de leve refere-se à tragédia que alteraria o rumo da  sua vida, mas sobretudo no último trecho:

"O que há de bom em nós é herança da criança que fomos. Dificilmente a criança não é boa. É para crianças e adolescentes, em  particular, que escrevi estas lembranças esparsas de mim mesmo. Estou quase convencido de que certas situações em que me encontrei, têm semelhança com alguma porventura enfrentada por essa ou aquela criança. Outras, admito, talvez que riam de si mesmas, vendo-se pelo menos em parte retratadas em algumas das minhas doidices, necessárias e compreensíveis em crianças.

É pena. Eu mesmo sinto. Escrever o que escrevo, adiante, parece absurdo, ilógico disparate do menino atrapalhado que um dia eu fui. É pena. Aquele menino finou. À meia-noite do dia 14 de janeiro de 1917 (era domingo), aquele menino finou, com a idade de quinze anos, um mês e seis dias. A partir do dia seguinte ao daquela data, outro, um tanto postiço, contrafeito, o substituiu. Deste eu não sei, não quero, não posso contar a história, nem mesmo lembranças esparsas. Acabaram-se. Houve dois fins."

Fonte: Vida, Arte, Palavra e Perfis de Luís Jardim / Mário Hélio e Paulo Bruscky / Recife 1998.

Audiência pública da Secretaria de Saúde foi realizada na Câmara Municipal de Garanhuns

A Secretaria de Saúde de Garanhuns apresentou, nesta sexta-feira (26), o relatório de gestão referente ao terceiro quadrimestre de 2020, que compreende os meses de setembro a dezembro do ano passado. A prestação de contas obrigatória atende às determinações do artigo 36º da Lei Complementar 141, de 13 de janeiro de 2012, e seguiu as normas preventivas de contágio pela Covid-19 vigentes.

A audiência foi conduzida pela secretária municipal de Saúde, Catarina Tenório, e pelo secretário-adjunto da pasta, Paulo Mendonça. Estiveram presentes na apresentação o presidente da Câmara, Johny Albino, além de demais vereadores, conselheiros municipais, servidores da Secretaria de Saúde e população em geral 

Na ocasião, foram apresentados dados de atuação ao longo dos últimos quatro meses de 2020, com foco em áreas como enfrentamento à pandemia da Covid-19; Atenção Básica, Saúde Bucal, Saúde Mental, Centro de Especialidades de Saúde da Mulher e da Criança (Cesmuc), entre outros. Após a apresentação, a equipe da Secretaria esclareceu dúvidas dos participantes acerca dos dados expostos. 

“Estamos aqui para que seja realizada esta prestação de contas, conforme previsto em lei. Mas sobretudo, nosso desejo é ouvir as demandas da população e as críticas construtivas, para que de forma conjunta possamos estruturar e melhorar a saúde em Garanhuns”, pontuou a secretária Catarina Tenório.

Texto e fotos: Aquilles Soares

Morre aos 103 anos, Josefa Teixeira de Lyra

Faleceu em Garanhuns na última terça-feira (23), aos 103 anos de idade, vítima de covid-19, Josefa Teixeira de Lyra. D. Josefa nasceu no povoado de  Poço Comprido município de Correntes - PE, casada com o Sr. Ismael Tavares de Lyra que por muitos anos foi funcionário da Compesa chegando a ser gerente da empresa em nossa cidade. Ismael era irmão do ex-prefeito Mário Lyra. 

D. Josefa deixou 8 filhos, todos nascidos em Garanhuns, entre eles o economista Flávio Tavares de Lyra que foi secretário da fazenda no segundo governo do Dr. Miguel Arraes e o coronel da Policia Militar da reserva e advogado Adelmar Tavares Lyra. Entre suas filhas,  Eva Lyra que foi servidora destacada do INSS em nossa cidade  aposentada. Dona Josefa era descendente de  tradicional família de Poço Comprido, era prima da ex-primeira-dama de Garanhuns Edjenalva Santana do Amaral, esposa do ex-prefeito Ivo Amaral, ambos vivos e gozando de saúde ao lado de sua numerosa família, com 8 filhos,13 netos, 2 bisnetos além de inúmeros amigos.

José Wamberto: "O Internato e Revoluções do meu tempo de Colégio Diocesano"

O ex-aluno José Wamberto (foto), escritor, membro das Academias Pernambucana e Brasiliense de Letras, autor de várias obras, comenta fatos marcantes da História de Pernambuco e do Brasil, vivenciados à época em que  era interno no Diocesano.

Às páginas 74 a 76 do seu livro "O Impeachment no Estado e no Brasil", Wamberto registra episódios que marcaram sua infância e juventude, no velho Ginásio:

GARANHUNS, OUTUBRO DE 1930

"Após quatro anos de estudos, sob a direção geral do Monsenhor José de Anchieta Callou, educador a quem rendo, sempre quando tenho oportunidade, as minhas melhores homenagens, deixava eu, em 1933, o Ginásio de Garanhuns com o meu diploma da bacharel em Letras, integrando a segunda turma concluinte da história do educandário e que constava mais dos estudantes: João Guilherme de Pontes, agrônomo, falecido há anos em Maceió, Abdon de Barros Monte, desembargador em Aracaju, já falecido; Teobaldo Barros, alagoano; Israel Lira, agrônomo, também alagoano; Amaury Andrade, igualmente alagoano, cirurgião-dentista e fazendeiro, dividindo o seu tempo entre Maceió e São José da Lage; Adalberto Branco, garanhuense, e que faleceu logo depois; Ivo Leitão, promotor aposentado em Pernambuco; Pedro Callou, promotor público já falecido; Orlando Alexandre, calçadoense ilustre, Agrônomo federal; Marcos Vilela Neto, bomconselhense, que depois emigraria para o Rio; Pandiá Buarque de Amorim, bom no Inglês e melhor na Matemática, hoje residindo no Rio; Aloísio Souto Pinto, político, deputado, prefeito de Garanhuns e falecido ainda jovem; João Vasconcelos, garanhuense de quem não mais se soube o destino após ter participado das forças do Governo na Revolução de 1932; Rodrigo Pinto Tenório, filho ilustre de Brejão, um dos mais competentes técnico brasileiro em cafeicultura e alto funcionário da Secretaria de Agricultura de Pernambuco; e Alberto Campos Falcão, advogado no Recife e orador da turma. Dela faziam parte, como homenageado, Antônio Tenório de Almeida, mestre de Matemática e hoje fiscal de tributos federais; como paraninfo, o Dr. Tavares Correia, professor de  Física e diretor do Sanatório do mesmo nome e  então uma casa de saúde dedicada à clínica e à cirurgia; e como representante do corpo docente, o Dr. Eurico Lira, nosso professor de Química.

A formatura encerrava um ciclo de quatro anos de grande acontecimentos, inclusive de três revoluções, 1930, 1931 e 1932. A primeira, acompanhei passo-a-passo, pelos jornais. Depredando a minha mesada de pobre, comprava o Diário da Manhã, cujos editoriais inflamados, vibrantes e românticos de José de Sá, eu propriamente não lia, na verdade declamava para uma pequena turma de colegas mais interessados. Quando o Diário esgotava, o que acontecia com frequência, recorria ao Jornal do Recife, da mesma linha política. E cheguei a descobrir A União, da Paraíba, o órgão do Presidente João Pessoa, e que, vez por outra, chegava à cidade e era vendida a altos preços.

Na cidade, a publicação encarregada de defender o Partido Republicano de Pernambuco, portanto a candidatura de Júlio Prestes à Presidência da República, era O Jornal, a princípio, um semanário e depois um bissemanário, muito bem feito editorial e  gratificante, e dirigido pelo professor de Inglês, Hibernon Wanderley. Com oficina na Rua Santos Dumont, vizinho à usina elétrica, editava também um mensário excelentemente apresentado e com uma colaboração da melhor qualidade literária, a Revista de Garanhuns. Havia ainda dois semanários, um dos quais apolítico, o órgão da Diocese, O Monitor, já sucessor de O Sertão e de O Condor.

Chefiava Garanhuns o deputado Souto Filho, a quem os alunos foram um dia apresentados no salão nobre do Ginásio pelo Monsenhor Callou. De estatura baixa, foi fácil perceber-se a sua ágil inteligência, a grande velocidade no raciocínio e um gosto pela ironia e mordacidade. O seu cunhado Euclides Dourado era o prefeito. Bom administrador a quem o Município ficou devendo grandes obras, inclusive, salvo engano, o parque de eucaliptos que hoje tem o seu nome e que é um dos maiores atrativos da cidade.

O ano de 1930 foi todo perturbado pela agitação política. Mário Lira, o líder aliancista, não perdia oportunidade, para agitar inclusive a da morte de João Pessoa, quando houve celebração de missa com a presença numerosa de populares. Mas a nada disso comparecíamos graças à disciplina severa do Internato. Até que, no dia 3 de outubro, um sábado, cerca de oito horas da noite, entrou pela sala de estudos o Padre Agobar Valença, vice-diretor (faleceria pouco depois) e ordenou que nos retirássemos para o dormitório. E recomendava com insistência: "se ouvirem algum movimento estranho, algum tiro, metam-se debaixo da cama: nada de ir olhar na janela".

À tarde  desse dia, alguns boatos tinham circulado e chegavam ao nosso pátio de recreio, embora a cidade aparentemente estivesse calma. A escadaria  que dava acesso ao dormitório termina exatamente à porta da capela, que  ficava à esquerda. Vimos que, contritas, rezando, estavam várias senhoras que  identificamos como pessoas de família ligadas à situação política e que foram acolhidas pelo Bispo Dom Manuel de Paiva. Foi quando nos convencemos de  que algo de grave realmente acontecia. Embora naturalmente excitados, todos trataram de seguir os prudentes conselhos do Padre Agobar. Exceto um aluno, Nozinho Novais, talvez o mais insofrido dos partidários da Revolução. Filho de Arcoverde, era uma das figuras mais queridas do ginásio, pelo espírito sempre alegre, bem-humorado. Aluno do Tiro-de-Guerra, resolveu expandir os seus ardores cívicos: conservando a calça do pijama, vestiu a blusa do fardamento, pôs o quepe, sentou-se na cama e, debruçando na janela, enfrentou toda a madrugada fria, aguardando a chegada da tropa para o que desse e viesse...

No dia seguinte, porém, só havia boatos, nenhuma tropa à vista. Diante da calmaria, tivemos a nossa saída semanal para o cinema. Quando descia a Rua Treze de Maio, que liga a Quinze de Novembro à Praça João Pessoa, vi na  agência postal-telegráfica, que ficava à esquerda, o deputado Souto Filho junto a um telegrafista que manipulava um aparelho Morse, à procura de notícias. E foi a última vez que avistei o representante federal.

A essa altura, a cidade já estava dominada pelos revolucionários da terra, entre os quais a memória lembra o "Capitão" Mário Lira, o líder, o "Tenente" Sátiro Ivo, o "Tenente" Josafá, alfaiate, o "Tenente" Mário Matos, dentista, o "Tenente-Médico" Eurico Lira, que não perderam tempo e partiram para "libertar" Maceió" dos "carcomidos". Todos eles seriam posteriormente comissionados nesses mesmos postos com a chegada da coluna do Tenente Juracy Magalhães. A meninada não saia das ruas e o calendário do ginásio desorganizou-se totalmente. As tropas que avançavam para o Sul ficaram alguns dias em descanso e acamparam em grande armazém junto à estação ferroviária. A cidade, por sua vez, era uma festa descontraída, de alegria transbordante, de declamações de versos patrióticos e de cantoria de hinos cívicos, dos quais se destacava o "Hino a João Pessoa", versos de Oswaldo Santiago.

Depois veio a queda de Washington Luís, a 24 de outubro. Ninguém conteve mais os arrebatamentos e o delírio revolucionário. Formou-se uma concentração no bar-restaurante "Ítalo-brasileiro", na Praça João Pessoa, e de  cujo balcão Reinaldo Lins, jornalista-panfletário, diretor do semanário recifense A Esquerda, gritava de voz rouca os slogans da época, repetindo a cada passo: "Washington Luís caiu". Daí partiu a multidão, seguindo pela Rua do Recife, passando pela sede do Esporte e regressando até a Praça Dom Moura, em frente à estação ferroviária, com a frequente interrupção por oradores inflamados, inclusive um senhor negro que teimava em  falar em todas as paradas.

Mas a emoção maior ocorreu com a chegada de Juarez Távora. A legenda, aquele moço esguio, de fisionomia severa, fardado, de lenço vermelho ao pescoço, e no qual todos viam o seu tipo ideal de herói, de poucas palavras e de muita ação, veio acompanhado de uma comitiva dos novos grandes, inclusive o interventor federal Carlos de Lima. Fui vê-lo a aplaudi-lo com outras milhares de pessoas que se amontoavam à Rua de Santo Antônio, em frente à residência de Mário Lira. A multidão reclamou impaciente, depois de longa espera, a palavra do seu herói, mas este, relutante, mantinha-se longe das nossas vistas. Mas, afinal, veio e falou exatamente estas palavras que ouvimos com extrema atenção sagrada e que ninguém mais esqueceu" "o que tenho a dizer ao povo de Garanhuns é que a Revolução não terminou; ela vai continuar". Apenas isto, nada mais do que isto.

De fato, ele esclarecia que a Revolução armada, o movimento propriamente de tropas, terminara com a deposição de Washington Luís, mas que outra Revolução, a mais séria, a mais profunda, a modificação dos costumes políticos iria continuar. O que, sabemos hoje, ocorreu apenas em parte, como seria ele o primeiro a constatar, decepcionado, ao abandonar um posto de ministro. 

Fonte: O Diocesano de Garanhuns e Monsenhor Adelmar (de corpo e alma) / Manoel Neto Teixeira / 1994.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2021

Família de Monsenhor Adelmar da Mota Valença

Família Valença
Irmã Mirtes Corrêa*

Abílio Camilo Cordeiro Valença e Emília Benvinda da Mota Valença fortes alicerces em que  foi construída a família Valença.

Família, honesta batalhadora, temente a Deus, que soube enfrentar todos os desafios para educar uma numerosa prole.

Lar abençoado onde a nobreza de sentimentos dos pais, cientes de sua missão, se perpetuou através de seus  descendentes que continuam testemunhando o amor, a integridade, a fé, a cultura, enriquecendo assim o patrimônio cultural de Garanhuns.

Família generosa e amiga que sempre contribuiu para o engrandecimento do nosso Colégio, quer como professoras, quer como colaboradoras nos eventos e desfiles, inclusive idealizando e confeccionando a bandeira do Colégio.

Foi desta grande estirpe que surgiu o nosso inesquecível Mons. Adelmar da Mota Valença, sacerdote íntegro, vigoroso e destemido, gloriosamente respeitado por todos. Homem de fé, humilde, justo, acolhedor, grande servidor dos irmãos.

Da inteligência privilegiada e grande cultura, seu valor era reconhecido por todos e sua humildade superava os elogios.. Sempre que era homenageado dizia: "o melhor é merecê-los sem os ter que possuí-los sem os merecer".

Assim era Mons. Adelmar, o oitavo filho desta família abençoada.

A todos os que fazem a família Valença, a cada um em particular, queremos expressar nossa grande admiração, espeito, todo o nosso carinho, toda a nossa amizade e gratidão.

O dia 22 de maio de 1913 não foi um dia comum na vida e história de Garanhuns. Embora não tenha acontecido algo extraordinário, capaz de chamar a atenção do público e virar notícia nos jornais. Não.

Simplesmente chegava a esta cidade uma família que mais tarde iria marcar presença e contribuir decisivamente para o progresso do município, impulsionando as artes, letras e programas educacionais.

Fonte: Monsenhor Adelmar da Mota Valença - vida e obra - Centenário de Nascimento 1908 - 2008 / Irmãs Cândida Araújo Corrêa e Maria Mirtes de Araújo Corrêa. Acervo: Memorial Ulisses Viana de Barros Neto.

Johny Albino solicita uma Academia de Ginástica e uma Área de recreação para crianças na Vila do Quartel


O Vereador Johny Albino apresentou requerimento na terceira reunião ordinária, solicitando ao Prefeito Sivaldo Albino a construção de uma área de convivência na Vila do Quartel. O local indicado por Johny, fica entre as ruas São João e Brejão.

Na solicitação, o vereador pede que a área seja contemplada com Academia de Ginástica e uma área para crianças, além de uma melhor estrutura para atender aos visitantes da gastronomia daquela comunidade.

A solicitação de Johny Albino foi encaminhada para o Prefeito Sivaldo Albino, para que esse projeto seja feito junto com a reforma da Praça Aguinaldo de Barros e Silva, também na vila do Quartel.

Boletim Covid-19 – 25/02/2021 | Prefeitura de Garanhuns


A Secretaria Municipal de Saúde, por meio da Vigilância Epidemiológica, informa que o aumento de 96 casos em relação ao boletim de ontem (24), se deve a soma dos 30 casos novos e 66 casos que se encontravam em investigação pela Vigilância Epidemiológica, junto às unidades notificantes, e que foram inseridos no sistema de informação. Os resultados destes exames são referentes aos meses de novembro, dezembro e janeiro. Mais 12 pessoas estão recuperadas, após cumprir o período de isolamento, e não apresentar mais sintomas da doença.

Até hoje, 3075 pessoas foram vacinadas com a primeira dose e 1504 pessoas foram vacinadas com a segunda dose contra a Covid-19. Além dos grupos que aguardam a segunda dose, a vacinação segue para trabalhadores da saúde com 60 anos ou mais, profissionais que trabalham no modelo de assistência ‘home care’, e demais trabalhadores atuantes em laboratórios de análises clínicas.

Ao todo, já foram confirmados 6779 casos da Covid-19 em Garanhuns. Deste total, 122 pessoas vieram a óbito, 6423 estão recuperadas após cumprir o período de isolamento domiciliar e não apresentar mais sintomas; e 126 pessoas que foram confirmadas com a Covid-19 estão em monitoramento. Já foram realizados 11343 testes pela rede municipal.

Atualmente, o município dispõe de 50 leitos clínicos, sendo 32 destes na Unidade de Tratamento Covid-19 e outros 18 na Unidade Covid-19 Palmira Sales. A taxa de ocupação dos leitos municipais encontra-se em 14%.

Arte: Lucas Monteiro - Secom/PMG.

"Só os covardes fogem do combate."

 Homero (século IV a.C.) - Poeta grego.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021

Parque Euclides Dourado - Garanhuns, PE

Homenagem ao Mestre Dominguinhos - Obra do artista plástico João Oliveira.
Foto: Anchieta Gueiros (Fevereiro/2021).


Centenário do compositor Zé Dantas, parceiro de Luiz Gonzaga, tem programação especial em Pernambuco

Zé Dantas foi um dos maiores parceiros de Luiz Gonzaga

Há cem anos nascia um dos maiores parceiros de Luiz Gonzaga, o compositor Zé Dantas, que, ao lado de Humberto Teixeira, compôs boa parte do universo da música gonzaguiana – canções como Xote das meninas e Imbalança. Para celebrar o centenário deste importante artista da música brasileira, a Secretaria de Cultura de Pernambuco (Secult-PE), a Secretaria de Cultura do Recife, a Fundação de Cultura Cidade do Recife, o Memorial Luiz Gonzaga, o Museu Cais do Sertão, a TV Pernambuco e a Rádio Frei Caneca se uniram para realizar ações em torno da obra do compositor ao longo de 2021.

Para começar, essas instituições estão lançando uma programação inicial, de 26 de fevereiro a 6 de março, na qual se destaca produções audiovisuais e fonográficas sobre o “Dotô do Baião”. A programação será realizada durante os 10 dias com transmissões na TV Pernambuco, Rádio Frei Caneca, e nos canais no Youtube do Museu Cais do Sertão (www.youtube.com/caisdosertao) e Secult-PE (www.youtube.com/secultpe).

O centenário também será festejado no Instagram do Memorial Luz Gonzaga (@memorialluizgonzaga), com a divulgação, durante todo o mês de março, de conteúdos sobre a vida e obra do compositor, poeta e folclorista, que ajudou a apresentar o Nordeste ao Brasil, celebrando raízes profundas da cultura sertaneja.

“Quando tivemos essa ideia de homenagear Zé Dantas, pensamos em possíveis parceiros como o Museu Cais do Sertão, que, como o próprio nome já anuncia, tem seu acervo voltado para o universo de Zé Dantas. A Fundação de Cultura Cidade do Recife seria uma parceria natural, tendo em vista possuir o Memorial Luiz Gonzaga. No caso da TV Pernambuco e da Rádio Frei Caneca, a parceria se consolidou na proposta de divulgação de produções audiovisuais e fonográficas que envolvem a obra de Zé Dantas”, explica Roberto Azoubel, coordenador de Literatura da Secult-PE e um dos responsáveis pela programação.

PROGRAMAÇÃO DO CENTENÁRIO ZÉ DANTAS

(De 26 de fevereiro a 6 de março)

Sexta-feira (26/02)

15h – Quadro Poética – Salada Pop / Especial ZéDantas

(O poética é um quadro veiculado diariamente no programa Salada Pop, apresentando um(a) poeta e alguma de suas obras declamadas na Rádio Frei Caneca).

Rádio Frei (101.5 FM, www.freicanecafm.org ou pelo app)

Sábado (27/02)

10h – Lançamento dos webnários ‘Um Dedo de Prosa – 100 anos de ZéDantas’ e “Um Dedo de Prosa – A Poética de ZéDantas”

YouTube da Secult-PE (www.youtube.com/secultpe)

11h – Mesa de Bar,  programa de rádio conduzido pelo comunicador Wagner Gomes e organizado pela Fundação de Cultura da Cidade do Recife/Memorial Luiz Gonzaga, com pesquisadores/especialistas da obra de ZeDantas.

Rádio Jornal (90.3 FM, www.radiojornal.ne10.uol.com.br/ao-vivo/recife ou pelo app)

18h – Transmissão de ‘Um Dedo de Prosa – 100 Anos de ZéDantas’

Rádio Frei (101.5 FM, www.freicanecafm.org ou pelo app) e Youtube do Cais do Sertão (www.youtube.com/caisdosertao)

18h – Exibições do curta-metragem “PSIU!” e do show Duetos da Marina Elali

TV Pernambuco (RMR: 46.1; Caruaru: 12.1; Petrolina: 13.1)

19h – Programação musical ZéDantas

Rádio Frei Caneca (101.5 FM, www.freicanecafm.org ou pelo app)

Domingo (28/02)

Lançamento da playlist ‘ZéDantas’ no Spotify do Cais do Sertão

15h – Exibição de ‘Um Dedo de Prosa – 100 Anos de ZéDantas’

TV Pernambuco (RMR: 46.1; Caruaru: 12.1; Petrolina: 13.1)

Quarta-feira (3/03)

18h – Exibição de ‘Um Dedo de Prosa – 100 anos de ZéDantas’

Youtube do Cais do Sertão (www.youtube.com/caisdosertao)

Sábado (6/03)

18h – Transmissão de ‘Um Dedo de Prosa – A Poética de ZéDantas’

Rádio Frei Caneca (101.5 FM, www.freicanecafm.org ou pelo app)

19h – Programação musical ZéDantas

Rádio Frei Caneca (101.5 FM, www.freicanecafm.org ou pelo app)

ATIVIDADES EXTRAS

*A partir do dia 27/02 e ao longo do ano: Exibições das Pílulas do Zé, na TV Pernambuco, Rádio Frei Caneca e redes sociais da Secult-PE, Museu Cais do Sertão. Publicações também nas redes do Memorial Luiz Gonzaga, sobre a vida e obra do compositor

Fonte: Secult-PE

Conselho Estadual de Política Cultural abre processo eleitoral para novos membros

O Governo de Pernambuco, por meio da Secult-PE/Fundarpe, lançou, nesta quarta-feira (24), o edital que regulamentará as inscrições e o processo eleitoral de novos representantes (titulares e suplentes) da sociedade civil para o Conselho Estadual de Política Cultural (CEPC/PE), no biênio 2021/2023.

O pleito prevê duas etapas: inscrição e habilitação para participação no fórum setorial de cada segmento e área; realização de um fórum setorial, por segmento ou área, para eleição de um conselheiro titular e respectivo suplente.

As inscrições dos candidatos poderão ser feitas virtualmente entre os dias 8 e 22 de março de 2021, via plataforma Prosas (www.cultura.pe.gov.br/editais-prosas). Já o resultado final do processo eleitoral deverá ser divulgado até o dia 4 de junho de 2021, nos canais oficiais da Secult-PE/Fundarpe.

Os fóruns setoriais ou específicos serão divididos em segmentos e áreas, conforme definidos no art. 4º do Decreto 41.777/2015. São eles: 1) Arquitetura e Urbanismo; 2) Artes Visuais e Fotografia; 3) Artesanato; 4) Audiovisual; 5) Circo; 6) Dança; 7) Design e Moda; 8) Gastronomia; 9) Literatura; 10) Música; 11) Teatro e Ópera; l2) Cultura popular de matriz ibérica; 13) Cultura popular de matriz africana; 14) Cultura popular de matriz indígena; 15) Produtores culturais; 16) Pontos de cultura; 17) Movimentos sociais, comunitários e de direitos urbanos, de mídia livre, de juventude e estudantil; 18) Zona da Mata; 19) Agreste; e 20) Sertão.

Para cada segmento ou área contemplado, será realizado um fórum setorial para a eleição de um conselheiro titular e respectivo suplente para cada segmento ou área. Os eleitos serão os dois mais votados, necessariamente um titular e um suplente por segmento ou área para mandato de dois anos, renovados por igual período. Em caso de empate para definição dos conselheiros eleitos, titular e suplente, será considerado eleito titular o candidato com maior idade. Os suplentes serão sempre os segundos candidatos mais votados para cada segmento ou área. É importante ressaltar que quem se candidata deverá apresentar, no ato de sua inscrição, uma comprovação de vinculação ao segmento/área que pretende concorrer ao CEPC/PE.

“O CEPC/PE é um dos instrumentos mais democráticos e participativos da política cultural do Estado. Como ele é um órgão colegiado que contempla vários segmentos e áreas culturais, esse processo eleitoral visa dar mais transparência à sua composição”, comenta o secretário estadual de Cultura, Gilberto Freyre Neto.

Já o presidente da Fundarpe, Marcelo Canuto, destaca que “a renovação dos membros do colegiado permite que a sociedade discuta e proponha novas pautas, além de contribuir com a formulação e consolidação de políticas públicas que atendam mais e melhor aos anseios e às demandas da cadeia produtiva e cultural pernambucana”.

Para o vice-presidente da Fundarpe, Severino Pessoa, a participação da sociedade civil é decisiva para uma boa representação. “É fundamental que possamos contar com a contribuição e participação de todos aqueles que formam o tecido cultural. Todas as linguagens artísticas precisam ter pessoas comprometidas com os avanços e desafios de constituir uma política pública. Sem a sociedade, não temos como avançar. É também importante ressaltar que o CEPC/PE tem formação paritária, sendo metade eleita pela sociedade civil e a outra metade de representantes do governo”, resumiu ele.

INSCRIÇÕES ON-LINE – Considerando o momento de pandemia da Covid-19 (coronavírus) e os riscos inerentes às reuniões e/ou fóruns presenciais, as inscrições/habilitações e os fóruns eletivos de segmentos e áreas culturais serão realizados exclusivamente por meio da plataforma digital on-line, disponível no site: prosas.com.br/editais. Para realizar a inscrição e candidatura, o participante deverá criar uma conta gratuita de “empreendedor” na aba: prosas.com.br/empreendedores. As inscrições e as candidaturas deverão ser realizadas entre às 8h do dia 8 de março de 2021 até às 18h (horário de Brasília) do último dia de inscrição, 22 de março de 2021, considerando envio de todos os documentos de inscrição na versão final (não serão aceitas inscrições em rascunho). A plataforma on-line para inscrições interromperá o recebimento de inscrições, após o horário limite estabelecido.

No dia 30 de março de 2021, a Secult-PE/Fundarpe divulgará todos os dados relacionados à inscrição, habilitação, candidaturas e propostas, por segmento e área. Os fóruns virtuais começam a ser realizados no dia 19 de abril e estendem-se até 14 de maio de 2021. O resultado das eleições em cada fórum setorial será informado no Diário Oficial do Estado e divulgado no Portal da Secretaria de Cultura do Estado de Pernambuco (www.cultura.pe.gov.br).

Acesse aqui todos os documentos e anexos relacionados ao processo eleitoral do Conselho Estadual de Política Cultural (CEPC/PE).

Revelação V

A verdade é terrível. Feita só de substância absoluta do fogo da luz. Aquece, purifica consome. A verdade tem que ser dita como a disseste. Só por te haver custado tanto a dizer, ela é mais preciosa ainda, para mim.

Não verdade gratuita. Toda verdade é dura, difícil. Algumas vezes, mesmo cruel.

Disseste-me: Eu te amo. Com que esforço o disseste! Um esforço tão imenso como se tivesse de arrancar de sob todos os rochedos e montanhas do  universo tua confissão. Com quem entrega a própria alma e teme perdê-la.

O oceano de ternura em mim cresceu suas vagas. De repente, esqueci toda tua atitude ousada e temerária.

Havias-me deixado muda, assustada com o que ousaras. Não te bastara ser para mim um - único -  que não te faça sequência, isto é, que não sejas um número após o singular. Quiseste a prova e foste inconsequente. Agora, ali estava eu, como uma criança, aterrorizada e surpreendida com tua ousadia e teu agir.

Percebeste isto. Percebeste bem. Eu te senti contrafeito e inseguro.

Tomaste-me pela mão e me falaste. Mostraste-me o Cristo e a biblioteca. Fizeste participar do teu mundo mais recluso e íntimo. Emulaste, assim, a oculta ternura com essa sutileza que por vezes em ti é tão intensa. Pronunciaste a única palavra que mitigaria a  minha dor, que desarmaria meu coração: Eu te amo.

Como arrancaste do teu peito, como conseguiste arrancar, com que dificuldade, a confissão.

Era como o ruído de um vulcão despertando. Como se um rochedo falasse. Como se tua alma houvesse lançado, em catapulta, teu coração pela boca.

Mulher que sou, como poderia eu resistir à tua verdade tão profunda, tão bem ocultada até então e  declarada assim, como quem entrega a própria vida?

Meu silêncio e minhas lágrimas te falaram mais do  que mil palavras. E o gesto de abandono da minha mão na tua. E o repousar tranquilo da minha cabeça no teu ombro.

Só o silêncio pode acolher a confissão de um amor assim tão dolorosamente confessado e tão ciosamente guardado. Só o silêncio.

Luzinette Laporte de Carvalho (foto) / Escritora e professora / Garanhuns ano 2000.

Idosos entre 80 e 84 anos já podem se cadastrar para vacinação contra a Covid-19 em Garanhuns

Com o anúncio do Governo do Estado da chegada de novas doses de vacina em Pernambuco, a Prefeitura de Garanhuns, por meio da Secretaria de Saúde, iniciou o cadastro dos idosos entre 80 e 84 anos para a Campanha de Vacinação Contra a Covid-19. 

Ao todo, o município receberá 1110 doses da vacina AstraZeneca/Oxford/Fiocruz para desenvolver a quarta etapa da primeira fase. A destinação das doses para o grupo entre 80 e 84 anos foi pactuada na Comissão Intergestores Bipartite (CIB) desde a última semana.

Idosos que fazem parte do público-alvo podem se inscrever por meio do link ( https://abre.ai/cadastro80a84anos ). Para realizar o cadastro é necessário informar os dados do idoso, além de endereço e telefone. A vacinação será realizada em domicílio, em data agendada, após contato da Secretaria de Saúde. No momento da vacinação é necessário que o idoso ou responsável esteja munido de CPF e cartão do Sistema Único de Saúde (SUS).

Balanço - O município já recebeu 4910 doses da vacina Sinovac/Butantan, que foram destinadas para profissionais de linha de frente, trabalhadores de saúde e idosos em instituições de longa permanência. Anteriormente também foram recebidas 1130 doses da vacina AstraZeneca/Oxford/Fiocruz, aplicadas em idosos com 85 anos ou mais.

Texto: Aquilles Soares  

Secom/PMG.

Psicoterapia Espírita

Certa vez, Allan Kardec afirmou:  "O Espiritismo, marchando com o progresso, não será jamais excedido, porque, se novas descobertas lhe demonstrarem que está em erro sobre um  ponto, ele se modificará sobre esse ponto; se uma  nova verdade se revelar, ele a aceitará". Tal afirmação está inscrita no  grande livro da codificação espírita, "A Gênese". Ficamos assim a saber da  inexcedível atualidade da doutrina dos espíritos. Notável é saber-se também que em nada, até aqui, a  ciência desmontou ou fez mudar os conceitos da mesma doutrina. Quanto mais progridem as ciências, mais e mais se confirmam as teses do espiritismo. Com relação a outro livro da codificação. "O livro dos Espíritos", costumamos chamá-lo de "a enciclopédia do espiritismo. Mas,  quando assim o dizemos, aceitamos que, em suas bases, todas as ciências, religiões e filosofias, em seus  preceitos de real limpidez, encontram no espiritismo,  aquela "chave" explicativa de que tantas vezes nos falou o codificador.

Os fenômenos espíritas já se acham na pesquisa das universidades do mundo. Notadamente na Europa e nos Estados Unidos da América, muitos cientistas se devotam ao estudo experimental de fenomenologia transcendental. Parapsicologia, Psifenômenos, Psicobiofísica, Psicotrônica, são tantos nomes que a ciência hodierna inventa para, debaixo de seus métodos e disciplina, investigar e estudar os fenômenos paranormais. Não nos importam as denominações dos ramos científicos, nem tão pouco, os nomes com que se batizam os  casos estudados, nesta febre atual do exame científico, dirigido a casuística espírita. Hoje, a parapsicologia já chegou a uma  afirmação categórica: existe o fenômeno parapsicológico. No entanto, muitos parapsicológicos ainda estão procurando as causas da  insólita fenomenologia. Mais cedo ou mais tarde, dentro das universidades, teremos a resposta dos espíritos, como diuturnamente nos é dada nos  laboratórios naturais desta ciência, que não são outros, senão os diversos núcleos espíritas espalhados principalmente em terras brasileiras. Trata-se apenas de uma questão de tempo.

Em tudo isto, nada existe de "sobrenatural", nem de misterioso. Todos estes fenômenos estão dentro da  natureza, desde que se tenha uma concepção universalista do que seja natural. Sintamos que a  Terra, ainda quando grande para nós, no concerto dos mundos, não passa de um insignificante grão de areia. Sem sairmos de nossa querida Via-Láctea, somente nela passeiam mais  de cem bilhões de mundos. E, sem sairmos do nosso sistema solar, nosso gigante irmão, que é Júpiter, abrigaria em seu interior,  nada mais, nada menos de mil e duzentas Terras. Somente estes fatos astronômicos deixam muitos elementos de meditação. Teria Deus feito toda esta beleza, simplesmente destinada à contemplação egoísta do homem? Se  assim fosse, onde estaria a  sabedoria de Deus? - Onde, a perfeição de sua  obra?

Em nosso tempo, um grande apóstolo da ciência, sentenciou: "O materialismo perdeu o seu objeto, por falta de  matéria". Albert Einstein, assim concluía, certamente tangido, cientificamente pelos estudos dedicados à Física. Energizou a matéria, emprestando-lhe categoria mais significativa, em dimensão maior. Retirou da matéria bruta, lição de sabedoria, confundindo-a ontologicamente, com outras formas universais, que se perdem na poeira do cosmo. O ensinamento einsteiniano conduz-nos a muito pensar sobre a vaidade atual de muitos estudiosos. A estes, muito se lhes assenta, a advertência de Paulo: "Destruirei a sabedoria dos sábios, e aniquilarei a inteligência dos entendidos."

*Dr. Aurélio Muniz Freire / Jurista e escritor / Garanhuns, 26 de maio de 1979.

O Menino de Miracica

Numa das minhas visitas a Miracica mostraram-me ao longe uma casa branca onde ele havia nascido. Casa simples do talvez mais pobre dos distritos de Garanhuns. Por coincidência, naquele mesmo dia iniciava-se a construção do Banco do Nordeste em nossa cidade. O menino de Miracica, presente ao ato, chamou-me para ajudá-lo a colocar numa urna os jornais do dia. Ele não era um convidado qualquer. Era o próprio presidente do Banco. E os jornais contavam a sua história de aluno aplicado do Diocesano, onde estudava com sacrifício. De lá fora para a Bahia e da Bahia para os Estados Unidos.

Encontrava-me em Fortaleza, numa delegação da COMPER a um congresso de investidores, quando um jornalista amigo segredou-me a notícia: Rubens Vaz da Costa (foto) seria o novo superintendente da SUDENE. A sua caminhada, da casa branca de Miracica aos altos postos que viria a ocupar, começava bem, pensei comigo mesmo.

Agora, que estamos ambos na planície, ele sem cargo oficial, por enquanto, e eu por enquanto, sem mandato popular, posso dizer da experiência que vivemos juntos, sem que possa advir desses comentários interpretações de outros interesses.

Interesse houve no Nordeste quando o procurei, como deputado, da defesa dos incentivos do 34 e 18. Pressentia que era o começo do esvaziamento da SUDENE. Quando se abria uma opção entre o Nordeste e outras áreas do Sul para aplicação dos recursos criados por lei, para justamente diminuir o desequilíbrio entre as regiões, a opção já havia sido feita contra nós. Disso só os ingênuos tinham dúvida. Entre construir hotéis e fazer reflorestamento no Sul ou no Nordeste nem mais opção existia. 

Estava legalmente aberto o caminho que era, por se assim dizer, o desvio dos recursos que nos pertenciam. Senti a luta e por que não dizer a revolta de Rubens nesse episódio. O seu esforço foi grande para minimizar os  efeitos dessa decisão altamente prejudicial aos interesses do Nordeste. E aí está o resultado. Compute-se o volume dos recursos desviados para outras áreas e veja-se a sangria que o Nordeste sofreu e continua sofrendo.

Já na presidência do Banco do Nordeste também o procurei para dois projetos do interesse de Garanhuns: a liberação de recursos para a fábrica de relógios e o da construção de uma fábrica de sacos plásticos, cujo projeto lhe foi entregue pessoalmente aqui no Recife, na presença de empresários e líderes políticos.

Depois de pronto o prédio do Banco é inaugurado, logo após, a fábrica de relógios, vou encontrá-lo novamente, dessa vez ele na Presidência do Banco de Habitação e eu como prefeito de Garanhuns. Ambos desafiados no seu amor próprio, ou melhor do próprio amor a uma cidade que era e é de nós dois e que de nós dois dependia naquele momento com um problema da maior seriedade, para uma cidade que é polo de desenvolvimento de uma região.

A luta começou aqui na SUDENE, para a aprovação do projeto. Dei muito trabalho ao engenheiro Lavigne e ao seu sucessor. Depois transferiu-se para o Rio de Janeiro, sede do Banco de Habitação, que deveria aprovar o projeto de financiamento. Viajei para o Rio, com a disposição de somente regressar com o projeto aprovado. Lá servia de uma espécie de intermediário entre a COMPESA e o Banco, ou melhor, entre Garanhuns e Rubens. Poucos dias, menos de uma semana, depois do meu regresso, recebia de Rubens um telegrama comunicando que a Diretoria do Banco havia aprovado um empréstimo de oito milhões e meio para financiar o abastecimento de água da nossa cidade. E precisamente em setembro de 1972, o contrato entre o Governo do Estado e o Banco de Habitação era solenemente assinado em Garanhuns, pelo governador Eraldo Gueiros e o economista Rubens Costa. 

O governador de Pernambuco assinara com o prefeito de Garanhuns o convênio necessário à realização da obra. A luta agora era para a concorrência pública desses serviços pela COMPESA, com a urgência que o prefeito solicitava pessoalmente todas as semanas. É que não queríamos que terminasse o nosso mandato sem que essa obra, velho sonho de Garanhuns, não fosse iniciada. E assim, com a persistência, que deve ser a virtude maior de quem administra, vimos finalmente os serviços de abastecimento d'água das Inhumas serem oficialmente iniciados, com a presença do secretário da Viação e o presidente da COMPESA com discursos e placas comemorativas.

Estavam finalmente gratificados, Rubens Costa, que concedera o empréstimo para as obras, e também o prefeito que conseguira que elas tivesse início, que fizera à COMPESA o primeiro pagamento do financiamento, que viajara para falar com Rubens, que assinara o contrato com o governo do Estado.

Em Rubens Vaz da Costa, o "Menino de Miracica", o seu amor e apego às coisas de sua cidade, é quem sustenta o homem público, o que é na realidade.

*Transcrito do livro "GARANHUNS ANO 100", publicado em 1979 pelo Dr. Luiz Douto Dourado, filho de Garanhuns, ex-deputado Estadual, ex-Prefeito de Garanhuns e Secretário de Justiça do 1º Governo de Miguel Arraes.

Click no link abaixo e saiba mais sobre Rubens Vaz da Costa:

http://blogdoanchietagueiros.blogspot.com/2017/11/memorias-de-pernambuco-economista.html

Senado aprova que estados, municípios e setor privado comprem vacinas contra a covid-19

O Plenário do Senado aprovou nesta quarta-feira (24) o projeto de lei que autoriza os estados, os municípios e o setor privado a adquirirem vacinas contra a covid-19 (PL 534/2021). O texto também permite que os compradores assumam a responsabilidade civil pela imunização, o que abre caminho para a entrada de novas variedades de vacina no país. O projeto segue para a Câmara dos Deputados.

Pelo texto, a compra por estados e municípios fica autorizada para casos em que o governo federal não cumpra o Plano Nacional de Operacionalização da Vacina contra a Covid-19, ou quando a cobertura imunológica prevista pela União não for suficiente. A norma se escora em decisão proferida nesta semana pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que considerou constitucional a iniciativa dos entes da federação nessas mesmas hipóteses.

Além disso, quando fizerem a aquisição por conta própria, os estados e municípios, como regra, não usarão recursos próprios, e deverão ter ressarcimento da União pelo valor desembolsado. Apenas em casos excepcionais os entes da Federação serão responsáveis por custear a compra. 

Setor privado

Já o setor privado fica obrigado a doar todas as doses compradas para o Sistema Único de Saúde (SUS) enquanto estiver em curso a vacinação dos grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde. Após a conclusão dessa etapa, as empresas poderão ficar com metade das vacinas que adquirirem, e elas deverão ser aplicadas gratuitamente. A outra metade deverá ser remetida ao SUS.

O projeto também autoriza a União, os estados e os municípios a assumirem a responsabilidade de indenizar os cidadãos por eventuais efeitos colaterais provocados pelas vacinas. Essa é uma exigência feita por algumas empresas fabricantes, como a Pfizer e a Janssen, cujas vacinas ainda não chegaram ao Brasil. Para cobrir esses riscos, a administração pública poderá constituir garantias ou contratar seguro privado.

Todas as medidas se aplicam apenas a vacinas com uso autorizado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária.

Fonte: Agência Senado

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2021

Secretaria de Saúde de Garanhuns promove audiência pública nesta sexta (26)

A Secretaria de Saúde de Garanhuns apresenta, na próxima sexta-feira (26), o relatório de gestão referente ao terceiro quadrimestre de 2020, que compreende os meses de setembro a dezembro do ano passado. A prestação de contas obrigatória atende às determinações do artigo 36º da Lei Complementar 141, de 13 de janeiro de 2012.

A audiência pública será realizada na Câmara de Vereadores de Garanhuns, a partir das 09h30min, e irá seguir as medidas de prevenção à Covid-19. O número de participantes presenciais estará limitado a 30% da capacidade do espaço, sendo restrito ao total de 39 pessoas, em conformidade com o Decreto n° 50.052, de 07 de janeiro de 2021. A audiência também será transmitida ao vivo, em link que será disponibilizado por meio das redes sociais da Prefeitura de Garanhuns.

Serviço: Relatório da Secretaria Municipal de Saúde (terceiro quadrimestre de 2020)

Data: 26 de fevereiro de 2021 (sexta-feira)

Hora: 9h30min

Local: Câmara de Vereadores de Garanhuns (Rua Joaquim Távora, nº 305 – Heliópolis)

Arte: Lucas Monteiro 

Secom/PMG.

Fernando Rodolfo será o relator do processo contra Daniel Silveira na Comissão de Ética da Câmara

O presidente do Conselho de Ética da Câmara, Juscelino Filho (DEM-MA), anunciou os nomes dos relatores dos processos contra os deputados federais Daniel Silveira e Flordelis. O pernambucano Fernando Rodolfo (PL-PE) será o responsável por relatar o caso do deputado federal bolsonarista. Nos bastidores, ele já era apontado como o favorito da lista tríplice para ocupar o posto.

O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados instaurou ontem processo disciplinar contra os parlamentares por quebra de decoro parlamentar. Os procedimentos podem levar os parlamentares a perder o mandato.

A representação contra o deputado Daniel Silveira foi formulada pela Mesa Diretora da Câmara. Também apresentaram um documento pedindo a cassação do deputado seis partidos. Silveira responderá ao processo em razão de um vídeo onde agride verbalmente e incita violência contra ministros do Supremo Tribunal Federal (STF).

O deputado também exaltou o Ato Institucional (AI-5), instrumento de repressão usado durante a ditadura militar, que fechou o Congresso e cassou mandatos de juízes e parlamentares.

Fonte: Folha de Pernambuco

Ex-prefeito de Cedro é multado por contratação irregular

A Primeira Câmara do TCE julgou irregular, nesta terça-feira (23), o objeto de uma auditoria especial, realizada na Prefeitura de Cedro, no ano de 2020 (processo nº 20100504-9), com o objetivo de apurar a responsabilidade dos gestores na autorização e prosseguimento da Tomada de Preços nº 002/2020, ainda na vigência do decreto de calamidade pública em virtude da pandemia do coronavírus. O relator foi o conselheiro Valdecir Pascoal.

A referida Tomada de Preços, que seria realizada por meio presencial, teria como objeto a contratação de empresa especializada para prestação de serviços de coleta, transporte, tratamento e destinação final de resíduos sólidos.

De acordo com o relatório de auditoria, o TCE, juntamente com Ministério Público Estadual, expediu a Recomendação Conjunta TCE/PGJ nº 01/2020, na qual orientava os gestores públicos estaduais e municipais a evitar, tanto quanto possível, a realização de certames presenciais, priorizando a modalidade eletrônica.

No voto, o relator destaca que o ex-prefeito do município, Antônio Inocêncio Leite, autorizou a Comissão Permanente de Licitação a realizar o processo licitatório na modalidade presencial, em 17 de julho de 2020, portanto, mais de um mês após as deliberações do Tribunal de Contas, sendo suspenso apenas através de Cautelar (2053830-3). Além disso, a gestão não realizou qualquer justificativa para não atender às recomendações.

Por este motivo, o relator julgou irregular o objeto desta auditoria e aplicou uma multa ao ex-prefeito, e também ao presidente da Comissão de Licitação, Raimundo Leonilson Batista, no valor de R$ 4.257,25.O voto foi aprovado por unanimidade. Representou o Ministério Público de Contas o procurador Ricardo Alexandre.

Fonte: TCE-PE

Apresentação do Livro "Garanhuns Ano 100" de Luiz Souto Dourado

Da esquerda para a direita: Professor Erasmo Bernardino Vilela, Ivo Amaral e Luiz Souto Dourado.

Paulo do Couto Malta*

O primeiro prefeito da centenária cidade de Garanhuns, major da Guarda Nacional Antônio da Silva Souto, teve quase cem anos depois, um neto Souto Dourado, no mesmo posto. Entre 1969 e 1973, Souto Dourado governou Garanhuns. Mas antes, também a governou, em mais de um período, o pai Euclides Dourado. Por pouco tempo, outro do clã, o tio Souto Filho, subiu à governança do município.

No tempo em que Souto Dourado foi prefeito, Garanhuns tinha um elenco brilhante na Assembleia: Elpídio Branco, Francisco Figueira, Inaldo Lima, Aloísio Pinto. Da assembleia, onde alcançara o título de Deputado do Ano, pulou Soutinho para a Prefeitura, onde foi, sem a formalidade do diploma, o prefeito do Ano, por consenso unânime dos profissionais do batente. Dele partiu, quando deputado, o projeto de conclusão do Hotel Monte Sinai, o do terreno da fábrica de leite em  pó, a implantação do sistema de microondas, a criação do Distrito Industrial.

O prefeito transformou a estação da antiga Great Western, no Centro Cultural de Garanhuns, com teatro, biblioteca e salão de conferências. Outro centro, o da Juventude, com piscina e quadras de esportes, propiciou à mocidade da terra o que o Conselheiro chamaria "deleitosos momentos". Este meco esteve presente à inauguração da Praça Elpídio Branco. O representante de Garanhuns gostava que o chamassem de "filho da Serra do Magano".

Garanhuns, afinal, deve muito a Souto Dourado, aos Figueiras, a Aloísio Pinto e a "seu" Micá. A ele todos, sem esquecer o maior de todos, o jovem Ivo Tinô do Amaral, deve Garanhuns a importância que hoje possui de ser a atração turística mais cobiçada de Pernambuco. Aos cem anos, renasce. Do programa de obras do futuro governador Marco Maciel consta o incremento ali, da cultura do café, em larga  escala. Nas suas terras ubérrimas já se cultivou o melhor café do mundo.

Garanhuns, aos poucos, por imposição do progresso, desemperra - de cidade construída para os olhos, panorâmica e turística, para as chaminés de fábricas; de campo onde flores brotam sem adubo para o cultivo do café, acrescentando à indústria do turismo a cultura da rubiácea, fonte permanente de divisas.

A cidade que o major Antônio da Silva Souto governou há exatamente cem anos não e a mesma que hoje o Ivo Tinô governa. E outra será, no bicentenário, a cidade de hoje. E queira Deus, para melhor.

Pernambuco recebe novo lote de 82 mil doses da vacina de Oxford/AstraZeneca contra a Covid-19

Pernambuco recebeu, nesta quarta-feira (24), um novo lote com 82 mil doses da vacina de Oxford/AstraZeneca contra a Covid-19. A carga chegou por volta das 9h no Aeroporto Internacional do Recife, na Imbiribeira, Zona Sul da capital pernambucana.

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) informou que o novo lote será usado para vacinar 65% da população de idosos de 80 a 84 anos em todos os municípios do Estado. A vacinação com as doses dessa carga deverá começar nesta quinta-feira (25).

Pernambuco agora soma 593.560 doses recebidas pelo Programa Estadual de Imunização (PNI-PE) desde 18 de janeiro.

Esse novo lote da vacina de Oxford/AstraZeneca faz parte das 2 milhões de doses da vacina que chegaram ao Rio de Janeiro, na terça-feira (23). O imunizante foi produzido pelo Instituto Serum, da Índia. 

O documento do Ministério da Saúde ainda indica que o Estado receberá em breve mais 48 mil doses da CoronaVac, produzida em parceria entre o laboratório Sinovac e o Instituto Butantan. 

Sementes de Contemplação

De Michelet:  "Concentra-te ou morre". Não podemos viver aturdidos, perdidos na vida e na Natureza. Como uma "obsessão" viver diretamente na  rotina. Precisamos fugir, extrapolar, conhecer o mundo maravilhoso do pensamento quando somos capazes de concentrar a mente num ponto crucial.

Desenvolver a cultura psíquica, num só sentido, voltando todas as energias para um objetivo fundamental. Agrupar os raios da consciência psicológica resultante de uma atração espontânea por algo. Assim, prevalece um fator preponderante e essencial: a força de vontade.

Com um pouco de exercício projetamos a consciência e congregamos um pensamento voluntário capaz de dominar aquilo que  pretendemos. O nódulo da  concentração é a atenção. A atenção dimensionada, estruturada, controlada, fixa naquilo que objetivamos. É o querer forte  capaz de dominar. É força latente, vibração, consciência aplicada; vai e vem seguro e ao mesmo tempo controlado pelas emoções.

Concentrar é uma necessidade, podemos até distinguir entre ver o olhar, pois ver com os olhos sonhadores interpretar, elaborar, criar, conduzir à uma esfera de nível elevado. O olhar rapidamente passa... desliza, mais ou menos negligente e veloz sobre aquilo que observa. O olhar transforma-se, imobiliza-se, prende-se quando necessário.

Concentrar é desenvolver, ampliar, querer. Dizia Abramovki: "A concentração sobre a ideia pode ser mais eficaz do que  o esforço de crispação voluntária". O domínio de si mesmo, o desenvolvimento psíquico, o esforço da vontade aperfeiçoada através de  uma concentração capaz, significa evolução, desenvolvimento, perfeição.

Os grandes Mestres sentiam necessidade de concentrar o espírito. O Mestre dos Mestres é o grande exemplo (quarenta dias e quarenta noites) - O sacrifício, a coragem, o amor, a dedicação; tudo através de uma "pausa" para o espirito.

José  de Vasconcelos Pontes / Advogado e jornalista / Garanhuns, 12 de maio de 1979.

SCGE abre processo seletivo na área de tecnologia

A Secretaria da Controladoria-Geral do Estado (SCGE) abriu processo seletivo para o cargo de chefe do Núcleo de Desenvolvimento de Sistemas (símbolo CAA-3), da Diretoria de Tecnologia da Informação do Controle Interno (DTCI). Com remuneração bruta de R$ 2.159,44, o profissional selecionado terá como principal atribuição, o desenvolvimento Full Stack.

Como pré-requisitos, o candidato deve ter experiência em JAVA Web e Banco de Dados/SQL; e como conhecimentos adicionais desejáveis, Python, Ruby on Rails e inglês. Os interessados devem encaminhar o currículo para o e-mail nilo.martins@cge.pe.gov.br, até o dia 05 de março.

Calendário de autorização de retorno do Ensino Fundamental, modalidades e Educação Infantil é alterado

O Governo de Pernambuco, através da Secretaria de Educação e Esportes, decidiu adiar a retomada das aulas presenciais para os estudantes da rede pública dos Ensino Fundamental e Educação Infantil. A decisão foi tomada mediante análise da situação epidemiológica do Estado através do Comitê Estadual de Enfrentamento à Covid-19.

Sendo assim, a retomada seguirá o seguinte calendário:

Retorno dos estudantes do 9º, 8º, 7º e 6º ano do Ensino Fundamental e modalidades: a partir de 15/03/2021

Retorno dos estudantes do 5º, 4º, 3º, 2º e 1º ano do Ensino Fundamental: a partir de 22/03/2021

Retorno da Educação Infantil: a partir de 29/03/2021

Lembramos que o ano letivo para estas etapas de ensino foi iniciado desde o dia 4 fevereiro com as aulas remotas. Desta forma, a Plataforma EducaPE continuará trazendo conteúdo alinhado ao currículo de Pernambuco. O Governo do Estado também seguirá oferecendo o programa “Conecta Aí”, lançado no ano passado e que patrocina dados de internet dos estudantes da rede pública estadual para que eles possam acessar gratuitamente todo o material disponibilizado na Plataforma Educa-PE, no Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA) e no Google Classroom. Com isso, ao acessar essas plataformas, os estudantes não gastam seus dados dos celulares.

Para os estudantes do Ensino Médio, que também iniciaram o ano letivo neste mês de fevereiro, as aulas seguirão sendo ofertadas no modelo híbrido (presencial e remoto).

Boletim Covid-19 – 23/02/2021 | Prefeitura de Garanhuns

A Secretaria Municipal de Saúde promoveu mudanças no boletim diário da Covid-19, com o intuito de que os dados repassados para a população estejam de acordo com as informações disponíveis no Sistema de Informações da Vigilância Epidemiológica Municipal.

A Vigilância Epidemiológica informa que foi confirmado um óbito pela Covid-19, nesta terça-feira (23), em Garanhuns. Trata-se de uma mulher de 85 anos, moradora do bairro Francisco Figueira, que já havia sido diagnosticada com a doença, e veio a óbito no último sábado (20), em unidade da rede pública estadual.

Também foram notificados 29 casos positivos da Covid-19. As pessoas que testaram positivo estão sob o monitoramento da equipe da Secretaria de Saúde. Mais 20 pessoas estão recuperadas, após cumprir o período de isolamento, e não apresentar mais sintomas da doença.

Até hoje, 3045 pessoas foram vacinadas com a primeira dose e 1188 pessoas foram vacinadas com a segunda dose. Além dos grupos que aguardam a segunda dose, a vacinação segue para trabalhadores da saúde com 60 anos ou mais, e profissionais que trabalham no modelo de assistência ‘home care’.

Ao todo, já foram confirmados 6638 casos da Covid-19 em Garanhuns. Deste total, 121 pessoas vieram a óbito, 6372 estão recuperadas após cumprir o período de isolamento domiciliar e não apresentar mais sintomas; e 145 pessoas que foram confirmadas com a Covid-19 estão em monitoramento. Já foram realizados 11215 testes pela rede municipal.

Atualmente, o município dispõe de 50 leitos clínicos, sendo 32 destes na Unidade de Tratamento Covid-19 e outros 18 na Unidade Covid-19 Palmira Sales. A taxa de ocupação dos leitos municipais encontra-se em 16%.

Fonte: Secom/PMG.

Processo seletivo Prefeitura de Jataúba - PE com 53 vagas

A Prefeitura de Jataúba anunciou o seu mais novo processo seletivo. Com base no edital de nº 002/2021, serão preenchidas 53 vagas temporárias para profissionais com diversos níveis de escolaridade. O processo seletivo Prefeitura de Jataúba garante vencimentos mensais de R$ 1.100,00 ou R$ 1.380,00, dependendo da função pleiteada pelo candidato.

As inscrições serão recebidas entre os dias 23 de fevereiro e 04 de março de 2021 (prazo previsto), na sede da Secretaria Municipal de Educação, Cultura, Esportes, Turismo e Lazer.

Clique aqui e saiba mais.

"Compreendi que não bastaria denunciar a injustiça, seria preciso dar a vida para combatê-la."

 Albert Camus (1913-1960) - Escritor francês.

Meus Referenciais Literários

João Marques dos Santos (foto)* 

Não há nada de novo debaixo do sol. Livro Eclesiastes, da Bíblia. Aprendemos com os mais velhos. E tudo que passa ou retorna está contido nesta sabedoria do Eclesiastes. Eu pouco sei do  tudo. Mas, como escritor, posso saber mais  que outros. E até fazer que sei criar. Escrevo coisas diferentes do meu vizinho. Escrever coisas diferentes do meu vizinho. Escrever. Escrever dentro de minha realidade. Ela se constrói à medida que compreendo. Eu vejo, escuto e leio. Eu penso.

As fontes são muitas. A natureza que acontece. E sei na conformidade de meu entendimento. A natureza. Os poetas, os pensadores ilustres. O condoreirismo de Castro Alves. As suas imagens grandiosas. Aprendi com este poeta a ver primeiro os altos. A valorização do imenso. Trazendo-o para dimensão de coisas que passam sem a percepção dos olhos humanos. Pequenas? Inúteis?... O poeta sempre ver mais. E diz como quem constrói, atingindo de forma total o objeto que expõe. Victor Hugo. O que encontro neste romancista francês, de primeira grandeza: "Antes que os homens lavrassem as pedras, desabrochava Deus as  flores". Em Miguel de Cervantes, outra assertiva que se compara: "A arte não vence a natureza, mas aperfeiçoa-a". Máximas que me comovem e ensinam a escrever. Esta última, a coloquei na abertura de meu livro de poesia Partições do Silêncio. Movimentos que são guardados no silêncio. O silêncio do acontecimento da Criação. A natureza infinda. E finda e definível no pensamento do homem. As formas e as cores. O tempo que divide as coisas. E, mágico, se coloca o poeta no espírito de tocar e dizer o que é. Transe o espaço e as leis que asseguram a existência.

O meu método é acreditar nos poetas. E com eles escrever. Acreditar nos prosadores e compor as impressões que tenho. Representar. O que faz o pensamento senão representar? O que escrevo espelha a pedra, a água e o céu. Lavro, com os homens, as expressões que reúnem pedras e flores. Faço-me voltar para a perfeição. Como escritor, tenho um compromisso. O do nivelamento com as forças criadoras. Estas forças ou possibilidades estão na alma. O sonho é ocupação constante. Ocupação com sonhos e flores. As pedras sonham, as flores recitam o que pensa o poeta. Canto. Qual Homero, que se costumou chamar de poeta. Poeta, assim, é essa realidade. Ou, talvez, um grande imitador. Arte é imitação ou ensina a se criar com a Criação.

O Criador da vida deu-nos a flor. As cores e o perfume. As paisagens e os sentimentos. A inteligência para denominar tudo e estabelecer diferenças. A alma, acima da flor e da inteligência, para se envolver. E dotou o homem de dois olhos. Um como a janela da percepção do cérebro. O outro como a percepção da alma. E deixou a criatura à vontade, para usar estes olhos da maneira como quisesse. E mesmo que venham a ser perdidos, por efeito de alguma causa acidental, eles estão inextinguíveis tanto no cérebro, como na alma. Aliás, aí é que estão as bases da visão. E todos os outros sentidos do corpo humano são análogos. E o que seria o corpo sem estas janelas implícitas. Sem a inteligência e sem a alma. A resposta começa a ser encontrada nos animais irracionais.

A poesia é manifestação de ser superior. Certamente, a poesia transcende ao meio puramente humano. Ela se estabelece entre os  que veem melhor. Almas aguçadas. Ou, ainda, entre os que querem ver o mundo a nível do belo. São, enfim, almas que se mostram e se apresentam acima das estrelas. A vida, não fosse esta ordem de fantasia ou de realidade profunda, secaria qual um deserto. Insípida existência, não fosse a admiração pela vida. As primaveras, elas procuram imitar os poetas. A estação da poesia, que desabrocha por toda parte e  em todo mundo. A poesia, com mais clareza, é o alimento que robustece o ser. Alimentado, o homem se compreende melhor. A vida se  apresenta como uma flor maravilhosa, que se oferece às nossas mãos.

Dádiva

A flor se faz

como o sol nascente

em muitas manhãs 

irrompem as pétalas

de auroras coloridas

em redor do talo

e raios brotam

como se faz a vida

de cintilações macias


O sol que entardece

passa ao outro sol

da cria, a flor

ela se faz sempre

para ser oferecida

como se oferece

das manhãs que chegam

e das mãos sábias

que a colhem

no parto da vida.

*Poeta, cronista, jornalista, escritor, diretor/redator do Jornal O Século, auto do Hino de Garanhuns e ex-presidente da Academia de Letras de Garanhuns - ALG. (Palestra realizada durante o II Festival de Literatura de Garanhuns - FLIG / Garanhuns, 2007.

terça-feira, 23 de fevereiro de 2021

Parecer prévio recomenda rejeição das contas de Tuparetama de 2017

A Segunda Câmara do TCE emitiu parecer prévio, na última quinta-feira (18), recomendando à Câmara Municipal de Tuparetama a rejeição das contas do prefeito Domingos Sávio da Costa Torres, relativas ao exercício financeiro de 2017. A decisão do colegiado quanto ao processo (nº 18100846-4), de relatoria do conselheiro substituto Ricardo Rios, foi unânime. 

Ao realizar a análise da prestação de contas de governo do atual prefeito, que está no seu segundo mandato, a equipe de auditoria do TCE identificou algumas falhas no cumprimento dos limites constitucionais e legais impostos aos gestores.

Destacou-se, entre elas, a fragilidade do planejamento e da execução orçamentária, com a existência de um déficit da ordem de R$ 1.801.508,61 e, segundo o voto do relator, “uma previsão de receitas irreais, descaracterizando a concepção da peça orçamentária como um instrumento de planejamento”.

De acordo com o relatório técnico de auditoria, também foi verificada a ausência de repasse integral das contribuições previdenciárias patronais, bem como da contribuição previdenciária patronal complementar, no montante total de R$ 432.626,56, à conta do Regime Próprio de Previdência Social. Inclusive, o Regime apresentou resultado previdenciário deficitário negativo de R$ 827.736,89, comprometendo ainda mais as finanças municipais.

Além disso, conforme a aplicação da metodologia do Índice de Transparência dos Municípios de Pernambuco do TCE, o município apresentou, naquele exercício, nível de transparência “Moderado”.

Com base nas irregularidades encontradas, o relator do processo recomendou ao atual gestor de Tuparetama, ou a quem o suceder, que fortaleça o sistema de registro contábil e o planejamento orçamentário mediante previsões adequadas para a receita, atentando para as exigências estabelecidas pela legislação.

Também foi recomendado que o prefeito não inclua na Lei Orçamentária Anual dispositivos inapropriados quanto à abertura de créditos adicionais e que elabore a programação financeira e o cronograma de execução mensal de desembolso, evidenciando um desdobramento baseado em estudo técnico financeiro dos ingressos e dispêndios municipais.

Por fim, o relator Ricardo Rios chamou a atenção para a transparência municipal, solicitando à Coordenadoria de Controle Externo que verifique o cumprimento das recomendações.  

Estiveram presentes à sessão, os conselheiros Marcos Loreto (presidente da Segunda Câmara), Carlos Porto e Teresa Duere e os conselheiros substitutos Ricardo Rios, Adriano Cisneiros, Luiz Arcoverde e Marcos Nóbrega. Representando o Ministério Público de Contas, esteve o procurador Guido Monteiro.

Fonte: TCE-PE